Conecte-se agora

Lira Xapuri: a águia e os papagaios

Publicado

em

Quem conversa com o candidato ao governo, Lira Xapuri (PRTB) – foto – sente que não está conversando com nenhum idiota que colocou na cabeça de ser candidato, mas com um rapaz humilde, esperto, inteligente e desembaraçado na exposição de suas idéias sobre como governar o Acre. E com tiradas de bom humor: “os vôos do Gladson Cameli, Marcus Alexandre e Ulisses Araújo são de papagaio, voam baixo, eu sou como uma águia, vôo alto e penso alto para o Acre”. A democracia é bela porque permite que um locutor do Formigão seja candidato a governador. E exponha as suas idéias. E como tal não seja diminuído em comparação com os candidatos tradicionais. Lira considera os adversários candidatos da repetição, de uma forma ou de outra, estiveram ligados aos que governaram o Estado nos últimos 20 anos. “Eu que sou o novo”, dispara. Numa eleição de águia e papagaios ganha a democracia com vários nomes como opção ao governo. Lira Xapuri, Ulisses Araújo, Gladson Cameli, Marcus Alexandre, façam os seus jogos senhores, que a roleta da eleição vai girar. Vão de águia ou de papagaios?

PRECISA DAR UMA VIRADA
A gestão do prefeito de Senador Guiomard, André Maia, precisa dar uma virada na maré negativa, porque se ouve críticas não só dos adversários, mas de cidadãos que nele votaram e esperavam que fosse dar uma revitalizada na cidade. Mesmo porque foi eleito como o novo.

ABANDONO GERAL
Toquei no assunto, mas na segunda-feira, no jogo Atlético x Remo, resolvi dar uma olhada mais ampla nas arquibancadas. Pior do que pensava. Uma parte significativa das cadeiras está quebrada, outras soltas, o que denota abandono. Uma pena, uma obra tão bela e se acabando.

SONHANDO ALTO
Frank Lima, um dos coordenadores da candidatura do Coronel Ulisses Araújo (PSL), acredita que a coligação PSL-PATRIOTAS pode eleger três deputados federais. Sonha alto. Na conta real, eleger um deputado federal já está de bom tamanho para os nomes que integram a chapa.

A GRANDE INTERROGAÇÃO
O sucesso da chapa PSL-PATRIOTAS á Câmara Federal está umbilicalmente ligado à votação que terá o ex-prefeito Tião Bocalon (PATRIOTAS). Não dá para ter uma média, as boas votações que teve foram para cargos majoritário, Federal é uma eleição proporcional.

DIFERENÇA GRITANTE
Para governador e prefeito, eleições que o Tião Bocalon disputou e obteve expressivas votações é uma coisa. Toda ou quase toda a oposição trabalhava seu nome. Para Federal é diferente, terá dezenas de fortes concorrentes e tem de cavar seu espaço. É uma incógnita.

UM CIDADÃO RESPEITÁVEL
Se o Tião Bocalon vai ter uma alta ou baixa votação, se perderá ou ganhará, é o contexto da  campanha e da eleição que vai dizer. Mas, um ponto é certo: é um político de ficha limpa.

TESE VENCIDA
Somente agora se soube que, durante as tratativas para uma composição do MDB com o Coronel Ulisses (PSL) houve uma proposta do deputado federal Flaviano Melo (MDB), para o Ulisses disputar o governo pelo MDB. Só que a proposta foi rechaçada pela cúpula do partido.

IMAGEM FALSA
Tem muita gente fazendo ilações erradas quando se vê um bom público nas reuniões dos candidatos ao governo, no interior. A maioria dos presentes vem pelo beiço, puxada pelos prefeitos para não perder os cargos. O voto que decide passa distante do teatro montado.

SERVENTIA DA CASA
A direção do DERACRE mostrou aos que tinham contratos provisórios que a porta é a serventia da casa. Demissões estão ocorrendo a rodo, atingindo até quem tinha 32 anos no cargo e sem receber um direito trabalhista. A denúncia é do deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS).

PIOR DO QUE O SONETO
O deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS) prometeu interceder por estes servidores. Faça isso não, Raimundinho! Se o pessoal do governo souber que você é o padrinho dos demitidos ai é que não vão receber qualquer indenização. Seu cartaz com o Tião Viana é zero.

UM ALÍVIO!
O deputado Wendi Lima (PSL) não é mudo como alguns imaginavam. Foi ontem á tribuna pela primeira vez este ano para comunicar que tinha trocado o PP pelo PSL, que apoiará o Coronel Ulisses Araújo para governador e Jair Bolsonaro para a presidência. O mistério foi desfeito.

GONZAGUINHA VOLTA FUTRICAR
O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) quer explicações do governo para a obra de 12 milhões destinados à construção de um museu no antigo META, que ganhou um aditivo sem justificativa para 13 milhões. Promete ir até o MP pedir uma investigação sobre a obra.

NÃO SE DÁ UMA EXPLICAÇÃO
A fábrica de camisinhas Natex, em Xapuri, tem funcionário que está com 3 e até 5 meses sem receber salários. O estranho é que não bate uma fiscalização por lá e ninguém dá explicação.

ACABOU A CHORADEIRA
Acabou o mote do PT de que somente lideranças do partido viram réus ou são condenadas e presas. O ícone do PSDB, Aécio Neves, virou réu no STF, que pode levar á condenação. Outra penca de políticos do PT e demais partidos estão com os dias contados para virarem réus.

NÃO DECOLOU
Conversando ontem com um amigo do PT, que acompanha a política de Xapuri, este revelou que, em que pese a boa vontade do prefeito Bira Vascondelos (PT), este não conseguiu avançar a gestão. “Pelo visto repetirá o primeiro fraco mandato”, observou. Escutei e registro.

DISCURSO DIFÍCIL
Não deve ser nada fácil o discurso do prefeito Marcus Alexandre (PT) para rebater aos questionamentos sobre os 20 anos de governo do PT, onde a economia estagnou no pagamento do mês. Tem que explicar por um pato que não comeu, mas seu partido comeu.

CÉU DE BRIGADEIRO
Mas para os petistas o céu está de brigadeiro para a candidatura ao governo do Marcus Alexandre (PT). Os deputados do PT, Leila Galvão (PT) e Daniel Zen (PT), pelo menos nos discursos de ontem deram um tratamento de Pop Star à visita do Marcus ao Alto Acre.

NÃO VAI BAIXAR O TOM
Um ponto parece definido pelos articuladores da candidatura do senador Gladson Cameli (PP) a governador: não vai responder aos ataques dos adversários. Usará a tática da disputa do Senado. A cada ataque que recebia entrava na justiça eleitoral com direito de resposta. O tempo que ganhou usou para falar dos seus projetos. Quem perdeu tempo atacando dançou.

ELEIÇÃO É ALGO INDECIFRÁVEL
Quando ia se iniciar a última campanha de governador e senador, eu estava numa entrega de títulos de “Cidadão de Rio Branco”, quando numa roda próxima membros da cúpula petista brincavam com a candidatura do Sérgio Petecão ao Senado. Entrou numa gelada, dizia um. Vai pegar de capote do Edvaldo, dizia outro. As urnas abriram e o Petecão se elegeu folgado ao Senado. Eleição não é ciência exata. Não é bom ironizar e nem duvidar do Petecão, em 2018!

FRASE DO JORGE KALUME
Sobre eleição na Capital, registrei em uma entrevista com uma das grandes lideranças políticas do Estado, o saudoso ex-senador Jorge Kalume (PSD), uma frase que respondia como ganhou a disputa da PMRB, aparecendo atrás do Ariosto Migueis (PMDB) em todas as pesquisas: “Qualquer pesquisa em Rio Branco antes de 24 horas da eleição é falsa”. E deu uma bela risada. Tinha acabado de se eleger prefeito, contrariando todos os prognósticos negativos.

ALGUÉM JUSTIFICA
Tem uma emenda do deputado federal Alan Rick (DEM) para recuperar o Hospital João Câncio, em Sena Madureira, no valor de 4 milhões de reais que tomou chá de gaveta, por ele hoje ser adversário do governo. Uma emenda de 2 milhões de reais do deputado federal Major Rocha para o Colégio Militar foi perdida. O prejuízo é para a população e não para os deputados.

ERA ESPERADO
O pedido de inconstitucionalidade do projeto do deputado Raimundinho (PODEMOS) do Pró-Saúde, feito pelo MP, já era esperado. Por onde passou nas comissões os deputados sabiam do vício de inconstitucionalidade e deixaram correr. Criaram uma falsa ilusão nos servidores que a aprovação resolveria a questão das demissões. E todos sabiam que não era isso.

VITÓRIA DE PIRRO
Os mais de mil servidores do Pró-Saúde tendem a perder esta briga com o governo, mas será deste uma vitória de Pirro. Todos atingidos pelas demissões e familiares darão o troco nas urnas. E não poderia ser outra a reação.

 O POLÍTICOS E A FALSA ILUSÃO
Ontem, as demissões no Pró-Saúde foram reativadas.  Coloquei desde o início da discussão do projeto do deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS), que supostamente dava garantia de estabilidade aos servidores do órgão e que acabou aprovado que, a sua provação não traria nenhum benefício aos funcionários.  E que não demoveria o governador Tião Viana de que a matéria é inconstitucional e que o MP assim entenderia. O MP já pediu a justiça a inconstitucionalidade da lei. E tende a ter o pedido acatado. As novas demissões estão provando o que escrevi neste espaço de que, não só as demissões não refluiriam, mas continuariam. Dito e feito. Uma pena para os servidores que fizeram um concurso de boa-fé e foram aprovados. Quem devia estar sendo punido foi quem criou um mostrengo administrativo ao arrepio da lei, no governo Binho. Quase mil trabalhadores estão com os dias contados para serem demitidos pelo governo. É num Estado com falta de emprego é muito lamentável. E também lamentável foi os políticos criarem a falsa ilusão que resolveriam seus problemas com a aprovação do projeto inócuo. Brincaram com a fé alheia.

Propaganda

Blog do Crica

Xerife reage: “Bêbado também mata e estupra”

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

O jumento, o diploma e o mérito

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

Fase do Café com bule

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.