Conecte-se agora

Viajar sozinho requer planejamento

Publicado

em

Viajar sozinho é tão fundamental para se libertar neste mundo quanto passear com os amigos e família. Liberdade tida na lista de prioridades da maioria das pessoas que desejam perambular pelos continentes.

Apesar de dar um pouco de trabalho, uma alternativa onde você consegue economizar é montando o próprio pacote. Além de gastar menos, a viagem será personalizada, feita sob medida conforme seus desejos.

Como exemplo, vamos aprontar uma viagem para um dos destinos mais procurados dos Estados Unidos. São diversos os pacotes para Orlando, as opções variam de acordo com o quanto deseja gastar e o tempo de estadia. Primeiro defina a época da viagem, então tire o visto americano. Com isso posto, compre uma passagem e a dica aqui é escolher com certa antecedência, cujos valores costumam sair mais em conta. Então, é momento para definir a hospedagem e os parques a serem visitados. Por último faça um roteiro e decida como chegar aos pontos turísticos.

Aspecto também a ser considerado são as malas da volta. Como Orlando é um centro importante de compras, a alfândega está de olho em todo mundo que retorna de lá. Para não ficar à mercê das regras ao chegar ao Brasil,  é muito importante ler e entender todas as normas da alfândega.

Propaganda

Blog do Crica

Uma proposta pragmática e séria

Publicado

em

Em meio à discussão que se trava sobre o reajuste do preço das passagens de ônibus, com a planilha de custos apresentada pelos empresários sob suspeição, com o RBTRANS acusado de ser manipulado pelo empresariado, enfim, uma proposta pragmática e séria foi colocada ontem na Audiência Pública realizada na Câmara Municipal de Rio Branco: que seja formada uma comissão independente do Conselho Tarifário, sem nenhum representante de órgão oficial, para uma análise da planilha desprovida de paixões. O mais gratificante é que veio do líder da prefeita Socorro Nery, vereador Eduardo Farias (PCdoB), e agradou os que duvidam da veracidade dos itens contidos no documento do SINDICOL e aos representantes da sociedade organizada que estavam presentes ao ato de ontem. Depois de todas as dúvidas levantadas sobre estes custos não há como não acolher a proposição do vereador Eduardo. Ou se parte para a solução apresentada ou vai se ficar discutindo o sexo dos anjos na questão do aumento.

PALAVRA DE QUEM SENTE NA PELE
Estive na Audiência Pública, requerida pelo vereador Roberto Duarte (MDB) e foi uma das mais representativas das quais participei. Nos depoimentos de moradores dos bairros deu para sentir o que é o inferno em andar em ônibus que não cumprem horário, velhos e sujos.

ENFIM, UMA EXPLICAÇÃO
O dirigente do RBTRANS, Gabriel Forneck, explicou à coluna o motivo pela qual ônibus andam com placas de outros Estados. Segundo ele, é porque existem ações trabalhistas correspondentes a estas placas e enquanto perdurarem não pode se modificar a situação.

TOM DE REVOLTA
Foi uma tônica comum na Audiência Pública de ontem, o tom de revolta de todos os moradores de bairros que fizeram uso da palavra, com a possibilidade de aumento da passagem. Pela primeira vez vejo uma mobilização tão forte contra um reajuste proposto.

EMPRESÁRIOS QUEREM TER VEZ
Os empresários se reuniram e decidiram ter um representante na Câmara Federal. Lançaram a candidatura do empresário e presidente da FIEAC, José Adriano (PDT). Alegam que cansaram de trabalhar para candidatos, financiá-los e não serem correspondidos na defesa dos seus interesses, quando chegam ao parlamento. Foi um recado para outros candidatos a Federal.

OUTRO QUE ENTRA NO JOGO
Outro empresário que entrou no jogo para ser deputado federal é o Jarbas Soster (PHS), um crítico feroz do modelo econômico da Florestania, que na sua visão, não teve o êxito esperado na geração de emprego e renda. É muito bom que novos nomes, novas idéias, entrem na política. Renovar é preciso, principalmente, quando se vê a política no fundo do poço.

