Conecte-se agora

Metade do país é contra prisão de Lula, mas 69% acham que ele está envolvido com corrupção, diz pesquisa

Publicado

em

Na noite do último sábado (7), quando o ex-presidente Lula chegou de helicóptero a Curitiba, encontrou o bairro onde começará a cumprir sua pena dividido em dois pela Polícia Militar paranaense. De um lado, manifestantes de verde e amarelo favoráveis ao mandado de prisão do juiz Sérgio Moro; do outro, militantes de esquerda e simpatizantes, contrários à ida de Lula para a cadeia.

Agora, a primeira pesquisa de opinião após a prisão do petista mostra que o país inteiro está dividido: 46% dos brasileiros são contra a decisão de prender Lula, e 50% são favoráveis. A diferença está dentro da margem de erro, de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, segundo o IPSOS.

Para 57% dos entrevistados pelo IPSOS, Lula é culpado das acusações pelas quais está preso (32% acham que é inocente). Mais ainda: 69% consideram que o petista está envolvido de alguma forma nos esquemas de corrupção investigados pela Lava Jato.

Os pesquisadores foram às ruas entre os dias 7 e 10 de abril, e ouviu 1.200 pessoas nas cinco regiões brasileiras. E, durante este período, foi difícil achar alguém que não soubesse o que estava acontecendo: 99% dos entrevistados ouviram falar sobre a prisão de Lula.

No último sábado, Lula atuou como o mestre de cerimônias de sua própria prisão: o grupo mais próximo do petista negociou a rendição do ex-sindicalista à Polícia Federal, e ele só se despediu depois de um ato político ocorrido durante uma missa em memória de sua mulher, Marisa Letícia, morta em 2017.

O diretor do Ipsos Danilo Cersosimo é um dos responsáveis pelo levantamento. Ele lembra que “a pesquisa foi feita no calor do momento”, com as entrevistas começando no sábado e terminando na segunda-feira (9). Para Cersosimo, fica claro que “no momento da prisão, Lula não perdeu o apoio que tinha. O percentual de pessoas que considera a prisão injusta é muito similar à aprovação do Lula medida pelo Barômetro Político, publicado pelo O Estado de S. Paulo”, diz ele.

“Isso mostra que ele manteve um capital eleitoral e político bastante forte. A questão que fica é: qual será o grau de deterioração desse capital com ele na prisão? Vai se manter forte a ponto dele conseguir transferir votos para um eventual sucessor?”, questiona Cersosimo.

Outros dados na pesquisa do Ipsos mostram o quanto a população está dividida sobre este tema: para 50%, a prisão de Lula foi justa, mas para 44% o petista foi alvo de injustiça.

Outras respostas da pesquisa sugerem que ainda não existe uma opinião majoritária sobre o caso. Os percentuais dos que concordam ou discordam da frase “A Lava Jato até agora nada provou contra o ex-presidente Lula” são iguais: 47% dos entrevistados para cada lado, com 6% que não souberam dizer ou não responderam.

Na frase “A Lava Jato está mostrando que Lula é mais corrupto que os outros políticos”, 44% acham que sim, e 51% que não.

Outro resultado significativo é o de que a maioria das pessoas acredita que “os poderosos” do país “querem tirar Lula das eleições” presidenciais. 73% das pessoas ouvidas pelo IPSOS pensam desta forma, e 23% discordam. Pelas respostas anteriores, é possível inferir inclusive que pessoas que concordam com a prisão do petista pensam desta forma.

A pesquisa IPSOS não traz dados de preferência eleitoral, porém.

Apoio à Lava Jato, repúdio generalizado aos políticos

Apesar da divisão a respeito do caso do ex-presidente Lula, a maioria dos brasileiros continua apoiando as investigações da Lava Jato, iniciadas em março de 2014. Para 93%, as investigações precisam prosseguir, “custe o que custar”.

Outros 92% concordam com a sentença segundo a qual “A Lava Jato deve continuar as investigações até o fim, pois muita gente ainda precisa ser investigada”. Só 6% discordam desta última afirmação.

Outros 73% acham que a Lava Jato vai fortalecer a democracia brasileira, e só 10% creem que as investigações vão enfraquecer o regime democrático.

“A grande tradução desses números é a necessidade que o povo vê de mais respostas (em termos de avanço das investigações sobre outros políticos”, diz Cersosimo. “Existe uma necessidade (para a opinião pública) de resposta muito mais forte do que tem sido dada até agora”, diz o diretor do Ipsos.

“O cidadão se sente impotente nesse sentido (de resolver os problemas do país). A prisão do lula não resolve esse anseio por justiça”, diz Cersosimo.

Popularidade de Temer: no chão

A pesquisa do Instituto Ipsos também perguntou aos entrevistados o que eles acham a respeito da administração do presidente Michel Temer (MDB). A resposta “ótimo” teve 0% de respostas, e apenas 2% consideram o governo Temer “bom”.

Por outro lado, a maioria dos entrevistados considerou o governo “péssimo” (61%) e “ruim” (22%). Os que avaliam o governo de forma “Regular, mais para positiva” são 5%, e os que veem a administração de forma “Regular, mais para negativa” são 9%.

Anúncios

Destaque 2

Socorro é alvo de críticas de Jarbas e Bocalom, Zen e Minoru apresentam propostas

Publicado

em

Cinco dos sete candidatos à Prefeitura de Rio Branco participaram na noite deste sábado, 24, do primeiro debate da disputa eleitoral realizado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), na Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC). Devido à pandemia do coronavírus, o evento não contou com plateia.

Estiveram presentes Socorro Neri (PSB), Jarbas Soster (Avante), Minoru Kinpara (PSDB), Daniel Zen (PT) e Tião Bocalom (Progressistas). Roberto Duarte (MDB) e Jamyl Asfury (PSC) foram excluídos do debate pela organização do DCE devido às “normas” estabelecidas pelo comitê de combate à Covid-19.

A prefeita Socorro Neri (PSB) foi alvo de críticas de Jarbas Soster e do professor Tião Bocalom em relação a infraestrutura em ramais e denúncias de desvios de recursos públicos em sua administração.

Em relação à Saúde, Bocalom criticou a falta de atenção principalmente em relação à saúde da mulher e argumentou que não irá deixar faltar medicamentos nos postos de saúde.

“A saúde da mulher infelizmente só funciona no Outubro Rosa e nós teremos em cada posto uma enfermeira ou obstetra para cuidar de nossas mulheres e iremos esticar o horário de funcionamentos dos nossos postos de saúde”, pontuou Bocalom

Em relação a geração de emprego e renda aos jovens, Daniel Zen e Minoru Kinpara apresentaram propostas. Minoru prometeu criar o “espaço do empreendedor” para os jovens e salientou a importância da desburocratização e a parceria da iniciativa privada para geração de emprego e renda.

“Nesta pandemia muitas empresas fecharam e Rio Branco precisa assumir o protagonismo na geração de emprego e isso é um grande desafio. Não temos um plano municipal de desenvolvimento e a nossa proposta é criar o espaço do empreendedor e desburocratizar. Precisamos ser parceiros da iniciativa privada, precisamos apoiar a economia solidária. Não só gerar emprego na zona urbana, mas também na zona rural. Dinheiro que vem para o Acre tem que ficar prioritariamente no Acre”, defendeu Minoru.

Já Zen, falou do programa “Primeiro emprego” que prevê isenções fiscais aos empresários, por meio do IPTU e ISS que seria concedido às empresas que contratarem jovens no programa menor aprendiz.

“O programa “Primeiro emprego” funcionará da seguinte maneira: as empresas que resolveram aderir e aceitar empregar um percentual na modalidade jovem aprendiz nós oferecemos incentivos fiscais, ou seja, redução na alíquota do IPTU e ISS para empresas que se comprometeram nesta modalidade. Também queremos implantar a OCA do empreendedor e um plano de crédito aos empreendedores”, pontuou Zen.

Em relação a Educação, Jarbas Soster e Socorro Neri divergiram acerca da Educação Municipal. Jarbas afirmou que os diretores dos colégios têm sido obrigados a aprovar alunos reprovados. Em tom ríspido, Socorro retrucou e lamentou a acusação de Jarbas e lembrou que o IDEB de Rio Branco é o 2º melhor das capitais.

