Conecte-se agora

Atlético Acreano goleia Juazeirense e assume a liderança

Publicado

em

O Atlético Acreano fez a lição de casa, venceu o Juazeirense por 5 a 0 e assumiu a liderança do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro. A partida, válida pela quinta rodada, foi realizada na noite deste domingo, na Arena Florestão. Os gols foram marcados por Kássio, Neto (3) e Rafael Barros.

O Atlético chegou a 12 pontos, dois a mais do que o vice-líder Confiança, que empatou no sábado com o ABC por 2 a 2. O Juazeirense está em sexto com seis pontos, mas perderá uma posição na segunda-feira, pois Santa Cruz e Globo se enfrentam e, qualquer que for o resultado, algum deles ultrapassará o Confiança.

O JOGO

O Atlético não precisou nem de um minuto para abrir o placar. Aos 38 segundo, Kassio chutou forte e fez o primeiro. O time estava realmente focado. Aos oito minutos, Neto aproveitou confusão dentro da área e chutou firme para ampliar.

ATLÉTICO ATROPELOU NO SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, o Atlético não diminuiu o ritmo. Aos 19 minutos, Rafael recebeu, invadiu a grande área e chutou no ângulo, sem chances de defesa. Aos 31 minutos, após grande jogada de Neto, Marquinho bateu bem, mas o goleiro desviou e a bola bateu no travessão.

Na parte final, o Atlético seguiu com a pressão. Aos 42 minutos, Neto invadiu a área na diagonal e chutou forte para marcar mais um. Dois minutos depois, Neto marcou seu hat-trick após jogada de Rafael e finalizou o marcador.

PRÓXIMOS JOGOS

No próximo domingo, às 17 horas, o Atlético encara o Globo fora de casa. Já o Juazeirense entra em campo diante do Náutico, em casa, no sábado, às 16 horas.

Fonte: Futebol do Interior
Foto: Manoel Façanha

Propaganda

Destaque 2

Pais de jovem de 15 anos que se matou são encontrados mortos no interior do Acre

Publicado

em

Os agricultores Nelson Luiz Bello, 58 anos, e Deusilene Vieira, pais de uma jovem de 15 anos que morreu após se jogar em frente de um carro na BR-364, em setembro de 2018, foram encontrados mortos em sua residência localizada no KM 7, no Ramal Cumaru, na cidade de Acrelândia, distante cerca de 102 km da capital Rio Branco.

Leia mais: Estudante de 15 anos morre após se jogar na frente de veículo na BR-364

De acordo com a polícia, os moradores da região foram os responsáveis por acionar as autoridades após ouvirem disparos de arma de fogo.

O delegado da cidade, Samuel Mendes, trabalha com a hipótese de que o homem tenha matado a esposa e depois tirou a própria vida. “O marido usou uma pistola calibre 380 para atirar na esposa e depois se matar”. A autoridade policial informou ainda que os corpos ainda estão na residência no aguardo de uma equipe do Instituto Médico Legal para realização da perícia e remoção.

Continuar lendo

Destaque 2

Videomaker do ac24horas mostra o trabalho incansável dos acreanos que cultivam frutas e verduras no Acre

Publicado

em

A produção familiar acreana sempre demonstrou potencial e, justamente por isso, tem sido pauta constante nos discursos dos candidatos em várias eleições. A diferença entre o que os políticos pensam e a prática é nítida: os produtores familiares da região do município de capixaba vão ao trabalho sem descanso.

No acre, o mais comum quando se anda pelos ramais de Rio Branco, e até de outros municípios, é encontrar gente motivada. Eles só reclamam da falta de acompanhamento técnico e da falta de cuidado com os ramais. Acostumados com as promessas, eles nem se importaram em nos receber e abrir a cortina de satisfação com o resultado de seus próprios esforços, muito pelo contrário, se orgulham do impacto causado pela satisfação de seus clientes quando voltam para casa no final dia.

A ideia de reunir um grupo de produtores familiares e apostar na venda direta, está mudando a vida de pelo menos dois grupos de assentados do ramal Cajazeira, distante menos de vinte quilômetros de capixaba. De lá, eles vem para Rio Branco, onde com a colaboração do Incra, prefeitura de capixaba, vem as feiras do bairro São Francisco e Aviário. As feiras já se tornaram costume para quem mora perto e longe. Toda quarta-feira, o encontro é na praça do bairro São Francisco. Já na sexta, é em frente ao Incra.

A ideia de Laed Félix, que criou o grupo horta nativa, foi tão boa, que bastou uma reunião para que não mais que vinte e seis produtores se unissem. Desde então, duas vezes por semana eles se ajudam e colhem os frutos do esforço semanal de 8h de trabalho.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Kennedy Santos

Cada produtor escolhe cultivar o que lhe convêm. Antônio, que por 20 anos abandonou a roça, mudou de ideia e agora investe no cultivo do maracujá. Percebendo que o mercado está aberto e carente de abacaxi, aproveitou as chuvas e o sol abundante do verão, para plantar mais de nove mil covas da fruta. Com a venda dos produtos, os produtores familiares do ramal Cajazeira garantem renda suficiente para uma vida digna.

Seu graça, experiente na roça, investe todo seu tempo e dinheiro para cuidar do plantio de Cajá. Há alguns ele resolveu semear, hoje colhe os primeiros frutos. Trazer tudo isso para a cidade é venda na certa, disse ele. A sua casa é rodeada por açaizeiros. “Daqui a pouco só eu vou vender açaí”, completou ele.

“Na última quarta-feira, completei uma reportagem que me encheu de orgulho, que me fez relembrar os tempo de colônia, onde havia fartura e variedade. Só uma coisa continua como antes, a dificuldade para os alimentos chegarem na casa das pessoas. Presenciei uma luta impressionante. Acordar meia-noite, enfrentar a chuva e fazer força para transportar a mercadoria a chegar em dois carros é um esforço desnecessário”, conta o videomarker do ac24horas, Kennedy Santos.  Confira o vídeo!

Continuar lendo

Destaque 2

Governo de Gladson pode estar impossibilitado de fazer empréstimos com as garantias da União por falta de pagamentos

Publicado

em

2019 mal começou e a atual equipe econômica do governo Gladson Cameli corre contra o tempo para tentar “fatiar um abacaxi gigante” deixado pela administração de Sebastião Viana. De acordo com levantamento feito pela Folha de São Paulo, o Estado do Acre estar impossibilitado temporariamente de fazer qualquer operação de crédito (empréstimo) com garantias da União por conta da ocorrência de honras de aval. A informação teria sido disponibilizada pelo Tesouro Nacional através de um relatório divulgado na terça-feira, 15.

O ac24horas procurou o governo do Acre para se manifestar sobre a situação. Segundo a casa civil, de fato o governo anterior deixou débitos em aberto com o governo federal, inclusive de empréstimos e negociação de dívidas. “Isso tudo está sendo levantado pela secretaria de fazenda para regularizar a situação o mais breve possível e evitar consequências negativas para nossas finanças”, disse a assessoria.

Após ser questionado sobre quais operações de créditos estariam atrapalhando o Estado, a Secretaria da Fazenda informou que as dívidas, parcelas/contrapartida/acordo do Acre que estavam pendentes com o governo federal foram resolvidos. “O que foi preciso pagar foi pago e algumas ações foram ajuizadas pela PGE para corrigir eventuais distorções”, informou a assessoria sem revelar valores.

 

Nos bastidores, corre a informação que o Acre estaria inadimplente junto a União até que honre com os pagamentos das parcelas das operações de crédito. O governo não informou se a Reportagem da Folha de São Paulo estava errada em relação a essa informação porque a “secretária precisa ver com calma cada situação, e hoje ela tem outras demandas mais urgentes”, disse a assessoria.

De acordo com o periódico, o governo federal honrou R$ 4,823 em dívidas de Estados e municípios em 2018 garantidas pela União, alta de 18,8% sobre 2017, de acordo com dados divulgados pelo Tesouro Nacional nesta terça-feira (15), que mostram as persistentes dificuldades fiscais de alguns entes regionais, com destaque para o Rio de Janeiro.

Sozinho, o governo fluminense, que está em regime de recuperação fiscal, respondeu por 83,5% do total de garantias honradas pela União no ano passado (R$ 4,028 bilhões), conforme do Tesouro Nacional.

Em 2018, a União também honrou R$ 553,15 milhões em garantias de operações de crédito de Minas Gerais, outro estado em forte restrição fiscal.

Dentre as demais garantias honradas pelo governo federal no ano passado estão as referentes a operações de crédito do Piauí (R$ 126,95 milhões), Roraima (R$ 64 milhões), Goiás (R$ 33,59 milhões) e da prefeitura de Natal, no Rio Grande do Norte (R$ 17,49 milhões).

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Leia Também

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.