DEVERIA SE DESCOLAR
Um candidato ao governo tem que ter paz na campanha, mas parece que a oposição não quer dar esta condição ao candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP). Acham que até briga de comadres e de lavadeiras, ele tem de resolver. Ou se descola disso ou será arrastado para o bolo. Este tipo de discussão pequena compromete a unidade em uma campanha.

UMA BRIGA ATRÁS DA OUTRA
É o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) e o prefeito Ilderlei Cordeiro (PP) trocando farpa, o MDB dando murro na mesa exigindo uma coligação com o PP para a ALEAC, os partidos nanicos montando chapas paralelas de Federal, enfim, verdadeira briga de comadres. Não entenderam que: se perderem o governo não adianta ganhar vagas do Senado, Câmara Federal e ALEAC. Ficarão mais 20 anos na peia. Parece que ainda não atentaram que há uma disputa de governo. Ou então, se acostumaram a perder eleição.

OLHADA NA FPA
Deveriam se mirar no exemplo da FPA que está na campanha unida e dando a tranqüilidade para o candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT) fazer a sua campanha. Está em Feijó fazendo política, subindo os rios, visitando comunidades indígenas, conquistando votos, sem ter que se preocupar com brigas de aliados. Se há algo que o PT consegue é fazer uma campanha unida em torno do candidato ao governo. Se brigam é entre quatro paredes.

ESTÁ DESAPRENDENDO
O governador, com tantos anos de política, parece que desaprendeu que não se cria desafetos em eleição: no caso dos caminhoneiros tirou o problema do colo do presidente Michel Temer, ao entrar na justiça para a retirada dos motoristas da estrada e colocou no seu, uma medida antipática e tomada num ano eleitoral. Pode alegar o interesse público. Mas me refiro ao rescaldo político.

DISCURSO DE ÓDIO
O candidato ao Senado, Márcio Bittar (MDB), perdeu uma boa oportunidade para expor as suas idéias num programa de boa audiência como o “Bar do Vaz”, no AC24horas. Passou boa parte do precioso tempo num discurso de ódio, raivoso, contra o senador Jorge Viana (PT).

REGRA BÁSICA
Quando se está numa disputa majoritária ficar de forma reiterada falando no nome dos adversários serve para lhes promover. No mais o que se viu da sua “Carta de Compromissos” foi uma clonagem do programa de governo do Bolsonaro. Já era para o Bittar ter inovado.

PTB SOLO
O PTB não vai se coligar e deverá disputar em carreira solo vagas para deputado estadual. Rejeitou a coligação proposta pelo SOLIDARIEDADE, no que acertou, porque traria para a chapa o ex-deputado Walter Prado (SOLIDARIEDADE), com forte estrutura de campanha.

É O CARA
Dr. Jeferson, o “Pururuca”, é o cara da chapa do PTB para deputado estadual. Faz uma campanha organizada, redonda, podem anotar este nome. Altamente competitivo.

JOGO DOS NÚMEROS
Avaliação ouvida ontem de um experiente político: a chapa PT-PSB-PCdoB elege dois deputados federais. A chapa PRP-PSOL-PV-PHS-PRB-PROS-PODEMOS faz o terceiro deputado. E a coligação PTC-PSC-PMN-SOLIDARIEDADE-PPS o quarto nome. O chapão PP-MDB-PSDB-PSD-PR-DEM elegerá dois nomes. A aliança PATRIOTAS-PSL o sétimo deputado. A coligação PDT-PMDB-PSDC faz o oitavo.

PTB FORA
A chapa PTC-PSC-SOLIDARIEDADE-PMN-PPS terá nomes como Jamil Asfury, Wanda Denir, Rosana Nascimento, Junior Santiago, Dr. Edson e Marileide Serafim. O PTB não entrou na coligação. O dirigente do PSC, Jamil Asfury, explicou à coluna que somente interessaria a vinda do PTB, se sua candidata Charlene Lima trouxesse outro nome de peso. Fora isso o PTB, está fora, diz Jamil.

