Conecte-se agora

Encceja inscreve participantes até 27 de abril

Publicado

em

Entre 16 e 27 de abril, às 23h59, estão abertas as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Enceeja Nacional será aplicado 05 de agosto em todo o Brasil e, em 16 de setembro, o Encceja Exterior. Candidatos que desejem ser atendidos pelo nome social devem fazer a solicitação do dia 30 de abril ao dia 04 de maio.

Destinado a jovens e adultos que concluíram os estudos fora da idade indicada, o Encceja 2018 exige que o participante tenha, no dia de aplicação do exame, idade mínima de 15 anos (Encceja Fundamental) ou de 18 anos (Encceja Ensino Médio). O exame é composto por uma redação e quatro provas objetivas, com 30 questões de múltipla escolha.

Saiba mais: Encceja Nacional 2018: edital foi publicado e prova já tem data marcada

O Encceja permite certificações para os aplicantes do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, caso seja alcançada a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação. Já a declaração parcial de proficiência é concedida ao aplicante que obtiver a nota mínima exigida em uma única prova ou em mais de uma. Tanto a certificação quanto a proficiência são concedidas pelas secretarias estaduais de educação e pelos institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Por isto, o participante deve indicar no ato da inscrição a qual instituição deseja solicitar a documentação.

Apesar da gratuidade, o edital do Enceeja 2018 trouxe uma novidade: a necessidade de justificativa em caso de participantes ausentes das provas de todas as áreas do conhecimento desta edição e que desejem se inscrever no Encceja 2019. A justificativa deve ser feita na página do Encceja mediante a apresentação de atestados médicos, documentos judiciais, certidões públicas ou Boletins de Ocorrências. Caso não se justifique, o participante “deverá ressarcir ao Inep o custo do Exame a ser divulgado no ano seguinte, mediante o recolhimento do valor estabelecido em Edital, por meio de Guia de Recolhimento da União”, gerada na página do participante.

Saiba mais: Enem x Encceja: certificação do ensino médio

Avaliação do Encceja 2018

Participantes do Ensino Fundamental são avaliados nas áreas de artes, ciências naturais, educação física, geografia, história, língua portuguesa, matemática e redação. Já os participantes do Ensino Médio serão avaliados em ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, linguagens e códigos e suas tecnologias e redação; matemática e suas tecnologias.

Encceja Nacional PPL e Encceja Exterior PPL

O exame ainda possui duas modalidades: o Encceja Nacional PPL e Encceja  Exterior PPL, destinados a adultos que cumprem penas privativas de liberdade ou a adolescentes submetidos a medidas socioeducativas que incluam penas privativas de liberdade. O Encceja Nacional PPL está previsto para ser aplicado entre 18 e 19 de setembro. Já o Encceja Exterior PPL deve ser aplicado entre 17 e 21 de setembro.

Educação modalidade EJA

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma modalidade de ensino que visa escolarizar jovens e adultos que não completaram a educação básica no tempo indicado. Para participar do Encceja e, consequentemente, obter a proficiência parcial ou a certificação é importante que o participante esteja preparado para a avaliação. Atualmente, existem programas educacionais como o Educa Mais Brasil que disponibiliza bolsas de estudo de até 50% para este público, em diversas regiões do brasil, em parceria com o Ac24horas. Para conhecer as oportunidades disponíveis, basta acessar o site do Educa Mais.

Tunísia Cores – Ascom Educa Mais Brasil

Propaganda

Coluna do Nelson

O vereador Jarude da Capital é realmente algo novo na política acreana   

Publicado

em

Espero que o vereador Emerson Jarude (Sem Partido) não se corrompa no processo. Mas, por enquanto, as ideias desse jovem político de Rio Branco, com 28 anos de idade, significam uma verdadeira renovação do propósito de um representante popular. Tenho observado o seu mandato desde que venceu as eleições, em 2016, com 2.800 votos. Começou acertando ao fazer concurso público para nomear os seus assessores técnicos. Tem votado com independência nos projetos na Câmara Municipal e, mesmo com a possibilidade do PSL eleger Bolsonaro presidente da República, não permaneceu no seu partido. Optou pela independência em detrimento do cabresto partidário. Reduziu as próprias diárias a que tinha direito sendo um dos vereadores que menos gasta na atual legislatura. No pleito de 2018 não apoiou publicamente ninguém para o Governo e o Senado e, agora, se lançou candidato a presidente da Câmara. Também declara que pretende ser candidato a prefeito de Rio Branco, em 2020, apresentando propostas de renovação. Advogado de formação, fica difícil definir se Jarude é da direita ou da esquerda. No bate-papo que tive de mais uma hora com ele, pareceu-me que não se prende à nenhuma ideologia tradicional, mas ao propósito de servir a população do município.  