“Os professores têm falado que tem reprovado alunos, porém os diretores estão sendo obrigados a aprovarem os alunos. Isso demonstra que a educação não está funcionando”, afirmou Jarbas.

Socorro lamentou a acusação de Jarbas e pediu respeito aos servidores públicos que atuam na educação municipal.

“É lamentável que o candidato tenha aprendido somente a fazer críticas a jogar pedras. Se ele tivesse feito o dever de casa saberia que a educação de Rio Branco é considerada a 2º melhor entre as capitais. Ele teria respeito pelos coordenadores, diretores e os profissionais que atuam na educação. Há um trabalho em curso e as escolas são consideradas de excelência”, defendeu Neri.

Continuar lendo

Destaque 2

Marqueteiro responsável por vitórias de Gladson deixa campanha de Socorro Neri

Publicado

em

Faltando pouco mais de 30 dias para as eleições 2020, o marqueteiro goiano Wilson Rodrigues, considerado uma espécie de “guru” do governador Gladson Cameli e responsável pelas memoráveis estratégias de campanhas vitoriosas nas eleições de 2014 e 2018, não faz mais parte da equipe de campanha da candidata a reeleição, Socorro Neri (PSB). A baixa foi confirmada por assessores palacianos próximo ao governador e a atual prefeita de Rio Branco.

O ac24horas apurou que por problemas pessoais, Wilson pediu desligamento da campanha, mas teria prometido “supervisionar de longe” o andamento dos trabalhos, sem participar das decisões. Profissionais do Estado de Goiás, conhecidos de Wilson, foram escalados para substituí-lo.

Nos bastidores circulou um boato de que o profissional de confiança havia sido dispensado pela prefeita, o que não foi confirmado pela reportagem, que apurou ainda que Wilson deverá vir ao Acre nos próximos dias se reunir com o governador.

Continuar lendo

Destaque 2

1 contra todos

Publicado

em

O que se observa até agora na disputa pela prefeitura de Rio Branco é que os candidatos estão passando ao largo dos verdadeiros problemas que a população gostaria de ver enfrentados e solucionados.

Existem ruas que precisam ser melhoradas, o transporte coletivo deixa a desejar, os postos de saúde não oferecem atendimento eficaz, por exemplo.

Ainda assim, entre tantas outras deficiências que afligem a população e a própria municipalidade, os partidos e seus candidatos estão mais preocupados com a sucessão de Gladson Cameli em 2020, sendo a prefeitura a alavanca para este intento.

É necessário reconhecer que Gladson Cameli foi extremamente generoso com os partidos da coligação que o levou ao Palácio Rio Branco.

Todos, sem distinção, foram muito bem gratificados. Diferentemente do PT, que nunca aceitou indicação de partidos diversos para cargos importantes, Gladson Cameli abriu a mão e concedeu aos aliados participação jamais vista na história política do Acre.

Ocorre, todavia, que os indicados pelos partidos da coligação, além de não darem conta do recado, agiam, e alguns ainda agem, como peças de um governo paralelo, como se fossem independentes da estrutura e da autoridade governamental.

A rigor, os partidos tentaram fazer uma administração plurigovermental.

Talvez a causa principal dessa dispersão tenha sido os partidos supostamente aliados tentarem negar o protagonismo e a força de Gladson na definição do candidato oficial da coligação. Queriam tê-lo apenas como financiador e cabo eleitoral de um Mateus que não fora parido por ele.

Insatisfeitos com a habilidade política do governador em não aceitar o cabresto, todos se uniram para derrotá-lo e, dessa forma, enfraquecê-lo na busca de sua reeleição.

Ocorre que Gladson Cameli faz uma aposta muito mais ousada: no lugar de ficar na acabrunhado na janela, vendo a banda passar, decidiu turbinar a candidatura à reeleição da prefeita Socorro Neri.

Com chances reais de sucesso, Gladson Cameli pode antecipar a vitória de 2022, levando muita gente a concluir que de besta ele só tem o andado.


Luiz Calixto escreve todas às quartas-feiras no ac24horas. 