BENÇÃO DE DEUS
Sobre nota na coluna que o ex-deputado Jamil Asfury não terá a benção política do Pastor da IBB, Agostinho Gonçalves, rebateu dizendo que a única benção que precisa é de Deus.

NÃO SABERIA DIZER
São todos competitivos. Não saberia dizer quem ganha e quem perde na chapa formada pelos deputados federais Léo de Brito (PT), Raimundo Angelim (PT), Sibá Machado (PT), César Messias (PSB) e Perpétua Almeida (PCdoB), caso façam dois nomes para a Câmara Federal.

EXPERIENTES E COM ESTRUTURA
São quatro deputados federais e a Perpétua Almeida (PCdoB), que já foi Federal. Todos experientes na política e com estrutura para fazer uma campanha sem problemas de falta de apoio.

FORA DO CENSO
Quando o censo do IBGE que apontou, no Acre, altos índices de analfabetismo foi feito ainda não existia o programa “Quero Ler”, depois que entrou em vigor o número de analfabetos se reduziu de forma drástica. Este é um programa do atual governo que deu certo.

EM CHEIO
Se o fim da CIDE entrar neste pacote de bondade do governo federal para pôr fim à greve dos caminhoneiros, os Estados serão atingidos. No Acre, o DERACRE será um dos abalados.

SEM VICE
Depois da desistência do empresário Fernando Lage em ser o vice na chapa do Coronel Ulisses Araújo (PSL), ainda não foi definido o nome do novo vice, que deverá ser empurrado para o próximo mês.

UMA BRECADA
Junho que está chegando é o mês da Copa do Mundo, e com isso as atividades políticas devem perder o interesse da população que vai estar vidrada na televisão torcendo pelo Brasil. A campanha vai esquentar para valer depois do fim da Copa. Daí em diante é só política.

FORA DA ELEIÇÃO
O ex-deputado Astério Moreira de fato foi sondado para entrar numa composição política para 2020, em Brasiléia, onde já foi vereador. Astério descartou totalmente esta possibilidade.

BOCALOM EM DISCUSSÃO
Estava ontem numa roda de políticos em que se discutiu a candidatura do Tião Bocalom (PATRIOTAS) a deputado federal. Todos achando que será uma grande interrogação. A eleição é proporcional. Mas tem a seu favor as mãos limpas e ser conhecido do eleitorado.

NÃO ME LEMBRO
Jorge Viana, Sérgio Petecão, Minoru Kinpara, Sanderson Moura, Márcio Bittar, Paulo Pedrazza, Ney Amorim, confesso que são nomes que agradam pela qualificação e experiência política.

TODOS OS TEMPOS
A disputa das duas vagas do Senado deverá ser uma das mais ferrenhas dos últimos tempos.

DEBATE INTERESSANTE
O que move mais esta discussão sobre o reajuste no preço das passagens de ônibus é ser um tema que mexe com o bolso da população e também por estarmos num ano eleitoral. O resultado deste debate; se haverá ou não aumento, poderá virar bandeira de campanha. Uma coisa tem que acontecer para que não paire nenhuma dúvida sobre este processo, que os custos trazidos na planilha entregue pelo empresariado à prefeitura de Rio Branco devem ser esmiuçados por uma comissão independente, nos moldes do que propôs o líder da prefeita Socorro Neri, vereador Eduardo Farias (PCdoB). A transparência é essencial neste tema.

Continuar lendo

Notícias

Na mesma sala, mãe e filho voltam a estudar e transformam a vida juntos

Aos 41 anos, Cristiane Nunes voltou a estudar e assiste aulas com o filho

Publicado

em

Já se imaginou com dois filhos, marido e casa para cuidar e ainda tendo que conciliar tudo isso com uma graduação? Parece impossível, não é mesmo? Mas esta é a realidade da estudante de Publicidade e Propaganda, Cristiane Nunes que, aos 41 anos, encontrou no seu filho mais velho a motivação para investir nos estudos.

