Conecte-se agora

Eber: “Aumento é pisar na população”

Publicado

em

O deputado Eber Machado (PDT) entrou no debate sobre o reajuste do preço das passagens de ônibus com a acusação de que a atual planilha em cima da qual as discussões estão acontecendo, trazem números irreais para beneficiar os empresários do transporte coletivo, em detrimento da população pobre, que é majoritária no uso ônibus. Eber considera que qualquer reajuste que vier a ser dado no preço da passagem é um golpe contra as famílias humildes e defende que as entidades que integram o Conselho Tarifário votem a favor que se mantenha o preço atual. “Se o salário do pobre não sobe, como arrochar ainda mais o seu orçamento?”. Eber Machado diz ser preciso uma ampla mobilização popular para evitar um novo aumento do preço das passagens, em coletivos sujos, velhos e que prestam um serviço de baixa qualidade para o povo.

MAIS UMA FRENTE DE BRIGA
O atual governo vai fechando o seu ciclo como um dos mais belicosos do Acre. Depois de entrar em brigas com várias categorias, como PM, servidores do Pró-Saúde, servidores terceirizados, engenheiros civis, entre outras, no descer da ladeira arma uma briga de graça com a OAB-AC. Eu não consigo entender o que o governador ganha com tanta briga.

ESTRATÉGIA ERRADA
E no caso da OAB-AC, que emitiu uma nota de repúdio, na defesa do falecido advogado Ruy Duarte, atacado de graça, sem nenhum sentido, o governo adotou uma estratégia errada de bater num morto, quando deveria deixar a discussão centrada no vereador Roberto Duarte (MDB).

DECISÃO PROFISSIONAL
Sobre a celeuma envolvendo a declaração de apoio do professor Carlos Coelho, um dos coordenadores da campanha do senador Sérgio Petecão (PSD) à candidatura do deputado Ney Amorim (PT), no segundo voto, ele esclarece que atende clientes que lhe procuram, por atuar no mercado de consultoria desde o ano de 2017 e não a grupos políticos.

ATOS SECTÁRIOS
Coelho diz em nota enviada à coluna que “é triste ver que em tempos de mudança da nova política, ainda existam pessoas que insistem em praticar atos sectários”. Cita a decisão da coordenação da campanha de Gladson Cameli (PP) de lhe tirar de todos os grupos de Zap, o isolando. “Mandei uma mensagem a eles, perguntando se também não querem meu voto”.

DECISÃO EMPRESARIAL
O professor Coelho enfatiza ser a sua decisão empresarial e afirma que, da mesmo forma que presta ser iço a um cliente da oposição poderia prestar ao candidato Marcus Alexandre (PT), sem problema. “E os políticos da oposição que apoiam o Ney, como ficam”? Pergunta Coelho.

NEY AMORIM TRANQUILO
Conversei ontem com o deputado Ney Amorim (PT) sobre o episódio da adesão do professor Coelho à sua candidatura. Ele se disse surpreso com tanta divulgação a este respeito: “eles nem imaginam quantos políticos da oposição estão me apoiando em todo Estado”, pontuou.

NINGUÉM SE ENTENDE, ESSA É A VERDADE!
As declarações abaixo do professor Carlos Coelho, que vinha integrando o âmago da campanha do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), mostra que o clima dentro da oposição é de confusão e muita confusão. Ninguém se afinou em relação ao Senado.

É A MAIS PURA VERDADE
É a mais pura verdade que a quase maioria dos deputados estaduais, candidatos á ALEAC, a deputado federal, vereadores de todos os municípios do interior da oposição fecharam acordo com a candidatura ao Senado do Ney Amorim (PT). Frequento a todas as sessões da Assembléia e presencio a caravana de vereadores e candidatos a deputado que em romaria vêm se reunir com o Ney. Esta questão do apoio do professor Coelho, no caso, é fichinha na história.

NÃO TEM CONVERSA
Estive ontem num papo com o deputado Gehlen Diniz (PP) sobre a discussão para uma aliança a estadual entre PP e MDB. Me disse que isso está descartado e que o PP não vai entrar numa chapa para eleger apenas os quatro candidatos a deputado do MDB. “Esqueçam isso”, afirma.

GOLPE EM CURSO
O deputado Gehlen Diniz (PP) vê esta tentativa de aliança entre PP e MDB com o um golpe dos emedebistas. Querem eleger quatro deputados estaduais para ficarem mandando na Assembléia Legislativa, num governo do Gladson Cameli (PP), denunciou Gehlen.

ENQUANTO ISSO
E enquanto a oposição briga em confusões pequenas, o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), visita universidades públicas e particulares, reafirmando apoio ao ensino superior. Convidou representantes das universidades a participarem da construção do Plano de Governo.

FATO NOVO
A campanha do Coronel Ulisses Araújo (PSL) ao governo não está parada, mas precisará de um fato novo para polarizar com o Marcus Alexandre (PT) ou Gladson Cameli (PP).

“QUER SER O ZÉ MANDÃO”
A frase acima eu ouvi ontem de um político da oposição, sobre a pressão que o MDB está fazendo para obrigar o PP a entrar numa coligação na disputa de vagas de deputado estadual: “Luis Carlos, isso é a velha prática do Vagner Sales de querer ser o Zé Mandão da oposição. É candidato a Estadual, a filha a Federal, a mulher é suplente do Márcio Bittar, e ainda quer ditar o que o PP tem de fazer? O Vagner é igual besouro, ronca, mas não faz medo. O problema é que o MDB não montou chapa de deputado estadual e querem pegar o PP como burro de carga. O MDB está sem chapa e sem saída. Vivem na base da ameaça para conseguir o que querem, mas desta vez vão quebrar a cara novamente, como quebraram na questão do vice. O PP não será besta de se coligar para perder deputados”. Foi um comentário que ouvi e faz sentido.

SANGUE QUE NÃO SE AFINA
O próprio deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS) já disse que “não gosta” do governador. Então não é surpresa que parta para lhe desgastar ainda mais na saúde, ao incentivar e promover uma greve no Hospital do Juruá, marcada para o próximo dia 22.

SÓ DESGASTE E MAIS NADA
O resultado será como no Pró-Saúde, toda movimentação, protestos, não deu em nada. No Hospital do Juruá é que não vai dar mesmo, porque o vínculo dos servidores é com a empresa religiosa que o administra e não com o governo, e podem ser demitidos a qualquer momento.

NÃO PODE SER IRRESPONSÁVEL
O grupo religioso do Hospital do Juruá não recebe em dias o que lhe é devido pela Secretaria de Saúde e seria irresponsabilidade não partir para o corte de gastos. Se o deputado Raimundinho pensa que pode mudar o panorama com greve, se equivoca. Perda de tempo.

EXTREMA CONFIANÇA
Ainda mais que o grupo religioso que administra o Hospital do Juruá é da extrema confiança do governador. O deputado Raimundinho da Saúde quer projeção eleitoral em tempo de eleição. O que na política é até natural.

TEMA ESPINHOSO
O combativo vereador Roberto Duarte (MDB) formalizou ontem na ALEAC um pedido de impeachment do governador, com o argumento jurídico que descumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal, gastando em salários além do permitido. É um pedido espinhoso.

FALTAM VOTOS
Quando o pedido dá entrada na ALEAC deixa de ser jurídico para ser político. Mesmo passando na Comissão de Constituição e Justiça a matéria vai esbarrar na falta de votos na oposição, a base do governo é majoritária e deve derrubar o pedido de impeachment, ainda que bem fundamentado.

FAZ PARTE DO JOGO
Analisando o fato pelo lado político faz parte do jogo, a oposição usa as armas que tem.

CAVALO DE TROIA
O PCdoB busca no PSB uma tábua de salvação para completar a sua chapa de deputado estadual e com isso eleger parlamentares. Resta saber se o PSB receberá o Cavalo de Troia

DISCURSO POLÍTICO
O deputado Lourival Marques (PT) critica o endereçamento de emendas para ramais para a Delegacia Regional do MAPA, sob argumento que não tem equipe técnica para gerir 90 milhões de reais. Chama de “irresponsabilidade”. O grito é na verdade pela direção do MAPA ter sido indicação do senador Gladson Cameli (PP), e sobre cujo órgão o PT não tem influência.

PERDEU O CONTROLE
Em um duro discurso ontem o deputado Gehlen Diniz (PP) diz que o Estado perdeu o combate contra a violência urbana. Cita que diariamente se registram execuções. E sem computar os assaltos, sequestros e roubos e furtos. Gehlen traçou um quadro negro da violência.

VAMOS RESSALTAR
Entrando na seara. Não sei como algo que parecia que tinha engrenado retrocedeu. E olhe que a Polícia Militar e a Polícia Civil não deixaram de agir. O governo reaparelhou as polícias com componentes que faltavam como coletes, carros e armas e há o recrudescimento da violência.

UM TRABALHO INCESSANTE
A deputada Leila Galvão (PT) é incessante na cobrança de melhorias para a região do Alto Acre. É uma petista que não se furta de cobrar do governo do seu partido por obras que acha que devem ser realizadas. Por isso terá cacife para pedir votos naquela região à sua reeleição.

LEÃO VELHO E SEM DENTE
Os integrantes do PP estão vendo como fogo de palha as ameaças do MDB, por conta do PP ter recusado uma coligação a deputado estadual. O MDB, depois da patuscada do Coronel Ulisses Araújo (PSL), ficou sem força na oposição, uma espécie de leão velho e sem dentes.

E OS OUTROS, SENHORES DO CHICOTE E CUTELO?
Em postagem endereçada à coordenação da campanha do candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), o professor Carlos Coelho, que vem sendo alvo de manifestações negativas pela declaração de apoio ao candidato a senador Ney Amorim (PT), faz uma série de indagações, acusações, que a coluna transcreve: “Já que me tiraram dos grupos (redes sociais), significa que não querem mais o meu apoio para o Gladson, né? Parabéns! Já estão eleitos! Não vi vocês se preocuparem em punir o Márcio Bittar quando acusou o Gladson e sua família, que tinha 30 milhões de reais para a campanha e que o senador Sérgio Petecão (PSD) tinha recebido 1 milhão de reais do Fernando Lage. Já que não fizeram nada, significa dizer que, tudo o que ele disse é verdade? Sejam verdadeiros e honestos, vocês sabem que a Charlene Lima, pré-candidata á deputada federal pelo PTB tem declarado que não apóia o Petecão. O que fizeram? Nada! Ficaram omissos. Temos muitos deputados estaduais, vereadores e dirigentes de partidos de oposição que também apoiam o Ney Amorim (PT) e vocês se calaram. Não sei em quem confiar. Mandei um áudio para vocês, preocupado no esvaziamento da apresentação da chapa majoritária neste próximo final de semana, em função da indefinição da chapa proporcional para deputado estadual entre PSD-PP- MDB e hoje o teor está estampado nos grupos sociais. Qual o objetivo disso? Dia 7 de outubro saberemos quem tem razão. Ok?”

Propaganda

Blog do Crica

Flaviano Melo: “Kinpara candidato a prefeito, seria a sopa no mel”

Publicado

em

O deputado federal Flaviano Melo, que por aclamação foi reeleito presidente do MDB, me disse ontem que o foco do partido nas eleições municipais é ter candidato a prefeito em todos os municípios. “O MDB tem de crescer, não pode só ficar apoiando candidatos de outros partidos”, desabafou. Mas, é na capital para onde estão voltados com uma maior vigor os olhos emedebistas. O nome do ex-Reitor Minoru Kinpara continua a ser a pretendida cereja do bolo da disputa da prefeitura do maior colégio eleitoral. “Fizemos o convite para vir ser nosso candidato a prefeito, o Kinpara como candidato seria a sopa no mel para o MDB e para a sua carreira política, estamos aguardando a sua decisão”, ponderou ontem o velho cacique. O MDB, segundo Flaviano, está numa empreitada de trazer novas lideranças, como forma de encorpar a sigla. Foi o caso do convite ao presidente da FIEAC, José Adriano, para se filiar e somar com seu grupo na eleição do próximo ano. “O Adriano já participou, inclusive, da nossa última convenção e acho que aceitará o nosso convite”, pontua. O dinamismo que se quer dar ao MDB para ser protagonista nas eleições municipais de 2020 é também pelo fato de que acabaram as coligações proporcionais, e cada partido terá de ter chapa própria para vereador. “Teremos candidatos a prefeito em todos os municípios”, planeja Flaviano Melo.

REFORMA DA REFORMA

O governador Gladson Cameli deverá enviar para a Assembléia Legislativa um projeto de lei fazendo algumas adequações ao projeto aprovado da Reforma Administrativa. Já chamado de “Reforma da Reforma”. Dentro do pacote deve acontecer a volta da estrutura antiga do IMC e o fim do “Grupo Estratégico”, que foi gestado pela chamada “República do TCE”, com o objetivo de coordenar as ações financeiras do governo e que tem como coordenador o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, contra quem há reações de grupos políticos tentando diminuir o seu poder e até lhe tirar do cargo. As articulações da operação “Fora, Ribamar!”, tem o DNA de deputados, secretários e empresários, que querem avançar em mais espaços, poder, e nomeações no governo e se sentem contidos pelo breque do gabinete civil

RIBAMAR X RAPHAEL

Na reunião acontecida ontem no gabinete governamental, entre empresários, secretários, membros do “Grupo Estratégico”, aconteceram muitas queixas, reclamações, e o clima esquentou com a troca dura de acusações entre o chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, e o secretário de Planejamento, Raphael Bastos, confronto que só foi contido graças à interferência do governador Gladson Cameli. Raphael esteve na semana que passou com a cabeça na bandeja da demissão, por conta de ter trombado com a “República do TCE” e foi salvo porque a sua demissão atingiria o deputado federal Alan Rick (DEM), que chancelou a sua posse no cargo e houve pedido pessoal de empresário da comunicação para sua permanência.

UM KINPARA CAUTELOSO

Fui saber do professor Minoru Kinpara se já tinha tomado alguma decisão sobre o convite do MDB para disputar a PMRB. Respondeu “Caro Crica, bom dia! Ainda não tomamos nenhuma decisão se serei candidato em 2020. Acreditamos que é cedo para tomarmos esta decisão. Muitas coisas ainda irão acontecer. Portanto, a mudança ou não de partido não é, na nossa opinião, algo urgente e necessária. Um abraço.” O que se vê, é um Kinpara cauteloso!

PADRÃO IMUTÁVEL

Meu raciocínio não é tacanho, tipo: é do PT, não presta. Pode-se não gostar das posições políticas do Carioca, seu radicalismo, do seu partido, mas não se pode de deixar de reconhecer quem manteve um padrão de vida simples nos 20 anos de poder. Não saiu rico, como alguns companheiros. Por isso, não me estranha que tenha voltado às salas de aula na UFAC.

IDÉIA A SER MELHORADA

O programa “Fala, Governador”, que teve a sua primeira edição sábado na Rádio Aldeia FM é uma boa idéia. Em minha opinião, ele deveria ser gravado, mais curto, enfocando tema de suas metas de governo. Uma mensagem. Ao vivo, ficará exposto a ataques de insanos, que pode num destempero ofender a sua honra e algo mais. É uma exposição desnecessária.

DERRUBOU O ESPETÁCULO

Só os emocionais, acham a soltura do ex- presidente Temer um incentivo á impunidade. Não se julgou o mérito. Seu julgamento ainda vai ocorrer. O que se derrubou foi uma prisão espetaculosa baseada em frágeis argumentos, como preservar a “ordem pública”. Ora, pois!

NÃO É ASSIM

Querem transformar o país num Estado judicialesco em que se prende primeiro para julgar depois, numa inversão de valores da presunção de inocência. Não se pode condenar Temer, ninguém, por antecipação. O caso Lula é diferente, teve duas condenações em segunda instância.

NOVO RUMO

Há toda uma articulação para o AVANTE mudar de direção, no Acre. O partido passaria para o comando do empresário Manoel Roque, que levaria o deputado Chico Viga e o vereador Juruna para a nova casa. Outro que poderá entrar no barco é o vereador Raimundo Neném.

VATAPÁ AZEDOU

Os prefeitos de Epitaciolândia, Tião Flores (PSB), e de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT) ofereceram um lauto banquete ao governador Gladson Cameli, na sua última visita aos dois municípios, mas este deu bolo e não foi. Os prefeitos esperaram tanto que o vatapá azedou.

BÔNUS E ÔNUS

A terceirização do HUERB – em discussão no governo – tem dois lados a serem analisados: uma boa gestão tornaria o serviço profissional, sem protecionismo, e cada um recebendo pelo que realmente produziu. Mas, o governo teria que pagar em dias, para não haver paralisação.

NÃO VÃO ESPERAR

Uma empresa que assumir, por acaso, um HUERB, no primeiro atraso de pagamento, cessa o atendimento. Este é o perigo que já foi até comentado pelo deputado Jenilson Lopes (PCdoB).

INOCENTE, O NOSSO GOVERNADOR!

O governador elogiou no seu discurso em Brasiléia a postura da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) de ter colocado seu mandato à disposição. Inocente, o Gladson! Por certo, quando fez a promessa, ela deveria estar com uma mão para trás fazendo figa. Acho é graça.

SEM CLIMA FINANCEIRO

Esqueçam as categorias reajustes salariais para este ano. Foi o que me disse ontem uma alta fonte das finanças estaduais. A prioridade é deixar limite para a contratação de policiais militares e civis aprovados no último concurso, prevista para o mês de julho.

DESPRENDIMENTO POLÍTICO

A deputada Leila Galvão (PT) não aceitou ficar pendurada em nenhum gabinete na Assembléia Legislativa e foi para sala de aula em Brasiléia exercer o magistério. Política, só em 2022.

NOME NOVO

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, diz que o seu partido está na busca de um nome novo para lançar candidato a prefeito de Brasiléia, no próximo ano. As articulações estão a cargo do ex-prefeito Aldemir Lopes, que antes buscará a unidade da oposição.

IMPRESSIONADO COM A QUALIDADE

O trabalho de pavimentação com asfalto que o prefeito Ilderlei Cordeiro vem realizando em Cruzeiro do Sul vem chamado a atenção pela qualidade das obras e redução do custo em 40%, com uma nova tecnologia. O deputado federal Alan Rick (DEM), que destinou em 2019, 1,5 milhão em emenda parlamentar á prefeitura, saiu do município entusiasmado, pelo fato da cidade estar em condições urbanas melhores que os demais municípios acreanos.

VAI DAR TRABALHO SIM

Claro que existem muitas ruas a receberem asfaltamento, mas o prefeito Ilderlei Cordeiro terá dois verões para mudar a cara da cidade no quesito conservação das ruas. Na parte administrativa, a chefe de gabinete, Ildecleide Cordeiro, deixou a máquina municipal ajustada.

O QUE VAI VALER

Para o eleitor – isso se aplica a todos os prefeitos que ainda poderão disputar a reeleição – o que vai valer em termos de avaliação política para receber apoio ou não do povo é como estará a cidade no período eleitoral. Com o avanço do Ilderlei na gestão, ele não será carta fora do baralho. É voz corrente que a sua administração superou as dificuldades iniciais.

O CPF É SEU

Antes de cumprir compromisso com o Educandário Santa Margarida o governador Gladson Cameli quer se cercar de legalidade na ajuda. Está certo, o CPF é seu. Deve chegar hoje na ALEAC, um projeto de lei para regularizar este tipo de subvenção, que se aprovado, pode ser aplicado a outras entidades como o Lar dos Vicentinos. É isso mesmo, não se governa no emocional. Ajuda sim, mas dentro da plena legalidade.

ACABA COM O PRÊMIO

Fecho com o projeto do vereador João Marcos (MDB) e não vejo motivo para não ser aprovado: pune com perda da licença de funcionamento o Posto de Gasolina que vender combustível adulterado. Hoje, pagam uma multa, e voltam a funcionar, se flagrados.

CHAPA ATRATIVA

Entre os grandes partidos, uma chapa para vereadores que será atrativa em 2020, é a do PSDB, que não terá nenhum candidato com mandato, o que deixará todos em igualdade na disputa.

SAIU DE CENA

Quem saiu do palco político e foi para a coxia foi o vice-governador Major Rocha. O Rocha tem a consciência de que o seu futuro político está colado no sucesso do sistema de segurança, no combate ao crime organizado. Se der certo, devolver a paz á capital, ele sairá por cima. Caso contrário se queima. E que na campanha colou muito a sua imagem na solução da violência.

NÃO ACREDITO

Por mais que o deputado Luiz Tchê (PDT) fale que o seu partido poderá ter candidato a prefeito de Rio Branco, me recuso em acreditar. Falta um nome com densidade no PDT.

SEGREDO DE POLICHINELO

O senador Márcio Bittar (MDB) não esconde o desejo de ser candidato ao governo em 2022, e nos bastidores anda em articulação com setores da comunicação via DEPASA. O muro é baixo.

DÁ PARA SE TER UMA IDÉIA

Com as primeiras sessões da Assembléia Legislativa já dá para ir se tendo uma noção sobre quais deputados vão se destacar e quantos continuarão como meros recebedores de salários.

REI DO IDAF?

Leitor manda postagem me perguntando se sei que o deputado Neném Almeida (SD) é o rei nas nomeações de cargos no IDAF. “Virou o seu castelo político particular”, diz. É isso mesmo, deputado?

TOMOU SUCO DE ABIU

O Dr. Ribamar, quando presidente do Sindicato dos Médicos, era quem mais cobrava qualidade no sistema de saúde no governo passado. Pois bem, como ocupante de um posto de importância na Secretaria de Saúde, o Ribamar tomou suco de Abiu, os beiços grudaram.