Continuar lendo

Destaque 2

Forte onda de calor no Acre pode causar problema nos rins, coração e até pulmão

Publicado

em

A desidratação neste período de calor e de baixa umidade pode afetar órgãos e sistemas importantes do organismo

Nas últimas semanas o Acre tem sofrido ainda mais com a forte onda de calor que assola a maioria dos estados brasileiros, principalmente na região Norte nesta época. Temperaturas que chegam a 38°C e sensação térmica de mais de 40°C, aliadas à escassez de chuvas e a baixa umidade do ar, têm sido frequentes no estado, principalmente na capital acreana. Com isso, médicos passaram a alertar para a importância da hidratação mais incisiva da população neste período. Caso contrário, podem-se agravar males nos rins, coração e até no pulmão.

O médico pediatra e especialista em alergia e imunologia, Guilherme Pullici, concedeu entrevista à Rede Amazônica do Acre nesta terça-feira, 13, explicando quais cuidados as pessoas devem tomar para evitar problemas nos órgãos e sistemas vitais do corpo decorrentes do calor. Segundo o profissional, as doenças mais comuns nesse período são aquelas relacionadas à Pressão Arterial (PA), insuficiência renal, entre outras.

Entre as doenças causadas pela falta de cuidado e calor, estão: o comprometimento dos rins. “Uma dica é sempre prestar atenção na urina, ela tem que estar clara e relativamente abundante. A insuficiência renal aguda é uma das situações mais comuns, além da queda de Pressão Arterial (PA), mal estar, moleza no corpo, sensação de cansaço, tudo isso pode indicar a necessidade de consumir mais líquidos”, argumenta o especialista.

No coração, o forte calor aliado à falta de hidratação no corpo o torna alvo. “A queda da pressão arterial pode causa taquicardia”. Respiração mais rápida e cansada e sintomas do Sistema Nervoso Central (SNC), confusão mental, e problemas cognitivos temporários também podem ser ocasionados. “Mas a hidratação com alimentação adequadas é capaz de sanar todos esses problemas”, afirma o médico.

De acordo com Pullici, a primeira recomendação é a mais básica: se hidratar bem, tomar bastante líquido, principalmente água, e consumir bastante alimentos ricos em águia. “Além de alimentos ricos em agentes antioxidantes, que ajudam a combater os males do calor e das infecções que aparecem nessa época”, ressalta.

É necessário ainda que as pessoas evitem praticar atividades físicas em horários em que o calor é mais intenso, como no horário do almoço, por exemplo. “Assim estarão evitando que os sintomas da desidratação apareçam mais precocemente”.

Segundo o médico, a desidratação pode trazer consequências não somente às mais comuns, como queda da Pressão Arterial, mas também males para o coração, rins e pulmões.

“O calor em excesso pode trazer consequência para diversos órgãos e sistemas do nosso corpo. Recorrer ao sorvete, por exemplo, não é a melhor forma de se hidratar, pois além de conter bastante açúcar, tem muita gordura. Deve ser uma exceção e ocorrer de forma eventual”, garante o especialista.

O médico destaca que importante mesmo são os líquidos e principalmente os naturais. “Água em primeiro lugar. A água de coco também contém potássio, que é muito importante. Líquidos isotônicos são bons também porque contem minerais fundamentais para o funcionamento do organismo”.

Os alimentos salgados também são conhecidos como vilões em época de muito calor, pois acabam sendo prejudiciais devido ao excesso de cloreto de sódio, que pode aumentar ainda mais a demanda de água no corpo. “O consumo de fruta nesse momento é essencial, porque além de hidratar, tem os sais mineiras que são essenciais para o corpo, sem causar essa demanda excessiva de água”, diz Guilherme.

Deve-se haver também uma atenção especial para os idosos, que têm uma percepção de sede diminuída e acabam esquecendo-se de consumir água, mesmo em dias mais quentes. “Ficar muito tempo na piscina pode dar uma falsa sensação de estar hidratado e diminui a percepção da necessidade de consumir água”, diz o médico, alertando para a necessidade de andar com garrafa de água mesmo dentro da piscina.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas