Conecte-se agora

Uma expectativa em aberto

Publicado

em

Com a entrada em cena da Promotora Alessandra Marques (foto) pedindo ao Conselho Tarifário a planilha dos empresários do transporte coletivo para um estudo mais aprofundado é técnico poderemos ter uma futura discussão judicial, em cima da decisão da prefeita Socorro Nery de conceder o reajuste aprovado pelo Conselho. Se durante o estudo do MP forem constatadas distorções entre o que está inserido na planilha e outra realidade e for ajuizada uma ação pedindo o cancelamento do aumento concedido está feita a farofa. Acho que a prefeita deveria ter aguardado o posicionamento do MP para não entrar numa saia justa, caso seja aferido na nova avaliação que o aumento no molde em que foi sancionado é abusivo. Vamos aguardar os próximos capítulos desta novela, que podem mudar o panorama atual.

EM BOAS MÃOS
O caso está em boas mãos, com a Promotora Alessandra Marques, de muita credibilidade.

INOVAR NA GESTÃO
O candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), tem o domínio do vídeo como poucos políticos do Acre. Demonstrou isso mais uma vez ontem na entrevista que deu ao programa “Tribuna Livre” da TV-RIO BRANCO, de forma detalhista ao tirar dúvidas. Garantiu que se for eleito fará um governo inovador e com nova gestão. Acha que cada governador teve o seu momento diferente de administrar e ele vai ter o dele se sair vencedor.  Mostrou-se tranqüilo quanto á campanha ao estilo pé no chão. Duas eleições para prefeito vitoriosas lhe dão o cacife de ser um candidato nada fácil de ser batido. Mas em momento algum passou a empáfia para o telespectador.

PONTOS PINÇADOS
Entre os pontos pinçados da entrevista: considera grave a situação da Previdência Estadual, onde o governo aplica 35 milhões, que poderiam ser usados em outras áreas. Entende que só com o fortalecimento da economia poderá superar o problema. “Sem criar impostos”, deixou claro. Outro ponto foi o de que é necessário ser eficiente na gestão e ajustar o Estado ao tamanho das suas necessidades. Na área de segurança defendeu a presença mais efetiva da polícia nas ruas e cobrou a responsabilidade do governo federal na vigilância das fronteiras acreanas. Foi taxativo de que é preciso “renovar” o projeto da FPA, e observou: “ou a FPA acaba”.

FAZENDO PELO CAMINHO CERTO
Quem está fazendo uma pré-campanha pelo caminho certo, sem alardes, mas com eficiência, é o candidato a deputado federal Rudilei Estrela (PP). Tem fechado apoios com lideranças experientes em política, em Rio Branco. E nos municípios. Não está no jogo só para fazer número. Anotem o que estou dizendo. Vai para a disputa em igualdade dentro da oposição.

ACABOU A CONVERSA
O candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), reuniu o seu Conselho Político e deliberou de forma definitiva de que não se mete nas alianças entre os partidos. Agiu certo. Isso lhe estava trazendo um desgaste sem tamanho. Cada partido é que busque o melhor caminho.

FALANDO DA PESQUISA
Ninguém ganhou nada na eleição para o governo. Isso é ponto pacífico. Não se pode pegar a pesquisa do DELTA e simplesmente sentenciar que este ou aquele candidato já ganhou a eleição. Isso é falso como uma nota de 300 reais. O que vai definir são os fatos da campanha.

OS NÚMEROS NÃO SÃO ESTÁTICOS
Os números de uma pesquisa eleitoral não são estáticos, variam quando começa a campanha política no seu fervor. E ninguém tem o dom da adivinhação para saber o que vai acontecer. São inúmeros os exemplos de candidatos que deram a largada na frente e perderam a eleição.

PREVER PRIMEIRO TURNO É ILAÇÃO
E se fazer previsão que um dos candidatos ao governo do Acre que estão polarizados, como Gladson Cameli (PP) e Marcus Alexandre (PT), vai ganhar no primeiro turno, isso é uma falácia grande. Para se fazer afirmação teria que se saber quais percentuais terão os candidatos Coronel Ulisses Araújo (PSL), Davi Hall (AVANTE), Lira Xapuri (PRTB) e Jananína Furtado (REDE).