Tudo começou quando Lucas Nunes, 21 anos, terminou o Ensino Médio. O filho mais velho de Cristiane ficou um ano sem estudar e perdeu uma série de oportunidades. “Eu falei para Lucas que ele precisava entrar na faculdade. Sentamos juntos, entramos nos sites das universidades e começamos a pesquisar sobre os cursos”. O engraçado foi que os dois se interessaram pelo curso de Publicidade mas precisavam encontrar uma solução para conseguir pagar as mensalidades. “Pagar o valor de uma mensalidade não é fácil, imagine duas”, informou Cristiane.

Em uma visita até a Faculdade Anhanguera – instituição onde mãe e filho estudam atualmente – apresentaram para eles a opção do Fies, mas financiamento nunca foi a preferência de Cristiane. “Eu não gosto de financiamento. Se essa fosse a única alternativa, acho que não iríamos estudar”. Depois de muita conversa, a faculdade indicou o Educa Mais Brasil, maior programa de inclusão educacional do país, que oferta bolsas de estudo para graduação, educação básica e outras modalidades de cursos. “Só depois que eu entrei no site do Educa Mais e vi que era um projeto de qualidade é que decidi que essa seria o nosso passaporte para o ingresso na faculdade”, conta.

Para arcar com a mensalidade, mãe e filho conseguiram 70% de desconto, o que possibilitou que o sonho da graduação fosse realizado em dobro.  Inicialmente, eles pretendiam estudar em turnos opostos. Mas o destino não quis assim. Cristiane se matriculou pela manhã, porque seria o horário que seu filho Matheus, de 10 anos, estaria na escola. Para sua surpresa, como a turma não foi formada, ela acabou sendo transferida para o turno da noite, onde passou a frequentar a mesma turma do filho.

Lucas confessa que, no início, não gostou muito da ideia, mas o sentimento de ansiedade e insegurança se misturou com a novidade. Cristiane ainda propôs que eles fingissem nem se conhecer, mas a rotina e o amor familiar fez com que tudo fosse diferente. Hoje, todos os colegas sabem do laço familiar. Mãe e filho não se desgrudam, dividindo até os trabalhos da faculdade.

“Sempre tive um ótimo relacionamento com minha mãe. Somos bem amigos. Apesar de ter um ótimo relacionamento com meu pai, eu tenho um convívio maior com ela, até por conta da faculdade. Além disso, a gente sempre tem os nossos compromissos mãe e filho, que vai desde a ida ao shopping, até um happy hour depois da faculdade com os amigos, ou até mesmo algum trabalho particular. Minha mãe é muito presente”, conta Lucas.

Além de dividirem a sala de aula e os trabalhos da faculdade, os dois dividem também o sentimento de gratidão. “Sou muito grato e privilegiado. É muito difícil conciliar a escola com o trabalho e a vida pessoal. Muitos desistem… Estou muito feliz em compartilhar com a minha mãe um dos meus sonhos”. Cristiane sente da mesma forma e enxerga o filho como sua maior força. “Se não fosse pelo Lucas, eu nunca voltaria a estudar. Tudo isso aconteceu por causa dele. O sentimento é de realização em dobro”.

Os dois irão se formar no fim do ano e só não vão fazer o trabalho de conclusão de curso juntos porque é obrigatório que seja feito de forma individual. Seguir estudando é o maior desejo de Lucas agora. “Depois que concluir a minha graduação, o próximo passo é fazer um intercâmbio profissional. Mas, inicialmente, estou pensando na minha pós-graduação”, planeja. Cristiane também não descarta a possibilidade de investir em uma especialização. “Eu nunca pensei que voltaria a estudar, mas, com certeza, posso pensar nisso futuramente”, conclui.

Ter um incentivo é o primeiro passo para investir na educação. Da mesma forma que Cristiane e Lucas se sentiram apoiados mutuamente, você também pode encontrar a sua motivação. Além disso, você também pode contar com a ajuda do Educa Mais Brasil. Eles conseguiram 70% de desconto na graduação. Sabia que você também pode conseguir? O primeiro passo é decidir o que curso que você pretende fazer, depois você só precisa acessar no site do Educa Mais Brasil e fazer sua inscrição na faculdade mais próxima. Não perca tempo, é gratuito.

Continuar lendo

Notícias

Não renovou o FIES? Conheça opções que vão além do financiamento

Mais de 200 mil bolsas de estudo são ofertadas com até 70% de desconto

Publicado

em

Não renovou o FIES - Conheça opções que vão além do financiamento

Termina hoje (25) o prazo para a renovação do FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) para estudantes que já contam com o programa do Governo Federal para cursar a graduação em instituições privadas do país. Cerca de 1,1 milhão de renovações estão previstas. Também chamado de aditamento do FIES, o procedimento deve ser realizado semestralmente pelos beneficiados no site do Sistema Informatizado do FIES (SisFIES). Estudantes que não renovarão o contrato podem buscar opções alternativas ao financiamento, a exemplo de bolsas de estudo.

Trabalhadora autônoma, Lívia Milena Lima Gomes conheceu as bolsas de estudo do Educa Mais Brasil pelas redes sociais e, ao pesquisar mais sobre o programa, tomou a decisão de cursar Serviço Social pelo programa de inclusão educacional. “É uma forma fácil e acessível que temos para estudar, especialmente para quem vive de forma autônoma como eu. Foi uma oportunidade que consegui para estudar. A mensalidade é bem acessível por conta da bolsa. Vale muito a pena”, pontua.

Ofertadas para a graduação em faculdades particulares, as bolsas de estudo podem garantir descontos de até 70%. Além do abatimento do valor nas mensalidades, um dos principais benefícios é que o contratante não precisar pagar juros ao final do curso, caso tenha já quitado as parcelas, e não precisa se preocupar com dívidas estudantis após a formatura.

Segundo Lívia, além das facilidades de adesão e pagamento, a questão financeira também foi fundamental para a escolha. “O FIES é mais burocrático. É preciso ter fiador, pagar juros. Para mim, não é viável. É mais pagar as mensalidades com a bolsa de estudo, durante o curso, ao invés de terminar a graduação e precisar pagar os juros do financiamento depois”, explica.

Pelo programa de bolsas de estudo do Educa Mais são ofertadas mais de 200 mil bolsas, apenas para o ensino superior (graduação e pós-graduação), em todas as regiões do Brasil. A inscrição é gratuita e não é necessário comprovar renda ao programa. Ao ser contemplado com o benefício, será necessário apenas pagar a taxa de adesão (pré-matrícula). Com isto, o contratante estará isento do pagamento da matrícula ou da primeira mensalidade na instituição de ensino em que foi contemplado. A renovação do benefício deve ser feita semestralmente até a conclusão da graduação.

O que é o FIES

Para quem se questiona sobre o que é o FIES, é um programa criado pelo Governo Federal para financiar a graduação de estudantes, matriculados ou não, em cursos presenciais de faculdades privadas. Para pleitear o benefício é preciso que o estudante não tenha condições de pagar o valor das mensalidades durante o período dos estudos. Como se trata de financiamento, o beneficiário terá de pagar a dívida ao final do curso.

Em 2017, foram celebrados 170.905 novos contratos de financiamento estudantil, o menor número dos últimos seis anos. Em 2012, foram celebrados 351.331 novos contratos em contraste com os 144.947 firmados em 2011. Em relação às 225 mil vagas disponibilizadas em 2017, 20% não foram preenchidas. O percentual, no entanto, é menor em relação a 2016, quando 40% do total de vagas disponibilizadas não foram ocupadas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.