VIROU UM RIO

O temporal que desabou ontem em Rio Branco transformou ruas em rios. Tem chovido na capital como há muito não acontecia. Não se pode culpar a Socorro Neri, com pouco tempo de gestão, por um problema de alagamento crônico de 20 anos em pontos específicos da cidade.

NÃO VIERAM MAIS CARROS?

Pelo menos foi noticiado, mostrado, o recebimento de novos carros pela Polícia Militar. Bairros
como Morado do Sol e Tropical deveriam ter carros e motos da polícia circulando mais amiúde,
por terem ao lado, bairros considerados barras pesadas. E não se vê rondas mais efetivas.

PT NA ELEIÇÃO, NA VISÃO ZEN

Do qualificado deputado Daniel Zen (PT), sobre a reeleição da prefeita Socorro Neri e os quase 100 dias do governo Gladson Cameli: “Ainda é cedo. Tanto poderemos apoiá-la, como poderemos ter candidatura própria. Sobre os três meses do governo Gladson, sem que ele me peça, vou dilatar o prazo de 100 dias. Vou dar 1 ano pra começar a cobrar resultados. Por enquanto, vou só apontar erros que, acredito, podem ser evitados ou, se não podem ser evitados, ao menos podem ser corrigidos”. Eis, uma opinião de um político de oposição, mas que prima pela coerência e equilíbrio, ao contrário de muitos porraloucas dos seus correligionários. As cabeças lúcidas do PT (poucas) vão deixar para cobrar no tempo certo.

Continuar lendo

Blog do Crica

Os quase 100 dias de Gladson versus Gladson

Publicado

em

Como falta pouco para os 100 dias do governo Gladson Cameli, eu vou me antecipar aos comentários de colegas que virão na data. Que sucedeu ao pior governador dos 20 anos do poder do PT, que deixou o Estado como terra arrasada, isso já se sabe. E vencedor sabia na campanha que o saldo a ser recebido seria negativo. O que vejo é o governador Gladson Cameli bem intencionado, querendo fazer as coisas andarem, mas peca quando parte para a execução, saiu atabalhoado e sem uma espinha dorsal no seu discurso. Um dia nomeia e no outro exonera. Não pode se exigir obras públicas, isso seria uma incoerência, em quase três meses de gestão. Mas deu tempo para apresentar avanços pontuais nos dois setores mais fracos no governo anterior: Segurança e Educação. E não aconteceu no macro e nem no mínimo. Na Segurança, em que pese a melhoria na elucidação dos crimes, nada mudou para que possamos dizer que a população está mais tranquila. É assalto às residências, roubo de motos, arrastões nos ônibus, continuamos a sair nas ruas á noite temerosos e olhando para um lado ou outro ao se chegar em casa. Continua o clima de terror. Os restaurantes para funcionar têm que contratar seguranças. Onde ficou a fanfarronice do seu secretário que, em “10 dias” se notaria mudança no combate ao crime? E olhe que o governo tem dado condições operacionais aos que comandam a Segurança. Rio Branco continua a ser uma das cidades mais violentas do país. Na Saúde, as filas para consultas, cirurgias e exames continuam não andando, o deprimente quadro do corredor do HUERB com doentes em macas permanece inalterado, se reclama da falta de médicos e medicamentos na UPAs, enfim, não posso ser agradável e dizer que tudo está às mil maravilhas, depois que o PT foi enxotado do governo pelo povo. Numa comparação entre o desastrado governo do Tião Viana e o do Gladson Cameli, nas pastas da Saúde e Segurança pode ser dito que, pelo menos neste início, está zero x zero na falta de eficiência. A articulação política não existe. Cada um por si. Os secretários Ney Amorim e Vagner Sales estão nos cargos com esta função como enfeites. Desconheço ações efetivas de ambos. A base do governo na ALEAC está esfacelada, não há unidade de ações. Virou uma moda estranha a toda hora ameaçar demitir secretários. Não deu resultado, demita, mas cesse a ladainha! A chamada “despetização” foi um grande blefe. Os seus aliados vociferam protestos nas redes sociais. A maioria dos secretários está lhe trazendo mais problemas que soluções. É só contar o número de manifestações na porta do seu gabinete. Vai ganhar o quê, por exemplo, brigando com os médicos? Muito atarantado, muito atarantado este início de governo. Não se governa apenas com boa vontade. O principal inimigo do governador continua a ser o próprio. Virou uma eterna batalha do Gladson versus Gladson. Ainda assim, nutro a esperança de que, por mais que não avance, não conseguirá bater o recorde de fazer uma administração pior que os últimos quatro anos do antecessor Tião Viana. Mas, que seu governo está sem rumo, neste começo, está. E não vou ser agradável e lhe dizer que o céu está azul. Aos que batem no seu ombro dizendo que anda tudo bem, coloque para correr: estão mentindo. No mais é esperar que correções venham a ser feitas. Para isso o PT foi derrotado.

UM PONTO POSITIVO

O Gladson Cameli, no quesito democracia, bate o antecessor Tião Viana. Gladson tem se mostrado no poder ser um democrata, aceitando críticas, mesmo as que, considere injustas. O Tião foi um governante raivoso, rancoroso, intimidava com ações na justiça. E deu no que deu.

PRISÃO ESPETACULOSA

Nem o PT e o PSOL em seus radicalismos endossaram a prisão do ex-presidente Temer. Juristas do mais alto valor repudiaram, juridicamente, o ato espetaculoso. Qual o perigo que o Temer representa à ordem pública? A prisão preventiva, uma exceção, transformou-se em regra geral. Não entro no mérito, discuto a peça da prisão.

PEDIDO AO BABALORIXÁ JARUDE

O nosso vereador e Babalorixá, Pai Jarude do Congo, disse na Câmara Municipal de Rio Branco, que tinha “previsto” a prisão do Temer. Deve ter jogado os búzios. Ninguém ouse a fazer o mesmo pedido, sou o primeiro: consiga os números da próxima Mega-Sena. Serve da Quina.

SAINDO DO CAMPO MÍSTICO

Saindo do humor místico, endosso a crítica do vereador Emerson Jarude de que o governo Cameli tem de parar de continuar a jogar a culpa de tudo no desastrado governo Tião, que já foi enterrado pelas urnas vítima da mediocridade. Se há ilegalidade, que se denuncie no MP.

MEU CORAÇÃO É VERMELHO

Durante a campanha, o candidato Gladson Cameli deu uma surra nas redes sociais na turma que defendia o candidato Marcus Alexandre. Foi um massacre. Hoje, é rara a defesa, que se limita só a um diminuto grupo. Acusação dos aliados: O Diário Oficial avermelhou.

ARARUTA TEVE SEU DIA DE MINGAU

Até aqui, a deputada federal Mara Rocha (PSDB), era só proselitismo político. A sua primeira ação de alcance coletivo é o projeto que dá para efeito de transplante de órgãos a chamada “presunção de aceitação” para a retirada de órgãos. Não se precisaria mais de prévia autorização. É o caso de que, a araruta teve o seu dia de mingau.

NO MUNDO DA FANTASIA

Pois é, nos poucos dias que passei fora, foi só de equívocos no governo Gladson. Alguns deles, até divertidos. Li sobre a “demissão” do “Porta-Voz” Rogério Wenceslau e a nomeação da Mirla Miranda para ser a nova “Porta-Voz”. Nem o Rogério foi “demitido” do cargo e nem a Mirla “nomeada”, por um motivo, senhores: o cargo foi extinto na Reforma Administrativa.

DE CALADOS, CONIVENTES, A VALENTES

Vou às redes sociais e vejo um punhado de valentes, que integravam a cúpula do desastrado governo passado, varrido das urnas de forma humilhantes, a empunharem a lança de Dom Quixote e a lancear com críticas e cobranças o governo Cameli. Com que legitimidade? O seu Mané, a dona Chica, ou seu Chicó podem cobrar, a vocês estavam na canoa que afundou.

MP NELES

Em boa hora o deputado Luiz Tchê alertou para a chegada no Acre da “RCC Alimentos”, na sua visão, mais uma pirâmide financeira. Com a palavra, a combativa Promotora Alessandra Marques. Não pode se repetir o engodo de milhares de acreanos na Telexfree.

FOGO DE MONTURO

Queima como fogo de monturo em setores importantes do governo o descontentamento com o secretário de Planejamento Raphael Bastos. A fonte é confiável. A “República do TCE” estaria atiçando as brasas.

MANIFESTAÇÃO DO DESCONTENTAMENTO

Dirigentes da oposição marcaram reunião para hoje às 17 horas, em Brasiléia, para discutir o papel do grupo frente à prefeita Fernanda Hassem (PT). Estão furiosos por o governador Gladson, na visita ao município, só ter se reunido com os petistas e com a prefeita. E para as lideranças da oposição da região, fez de conta que não existia. O choro é grande na fronteira.

POR UMA CIDADE MELHOR

A prefeita Socorro Neri está com as equipes na rua e a cada estiagem deste inverno rigoroso, atua com frentes de tapa-buracos. A sua aliança com o governo Gladson no campo institucional por uma cidade melhor mostrou a maturidade de ambos. Política, só no palanque.

ENTRA SIM NO JOGO

No campo legal a prefeita Socorro Neri é impecável. Toca duas pastas problemáticas, Saúde e Educação, sem muitas queixas. Caso consiga chegar na eleição do próximo ano com as ruas da cidade sem os buracos que a população tanto reclama, com razão, entra no jogo da reeleição.

ERRO DE ESTRATÉGIA

Caso o governo comece a terceirização do sistema de saúde por Brasiléia, inverterá o papel de prioridades. O que tem de reverter é a imagem negativa do HUERB, onde se concentra o grosso da procura da população de pacientes e as queixas de falta de um bom atendimento.

NÃO FICARÁ FORA

O grupo da deputada federal Vanda Milani (SD), por certo, não ficará fora da disputa da prefeitura de Epitaciolândia, município onde foi bem votada. Se for para a campanha com o ex-prefeito Luizinho Hassem, querido na região, o grupo entrará na eleição com chance de uma vitória.

BOA PRAÇA, MAS NÃO DECOLOU

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, é uma daquelas pessoas agradáveis numa conversa, boa praça, mas não repete a sua primeira administração, de onde saiu bem avaliado. Nesta sua nova gestão não conseguiu decolar, se arrasta, e recebe críticas diárias dos mais variados setores.

PODE ESQUECER

Os funcionários efetivos do DETRAN têm o direito de lutarem por melhores salários e condições de trabalho. É improvável o governo atender a questão salarial, outras categorias vão querer. E existe o limite prudencial com gasto de pessoal, que não pode ser ultrapassado por quem governa, sob pena de cometer improbidade administrativa.

QUEM É O LOUCO?

A pergunta acima é cabível, para saber quem é a cabeça pensante deste governo que incentiva o Cameli a brigar com os médicos e ameaçar trazer os médicos formados na Bolívia. Não pode, Gladson, a Lei Federal não permite! Seria exercício irregular da Medicina. Tem de ter CRM.

ENTREVISTA PERFEITA

Coerente a entrevista da deputada Janaína Pascoal (PSL), a mais votada do país, nas Páginas Amarelas da VEJA, da semana anterior, quando diz que os direitos entre homens e mulheres devem ser iguais em tudo. E defende que homens e mulheres se aposentem com a mesma idade. E desanca a histriônica Ministra Damares Silva e as suas idéias medievais. Vale ler.

PARA MELHOR

Mudou para melhor a rádio Aldeia FM, agora sob o comando do jornalista Jairo Carioca. Programação eclética e mesclada de informações. Deixou de ter uma programação pastosa.

COMEÇO DE MANDATO POSITIVO

Que belo começo de mandato da senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS), quebrando a expectativa de que iria ao Senado para fazer número. A sua homenagem à primeira senadora negra Laêlia Alcantara e á primeira governadora do Acre, Iolanda Lima, com o prêmio Berta Lutz, que homenageia as que se destacam na defesa dos direitos das mulheres é muito justa.

DISPARADA A MAIS ATIVA

Fora o senador Sérgio Petecão (PSD), veterano no mandato, a segunda pessoa em importância na hierarquia na mesa diretora do Senado; que conquistou o seu pódio, a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) é entre os novos senadores acreanos a que mais tem produzido pautas positivas. No dia 29 de março estará realizando na capital o seminário “Mulheres Acreanas Fazendo História”, para a discussão de políticas públicas a favor da classe.

QUER VIRAR JACAMIN?

Leio que o Gladson Cameli estaria disposto a assumir os escombros do programa “Ruas do Povo”. Recuso a acreditar! Se o fizer entrará na maior trapalhada do seu governo. As ruas foram destruídas no primeiro inverno, porque foram mal feitas e direcionadas pelo Tião Viana para eleger o Marcus Alexandre no seu primeiro mandato. A qualidade foi zero, tanto que as ruas derreteram. Dar o aval, entrando com frentes de recuperação, chancelando o fracassado programa, funcionaria como uma espécie de salvo-conduto do mal feito. Quer virar Jacamin dos filhos do Tião Viana, Gladson Cameli? Não bastam os abacaxis no seu colo, a serem descascados?

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.