COMPONENTES DE FORA
Há, por exemplo, componentes que ficaram de fora da coleta de opiniões da pesquisa do DELTA. Uma delas é o eleitorado da área rural. O outro é que não se sabe qual será o tamanho da abstenção na eleição deste ano. Na recente disputa do governo em Tocantins foi recorde, em torno de 51%.

CAUTELA E CALDO DE GALINHA
Fico com as opiniões políticas das lideranças mais ponderadas de que esta é uma eleição equilibrada para o governo e que será decidida em detalhes no decorrer da campanha. Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. Por isso deixem o foguetório guardado.

NÃO É UMA VERDADE
O fato do prefeito de Senador Guiomard, André Maia, aparecer com 0% de Bom e 0% de Ótimo na pesquisa do DELTA não significa que não tem ninguém que aprove a sua gestão. O que deve ter ocorrido é no pequeno universo pesquisado ter se dado a constatação. Não é um dado linear a toda a população do município. São fatos que precisam ser esclarecidos.

FALTOU CUIDAR
Um bom observador político da velha guarda comentava ontem que o que faltou aos demais gestores que sucederam o governo Jorge Viana foi não terem cuidado de obras que deixou na Capital, todas detalhistas e bem feitas. O deteriorado “Arena da Floresta” é um exemplo.

DISCORDO, MAS RESPEITO
Posso discordar, como discordo da campanha que o governador empreende na rede social pela canonização do ex-presidente Lula. Mas respeito pelo fato de serem correligionários e o Lula ter enchido os cofres dos governos do PT do Acre quando presidente. A lealdade se vê é nos momentos difíceis. Não há como deixar o componente de fora. Cada qual com os seus.

MEDALHÕES DE FORA
A eleição para deputado federal poderá vir com muitas surpresas, com base nesta legislação das sobras dos votos. Pode acontecer de candidatos azarões derrubarem os favoritos.

MEU PIRÃO PRIMEIRO
Um amigo do PP comentava ontem que o MDB cultua a política do meu pirão primeiro. É o Flaviano Melo cuidando da sua reeleição e da candidatura de um afilhado e o Vagner Sales cuidando da família. “E ainda querem usar o PP como escada para seus interesses”, disparou.

TETO DE VOTOS
Um conhecedor do colégio eleitoral de Sena Madureira previa ontem numa conversa política que o candidato mais votado para deputado estadual deve bater no teto de no máximo 3 mil votos. Isso significa quem quiser se eleger terá que inteirar votos em outros municípios.

BEM BATALHADA
Dá para se observar que o candidato a deputado estadual Francineudo Costa (PSDB) faz uma campanha bem batalhada, brigando pelo voto casa a casa. É uma tática certa para estadual.

CHAPA SOLITÁRIA
O SOLIDARIEDADE deverá ir para a disputa de vagas de deputado estadual de chapa própria. Tem nomes como os ex-deputados Walter Prado, Josemir Anute, e ainda Neném do Banco do Brasil, Dr. Jeckson, ex-prefeito André Hassem, entre outros. Pulou fora da coligação dos nanicos.

DECISÃO NA CAPITAL
A grande batalha pelo Senado deverá se acontecer em Rio Branco, pois, é aqui que se concentra mais da metade dos votos do Acre. O voto do interior serve de complemento.

BATALHA DE CRUZEIRO DO SUL
Uma batalha que deve ter capítulos interessantes deverá ser travada entre o prefeito Ilderlei Cordeiro (PP), com seu candidato a deputado federal Rudiley Estrela (PP) e o hoje desafeto ex-prefeito Vagner Sales (MDB), buscando a reeleição da deputada federal Jéssica Sales (MDB)

AGIDO COM RIGOR
As forças de Segurança têm agido com rigor em Cruzeiro do Sul desarticulando quadrilhas dedicadas ao tráfico internacional de drogas, com várias prisões. A cidade tinha se transformado num território livre dos bandidos. Os moradores já respiram mais aliviados.

CAMELI CAPITULOU
De fonte segura o candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), desistiu de fazer enfrentamento com os seis partidos nanicos que formaram uma chapa para federal e tampouco vai forçar o PP se coligar com o MDB. Avaliou que era um risco grande de perder votos para beneficiar o MDB.

ESPATIFADO CERTO
No PP, se resolvesse intervir, a chapa de estadual simplesmente seria espatifada.

BRIGAR PELA SUPLÊNCIA
PSDB E DEM decidiram brigar para indicar a primeira suplência na chapa do candidato a senador Márcio Bittar (MDB). Acham que a coligação não pode ser um feudo familiar do ex-prefeito Vagner Sales, que pretende indicar a mulher Antonia Sales para o espaço.

PARTIDO DOS SALES
Vagner Sales (MDB) é candidato a deputado estadual; a filha e deputada federal Jéssica Sales (MDB) disputará a reeleição, a mulher Antonia Sales primeira suplente de Márcio Bittar (MDB), cuja candidatura ao Senado foi articulada pelo Vagner dentro do MDB. Só dá Sales.

CARTA DE SEGURO
O deputado federal Flaviano Melo (MDB), quando defende que os partidos da coligação do Cameli se juntem num chapão para a Câmara Federal quer na verdade tirar a chamada “carta de seguro” e garantir um maior número de eleitos na sua coligação, na eleição passada se elegeu arrastado.

CAMPANHA DE TIRO CURTO
Os novos candidatos a deputado federal levam certa desvantagem em relação aos adversários que possuem mandato, por estes já serem conhecidos do eleitorado. Esta é uma campanha de tiro curto, por isso a corrida tem que começar na pré-campanha para os novos.

MÍNIMA IDÉIA
Leitor envia postagem perguntando se a foto em um café da manhã em que o prefeito Mazinho Serafim (MDB) recebeu o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), em sua casa se tratava de uma aliança ou queria afrontar o Gladson Cameli (PP) para forçar o PP se coligar com o MDB para estadual? Sinceramente? Não sei responder. Não tenho a mínima idéia. O Mazinho é imprevisível nas suas ações políticas.

TEM O SEU PESO
O governo não vive o seu momento político de popularidade. As pesquisas mostram isso. Mas numa campanha num Estado pobre, com uma legião de desempregados, com uma multidão de cargos de confiança, pode sim ser um fator que ajuda numa disputa do governo. As últimas eleições têm mostrado uma organização muito grande da FPA na campanha. Tanto é que estão vencendo uma eleição atrás da outra. É tolice se pensar que a candidatura do petista Marcus Alexandre está morta, só porque apareceu num empate técnico na última pesquisa de governador.  O jogo político nem começou. Os times ainda nem pisaram o gramado.

Propaganda

Blog do Crica

Um cenário  de guerra urbana 

Publicado

em

O que a população atônita está assistindo na capital é um cenário de guerra urbana, onde os principais protagonistas não conseguem se entender. O sistema penitenciário está envolto em uma briga interna pelo poder, que se escancarou para a opinião pública. O IAPEN virou palco de uma peleja de egos. Só este mês fugiram 30 presos e apenas um fugitivo foi recapturado. O governador Gladson está fora a tratamento de saúde; o Comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo, nos EUA e não se sabe o que está fazendo; o secretário de Segurança, Coronel Paulo César, também está fora do Acre acompanhando o tratamento de um filho. O vice-governador Major Rocha sumiu do Estado, justamente a quem o governador entregou o comando do sistema de segurança. Em 20 dias, 30 pessoas foram executadas por organizações criminosas. A UPA da Cidade do Povo fechou ontem sob forte ameaça de morte à equipe médica. Aonde é que nós vamos parar? E a pergunta que não quer calar. Não deveriam ter criado a expectativa falsa de que a questão da Segurança seria resolvida a um curto espaço. Uns falaram em 10 dias, outro em seis meses e um terceiro em 1 ano. O primeiro ano se passou e entramos no segundo ano de governo e a situação piorou. Reclamar da omissão do Exército por não cumprir sua missão de não patrulhar a fronteira, não resolve. Reclamar do presidente Jair Bolsonaro também não é solução. O Gladson tem de assumir o comando da segurança, para isso ele foi eleito, e junto com a sua equipe encontrar uma solução caseira para o caos.  

ESTE FILME EU JÁ VI

O governador Gladson Cameli criou um “gabinete de crise” para enfrentar a descontrolada onda de violência que se abateu sobre a cidade. Este mesmo filme eu assisti no governo do Tião Viana e com um final de fracasso. O que se quer é menos reunião e mais ações práticas.

FOI TUDO UMA GRANDE FARSA

Por isso, fico sempre com o pé atrás, quando vejo cenas de conversão de bandidos, de bandidos declarando arrependimento e anunciando que viraram evangélicos. Os 26 presos perigosos que fugiram eram exatamente do pavilhão onde foi montada a farsa de conversões.

NADA CONTRA OS PASTORES

Nada contra os Pastores, mas quem integra uma organização criminosa o faz por convicção e não é um Pastor tocando na sua cabeça que vai mudar seu perfil de matador. E até por ser uma questão econômica: se “converte” e vai viver de quê, da palavra do Pastor? Volta ao crime até como meio de subsistência. E fica no círculo matando e até ser morto por um rival.

FUGAR ALERTADA

A fuga já era alertada por agentes penitenciários experientes, com a saída da PM da segurança do presídio. A medida foi adotada sem que houvesse um plano de pessoal alternativo para cumprir o papel que era exercido pela PM. Com poucos agentes, a Penal virou uma peneira.

GOLPE ATRÁS DO OUTRO

Depois da derrota o PT, continua sofrendo um golpe atrás do outro, com a perda de lideranças importantes nos municípios. O caso mais recente foi da ex-deputada Leila Galvão, em Brasiléia.

PEGANDO FOGO

A informação de amigos que chegam de Brasiléia é que a disputa entre a prefeita Fernanda Hassem (PT) e a ex-deputada Leila Galvão, que se filiará ao MDB, está pegando fogo nas redes sociais, com a previsão de ser uma disputa mais que acirrada pelo comando da prefeitura.

MÃOS AMARRADAS

O senador Jorge Viana (PT) fica neste redemoinho tentando juntar os cacos que restaram da fragorosa derrota do PT no Estado, mas lhe falta o principal para recompor o partido: o poder. Mas isso não foi só causado pela perda do poder, também pela centralização do comando partidário num grupo, a DR, que direcionou o apoio aos candidatos do grupo. Inês é Morta!

PASSA POR 2022

O senador Jorge Viana (PT) tem de começar a se preocupar, o fracasso da eleição municipal vai refletir na eleição para o Governo e o Senado em 2022, já que, ele será candidato a senador ou a governador. O PT está sem um bom nome para prefeito nos dois maiores colégios eleitorais do Estado, Cruzeiro do Sul e Rio Branco. Está no poder apenas em três pequenos municípios.

NOME PARA O DEBATE

O PSL anunciou ontem oficialmente o jornalista Rogério Wenceslau seu candidato a prefeito de Rio Branco. É um nome que vai acrescentar muito ao bom debate de idéias na campanha.

CONHECE O JOGO

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, tem interiorizado muito as ações municipais, importante na disputa da reeleição este ano. Como conhecedor do jogo no município sabe da importância de estar bem nas áreas ribeirinhas, onde o grupo adversário sempre foi forte.

DO ERRO PARA A DISPUTA

Ilderlei Cordeiro saiu de um início de gestão conturbado para um final de administração com muitas conquistas, o que o deixa no ponto de entrar na campanha com alta competitividade.

INTERVENÇÃO FEDERAL

Ao invés de se falar em intervenção federal na Segurança, que não vai resolver nada, proposta populista, o que devia estar ocorrendo era a bancada federal que a tudo assiste passivamente, estar pressionando para que o Exército cumpra seu papel de patrulhar as fronteiras do Estado.

COLABORA COM O CRIME

Cada qual siga o caminho que quiser. Respeito! Mas divulgar Notas de facções é colaborar para que o crime organizado se mostre forte para a opinião pública. Não dou espaço a isso.

VOLTA EM EBULIÇÃO

A ALEAC deve voltar em ebulição do recesso com a oposição tendo temas a escolher para fustigar o governo. Os deputados retornarão ao trabalho no dia 3 de fevereiro.

NÃO FOI OMISSO

Ao longo do seu mandato o deputado federal Alan Rick (DEM) tem sido um dos que mais destinou recursos para projetos do sistema de segurança estadual. É só buscar os registros.

MANCHETE DO JN

Depois de longo tempo o Acre voltou ontem a ser manchete negativa no JORNAL NACIONAL, por conta da chacina em um bar da Transacreana e da fuga em massa de presos do FOC.

FAZER FIGURAÇÃO

O PT pode ir de professora Neide Lopes na disputa da prefeitura de Epitaciolândia. Neide sempre atuou como cabo-eleitoral de candidatos do PT e se entronizou em cargos de confiança nas gestões petistas dos últimos 20 anos. Entra na disputa sem a força do poder.

MIRANDO A CÂMARA FEDERAL

Encontrei ontem o presidente do PROS, Deda, que conseguiu tirar a sigla da inexpressividade, tendo hoje três candidatos a prefeitos e dezenas de candidatos a vereadores em vários municípios. Prepara o partido para disputar uma vaga de deputado federal em 2022.

 TEM TUDO A VER

Deda disse ao BLOG de que, não vê outro caminho que não seja o de indicar o vice na chapa da prefeita Fernanda Hassem (PT), que disputará a reeleição. Lembrou que o PROS é um dos partidos mais organizados de Brasiléia e é aliado da prefeita desde a última campanha. 

NÃO TENHO DÚVIDA

Também não tenho a menor dúvida que o PROS indicará o vice da chapa da Fernanda Hassem.

ALIANÇA PARA A PMRB

Tudo caminha para que o MDB faça uma coligação para disputar a prefeitura da capital dentro de uma aliança formada com o PR e o PSD, com o PSD indicando o vice do Roberto Duarte.

MÁRCIO ALBION

É um dos bons nomes que estará disputando este ano uma vaga de vereador da capital pelo PROGRESSISTAS. Márcio Albion, já teve uma boa votação quando disputou um mandato.

BOA CONVERSA

O “BOA CONVERSA” – programa que apresentamos no ac24horas com o colega Astério Moreira – voltará em fevereiro, com uma rodada de entrevistas com todos os candidatos á PMRB. Num jogo aberto, sem protecionismo, vamos conhecer seus projetos para a cidade.

ABANDONA A MOITA

O PROGRESSISTAS, nesta batida de indefinição, pode chegar na convenção que definirá os candidatos a prefeito da capital, como um puxadinho indicando o vice de alguma chapa

 NÃO ESTÁ COM PINTA

O partido não mostra interesse coletivo de seus dirigentes, na formatação de uma candidatura à prefeitura de Rio Branco. Sem um sinal claro do Gladson Cameli a sigla não vai a lugar algum.

PARECE BEM CLARO

Nesta eleição municipal da capital me prece bem clara uma situação: o PT não indo para o segundo turno, o partido e os aliados como o PCdoB, irão descarregar os seus votos, independente de qualquer coisa, contra o candidato apoiado pelo Gladson Cameli.

PENSAR AO CONTRÁRIO É ILÓGICO

Com oito candidatos e nove com ela, disputando a prefeitura da capital, é ilógico não colocar a prefeita Socorro Neri como competitiva para levar a sua candidatura ao segundo turno.

FRASE DO DIA

“Na política não existe aliados, existem parcerias por interesses comuns.” Máxima da política mineira.

Continuar lendo

Blog do Crica

Uma disputa que vai sacudir a fronteira 

Publicado

em

A ex-deputada Leila Galvão (PT) assumiu no último sábado o compromisso com o grupo do MDB que a visitou de que se filiará ao partido, para disputar a prefeitura de Brasiléia na eleição deste ano, pelo partido. O que era especulação se tornou num fato real. Isso empurra a eleição para a prefeitura do município para uma disputa que vai sacudir a fronteira. De um lado, teremos a bem avaliada em todas as pesquisas, prefeita Fernanda Hassem (PT), que disputará a reeleição no cargo, o que tem o seu peso em um município pequeno. E do outro, a ex-deputada Leila Galvão, que mesmo não tendo sido eleita, foi a mais votada do município na última campanha. O que torna a eleição surreal é que ambas são as maiores lideranças do PT no município. O rompimento agora oficial, já existia nos bastidores, por problemas de relacionamento na campanha. Já havia uma decisão do grupo da ex-deputada Leila de em hipótese alguma apoiar a reeleição da prefeita Fernanda Hassem (PT). Ponto certo: será uma eleição muito disputada. Como disse um amigo do município: “vai ser um bom jogo.”

ESTRATÉGIA A SER MUDADA

Não incorporo a proposta populista do deputado Roberto Duarte (MDB) de que deve ser pedida uma intervenção federal na Segurança. Agora, as estratégias adotadas pela cúpula do sistema devem ser melhoradas e inovadas, porque chegamos a um estágio de guerra civil.