A entrevista

AC24horas – Vereador o senhor continua sem filiação partidária?

Emerson Jarude– Estou com a carta de liberação do PSL.

AC24horas – E mesmo se o Bolsonaro ganhar e se tornar presidente o senhor não pretende continuar no partido?

EJ – Não porque eu era ligado ao Livres, um movimento de renovação. Algumas pessoas entenderam que eu saí por causa do Bolsonaro, mas a questão não foi essa. A gente estava com um projeto bonito, inclusive, bancando as nossas próprias despesas, pra trabalhar as ideias do Livres. E de uma hora para outra o sonho foi paralisado por uma pretensão presidencial sem avisar a gente. Mudaram os diretórios e tudo mais. Então foi uma decisão do Livres se retirar do PSL e, naquele momento, seria uma ingratidão eu dizer não para o Livres e continuar no PSL.

AC24horas – Para qual partido o senhor pretende ir?

EJ – Ainda não defini.

AC24horas – Mas teve convites de quais partidos?

EJ – O Major Rocha (PSDB) me fez o convite para o PSDB, o Alan Rick (DEM) para o DEM e o Gladson Cameli (PP) parame  filiar ao PP. Mas ainda não decidi.

AC24horas – O senhor pretende passar o próximo ano ainda como um vereador independente, sem vinculação partidária?

EJ – O que a política tradicional não entende sobre ser independente é de votar de acordo com os interesses da população. Hoje a bancada de situação na nossa Câmara não faz porque cumpre ordens da prefeita. E, consequentemente, a oposição segue a orientação dos seus partidos. Mas pra mim não tem essa. Se for preciso bater de frente com o partido para votar a favor das pessoas vou bater. Esse foi meu grande conflito no PSL. Assim pretendo passar o próximo período sem filiação. Ainda que a minha independência esteja além de qualquer filiação. A condição para eu me filiar é justamente manter a minha independência dentro da Câmara.

AC24horas – Mesmo sem ter um partido pra te abrigar porque o senhor está concorrendo à presidência da Câmara?

EJ – A presidência envolve a sua gestão. Nós temos um orçamento anual de R$ 26 milhões que, no meu ponto de vista, está mal aplicado. Tanto que não temos uma série de estruturas que já eram para existir. Como, por exemplo, uma sede própria. Gastamos R$ 4,2 milhões em aluguéis numa legislatura. Só aluguel da sede custa mais de R$ 60 mil por mês e cada vereador tem que alugar o seu gabinete fora da Câmara.

AC24horas – Por que como a maioria dos vereadores o senhor não se candidatou a deputado estadual ou federal, em 2018 ?

EJ – Um dos meus compromissos assumidos na campanha foi cumprir o meu mandato até o final.

AC24horas – Além da presidência da Câmara, qual o seu outro sonho ao terminar esse mandato em 2020?

EJ – Em 2020, terei as opções de reeleição ou buscar um cargo majoritários, com as mesmas ideias das propostas que fiz e cumpri.

AC24horas – Te passa pela cabeça ser candidato a prefeito de Rio Branco?

EJ – Com certeza. Pretendo ser candidato a prefeito. Acredito que as eleições de 2020 será a que terá o maior número de candidatos a prefeito para potencializar as candidaturas a vereador por conta de não poder se fazer coligações. Além de muitos políticos importantes não se elegeram nessas eleições de 2018.

AC24horas – Já que o senhor pretende ser candidato a prefeito. O que o senhor acha da atual gestão da Socorro Neri (PSB)?

