Conecte-se agora

Derrubada de Veto ao Estatuto da Família termina em insinuações de chifre

Publicado

em

Destaque 6

Conselho tarifário de Rio Branco fecha preço da passagem de ônibus em R$ 4,03

Publicado

em

O conselho tarifário de Rio Branco anunciou na manhã desta sexta-feira (18) que o novo preço da tarifa de ônibus na capital será de R$ 4,03. O valor foi definido a partir de dados analisados pela câmara técnica responsável por aprovar ou rejeitar o pedido de reajuste apresentado pelas empresas do setor. O sindicato dos empresários queria aumento para R$ 4,55.

Hoje a passagem em vigor é de R$ 3,80. Segundo Gabriel Forneck, chefe da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans), os R$ 4,03 ainda não são o valor em definitivo, podendo vir a passar por alterações.

Segundo Forneck, a tendência é que a prefeitura arredonde a passagem para R$ 4,00. A perspectiva é que todo o processo de reajuste da tarifa esteja concluído até o fim do mês.

Continuar lendo

Destaque 6

Oposição critica ato a favor de Lula e petista responde: “Meu ouvido é quase um penico ao ouvir essas baboseiras de Bolsonaro”

Publicado

em

Vereadores de oposição ao PT criticaram de forma veemente, durante a sessão de hoje, a IV Conferência da Amazônia, que começa nesta quinta-feira, 17, e encerra no sábado, 19, no Hotel Terra Verde, em Rio Branco. Eles consideram o evento um ato político em defesa de Lula.

Nogueira Lima disparou contra os palestrantes anunciados na campanha publicitária da conferência. “Quem é Fernando Haddad para falar sobre Amazônia? Quem é Gleisi Hoffman? Não conhecem um palmo dessa terra! Isso é uma imoralidade. Defender um ladrão é uma imoralidade! O Lula vai continuar preso em nome de Jesus!”, disparou o vereador do PSL.

O líder do PT na Casa, Rodrigo Forneck, rebateu N. Lima ao citar que é um castigo ter que ouvir o oposicionista falar diariamente, da tribuna da Câmara, sobre Jair Bolsonaro. O petista disse acreditar que Lula será candidato e eleito presidente da República.

“Meu ouvido é quase um penico ao ouvir essas baboseiras de Bolsonaro que o senhor fala aqui. Duvido que o seu candidato que vai pegar balsa, como a gente diz no bom acreano, pense o Brasil. Vocês tem que nos engolir. Tem que engolir que o Lula será lançado como candidato a presidente da República, sim. Vai ter ato pró-Lula, sim! Vamos lançar o Lula, sim, e eleger o Lula de novo!”

Já Roberto Duarte (MDB) considera um absurdo o ato a favor de Lula organizado pelo governador Sebastião Viana na frente do Palácio, nesta sexta-feira, 18, como parte da programação da conferência. “O resultado do ato a favor de presidiário, de bandido, é resultado da insegurança do nosso Estado. É um verdadeiro absurdo o que a gente tá vivenciando nesse Estado.”

Ato Lula Livre

A IV Conferência da Amazônia, que começa nesta quinta-feira, 17, e encerra no sábado, 19, no Hotel Terra Verde em Rio Branco, terá como conferencistas na abertura do evento, o governador Sebastião Viana, o senador Paulo Rocha (PT/PA) e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM). Eles irão falar sobre “O Golpe e a Amazônia”.

Já na sexta, o ex-ministro Luiz Dulci palestra pela manhã sobre o “Resgate do Histórico das Conferências anteriores”. No mesmo dia, ainda pela manhã, a conferência abre espaço para “os desafios da Pan Amazônia para um modelo alternativo de desenvolvimento econômico, humano e sociocultural” e ainda “os desafios dos movimentos sociais na Amazônia brasileira”.

Também na sexta-feira, à tarde, o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Viana, e a ex-governadora do Amapá, Dalva Figueiredo, falam sobre “as experiências e desafios dos governos de esquerda, popular e democrático na Amazônia”.

“O Programa de Governo do Brasil que o Povo quer e a Amazônia” terá como expositores o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Hadad, e Esther Bemerguy.

A programação da sexta-feira se encerra com o ato Lula Livre, em frente ao Palácio Rio Branco, a partir das 17h.

Já no sábado, dia do término do evento, acontecem as reuniões de diversos setores da esquerda para discussões sobre o “Brasil que o povo negro quer, Mulheres/Elas por elas, LGBTTIS, Juventude e Indígenas”.

Continuar lendo

Destaque 6

Daniel Zen chama Gerlen Diniz de moleque e vagabundo e oposicionista diz que petista usou substâncias ilícitas

Publicado

em

A proximidade do período eleitoral tem esquentado os discursos dos deputados de situação e oposição na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). Os deputados Daniel Zen (PT) e Gerlen Diniz (Progressistas) por pouco não saem no tapa no plenário da Casa. O bate-boca começou após Zen relembrar o discurso da semana anterior, quando criticou a administração do falecido ex-governador Orleir Cameli, além de alfinetar o pré-candidato ao governo do Acre, Gladson Cameli (Progressistas) a quem os petistas atribuíram a pecha de mentiroso.

