Conecte-se agora

Aliados confirmam que Lula se entregará à Polícia Federal após missa por Dona Marisa

Publicado

em

POR LUIS LIMA E SÉRGIO ROXO

SÃO BERNARDO DO CAMPO — Petistas que chegam em São Bernardo do Campo confirmam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será preso logo depois da missa em homenagem à dona Marisa Letícia, que completaria 68 anos neste sábado. Ao chegar ao Sindicato dos Metalúrgicos, o senador Humberto Costa disse que a negociação entre a defesa de Lula e a Polícia Federal fechou o acordo ainda na madrugada.

— Não sei informar os detalhes, mas ele vai se entregar logo depois da missa — disse Costa.

Há informação de que a prisão de Lula deve ser a mais discreta possível, segundo os negociadores. Lula deve sair em carro descaraterizado da PF. De São Bernardo, não se sabe se Lula seguirá direto para o aeroporto de Congonhas ou se passará, antes, na sede da PF de São Paulo.

A linha de negociação é para que Lula seja preso no final da tarde no próprio sindicato. A avaliação é que nesse horário parte do público que foi para a missa já terá se dispersado. Os detalhes serão definidos depois da missa.

Outros aliados também admitiram que o ex-presidente será levado para Curitiba ainda na manhã deste sábado. A militância, no entanto, começa a reforçar o cordão humano em torno do prédio, numa forma de tentar evitar que a polícia entre na entidade.

A Polícia Federal e a defesa do petista, no entanto, não confirmam oficialmente a informação.

Em clima de tensão, apoiadores do ex-presidente são obrigados a passar pelo cordão de isolamento formado pelos militantes, o que tem tornado confusa a movimentação de políticos, familiares e até do padre Jaime Crown, que rezará a missa e já chegou ao local.

SEGUNDA NOITE MAIS TRANQUILA

Lula passou os últimos dois dias no segundo andar do prédio. A segunda noite no sindicato foi muito mais tranquila que a primeira, marcada por música a alta e gritos de ordem durante boa parte da noite. Na virada de sexta para sábado, no entanto, foi bem mais pacata. Os gritos de ordem terminaram dessa vez por volta das 2h, com apresentações de grupos de juventude de partidos de esquerda, como o Levante Popular da Juventude e União da Juventude Socialista.

Os estudantes pintaram a rua com os dizeres “Lula Livre” e dançaram em volta, cantando gritos de ordem. Às 3h, no entanto, a rua que foi tomada por milhares de manifestantes durante a tarde estava praticamente vazia. A maioria dos manifestantes dormiu do lado de dentro, espalhada em um dos quatro andares do prédio. Apenas um grupo permaneceu nas escadarias do edifício cantando sucessos da MPB como “W/Brasil” e “Pais e Filhos”.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas