Conecte-se agora

Empreiteira JM recebe pagamento milionário do Deracre 10 anos após serviços

Publicado

em

Cinco pagamentos que somados ultrapassam os R$ 6,8 milhões realizados pelo Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre) em favor da empreiteira JM Terraplanagem e Construções Ltda realizados no mês de março, quase 10 anos após a empresa executar a construção de pontes e acessos na BR-364 despertou a fúria de empresas locais e fornecedores do Deracre, que possuem pagamentos atrasados juntos ao órgão que foi responsável pelas obras da rodovia que foi repassada ao DNIT e consumiu quase R$ 2 bilhões.

Após verificarem no portal de transparência do governo do Acre, que a JM, empresa que não atua mais no Acre há mais de cincos anos, recebeu um pagamento milionário, proprietários de empresas locais que tentam receber contratos atrasados procuraram a reportagem de ac24horas para questionar o fato. Eles acreditam que o repasse poderia ser um tipo de acerto eleitoral para beneficiar os candidatos do PT, denuncia descartada pelo diretor do Deracre, André Mansour. Ele revela que os recursos seriam de um convênio federal.

Segundo o gestor, “esses pagamentos são referentes ao convênio TT 80/2008, cujo objeto eram as pontes do Purus, Envira, Tarauacá e Juruá, e respectivos acessos. Havia uma revisão de projeto em análise por eles há quase 10 anos pelo Dnit, mas essa revisão foi aprovada apenas agora. Esses recursos são federais, do Dnit, vinculados ao objeto do convênio. Não são recursos próprios. As obras haviam sido concluídas há muitos anos, mas houve essa pendência em razão da morosidade do Dnit em analisar as revisões de projeto”, diz André Mansour.

O diretor do Deracre descarta ainda que os recursos sejam um tipo de acerto político para usar o dinheiro em campanha. “A pendência era exclusivamente de pagamento. As obras estão aí, concluídas há tempos, como vocês podem ver. As empresas concluíram as obras e aguardaram todo esse tempo para receber a revisão de projeto. As revisões ocorreram por necessidade de adequação em cada obra. A ponte do Juruá, por exemplo, teve que incluir proteção contra abalos sísmicos. A única no Brasil, e isso não era contemplado no padrão do Dnit”.

Apesar das justificativas apresentadas pelo representante do Deracre, que os recursos destinados JM Terraplanagem e Construções Ltda, empresários denunciam que mesmo a empresa abandonados obras do Programa Ruas do Povo, ela não sofreu nenhuma penalidade e ainda estaria sendo priorizada pela administração estadual quando a questão é pagamento. O Sindicato dos Caçambeiros também reclama que o governo petista estaria protelando uma dívida e fazendo pagamento a conta gosta há vários anos para categoria.

Nos bastidores políticos, parlamentares de oposição acreditam que o governo do Acre é responsável pelo que eles classificam como “quebradeira das empresas locais”, quando executam serviços e não recebem repasses do governo através do Deracre. A JM Terraplanagem e Construções Ltda recebeu os mais de R$ 6,8 milhões de readequação de projetos pouco mais de dois anos que o governo do Acre repassou as obras da BR-364 ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), que desde então vem tentando recuperar a rodovia.

Propaganda

Destaque 2

Vereador denúncia que merenda foi furtada e crianças estão sem comer nas escolas

Publicado

em

Para variar, mais uma confusão em Senador Guiomard.

O vereador Cleílton Nogueira (PR), usou a tribuna durante sessão nesta terça-feria, 19, para denunciar o furto da merenda destinada aos estudantes da rede municipal de ensino e para cobrar explicações do atual secretário de educação Carlos Afonso de Lima e também do prefeito Gilson da Funerária.

Segundo o vereador, as crianças estão sem lanche. Fotos mostradas pelo parlamentar mostram o que seria o almoxarifado da secretaria municipal de educação praticamente vazio.

“A situação é completamente diferente de quando o prefeito André Maia estava no comando da prefeitura. Tinha merenda para atender todas as crianças que precisam se alimentar nas escolas”, afirma Cleílton.

Gílson da Funerária, que é vereador, e foi presidente da Câmara, assumiu a prefeitura de Senador Guiomard há pouco mais de 60 dias, após o vice-prefeito Judson Silva Costa ter renunciado ao cargo, já que André Maia, prefeito eleito, foi preso acusado de desvio de verbas pública. Hoje, encontra-se em liberdade, mas proibido pela justiça de reassumir a prefeitura.

“Tirou o peitinho da boca, o cabrito berra”. Foi com essa expressão que o atual prefeito Gílson da Funerária respondeu à nossa reportagem sobre a denúncia do vereador. “É mentira, as escolas estão funcionando normalmente e tem merenda para os estudantes. A revolta do vereador Cleílton Nogueira é que ele está sendo investigando pela Polícia Federal e tinha vários cargos fantasmas aqui na prefeitura, que foram descobertos e exonerados”, diz.

Continuar lendo

Destaque 2

Gladson já estuda fazer reforma administrativa: “não está vendo resultados!”

Publicado

em

O governador Gladson Cameli voltou para o Acre e está disposto, segundo assessores, a fazer mudanças na equipe que colocou para cuidar do estado ao lado dele desde 1º de janeiro. Cameli não está satisfeito com os resultados das pastas e quer “retomar” o comando do governo após as várias viagens que fez.

Segundo um assessor palaciano, o governador ficou estressado com as críticas de que por conta das viagens perdeu “voz e voto” dentro do Palácio Rio Branco. De tanto “determinar”, o governador agora vai exonerar aqueles que não obedecem às ordens dadas por ele. Cameli quer resultados, e rápido.

“O chefe não está feliz com tanto protesto, tanta crítica, tanta reclamação. E o pior é que nem a imprensa consegue mostrar as coisas que estão dando certo, porque isso não sai do governo, não sai das secretarias. O Gladson não tem muita paciência, não bate muita cabeça. Ele quer mexer e já está estudando isso desde Brasília”, revela a fonte.

Um dos problemas que mais tem deixado Gladson estressado é a questão dos professores que já foram várias vezes à frente da Casa Civil fazer protesto. Com a imagem da gestão desgastada, Cameli tomou a frente há duas semanas, e mandou que todos os professores foram contratados sem a exigência de uma declaração até então exigida pela pasta.

“O Gladson não está vendo resultado em muitas áreas. Essa é a verdade! O Ribamar não está conseguindo articular tudo, é problema na Fazenda, é problema sem solução na Educação, risco de rebelião no presídio, e ainda tem a saúde que vai de mal a pior. Ele levou o Alysson em Brasília para articular saídas, e parece que estão conseguindo. Mas ele quer ação, e já!”, completa o assessor palaciano.

No sábado, dia 16, o governador Gladson Cameli exonerou o então porta-voz do Palácio Rio Branco, Rogério Wenceslau alegando as primeiras adequações no âmbito da Secretaria de Comunicação. Nesta segunda-feira, dia 18, Cameli cumpre agenda interna com equipe de governo para alinhar ações.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.