O petista Daniel Zen deixou nas entrelinhas que Orleir Cameli seria responsável por quebrar a previdência do Estado. De acordo com ele, Cameli deixou cinco meses de salários atrasados e faliu as empresas públicas. Antes elogiado por políticos da FPA, Orleir Cameli voltou a ser atacado diante da possibilidade de Gladson ganhar a disputa pelo governo. Mesmo afirmando que não tinha intenção de enxovalhar a honra de ninguém, Daniel Zen citou as acusação que Orlei Cameli teria dois CPFs e teve um avião apreendido com contrabando.

O governista disse ainda que Orleir alugava máquinas para prefeitura na época que foi prefeito de Cruzeiro do Sul. Zen justificou seu discurso dizendo que sua intenção era relembrar fatos históricos, não enxovalhar a honra de pessoas. “Sacaram 42 milhões que em valores atualizados totalizariam R$ 1,5 bilhão, mas seriam as mesmas pessoas que fazem parte do grupo político do senador Gladson Cameli. “Mais uma vez, não se trata de querer macular a honra de ninguém. Não me refiro a questões pessoas, me refiro a fatos históricos”.

Daniel Zen desafiou os oposicionistas a contestarem seu discurso. “E ninguém sobe aqui para contestar. Nossos governos quitaram a pendência dos governos anteriores. E hoje estamos quitando o débito da previdência. Quando colocamos R$ 35 milhões para complementar a contribuição previdenciária, nós estamos pagando uma dívida resultante do saque lá de trás. Isso é compromisso com o servidor público. Isso é compromisso com as contas públicas”, disse o petista, ao virar a metralhadora giratória para os parlamentares federais da oposição.

Para o líder do governo do PT, os avalistas do governo Temer no Acre, do que ele classifica como as medidas mais cruéis de Temer, que completou dois anos de administração. Zen afirma que Alan Rikc, Flaviano Melo e Jéssisa Sales, foram os avalistas da reforma trabalhista, e os senadores Gladson Cameli e Sérgio Petecão também apoiaram a PEC do corte dos gastos públicos, que de acordo com Zen, congelou do orçamento, prejudicando a educação, segurança e saúde “foram as áreas mais prejudicadas”, finalizou o parlamentar governista.

Gerlen rebate e acusa Zen de usar substâncias ilícitas

O oposicionista Gerlen Diniz (Progressistas) usou a tribuna e contra-atacou Daniel Zen. Ele afirma que o petista aproveitou a ausência dos deputados de oposição que estariam no congresso da Unale, para atacar Orleir Cameli e Gladson Cameli. “Hoje repetiu o mesmo engodo. Um modo trapaceiro, desonesto, tentando enganar a população. Isso é trapaça”, disse Diniz, que foi interrompido várias vezes pelo petista Zen que do local onde estava sentado no plenário disse que o parlamentar progressistas era moleque e vagabundo.

“Se o senhor quiser sair do plenário, fique à vontade. Moleque é vossa excelência. Vagabundo é vossa excelência. O líder do governo veio aqui tentando desqualificar os parlamentares de oposição, dizendo que votam contra o povo acreanos. É trapaça. Angelim, Sibá e Léo que não é mais do PT, todos votaram a favor da medida que prejudica não só os acreanos, mas todos os brasileiros de ter acesso a obtenção dos seguro desemprego, abono salarial e seguro defeso. Sabe quem votou contra? Todos os deputados do PT”.

Diniz lembrou ainda o suposto pedido de recursos de Jorge Viana a Marcelo Odebrecht para campanha de Sebastião Viana. “O menino da floresta Jorge Viana, solicitou R$ 2 milhões para as eleições. Utilizaram dinheiro da Petrobras para eleição no Acre. É assim que vocês estão no poder há mais de 20 anos. É trapaceando. Seus trapaceiros. É normal o desespero tomar conta a medida que acompanham as pesquisas eleitorais. Prepare-se porque só tende a piorar mais o nível de desespero”, disparou o oposicionista.

Diniz afirma que Gladson Cameli “não responde a nenhum processo. O senhor poder usar o artifício que quiser para se manter calmo”, disparou o oposicionista que ironizou um discurso de Zen onde ele defendia a liberação da maconha. O petista voltou a tribuna e acusou Gerlen Diniz por supostamente vender lotes em um loteamento irregular em Sena Madureira. Inconformado, Gerlen Diniz voltou a tribuna e acusou o líder do governo de usar substâncias ilícitas quando discursou na tribuna da casa e fez acusações ao bloco de oposição.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.