EJ – A gente não pode desvincular a Socorro do que vinha acontecendo anteriormente. Ela faz parte de um projeto político encabeçado pelo PT. Nesses últimos anos a prefeitura poderia ter avançado muito mais. Ela está fazendo uma gestão melhor que a do Marcus Alexandre (PT), mas ainda falta muito a ser feito. Como, por exemplo, os recursos não estão chegando como deveriam nos postos de saúde. E eu falei isso pra ela. Antes de inaugurar novos postos de saúde tem que alcançar a eficiência máxima daqueles que já existem. Falta médico e medicamentos naqueles que já funcionam e vão inaugurando novos. Mas ainda é cedo para se fazer uma avaliação da gestão da Socorro.

AC24horas – A relação com a Câmara de Vereadores é melhor com a Socorro do que com o Marcus?

EJ – Esse é um dos pontos que sempre destaco. É onde o Marcus pecou e ela está seguindo pelo mesmo caminho. Até agora a Socorro não fez nenhuma visita à Câmara. E isso não custa nada. Ela poderia estar presente para apresentar projetos para a construção junto com os vereadores. Não custa nada tirar uma manhã e mostrar os projetos de obras e eventos e podermos fazer as alterações juntos. Inclusive, isso facilitaria a aprovação em plenário.

AC24horas – O que o senhor acha dessas viagens dos vereadores de Rio Branco. Supostamente para qualificação técnica, mas sempre pra cidades turísticas litorâneas e com despesas pagas pela população?

EJ – Essa é uma das questões a ser debatida. Acho que é preciso representar a Câmara fora e fazer treinamentos de capacitação. Mas que sejam realmente cursos que façam a diferença, não apenas para ganhar diárias. O valor da diária é para transporte, hospedagem e alimentação. Atualmente o vereador ganha quase mil reais e está muito além do necessário. Apresentei um estudo com base em Brasília e São Paulo, coloquei hotel quatro estrelas e um bom valor de alimentação e de transporte e não chegou nem a R$ 500. A minha proposta é reduzir as diárias. Eu fiz um ofício reduzindo as minhas diárias para ganhar como os servidores da Casa. É o suficiente porque fica em torno de R$ 460. Se um servidor consegue porque um vereador não consegue? Não sou contra as viagens e as diárias, mas que sejam eventos importantes e o valor da diária seja o devido para cobrir o custo e não lucrar.

AC24horas – O senhor não apoiou nenhum candidato majoritário publicamente nas eleições de 2018?

EJ – Não, porque nenhum vinha na mesma linha política que venho atuando. Participei como mero eleitor. Mas não declarei apoio porque seria incoerente com a linha do meu mandato político. Eu não anulei o meu voto e sabia o que não eu não queria. E apoiava a mudança que acho necessária. A alternância do poder é sempre saudável.  

 

Continuar lendo

Gameleira Connection

GAMELEIRA CONNECTION: Polícia Federal sacode a vida de quem comprou voto; mais pessoas devem ser presas

Publicado

em

O Gameleira Connection está de volta! No programa desta sexta-feira (19), os jornalistas falaram sobre a operação da PF, Operação Democracia, envolvendo servidores e diretor do Iteracre. Teve também cometários sobre a saia justa do governador eleito Gladson Cameli (PROGRESSISTAS), e a balsa que não chegou a Manacapuru. Assista, curta, comente e compartilhe.

Continuar lendo

Notícias

Em alta no Brasil, fake news também podem atrapalhar os estudos

Especialmente as disciplinas de humanas requerem um olhar mais cuidadoso

Publicado

em

Por

Seja em grupos de aplicativos de mensagens ou nos feeds das redes sociais. Certamente você já se deparou com uma notícia um tanto quanto duvidosa. As fake news, ou “notícias falsas”, na tradução literal, normalmente são compartilhadas com caráter de urgência, provocando repulsa, medo ou revolta. Perigosas, elas podem destruir carreiras e até matar. Como em 2014, quando Fabiane Maria de Jesus foi espancada e morta ao ser confundida com uma suposta sequestradora de crianças, em Guarujá, no litoral de São Paulo, após um boato se espalhar pela internet.

A avalanche na disseminação de notícias falsas explica a “pós-verdade” ser eleita, em 2016, como a palavra do ano pelo Dicionário Oxford. De acordo com ele, pós-verdade significa o “que se relaciona ou denota circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e crenças pessoais”. As eleições 2018 aqui no Brasilestão ai para provar tudo isso. A inexistência de debates e discussões mais aprofundadas de propostas dão lugar a ataques tendo como pano de fundo meias verdades, equívocos e notícias mentirosas para legitimar ideologias. Mas, e no contexto da educação? Como as fake news podem atrapalhar a vida do estudante?

