Conecte-se agora

Pré-candidato ao governo, Marcus Viana escreve: “A casa de cada um”

Publicado

em

*Marcus Alexandre Viana

Cada vez acredito mais que é preciso colocar a humanidade, o amor e a humildade à frente das nossas certezas. Só assim podemos ter a alegria de abraçar as pessoas e de merecer entrar na casa de cada um, do jeito que ela é.

Passei as últimas semanas no interior do nosso estado. Comecei pelo Alto Acre, depois me instalei em Cruzeiro do Sul e tive dias maravilhosos de acolhida nos municípios e comunidades do Juruá. Foi pé na estrada, viagens por rios e muitas caminhadas, mas o mais forte foi poder sentir a verdade das pessoas dentro de suas próprias casas, cada uma bem diferente, mas todas tão acolhedoras. Com sabedoria, cada família confirmava a mesma lição de simplicidade, mostrando que é preciso mais amor e menos ódio no mundo de hoje. Esse é o único jeito de superar a intolerância na sociedade e a soberba das pessoas que se julgam melhores que as outras.

Fazer o mundo melhor, com mais amor e mais igualdade, é obra que começa pelo coração de cada um de nós. Nesse momento que tanto criminalizam a política, precisamos ainda mais da verdadeira política para a construção coletiva de um mundo mais justo, solidário e feliz.

Durante mais de seis anos estive focado no trabalho na Prefeitura de Rio Branco. Talvez tenha parado pouco para fazer uma reflexão como esta, mas conduzi uma prefeitura democrática, com uma equipe aberta a todos os segmentos sociais. Respeitamos a pluralidade e promovemos direitos fundamentais, sem preconceitos nem discriminação. Criamos a Secretaria de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, as secretarias adjuntas de Juventude, Mulheres e Promoção da Igualdade Racial. Valorizamos as manifestações culturais em toda a sua diversidade, desde os editais com total liberdade criativa até movimentos estruturados como as quadrilhas juninas. Com respeito à diversidade, valorização de identidades e políticas afirmativas, ajudamos a tornar Rio Branco uma cidade ainda mais acolhedora. Melhorando o nosso lugar, ajudamos a melhorar o mundo. Por isso esses valores e direitos são temas presentes já na nossa pré-campanha para o Governo do Acre.

No futuro o Brasil vai lembrar com tristeza deste momento de ódio e intolerância. Mas a democracia vai vencer e superar tudo isso. Senti isso no interior do estado, nos municípios e comunidades do Juruá, como na Vila Restauração, às margens do Rio Tejo. É uma lição que vem do coração do Acre, onde gente simples mostra que além das aparências enganadoras, além das redes sociais e dos debates contaminados por interesses disfarçados, precisamos ter humildade e considerar a realidade da casa de cada um.

Por isso vou continuar com o pé na estrada e vou bater na porta da sua casa para ouvir o seu lado, trocar ideias e partilhar sonhos. E se você me oferecer um cafezinho, aí é que a conversa vai ser boa mesmo.

*Marcus Alexandre Viana é ex-prefeito de Rio Branco e pré-candidato ao governo do Acre

Propaganda

Cidades

Decreto atualiza reserva de cotas

Publicado

em

A atualização da lei que já reservada 5% dos cargos e empregos públicos para pessoas com deficiência, publicada hoje (25) no Diário Oficial da União, vai garantir que os candidatos utilizem tecnologias que o ajudem na realização das provas e assegurar que tenham um ambiente adaptado para recebê-los. A nova regulamentação, que segue previsão da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), vale para concursos da Administração Pública Federal direta e indireta e detalha trechos do decreto original editado em 1999, que ainda não trazia especificidades para este público.

“O decreto obriga a oferta de ambiente adaptado e a presença de uma equipe multidisciplinar cuidando destas situações. Antes, as pessoas iam realizar provas e encontravam ambiente sem nenhuma adaptação e despreparados e era somente um médico que dava a palavra final sobre a efetivação da pessoa no cargo”, explicou o secretário nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Marco Pellegrini.

Pelo texto, um candidato com deficiência visual poderá agora fazer a prova em braille, com caracteres ampliados, gravada em áudio por um fiscal ou com o uso de software de leitura de tela ou de ampliação de tela. Esse candidato também poderá pedir a ajuda de um fiscal para ajudar a transcrever as respostas.

Pessoas com deficiência auditiva também poderão fazer a prova gravada em vídeo por fiscal intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) ou pedir autorização para usar aparelho auricular, inspecionado e aprovado pela organização do concurso público. No caso de deficiência física, será possível usar móveis e espaços adaptados ou pedir também a ajuda de um fiscal para manusear a prova e transcrever respostas.

As fases dos concursos públicos ou dos processos seletivos em que forem usados esses serviços de assistência de interpretação por terceiros aos candidatos serão registradas em áudio e vídeo e disponibilizadas nos períodos de recurso.

Qualquer necessidade de tratamento diferenciado para a realização das provas deve ser pedida durante a inscrição. O candidato com deficiência que precisar de mais tempo do que o previsto para a conclusão da prova terá que apresentar uma justificativa acompanhada de parecer emitido por equipe multiprofissional ou por profissional especialista.

Com exceção dessas novas possibilidades, a participação de quem tem alguma deficiência será nas mesmas condições da de outros candidatos no que se refere ao conteúdo das provas, à avaliação e aos critérios de aprovação, ao horário e ao local de aplicação das provas e à nota mínima exigida.

Se não houver inscrição ou aprovação de candidatos com deficiência no concurso público ou no processo seletivo, as vagas reservadas poderão ser ocupadas por candidatos sem deficiência. Outra mudança com o decreto de hoje foi sobre a distribuição dessa reserva de vaga em ofertas regionais.

“O percentual passa a ser aplicado pelo total de vagas previstas para a região e não sobre a fração destinada a cada município. Isto, porque, pela estratégia anterior, a distribuição desse percentual poderia ser tão baixa que acabaria não contemplando a reserva em nenhum dos locais”, disse Pellegrini.

Continuar lendo

Cidades

Prefeitura realiza mutirão odontológico

Publicado

em

“O Agente Comunitário de Saúde passou na minha casa avisando que teria esse mutirão de dentista aqui na Cadeia Velha. Vim com dia e hora marcados, como em consultório particular. Fiz duas restaurações e foi ótimo. Estou satisfeita e agradecida”. Essa foi a declaração da dona de casa Albanizia Gomes à prefeita Socorro Neri, que esteve nesta terça feira, 25, na Unidade Básica de Saúde da Cadeia Velha, onde a Prefeitura realiza desde segunda-feira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), mais um mutirão odontológico, que prossegue até sexta,28.

Os mutirões são feitos por meio do programa Cuidando do Seu Sorriso. A prefeita Socorro Neri ressalta que “o objetivo é ampliar as ações de Saúde Bucal nas unidades. Nós nos preocupamos com a saúde da população como um todo, e a saúde bucal é muito importante”.

Além da Unidade Básica de Saúde da Cadeia Velha, a Prefeitura realiza também mutirão odontológico na UBS Agripino Lindoso, no Ramal Benfica. Em cada unidade de saúde há duas equipes atendendo a população das 7 às 13 horas. Serão 30 atendimentos por dia em cada local.

Na UBS Agripino Lindoso, no Ramal Benfica, os dois dentistas atendem no ônibus odontológico e na cadeira portátil. Os dois equipamentos são utilizados pela SEMSA para reforçar os atendimentos nas zonas urbana e rural.

NO INÍCIO DE OUTUBRO TEM MAIS MUTIRÃO

De 1 a 5 de outubro, a SEMSA vai realizar mais um mutirão odontológico, por meio do Programa Cuidando do Seu Sorriso, na Unidade de saúde Ana Rosa, no Ramal do Amapá, Lá o atendimento será realizado no ônibus e na cadeira odontológica.

Em 2017, nos seis mutirões realizados, foram feitos mais de 8 mil procedimentos, como restauração e extração.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo

Cidades

Polícia investiga incêndio que matou idoso

Publicado

em

A Polícia Civil investiga em detalhes o incêndio residencial que deixou o idoso Raimundo Soares, de 66 anos, carbonizado em Cruzeiro do Sul, na última sexta-feira, dia 21. O caso chocou os moradores da cidade, com a informação de que o homem não conseguiu sair da casa a tempo.

Nas investigações da Polícia Civil, o delegado Alexnaldo Batista tenta descobrir se o incêndio na casa do trabalhador rural foi criminosos ou acidental. “Já pedimos as primeiras perícias para tentar saber porque o idoso não conseguiu sair da casa e até para saber se o incêndio foi criminoso”, afirmou.

O comandante do Corpo de Bombeiros na região, capitão Rômulo Barros, disse que a guarnição só foi acionada no inicio da noite. “Realizamos essa diligência e no local constatamos que havia acontecido esse incêndio e que um senhor foi consumido pelas chamas no local”, disse.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.