NÃO ME VENHAM COM FALÁCIAS

Não venham com a falácia de comparar número de mortes com o mesmo período do governo passado. O PT perdeu a eleição, está sepultado e de ossos brancos. A exclusiva responsabilidade de conter a chacina em curso neste mês de janeiro é do atual governo.

TEM QUE VIR DE PÚBLICO

O vice-governador Major Rocha, a quem o governador Gladson Cameli deu poder pleno para comandar o sistema de segurança precisa vir de público falar alguma coisa, dar uma explicação, apontar novos caminhos, porque foi quem indicou toda a cúpula da segurança.

NÃO SE TRANSFERE RESPONSABILIDADE

O eleitor votou no Gladson para governar o Acre, não o elegeu para terceirizar a sua autoridade na área de segurança, porque o governador é ele, e a cobrança não tem como não ser direcionada ao seu governo. E não foi esta Segurança prometida durante a campanha.

CONTEXTO DE DISCUSSÃO

E neste contexto de discussão sobre a violência não vamos jogar o fardo nos nossos policiais, principalmente, a PM, que atua mais no campo. Temos uma justiça com leis que beneficiam bandidos, como o Estatuto do Menor, Audiência de Custódia e a Lei de Abuso de Autoridade.

OS POLÍTICOS ESTÃO NESTE CESTO

E não vamos deixar os políticos fora deste cesto. São eles que fazem as leis, como a mais recente Lei de Abuso de Autoridade, que pode dar punição ao policial que mostrar a cara de um bandido; que participou de uma chacina, de um estuprou e etc. A polícia não faz as leis.

 CORDA PARA MUITOS PESCOÇOS

Não vamos só botar a corda nos pescoços do secretário de Segurança, Paulo César, e do Comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo. Deles deve ser cobrado sim um novo plano de segurança, o que está sendo executado, infelizmente, não está contendo a violência, a população está atemorizada. O que tem de se mudar é a estratégia e não nomes.

EXPECTATIVA DO IRREAL

O secretário de Segurança, Paulo César não é omisso. O comandante da PM, Coronel Ulysses Araújo, também não é omisso. O pecado de ambos foi criar a falsa expectativa na população de que em poucos meses à frente de suas pastas resolveriam a questão da violência no Estado.

TEM DE COBRAR MESMO

Na questão de cobrança, está tem que ser feita mesmo pela população ao governador Gladson, ao vice-governador Major Rocha, ao Coronel Ulysses e ao secretário Paulo César, porque cabe a eles encontrar um caminho para minimizar a violência e por fim a este terror.

FORÇA NACIONAL

Vejo muita reclamação do baixo efetivo da PM. Por qual razão não se busca a vinda da Força Nacional para reforçar a tropa no combate ao crime organizado, que a cada dia que passa se torna mais desafiador? Falar em intervenção federal é populismo. Senhores do poder, uma coisa é certa: alguma coisa tem de ser feita, são trinta execuções em 18 dias neste mês.

ESQUEÇAM O PT

E vamos para com esta história de ficar debitando tudo ao PT, cujo último governo foi varrido das urnas por ter fracassado, inclusive, na Segurança, onde foi um desastre. As soluções têm de ser encontradas pelos que hoje estão governando o Acre e paremos por aqui pessoal. 

ENDEREÇO CERTO

“É o retrato da nossa segurança”. A frase do senador Petecão (PSD) sobre o acidente envolvendo um helicóptero do governo e um caminhão, muito mais que uma crítica ao fato, embute uma fustigada no vice-governador Major Rocha (PSDB), que comanda a Segurança.

PRELIMINAR PARA 2022

 Ambos, já vêm trocando farpa um bom tempo, numa preliminar para a eleição de 2022, já que eles têm projetos políticos majoritários conflitantes. É mais um capítulo dessa novela.

CONFRONTO INEVITÁVEL

Numa eventualidade do governador Gladson Cameli resolver disputar o Senado em 2022, não há quem segure um confronto na disputa do cargo entre o Major Rocha e o Sérgio Petecão.

SEM UM SINAL NÃO AVANÇA

O secretário Thiago Caetano vem se mexendo nos bastidores tentando construir a sua candidatura a prefeito da capital. Não está em discussão sua competência, é comprovada. Mas, sem um sinal forte e público do Gladson Cameli que o quer candidato fica difícil decolar.

NÃO DECIFRARAM A EQUAÇÃO

O que os dirigentes do PROGRESSISTAS e o próprio governador não decifraram a equação política da eleição deste ano, é que na eventualidade do partido ficar fora do jogo, sem candidato á PMRB, a sigla perderá a oportunidade de ser protagonista na eleição de 2022.

LARGAR AGORA OU FECHE A CORTINA

Atrasado o PROGRESSISTA está, e se quiser ainda ter qualquer chance de entrar no cenário com um nome competitivo o Gladson tem de se manifestar agora, ou feche-se a cortina. A indefinição do governador breca até os seus aliados de se manifestarem sobre preferência.

 CONTINUAM MINORITÁRIAS

Entre os nove nomes já anunciados com disposição de disputar a prefeitura da capital na eleição deste ano, temos apenas duas mulheres: a deputada federal Vanda Milani (SD) e a prefeita Socorro Neri (PSB). E ambas, com qualidades morais inquestionáveis.

RECEITA PRINCIPAL

Numa eleição para prefeito uma situação que tem um peso muito forte na ajuda ao candidato é ter um grande número de candidatos a vereadores, porque serão estes que vão brigar na periferia pelos votos. Por isso, a importância da montagem de chapas que sejam competitivas.

MIRANDO 2022

A publicitária Charlene Lima, que se não tivesse sido tirada do jogo em plena eleição poderia ser hoje deputada federal, estava numa campanha crescente, vai aproveitar a eleição municipal de Sena Madureira, para eleger vereadores visando disputar a ALEAC em 2022.

LUZ NO FIM DO TÚNEL

Pragmática, e com tudo para ser o primeiro passo para tirar a Saúde da UTI, esta parceria em discussão entre a representação da classe médica e os dirigentes da SESACRE. Sem um entrosamento com os profissionais da Medicina e a SESACRE, avanços não serão conquistados.

PARA A PREFEITA SOCORRO

Moradores da Rua João Raimundo, bairro João Eduardo 1, atrás da escola Marilda Gouveia, mandaram uma postagem pedindo espaço no BLOG para relatar á prefeita Socorro Neri que, embora tenham feito vários protocolos, o local continua sem iluminação pública, um perigo.

FORA DESSA

O deputado Daniel Zen (PT), que está de férias, chegou a ser procurado por colegas para dar a sua opinião sobre o desfecho do rompimento político entre lideranças do PT e a prefeita Socorro Neri, mas preferiu não comentar o fato. Limitou-se a dizer: – me deixem fora dessa.

NOME DA VEZ

Com a desistência do ex-prefeito Angelim de disputar a prefeitura de Rio Branco, o nome da pauta é o do deputado Daniel Zen (PT), que integra a tendência majoritária do PT. A se saber se aceitará colocar o seu nome na eleição. Uma coisa é certa, o PT terá candidato próprio.

FAZENDO FIRULA

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) faz firula quando diz crer numa recomposição política entre a prefeita Socorro Neri e a cúpula do PT. Na verdade, o PCdoB vai para a eleição da PMRB apoiando o candidato do PT, reeditando a longeva aliança no Estado com os petistas.

CONVERSANDO COM O PROS

 O PROS, que faz oposição ao governador Gladson na ALEAC, com a deputada Maria Antonia (PROS) votando contra os seus projetos, poderá ser aliado do PSDB na eleição municipal da capital. O presidente Francisco Deda vem tendo conversas com o vice Major Rocha (PSDB).

SÃO OS QUE SEGURAM

O governo do presidente Bolsonaro vem emendando uma trapalhada atrás da outra, como essa manifestação do seu ex-ministro da Cultura em cima de termos nazistas. O que está salvando seu governo é a figura anticorrupção do Moro e Paulo Guedes, na economia.

 TRESVALIANDO

O deputado Jenilson Lopes (PSB) sonhava ver todos os partidos de esquerda, junto com o senador Petecão (PSD), no mesmo palanque, apoiando a reeleição da prefeita Socorro Nery. No seringal, costuma-se dizer de uma fala desconexa, que a pessoa  está “tresvaliando.”

 FRASE DO DIA

“A política pode ser o ato nobre de prezar pelos interesses da população. Ou a infame arte de enganar a população para atender os interesses próprios”. Pinçada da seleção de frases políticas.

 

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required
Propaganda
Propaganda

Leia Também

Mais lidas