Para Evandro Machado, professor de História,Filosofiae Sociologiana plataforma de ensino online “Me Salva!”, as notícias falsas acabam sendo uma pegadinha. “É muito perigoso, sobretudo para o/a estudante, relativizar ou mesmo simplificar assuntos complexos baseando-se em notícias de internet ou em blogs pouco confiáveis”, comenta Evandro.

Os produtores de fakes news se valem da descontextualização dos fatos para refutá-los ou criar um novo sentido. Para o professor, fazer uma interpretação de modo indiscriminado acaba por alterar o próprio fato. “Você pode abrir uma matéria na página de um amigo em que está escrito ‘O Partido Nacional Socialista Alemão construiu campos de concentração’. Sem a devida explicação e contextualização, qualquer um chegaria à conclusão de que este partido pertencia à ordem política de esquerda da época, o que é completamente errado, às vistas da História”, explica. Um exemplo recente disso foi a tentativa de brasileiros darem uma “aula” – com direito a negação do Holocausto – sobre o nazismo aos próprios alemães após a Embaixada da Alemanha no Brasil publicar no facebook um vídeo abordando como eles lidam com o passado sombrio do país.

Disciplinas humanísticas geralmente são mais abertas à abordagens com diferentes perspectivas. E é ai que os estudantes devem ter cuidado redobrado no decorrer dos estudos. “O fato da História ser aberta à perspectivas sobre um determinado objeto não muda a essência desse objeto. As fake news e as negações históricas baseiam-se na alteração das evidências, e não das perspectivas. Em resumo, dizer que algo é uma perspectiva, um outro olhar sobre um objeto, é justo quando este objeto não é alterado”, diz o professor.

 

É necessário cuidado ao estudar pela internet

O estudo na internet requer um atenção especial dos estudantes. Isto porque há uma infinidade de conteúdos disponíveis, porém produzidos sem o cuidado com as informações. O professor Evandro Machado atenta ainda para o fato de que as equipe que elaboram exames como o Enemlevam em consideração bibliografias desenvolvidas com base em estudos sérios e de credibilidade.

A sugestão do professor para estudar na internet é simples. “Busque a bibliografia das informações, suas fontes, de onde o site está retirando os dados apresentados, procure saber os caminhos para que aquelas conclusões tenham sido explicitadas e etc. Isso é fundamental, não apenas por ser na internet, já que o mesmo deve acontecer quando livros são consultados”.

 

E no dia a dia: como identificar fake news?

Empresas de checagem de notícias, veículos de comunicação e grandes empresas – como o Facebook e o Twitter – têm agido no combate às notícias falsas, seja com ferramentas específicas ou dicas para os usuários. A regra básica é: ficou com dúvida se a notícia é fake, não compartilhe antes de conferir a veracidade.

Confira como não ser enganado:

– Observes as fontes dos textos, o site e quem o escreveu: dê uma olhada em todo o site e veja se as outras notícias também parecem duvidosas. Confira o endereço do site, reprodutores de fake news costumam ter nome parecidos com veículos tradicionais para confundir o leitor.

– Como está a estrutura do texto? Compare a estrutura da publicação com de outros sites jornalísticos de maior credibilidade. Divulgadores de fake news costumam apresentar problemas na formatação do texto, assim como na ortografia. Uso excessivo de pontuação e palavras ou expressões escritas em caixa alta também são um indicativo de que algo não está certo.

– Observe a data da publicação: veículos tradicionais costumam atualizar as informações ao publicá-las.

– Pesquise! O mesmo conteúdo é encontrado em outros sites de maior credibilidade?

– Antes de compartilhar leia até o fim.

– Se o texto vier acompanhado de uma imagem, observe-a atentamente. Veja se o contexto da foto condiz com o texto. Uma dica é baixar a foto e fazer uma pesquisa no Google por imagens. Se ela aparecer em textos diferentes é sinal de que a notícia é falsa.

Roberto Paim | Educa Mais Brasil

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.