fbpx
Conecte-se agora

Em plena campanha, Petecão presta conta do mandato e diz que pede a Deus para mantê-lo simples e de bem com a vida

Publicado

em

Bar do Vaz

Pecuaristas cobram de Gladson protocolo que facilitará exportação de carne bovina

Publicado

em

Pecuaristas estão ansiosos para que o governador Gladson Cameli (Progressistas) crie as condições exigidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para tornar o Acre em área livre de aftosa sem vacinação. Esta recomendação do Ministério da Agricultura atende pedido da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e permitirá atender a mercados consumidores mais exigentes, para ampliar a exportação da carne acreana.

Anteriormente, o prazo para conseguir esta garantia era novembro, mas devido aos problemas nas instalações exigidas no protocolo, ele foi prorrogado para março deste ano. Para ser reconhecido como livre de aftosa sem vacinação o Estado precisa preencher um protocolo que dê a segurança para manter a área livre de vacinação e sem a doença. No Acre o pecuarista Fernando Zamora, vice-presidente da Federação da Agricultura lidera o grupo de fazendeiros que cobra a medida do governo. Este assunto foi discutido nesta terça (28), no Bar do Vaz. Veja a entrevista:

video

Ouça no Spotify:

Continuar lendo

Bar do Vaz

José Adriano: ainda há tempo para sonhar

Publicado

em

O empresariado acreano chega ao final de mais um ano com muitas dúvidas sobre a economia nacional e mais uma vez lutando para se manter vivo. Apesar de todas as dificuldades ainda há espaço para sonhos. Tanto que a Federação das Industrias do Estado do Acre apoia um grupo de empresários que desbravam os limites territoriais do Brasil para fazer uma ligação terrestre com o Peru, via Cruzeiro do Sul.

Mas por aqui, na Terra de Galvez, nem tudo funciona a contento. A fixação do valor do Supersimples em R$ 1,8 milhão intimida o empresário a ousar. Segundo om presidente da Fieac, José Adriano, o empreendedor se sente seguro debaixo do guarda-chuva do governo, que garante menor alíquotas de pagamento de imposto para quem aderiu ao programa. Adriano acha que com isso, alguns empresários poderão omitir receitas para ficar dentro do benefício.

O Refis, foi outra decisão tomada pelo governo Gladson Cameli que também não agradou os empresários. Na opinião do presidente da Fieac, é um programa paliativo. “Esse Refis não resolve. Seria melhor um valor percentual definido para o empresariado pagar sobre o que ganha”, defende.

Na semana passada o empresário José Adriano passou no Bar do Vaz com quem teve uma demorada conversa. Veja a entrevista,

video

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas