Conecte-se agora

Gladson: “vou procurar o Valmir Ribeiro para uma conversa sobre o vice”

Publicado

em

O candidato ao governo pelo PP, senador Gladson Cameli, que deve englobar o apoio à sua candidatura da maioria dos partidos de oposição, resolveu acabar com o vendaval de boatos e contradições que envolvem a escolha do nome que será escolhido como vice da sua chapa. Em ligação feita neste último sábado a este colunista, Cameli colocou todas as cartas na mesa, de forma clara e demonstrando estar muito tranqüilo quanto a este assunto. Começou dizendo que, o nome do vice deverá sair do PSDB, que não está contemplado na chapa majoritária oficial da sua coligação. Defende um entendimento entre PSDB e DEM. Garantiu que, a palavra final será sua. Falou também ao BLOG DO CRICA sobre a briga entre Tião Bocalom e o deputado federal Alan Rick pelo controle do DEM, sobre a unidade da oposição, pesquisas, da ameaça do MDB de lhe deixar de apoiar e o que espera da campanha que enfrentará para o governo. Eis abaixo, o que pensa o senador Gladson Cameli (PP) – foto – sobre todos estes temas que vêm movimentando os cenários políticos da eleição deste ano. Diz que buscará sempre o diálogo.

NOME DO VICE
A jornalista Mara Rocha (PSDB) está fora de cogitação para ser a sua vice. Ressaltou, entretanto, que o nome que ocupará a sua chapa virá do PSDB. E para isso já teve uma conversa esclarecedora e amistosa com o presidente do PSDB, deputado federal Major Rocha. Mas tudo se dará dentro diálogo e na busca de um consenso com os demais partidos. “Busco e sempre buscarei a unidade da oposição”, enfatizou.

CONVERSA COM BOCALON
Gladson Cameli (PP) disse que teve uma conversa franca com o atual presidente do DEM, Tião Bocalon, que vinha lhe acusando de manobrar para lhe tirar do comando, para lhe dizer que, o seu partido é o PP e não o DEM, sobre o qual não tem qualquer influência. Se a troca de presidente houver, ressaltou, é uma decisão exclusiva da direção nacional do DEM. E completou dizendo que não se mete em assuntos internos de nenhum partido. “Não tenho nada com o que vai acontecer ou acontece no DEM”, pontuou ao BLOG.

ALAN RICK
Também contou que esteve reunido com o deputado federal Alan Rick, cotado para ficar na presidência do DEM a partir do dia 8 próximo, ao qual pediu que traga o partido para formar na sua coligação. E também tratou da escolha do vice da sua chapa de forma transparente. Alan é um dos nomes comentados na imprensa para integrar a chapa como vice. Disse que sempre trabalhou para ter o DEM na sua campanha. E sobre o nome do vice só anunciará até o próximo dia 15.

VALMIR RIBEIRO
Falou que de fato não conversou ainda com o Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Vamir Ribeiro, um dos nomes ultimamente mais citados na mídia para ser o seu vice. “Não conversei, mas vou procurá-lo para conversar sobre o assunto neste próximo retorno a Rio Branco”, destacou Gladson Cameli. Considera que alguém terá que se sacrificar para se conseguir a unidade da oposição. Mas lutará para que não ocorra a fragmentação.

MDB
Gladson Cameli (PP) lembra que o partido já está contemplado na sua chapa com a indicação de Márcio Bittar (MDB) ao Senado. Sobre a NOTA do MDB ameaçando rompimento confirmou que, após isso conversou com o deputado federal Flaviano Melo (MDB) e acredita na pacificação. O MDB andou tendo conversas com o candidato Coronel Ulisses Araújo. Cameli fez questão de destacar que nunca interferiu e vai interferir em partido aliado e que o MDB sabe o que é melhor para ele. “Minha única preocupação é com o bem do Acre e seu desenvolvimento”, falou ao BLOG

PODE HAVER DISSIDÊNCIA
Gladson Cameli destacou que tem este tempo todo buscado o diálogo franco com os dirigentes de todos os partidos, não tem feito promessas que não possa cumprir, mas não descarta que algum partido possa a vir ficar ressentido com a escolha do vice, o que faz parte do jogo político. Mas enfatizou que fará de tudo para que não aconteça nenhuma defecção de aliado. Se não conseguir, tudo bem, mas tentarei sempre a união, pontuou o senador à coluna.

DIA D
Até o próximo dia 15 é a data limite que diz ter fixado para anunciar o nome do seu candidato que ficará como vice da sua chapa. Avisa que dialogará com todos partidos, mas que a palavra final para indicar o nome será sua. Diz que até o momento conversou, ouviu, não desanimou ninguém, mas não deu a sua palavra a nenhum dos candidatos que seria selecionado para vice, até para não criar falsas expectativas.

SITUAÇÃO FAVORÁVEL
Gladson Cameli pontuou ao BLOG que, a pesquisa divulgada que o colocou bem posicionado na disputa do governo no quadro de intenção de votos bateu com a última que também mandou fazer, mas encara os resultados sempre  com muita humildade e os pés no chão.

LONGE DA BAIXARIA
Na eleição diz estar preparado para uma campanha de baixaria contra a sua candidatura, mas que, levará aos eleitores a sua proposta em alto nível. Os ataques pessoais, ele levará à justiça.

O QUE PENSO DE TUDO ISSO
Por tudo o que o senador Gladson Cameli (PP) disse acima, no próximo dia 15 teremos o quadro definitivo da sua chapa e da qual só falta ser revelado o nome do vice. Os dois candidatos ao Senado serão Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (MDB).  Eu não acredito nesta anunciada rebelião do MDB, porque o partido não vai passar a imagem de desagregador da oposição e também, não tem muitas opções firmes de aliança. Nem tampouco creio numa dissidência do DEM. Para Federal está previsto um chapão com todas as siglas da aliança.

É PARA COMEMORAR
O deputado federal Alan Rick (DEM) tem o que comemorar nesta reta final de mandato. Foi recebido ontem no aeroporto da Capital por uma carreata de motoristas do UBER, pela sua luta na Câmara Federal a favor da implantação do serviço. E teve a confirmação pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho, que, este está marcando uma agenda para anunciar em Cruzeiro do Sul, duas conquistas do seu mandato: a implantação da Faculdade de Medicina no município e a liberação de recursos para a construção de três creches, que praticamente vão zerar a demanda na cidade. São pautas altamente positivas do seu mandato.

VIRARAM A FACE
Feijó e Tarauacá deram, praticamente, a vitória para Tião Viana chegar ao governo, com boas votações. Mas as últimas pesquisas estão mostrando vitórias da oposição nos dois redutos.

MUDANÇA CONFIRMADA
A coluna teve uma confirmação definitiva de que a partir do próximo dia 8 o novo presidente do DEM, no Acre, será o deputado federal Alan Rick (DEM). A mudança está embutida numa decisão da direção nacional de trocas nos diretórios regionais e que estes venham a ser presididos por parlamentares federais. No Acre, o único deputado federal do DEM é o Alan Rick.

NA BUSCA DOS VOTOS
Os petistas não descartam, mas acham difícil que o deputado Jonas Lima possa a vir refluir sobre a sua anunciada saída do PT, mas esperam conseguir que continue a apoiar a candidatura ao governo do prefeito Marcus Alexandre. Ambos já tiveram uma conversa. Sabem que se não conseguirem o intento será uma perda grande no Juruá.

MELHOR SAIR
Não existe um motivo legal que possa sustentar uma expulsão do deputado Heitor Junior do PDT, mas com esta divergência com o presidente Luiz Tchê (PDT), é melhor politicamente para ele que, busque outro partido quando a janela jurídica se abrir. Ficaria um clima muito ruim continuar no PDT, onde seria boicotado e hostilizado pelo grupo do Tchê durante a campanha.

BURRICE DO PDT
O deputado Heitor Junior já está de malas prontas para deixar o PDT. Marcou a sua filiação para 8 de março, em Brasília, onde terá a sua entrada no PODEMOS abonada pela presidente, deputada federal Renata  Abreu. Lhe acompanhará ao ato, o secretário Éros Asfury. Burrice da direção do PDT está perseguição movida contra o Heitor. Por baixo a legenda do PDT para deputada estadual perderá em torno de 5 mil votos. E o Heitor não perderá um voto saindo do PDT pela porta da frente, porque não recebeu ajuda do PDT na sua eleição.

TENDÊNCIA NATURAL
Para o chapão de Federal do PT, com PCdoB e PSB, o deputado Eber Machado (PSDC) já definiu que não integrará a coligação. O seu destino deverá ser a chapinha da FPA que pode eleger um nome á Câmara Federal. Tem nomes que já tiveram votações razoáveis nas eleições passadas.

NÃO TEM DO QUE RECLAMAR
O ex-deputado Jamil Asfury, que disputará uma vaga de deputado federal pela oposição não tem o que reclamar do governador Tião Viana. Quando perdeu a eleição foi beneficiado com um cargo de secretário e sua mulher Pastora Sandra há bem pouco era subsecretária estadual.

GRANDE ARTICULADOR
De alguém que não era bem visto pela cúpula do partido, o ex-deputado federal Márcio Bittar passou a queridinho do MDB, onde ganhou a candidatura para a disputa do Senado. É ele quem tem articulado a vinda de novos nomes ao MDB para a chapa de federal.

APOSTANDO NA CHAPA
Com a decisão da publicitária Charlene Lima (PTB) de disputar uma vaga de deputada federal, ficou certo que o PTB terá uma chapa própria para deputado estadual. Na avaliação da presidente Charlene, os nomes já confirmados garantem eleger até dois deputados estaduais.

NÃO ACOMPANHA O MDB
Aliados do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, dizem que, caso o MDB venha a sair da chapa de apoio ao candidato Gladson Cameli (PP) não acompanhará e continuará apoiando Cameli. Neste caso, Ilderlei abandonaria o MDB para entrar na campanha de Cameli

NÃO HÁ MAIS LUGAR
Uma coisa é certa: ou hoje ou amanhã ou depois o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, terá de deixar o MDB, porque na eleição de 2020 para a prefeitura, o candidato pelo MDB será do grupo do ex-prefeito Vagner Sales, seu adversário, que tem maioria no diretório.

TUDO EM FAMÍLIA
A família Sales é quem terá mais integrantes entre todos os partidos que disputarão a eleição deste ano. O patriarca Vagner Sales (MDB) disputará uma vaga de deputado estadual, a filha Jéssica Sales (MDB) de deputada federal e a mulher Antonia Sales (MDB) será a primeira suplente na chapa do candidato ao Senado, Márcio Bittar (MDB), que é indicação do grupo.

NUNCA BRIGUE POR POLÍTICOS
Nunca briguem e nem criem inimizades por políticos, porque um dia eles podem acabar se acertando, indo para o mesmo palanque e quem brigou fica com a cara de trouxa. E tudo como se nunca tivesse acontecido uma única rusga entre eles. Política é interesse pessoal.

CONTAGEM REGRESSIVA
O prefeito Marcus Alexandre está em contagem regressiva para deixar o cargo no próximo dia 7 de abril. Vai começar a sua campanha ao governo pelo Juruá, onde fica a base principal do seu principal adversário, senador Gladson Cameli (PP). Deverá fixar residência em Cruzeiro do Sul, como base principal no Juruá.

CEDO PARA UMA ANÁLISE
Não dá para se dizer que a eleição para o governo deste ano será vencida num primeiro turno. Quem vai balizar se teremos um segundo turno é a candidatura do Coronel Ulisses Araújo, que nas pesquisas vem mostrando um crescimento razoável. Na Capital já chegou aos dois dígitos, apenas tendo como pauta a segurança pública. Os defensores da sua candidatura acreditam que chegará na reta final polarizando com os favoritos Gladson Cameli (PP) e Marcus Alexandre (PT). Seria uma novidade. Todos os nomes que tentaram uma terceira via seja para disputar a prefeitura ou o governo fracassaram. Mas é cedo para uma análise científica, temos que esperar as próximas rodadas de pesquisas para saber até aonde irá o crescimento do seu nome. Em política não existe o impossível.

 

Anúncios

Blog do Crica

A força da justiça contra o poder 

Publicado

em

É SALUTAR quando se vê iniciativas como a da justiça eleitoral em chamar os dirigentes partidários, para discutirem o combate do uso de fake news durante a campanha para a prefeitura da capital. É importante, porque uma boa parte da disputa vai acontecer nas redes sociais. Que, é o campo mais usado neste tipo de crime. Gostaria de ver no debate um tema tão relevante para uma eleição limpa, como o de barrar notícias falsas, como o combate inflexível contra o uso da máquina pública para beneficiar os candidatos a prefeito e a vereador. Chamo a atenção para o tema porque, em eleições passadas se assistiu da forma mais cínica possível, o uso da máquina nas campanhas majoritárias. E não se viu uma ação eficaz da justiça focada em pôr fim a este crime eleitoral, que ajudou a eleger vários políticos nos últimos vinte anos. Este é um tema que não poderá fica fora da discussão e da mira da justiça, se é que queremos ter de fato uma eleição limpa. Com a palavra, os senhores da toga.   

ESTRATÉGIA ESTÉRIL

O CANDIDATO à PMRB pelo MDB, Roberto Duarte, vem adotando uma estratégia estéril ao acusar o candidato Minoru Kinpara (PSD) de ter pertencido ao PT e ser de esquerda. É uma discussão de sexo dos anjos. O que tem de ser discutido são projetos para melhorar a cidade.

CAIR EM CAMPO

O SEU CHICO DA SOBRAL, a Dona Chica do Aeroporto Velho, lá vão querer saber se o candidato é de esquerda ou de direita, não sabem nem o que é isso. O Duarte tem é que buscar votos.

NINGUÉM SEGURA A MILITÂNCIA

É BOA A INTENÇÃO do Juiz Eleitoral Giordano Dourado ao propor aos dirigentes partidários, que assinem um documento com um pacto contra a divulgação de fake news. Funcionaria mais como um protocolo de intenções; a baixaria vem da militância, e esta dirigente algum controla.

ERRO DE AVALIAÇÃO

NOTA-SE QUE, quando uma reivindicação de uma categoria não avança no governo se joga toda a culpa na Casa Civil, quando o buraco é mais embaixo. O chefe do gabinete civil, Ribamar Trindade, não tem a caneta que assina, e tudo que executa passa antes pelo crivo do Gladson. 

APAGAR FOGO COM SERINGA

O ASSESSOR POLÍTICO do governo, Moisés Diniz, é um idealista, bem intencionado nas ações, mas anda dando passos além do tamanho da perna. É como um bombeiro querendo apagar incêndio com uma seringa de injeção cheia de água. Até porque a decisão final não é sua.

NÃO HÁ COMO ESCONDER

É REAL A LIMITAÇÃO DE PODERES do secretário de Saúde, Alysson Bestene, que tem tomado conhecimento de muitas nomeações para postos chaves na pasta pela mídia. Não reclama por ser recatado. Está virando um clone da Rainha da Inglaterra, está no poder, mas não manda.

OUTROS MEIOS DE PROTESTO

QUE HÁ insatisfação na tropa da PM com o governo por não ter ainda cumprido promessas da campanha, é verdade, negar é falsear a realidade. Mas há outras formas de protesto do que a de levar caixões de defunto para frente do Palácio Rio Branco. Nada se resolve agredindo.

NÃO DEIXA DE SER BOA IDEIA

NUNCA CONVERSEI com o Minoru Kinpara. Não sei de onde tiraria recursos para cumprir a promessa, se eleito for. Mas a sua proposta de passe livre aos estudantes, é uma reivindicação antiga da categoria. A maioria dos estudantes que usa ônibus é de família humilde.

É QUEM TEM DE DIZER

UMA PREFEITURA com recursos limitados tem caixa para pagar a conta? É a pergunta que fica.

NUNCA VÃO SE ENTENDER

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha debita ao governador Gladson, o fato das reivindicações salariais da Polícia Militar, não terem sido atendidas. Rocha e Gladson nunca vão se entender.

MUITO PRÓXIMOS

HÁ UMA PROXIMIDADE política muito grande entre o vice-governador Major Rocha e o senador Sérgio Petecão (PSD). Caso apenas um de seus candidatos a prefeito da capital consiga chegar ao segundo turno, Petecão e Rocha, vão estar no mesmo palanque. Isso é inevitável.

COMPLETAMENTE ENGANADO

O SENADOR MÁRCIO BITTAR (MDB) é um dos políticos mais sagazes que conheço. Mas é um equívoco jogar com a tese de que, no Acre quem colar no Bolsonaro em 2022, vira passaporte para ganhar o Senado e o Governo. Fosse isso, o Coronel Ulysses seria hoje o governador.

ELEIÇÕES PAROQUIAIS

AS ELEIÇÕES majoritárias no Acre são paroquiais, dissociadas do panorama político nacional.

NADA A VER

NÃO APRENDERAM? O que decide eleição majoritária é a empatia que o candidato a cargo majoritário vai conseguira durante a campanha com o eleitor. O resto é complemento.

FALSA ALEGRIA

OUTRO PAPO FIADO é o de que, quem tem o apoio de governantes ganha automaticamente a eleição. Vou citar três exemplos, que desmontam a tese: Mauri Sérgio e Flaviano Melo ganharam a PMRB contra o PT no poder. E o Gladson ganhou do PT, no governo e PMRB.

NÃO MUDOU O JOGO

AMIGO JORNALISTA que conhece bem o eleitorado de Sena Madureira comentou ontem num papo de que, a aliança Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) – Toinha Vieira (PSDB), não causou nenhum fato novo que pudesse ameaçar a campanha do prefeito Mazinho (MDB) á reeleição.

CANDIDATO CASCUDO

O candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PROGRESSISTAS), é um candidato cascudo, daqueles contra quem não há brecha para atacar a sua conduta moral. E olhe que o PT fuçou sua vida para jogar nas campanhas contra ele, e não encontrou nada. É uma bela bandeira.

BEM SEDIMENTADA

CLARO QUE, com uma maior organização dos seus adversários, a campanha do filho Fagner Sales (MDB) ficará mais dura, ainda assim não será fácil colocar a família Sales numa balsa, na eleição para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. A família Sales tem uma base sedimentada.

CALADO GANHA VOTOS

UM AMIGO político da região comentou ontem com o BLOG de que, se conseguirem fazer com que o candidato a prefeito Everton Soares (PSL) não abra a boca para fazer comentários políticos, ganha votos; mas se o deixarem fazendo comentários estabanados, perderá votos.

ESPERAR AVANÇAR

É PRECISO deixar a campanha avançar mais em Tarauacá para apontar um favorito a prefeito. Abdias da Farmácia (DEM), Chagas Batista (PCdoB), Néia (PDT) e Junior Feitoza (MDB) estão travando uma das disputas mais acirradas desta eleição. É uma disputa a se decidir no detalhe. 

EVANDRO CORDEIRO

Não será por falta de andar que o candidato a vereador Evandro Cordeiro (PROGRESSISTAS) não será bem votado. Saí cedo de casa e volta de noite, emenda uma visita atrás da outra vendendo seu peixe e buscando votos. O Evandro é uma figura querida, só faz amigos.

ESTRUTURA DE CAMPANHA

O CANDIDATO a prefeito de Cruzeiro do Sul, sargento Adonis (PSL), não se enganem, terá boa estrutura financeira para a campanha. O PSL, seu partido, tem um polpudo Fundo Eleitoral.

CAMPANHA COMO DEVE SER

O candidato a prefeito de Rio Branco, Jarbas Soster (AVANTE), como oposição à atual gestão municipal, tem feito uma campanha pelas redes sociais como deve ser, focada em mostrar os problemas da cidade. A discussão deve ser sobre as carências da cidade e a solução dos problemas. A troca de acusações entre os candidatos, não ajuda o debate eleitoral.

BEM POSICIONADOS

O deputado federal Alan Rick (DEM) está com dois candidatos a prefeito bem posicionados, o Manoel Maia (DEM), em Capixaba; e, o Abdias da Farmácia (DEM), em Tarauacá.

ELEIÇÃO COMPLICADA

Uma das eleições mais complicadas é a de Porto Acre, porque o município é composto por quatro distritos separados da cidade e com populações equivalentes. Tem a sede do município, Vila do V, Vila do INCRA e os projetos Caquetá e Tocantins, o que dificulta a gestão de um prefeito. Não me lembro de um prefeito que conseguiu se reeleger naquelas bandas.

SALOMÃO MATOS

Quem é candidato a vereador em Porto Acre é o meu colega jornalista Salomão Matos, que é um lutador, sempre falou o que tem de falar e sem medo. Não seria um vereador calado.

APOSTANDO NO VELHINHO

O deputado federal Flaviano Melo (MDB) coloca fé na candidatura do ex-prefeito Francimar Fernandes (MDB), que está numa coligação do MDB-PCdoB-PSDB. Francimar foi um campeão de votos quando foi prefeito de Feijó pelo PT, não sei como se comportará o eleitor jovem.

ELEIÇÃO DISPUTADA

EM BRASILÉIA devemos ter uma eleição disputada, com a prefeita Fernanda Hassem (PT), bem avaliada, no poder; e na polarização, a ex-deputada Leila Galvão (MDB), sempre com forte votação no município. As pesquisas do meado do próximo mês trarão uma melhor realidade.

TRADIÇÃO DE EQUILÍBRIO

Desde a eleição de 1985, com Messias Ribeiro pelo MDB, contra a Olianda Gadelha (PDS), que nenhum candidato bate o outro em Brasiléia de capote, por uma larga diferença de votos.

FRASE MARCANTE

“Quando o gato e o rato se unem, o dono do armazém vai à falência”. Ditado árabe.

Continuar lendo

Blog do Crica

Bola ou burica

Publicado

em

O MDB não participa ativamente do governo, mesmo sendo disparado o maior partido que estava na coligação que elegeu o governador Gladson Cameli. Por mais que se busque não se consegue resolver a equação de como uma simples deputada federal de primeiro mandato, cuja sigla não tem um parlamentar estadual, tem 150 cargos de confiança pendurados no governo, como um seu dirigente chegou a declarar publicamente, e o MDB com dois deputados federais, um senador, com três deputados estaduais e vários prefeitos, esta fora da administração. Esqueceram de colocar nesta conta, a eleição de 2022, onde o MDB terá papel importante. A situação só reforça as palavras do deputado federal Flaviano Melo (MDB)- foto- de que, o governo “escolheu o MDB como adversário”. Se o governador Gladson Cameli quiser de fato fazer um novo desenho político depois da eleição municipal, tem que primeiro dar espaços no seu governo a cada partido, do tamanho político que representa. E neste desenho nada mais importante que o MDB. E bola ou burica. Com 18 candidatos a prefeito, o MDB poderá sair da eleição municipal bem maior que entrou. É um dado a não desconsiderar.  

 GASTRONOMIA NÃO VOTA
O PASSATEMPO do ex-senador Jorge Viana (PT) é ficar postando suas virtudes na cozinha – que como não dá para ser degustado, não sabe se é um prato nobre ou uma gororoba – mas o certo é que deveria estar preocupado em postar apoios ao candidato à PMRB, Daniel Zen (PT).

NÃO ATENTOU
O EX-SENADOR JORGE VIANA (PT) não atentou que o seu partido está fora do poder, não tem mais cargos de confiança para fazer campanha, se quiser ajudar o seu candidato a prefeito não pode ficar na retórica, brincando de cozinhar, tem que colocar os pés na rua e ir pedir votos.

CONHECE OS GROTÕES
O SENADOR SÉRGIO PETECÃO (PSD) está socado quatro dias na Transacreana, cada noite dormindo em uma comunidade; e fazendo no mínimo cinco reuniões diárias, levando na mochila o nome do candidato á PMRB, Tião Bocalon (PROGRESSISTAS). Petecão conhece o humor dos grotões. Não foi por acaso que foi o mais votado disparado da última eleição.

NÃO DECIDE ELEIÇÃO
O ELEITOR mais esclarecido não decide eleição, quem decide é o voto do povão, que não costuma votar nas candidaturas mais elitistas. O Petecão conhece este caminho como poucos.

NÃO SERÁ UM PASSEIO
DERROTAR o prefeito de Mâncio Lima, Isac Lima (PT), não será um passeio como seus adversários estão avaliando, com a candidatura do empresário Chicão (MDB). Numa cidade pequena, disputar a reeleição no cargo é uma vantagem, e a família Lima não é novata em política.

PASSA PELO PREFEITO
NUM MUNICÍPIO pequeno como Mâncio Lima os problemas acabam passando pelo prefeito, que é quem tem contato direto com a população, resolve problema e faz muitos favores.

O JOGO DOS BASTIDORES
NA CAMPANHA costuma se falar muito nos medalhões, mas existem figuras importantes que articulam nos bastidores e nem sempre são citadas. É o caso do Afonso Fernandes, que preside o DC, antigo PSDC, que sempre elegeu deputados e vereadores, um articulador nato. O candidato a prefeito da capital, Jarbas Soster (AVANTE), acertou ao lhe colocar como seu vice.

CAMPANHA PROFISSIONAL
O JARBAS SOSTER (AVANTE) optou por fazer uma campanha profissional para a PMRB.

DUAS PESQUISAS
NA SEMANA que entra deveremos ter para comentário duas pesquisas sobre as eleições em Rio Branco, uma da Big Data da Record, e outra de um instituto de Porto Velho. Pesquisa não ganha eleição, mas é um instrumento de aferição sobre a evolução de cada candidato á PMRB.

NINGUÉM MUDE DE HUMOR
E SE UM CANDIDATO aparecer bem nas pesquisas não comemore como uma vitória, porque o jogo está começando agora; e, tampouco quem aparecer em baixa, caia em depressão. Se pesquisa desse vitória a alguém não se precisaria se fazer eleição.

GANHADOR DE ELEIÇÕES
SOUBE HOJE que, o ex-deputado Helder Paiva, ganhador de muitas eleições, está voltando á política como candidato a vereador de Rio Branco pelo DC. Helder é dos um dos raros políticos de vários mandatos que conheço, que não fez inimigos. A política ganha com sua candidatura.

FALSA APARÊNCIA
FUI CONTESTADO ontem por um dos mais experientes políticos do Acre sobre nota em que comentei a importância de ter uma chapa de candidatos a vereadores. Para este político, o que vale mesmo é o candidato a prefeito ganhar a simpatia do povão, porque o candidato a vereador cuida mesmo é de conseguir votos para se eleger, não brigando pelo majoritário.

ORELHA EM PÉ
A ALGUMA COISA que vai movimentar a cidade, poderá acontecer hoje ou amanhã.

BALELA DESMENTIDA
ALGUNS TOSCOS passaram bom tempo fazendo discurso na pandemia de que se o comércio não fosse aberto as empresas iriam falir, pois bem, vem agora o Ministério da Economia (que é bolsonarista) com o dado de que, mais empresas abrem no Acre do que fecham na pandemia.

MANTEVE O NICHO
É UM DADO enigmático. O candidato a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara (PSDB), conseguiu manter o mesmo nicho de apoio que teve na capital para senador, que na avaliação de quem lê bem as pesquisas, significa votos consolidados, algo importante numa eleição majoritária. Como perdeu a eleição, o normal é que sofresse um desgaste, e não ocorreu.

A CHITA TEM OUTRA COR
NAS ELEIÇÕES para prefeito da capital – e pesquisas internas vêm dando este indicativo –  poderemos ter supresas sobre partidos que irão para o segundo turno. A chita tem outra cor.

CONTINUA UMA ATRAÇÃO
NÃO SEI COMO é que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Clodoaldo Rodrigues, vai se posicionar sobre os comícios durante a pandemia, pois tem o poder de baixar decreto proibindo este tipo de aglomeração. Por incrível que pareça, o comício continua a ser uma tradição no Juruá.

UMA DAS MAIS DISPUTADAS
A ELEIÇÃO para a prefeitura de Cruzeiro do Sul tende a ser uma das mais disputadas para o grupo do ex-prefeito Vagner Sales (MDB), porque os adversários conseguiram formar um grande arco de alianças no apoio ao candidato Zequinha (PROGRESSISTAS).

PARTICIPA DA CAMPANHA?
NÃO SEI COMO é que vai se dar esta participação do governador Gladson Cameli no apoio à candidatura do Zequinha (PROGRESSISTAS), se será ativamente ou uma meia boca. Na política, não se pode dar uma no cravo e outra na ferradura, ou se apoia firme ou não. Penso assim.

ELAS PEDEM PASSAGEM
O BLOG registra os nomes de mais duas candidatas a vereadoras de Rio Branco, a Joelma Dantas (MDB), uma das asssessoras mais ativas da ex-deputada Eliane Sinhasique (MDB), e a Thamirys Pinheiro, presidente da associação de moradores do bairro Mocinha Magalhães.

CENA DE TRISTEZA
ESTA QUEIMADA no Pantanal tem revelado cenas tristes como a morte de animais e a destruição de todo um bioma. E os aloprados do governo do Bolsonaro acham a coisa mais natural do mundo. Só depois que o fogo tomou proporções alarmantes é que vieram se mexer.

SENTIR NA PELE
Se o fogo avançar e atingir propriedades do agronegócio, ai o governo federal vai acordar.

MDB ENTUSIASMADO
É DE ENTUSIASMO o clima do MDB em Tarauacá com a candidatura do Junior Feitosa (MDB) a prefeito, que tem na chapa de vice a carismática vereadora Janaína Furtado (PROGRESSISTAS). Esta poderá ser uma das disputas mais acirradas pela prefeitura do município.

NÃO TEM MAIS A FORÇA QUE TINHA
O PCdoB voltou a ser destaque nesta eleição por conta do episódio do veto do governador Gladson Cameli em ter os seus dirigentes no mesmo palanque, mas o partido, ainda que com um deputado estadual e uma deputada federal, não tem mais a militância ativa que tinha.

 FRASE MARCANTE
“A soberba precede a ruína e a altivez do espírito precede a queda”. Trecho de um provérbio bíblico.

Continuar lendo

Blog do Crica

Será a hora de saber quem vai beber café do mesmo bule

Publicado

em

O governador Gladson Cameli, na conversa que tivemos esta semana deixou claro que, não deve mexer nas indicações dos partidos que estão em cargos de confiança no governo este ano, mas promete para o início do próximo ano uma reforma administrativa e política na sua gestão. “A última”, disse ele. Será a hora de saber quem é que vai beber café no mesmo bule na eleição para senador e governador, em 2022. Traduzindo para o popular, o Gladson vai querer saber com que dirigentes partidários, ele poderá contar no seu palanque, se vier a disputar a reeleição em 2022. Mas está é uma engenharia complicada. Dependerá muito do resultado da eleição para a prefeitura da capital, qual será o humor dos partidos caso consiga eleger a sua candidata para a prefeitura, o que significaria a derrota dos aliados da última campanha. Alguém vai ficar magoado, isso é inevitável. E não dá nem para se prever o que irá acontecer. E se o presidente Jair Bolsonaro chamar o Márcio Bittar (MDB), um dos políticos mais prestigiados por ele, e pedir que dispute o governo? O Bittar recusará? Todos os movimentos são no sentido de que o senador Sérgio Petecão (PSD) caminha para ser candidato a governador, por estar no auge da sua popularidade, e o seu mandato irá além de 2022. Tudo isso tem que ser colocado na mesa. Agora, o Gladson querer saber com qual grupo político poderá contar nos dois últimos anos da sua gestão e para embates futuros políticos, não está errado. Muita água vai passar por baixo da ponte antes de 2022. Como dizia o senador Jorge Kalume: “No Acre, não se pode fazer previsão com mais de 24 horas”.

FATO NATURAL
O projeto político do Gladson Cameli é conservador e ele é declarado bolsonarista. O do PCdoB é a antítese. Com a experiência que tem o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), não é para estar se admirando pelo Gladson não o querer no mesmo palanque. Você escolhe os aliados.

AS AGRURAS DA DERROTA
EM DERROTADO, nem vento bate nas costas, diz o ditado. Ao olhar a chapa incompleta do PT, com apenas onze candidatos a vereadores na capital, aflora a máxima que: na política, não há lealdade, há interesses. Tivesse o PT no poder, teria briga para ser candidato a vereador.

SALVA O RODRIGO
E QUANDO você analisa pelo lado da densidade eleitoral na chapa petista para vereador, só se vislumbra o vereador Rodrigo Forneck (PT), por sinal, um dos melhores vereadores desta safra.

NUNCA CULTIVE O RANCOR
O PODER não é eterno, embora alguns imaginem. Você costuma dormir nele, e ao se levantar da cama, está fora dele. Os bajuladores se afastam; e os “amigos” (sic), dobram a esquina para evitar o cumprimento. Resta a solidão. Por isso, nunca culltive o rancor durante o mandato.

EVANGÉLICO DE RAIZ
O EX-DEPUTADO Jamil Asfury (PSC) é entre os candidatos a prefeito da capital, um dos que melhor tem trânsito no meio evangélico, pelo fato de professar de fato a fé. Não é daqueles que, aparecem nas igrejas evangélicas somente na época eleitoral para pirangar os votos.

HORA DA VERDADE
O AC24HORAS deve fazer após o registro das candidaturas duas rodadas de sabatinas com cada um dos que disputarão a PMRB. Será o momento da verdade para os eleitores. Esta é a contribuição que o diretor Roberto Vaz e a equipe do Ac24horas darão á democracia.

FALTAM PEDRAS NO CESTO
NESTA ELEIÇÃO não cabe o dedo acusatório pela falta de coerência ideológica na montagem das chapas majoritárias. De Assis Brasil à Tamauturgo é uma salada ideológica só. Nenhum partido pode atirar a primeira pedra no outro, por falta de pedras no cesto. Silenciar é melhor.

VIROU UMA DISCUSSÃO BÔBA
POR ISSO virou uma discussão tola, inócua ficar acusando alguém de ter tido ligação com o PT ou com outro partido de esqueda, uma acusação que se usa sempre contra o candidato a prefeito da capital pelo PSDB, Minoru Kinpara, que chegou a ser presidente do PT.

A IDEOLOGIA FOI PARA SATURNO
O MDB foi buscar no PT para candidatos a prefeito o Zé Maria, em Porto Acre; a Leila Galvão, em Brasiléia; o Francimar Fernandes, em Feijó, e indicou o vice do candidato a prefeito de Marechal Taumaturgo, Itamar de Sá (PT), e o vice do Burica (PT), em Rodrigues Alves. O PROGRESSISTAS está agarrado em Brasiléia com a prefeita Fernanda Hassem (PT), e em Cruzeiro do Sul tem como aliados do candidato a prefeito, Zequinha (PROGRESSISTAS), o PT e o PCdoB, no palanque. O PSD está encangado com o PT em vários municípios. E o PSDB tem o ex-petista Minoru Kinpara, na capital. Guardem as pedras. A ideologia foi para Saturno.

SERVIDORES ENVELHECERAM
O GOVERNADOR Gladson Cameli já joga com a possibilidade de realizar no próximo ano concursos públicos para várias secretarias, porque tem sido grande o número de servidores que estão se aposentando. Boa parte das secretarias está com servidores no limite de idade.

SAIU GANHANDO
QUEM SAIU GANHANDO com a volta do PCdoB para a coligação com o PT foi a candidatura do deputado Daniel Zen (PT) á PMRB. Mas não chega ser novidade, porque viveram em simbiose política nas últimas décadas. O PCdoB sempre foi um puxadinho nos governos do PT.

DIFICULDADE COM A MODERNIDADE
A EQUIPE de marketing do candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalon (PROGRESSISTAS), tenta lhe convencer a mudar o seu discurso de campanha, que não pode mais ficar só na sua gestão em Acrelândia. Os marqueteiros querem lhe mostrar como alguém capaz de mudanças.

APOSTANDO NA CAMPANHA
O MDB APOSTA que durante a campanha o candidato a prefeito de Rio Branco, deputado Roberto Duarte (MDB) poderá decolar a sua candidatura. Cita que isso foi o seu forte na eleição para a ALEAC. Estão esquecendo que a campanha é só de 45 dias e é majoritária.

COMPONENTES DIFERENTES
A ELEIÇÃO para uma prefeitura da capital é uma eleição proporcional e tem componente diferente. Para deputado estadual o candidato trabalha para um público setorizado, para prefeito o público é mais amplo. O candidato tem de ter empatia com o eleitorado.

NÃO PODE SER TIRADO
MAS A CANDIDATURA do deputado Roberto Duarte (MDB) não pode ser tirada do jogo, fatos costumam acontecer durante a campanha que podem inverter a pirâmide do favoritismo.

PUXADORA DE VOTOS
A DEPUTADA FEDERAL Mara Rocha (PSDB) deverá ser a grande puxadora de votos para a candidatura a prefeito da capital do professor Minoru Kinpara (PSDB). Mara foi a mais votada na última eleição para a Câmara Federal, em Rio Branco. O PSDB briga pela ponta na eleição.

GRANDE DIFERENCIAL
O GRANDE DIFERENCIAL a favor da candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul do Fagner Sales (MDB), é a força eleitoral da família Sales em comunidades da região riberinha. Em todas as eleições os Sales sempre trazem uma diferença a favor de seu candidato acima de mil votos.

ROSANA GOMES
ATÉ ENTRE ADVERSÁRIOS há um sentimento de que a candidatura da Rosana Gomes (PROGRESSISTAS) á prefeitura de Senador Guiomard pode crescer, pela forte estrutura de apoio que terá durante a campanha. As eleições em municípios pequenos se ganham nos detalhes. Por isso é recomendável, não apontar um favorito disparado em SG.

IMPORTA A QUALIDADE
NÃO MEÇO uma candidatura majoritária pelo seu viés ideológico, se é de direita ou de esquerda, o que importa é a capacidade do candidato de promover transformações. Conheço canalhas tanto na direita como na esquerda, portanto, ideológia não é a minha fita métrica.

COMENTÁRIOS POSITIVOS
UM AMIGO que mexe muito com as redes sociais comentava ontem comigo que. é impressionante o número de opiniões positivas, quando por qualquer motivo o nome do ex-prefeito Marcus Alexandre (PT) entra no debate. Liderança se mede fora do poder.

IMPORTANTE APOIO
O candidato Tião Bocalon recebeu importante apoio: o da sindicalista Rosana Nascimento.

NO PIOR MOMENTO
O MARCUS ALEXANDRE foi candidato ao governo no pior momento do PT, e foi bem votado.

PESO IMPORTANTE
O SENADOR SÉRGIO PETECÃO (PSD) é daqueles políticos que não apenas conhece os bairros de Rio Branco pelo nome, mas dos que conhece os bairros por dentro e as suas principais lideranças pelo nome. O Tião Bocalon terá por isso, um apoio privilegiado na campanha.

GESTÃO SEDIMENTADA
O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO, Mauro Sérgio, começou com desconfiança, chegou a ser muito criticado em certo momento da sua administração, mas se sedimentou e é hoje um dos melhores secretários do Gladson. Não é fácil comandar uma pasta complexa como a Educação.

FRASE MARCANTE
“Quando um dedo aponta para a lua, os tolos olham para o dedo.” Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

Uma conversa aberta e sem arrodeios 

Publicado

em

Não tinha tido uma conversa jornalística com o governador Gladson Cameli há um bom tempo. Atendendo a um convite fui tomar café da manhã ontem com ele.  Está bem mais sereno, escutando mais do que falando. Conversamos sem pauta definida, foi mais um papo descontraído do que propriamente uma entrevista. Foi uma troca de idéias. Falou sobre da eleição municipal, discorreu sobre a disputa para o Governo e Senado em 2022, sobre seus projetos, a possibilidade de um rompimento da base que lhe deu apoio na campanha do governo e acerca da polêmica formada com a sua decisão de apoiar a candidatura da prefeita Socorro Neri. Foi uma troca de opiniões políticas sem arrodeios. Disse o que queria dizer e eu, também, fiz o mesmo, sem procurar ser agradável. Pinçamos alguns pontos do bate-papo e publicamos.

ELEIÇÃO NA CAPITAL

DEU ENTENDER claramente que a sua meta inicial era ter um candidato a prefeito de Rio Branco pelo seu partido, o PROGRESSISTAS, delegou poderes ao senador Sérgio Petecão (PSD) e ao final veio o “prato feito” da candidatura do Tião Bocalom, que não aceitou, por isso seu apoio à prefeita Socorro Neri. Mas ressaltou que, quem vai entrar na sua campanha é o Gladson, e não o governador, o que significa que não usará a estrutura de nenhuma secretária na campanha.

BEM MAIS SERENO

TROQUEI UMA IDÉIA após a conversa com o Gladson, com o colega Astério Moreira, que estava presente ao papo. E as opiniões sobre o governador bateram. Está bem mais sereno do que estava antes da pandemia. Mais solto, com humor alto e sem mostrar nenhum rancor.

PERGUNTA E RESPOSTA

PERGUNTEI ao Gladson se era verdade que a prefeita Socorro Neri o acompanhará no partido em que for se filiar, caso deixe o PROGRESSISTAS. Confirmou o entendimento. E indagado se acreditava que ela lhe seguiria mesmo, ficou na defensiva: -“Vamos esperar que sim.”

TENTATIVA DE GOLPE

QUANDO SE FALA de aliados da última campanha demonstra certa mágoa. Revelou que se esboçou uma tentativa de golpe para lhe tirar do mandato, no período em que seu pai estava doente, chegando a ser espalhado o boato que estava doido. Tudo isso eu sei, destacou Cameli. Não quis nominar que partidos estavam por trás da “tentativa de golpe” contra ele.

SINUCA DE BICO

COLOQUEI a seguinte situação. Se ganhar com a Socorro Neri, perde de vez o apoio dos aliados tradicionais e de maior poder de estrutura e votos.  E, se perder com ela, sairá desgastado. E lhe perguntei, como sair da sinuca de bico? Lembrou que já há uma desafinação na base. Citou o senador Sérgio Petecão (PSD), que deverá ser candidato ao governo em 2022. Com o vice-governador Major Rocha não consegue se entender a contento, e reconhece que falhou com o MDB ao não ter procurado uma conversa com o deputado federal Flaviano Melo (MDB), mas está na sua agenda lhe procurar para uma afinação política. Nega que vá se juntar à esquerda.

FLAVIANO ABERTO A UMA CONVERSA

JÁ TINHA TROCADO uma idéia com deputado federal Flaviano Melo (MDB) sobre a ausência de conversa com o governador Gladson Cameli. Flaviano me disse na ocasião que, não é procurado, mas no momento que o governador o procurar estará aberto para ter um diálogo político. Se houver um entendimento via Flaviano Melo (MDB), o Gladson vai marcar um ponto.

MÁRCIO BITTAR

A NOSSA CONVERSA evoluiu para o senador Márcio Bittar (MDB), que declarou que caso o governo dê uma guinada para a esquerda com os partidos de base da prefeita Socorro Neri, Gladson não contará com ele no mesmo palanque. Cameli negou a possibilidade de formatar um novo grupo político com partidos de esquerda no seu governo. E deu uma forte razão: “sou  apoiador aberto do presidente Jair Bolsonaro, vou apoiar a sua reeleição. Quem sabe eu não possa até apoiar o Márcio Bittar (MDB) para o governo, em 2022”? Deixou a pergunta no ar.

SITUAÇÃO NO JURUÁ

SOBRE A SITUAÇÃO política no Juruá, Gladson Cameli reafirmou que vai estar no palanque do candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, professor Zequinha (PROGRESSISTAS). “Vou pedir votos para ele, este é um compromisso assumido e que irei cumprir”.

ALTO ACRE

GLADSON CAMELI negou que tenha feito qualquer acordo com o emissário do PROGRESSISTAS, Artur, vinculando o apoio à candidatura da ex-deputada Leila Galvão a uma coligação MDB-PROGRESSISTAS, em Xapuri. Reafirmou que apoiará a candidatura do MDB, em Brasiléia.

SOBRE BRASILÉIA

O BLOG foi informado ontem que o assessor político do governo, Moisés Diniz, recebeu a incumbência do governador de manter contato com o senador Márcio Bittar (MDB), para a montagem de uma ação política pública em Brasiléia, para externar o seu apoio ostensivo à candidatura da Leila Galvão (MDB) a prefeita. Quer cumprir o que foi acertado com o Bittar.

BOLA NAS COSTAS

O APOIO DO PROGRESSISTAS à candidatura da prefeita Fernanda Hassem (PT) foi vista nos meios palacianos como uma bola nas costas do governador, para lhe indispor com o MDB.

MUDANÇAS NA GESTÃO

O BLOG também tem informação de que cabeças em cargos de confiança vão rolar, em Brasiléia. Segundo fonte, o governador quer ajustar nos cargos pessoas que lhes sejam leais.

BRIGA DE LAVADEIRA

ESTE APOIO da ex-deputada Eliane Sinhasique (MDB) declarado ontem à candidatura da prefeita Socorro Neri não é, porque lhe acha uma boa gestora e que será melhor para Rio Branco. O apoio embute uma briga de lavadeira antiga com o deputado Roberto Duarte (MDB), a quem acha que não apoiou a sua candidatura quando disputou a PMRB, e o segundo ponto é ser agradável ao governador Gladson. Eliane, inclusive, encontra-se afastada do MDB.

NÃO PERDE O QUE NÃO TEM

NESTE CONTEXTO, o deputado Roberto Duarte (MDB) não está perdendo nada, porque não se perde o que não se tem. Até a Maria Doida da Sobral sabia que a Eliana não apoiaria o Duarte.

NAS MÃOS DO ROCHA

O IMAC aplicou multas que vão a 10 milhões de reais a pequenos produtores, indo de encontro com a política de campanha do governo para a área ambiental. A fonte da informação é o vice-governador Major Rocha. Na conversa recente com o Gladson, este incumbiu o Rocha de ficar à frente deste problema. “Estou chamando hoje o secretário do Meio Ambiente, Israel Milani, e o presidente do IMAC, André Hassem, para um enquadramento no que foi prometido pelo governo, de não perseguir os produtores rurais”, afirmou ontem Rocha. “Ou se enquadram, ou quando o governador viajar os demito,” avisou.

NÃO SÃO BOAS

INDEPENDENTE deste episódio das multas do IMAC na área rural, o vice-governador Major Rocha já não vem se entendendo a um bom tempo com o secretário Israel Milani.

CONTINUA ENTALADO

ATÉ O FECHAMENTO da coluna o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) continuava entalado, ainda não reagiu ao bicudo que o PCdoB levou de sapato bico fino da prefeita Socorro Neri.

QUESTÃO DO PERDE E GANHA

EMBORA a prefeita Socorro Neri esticasse a corda pela permanência do PCdoB na sua coligação, teve que fazer a opção entre os comunistas no palanque ou o governador fora dele. Optou para o que mais somava à sua candidatura. O BLOG tem informação que nenhum secretário compareceria à convenção, caso o PCdoB não fosse sacado da aliança com o PSB.

MESMO MARQUETEIRO

O ACERTO já foi feito. O marqueteiro que fará a campanha da prefeita Socorro Neri para mais um mandato na PMRB será a mesma equipe de marketing que trabalhou a imagem do governador na última eleição.

PESQUISA NO FORNO

JÁ ESTÁ EM CAMPO a pesquisa da BIG DATA da RECORD, sobre a eleição para a prefeitura de Rio Branco. O resultado deverá ser divulgado na próxima semana. Ainda não trará um quadro de campanha, mas servirá para nortear comentários, pelo fato de que será registrada no TRE-AC.

COMO COMPARAÇÃO

SERÁ A OPORTUNIDADE de comparar os números da BIG DATA, com os dos institutos de pesquisa do estado.

COMETEU UMA GAFE

A deputada federal Jéssica Sales (MDB) cometeu uma gafe ao atacar o candidato a prefeito Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), na convenção do MDB, em Sena Madureira, ao lhe denominar de “forasteiro”. Gerlen é filho de uma tradicional família do município. 

DISCUSSÃO IDIOTA

DISCUTIR NUMA ELEIÇÃO para prefeito de onde os candidatos são naturais, é de uma bobagem sem tamanho. O prefeito Mazinho (MDB) não é de Sena Madureira, mas já fez mais pelo município que muitos prefeitos nascidos em Sena, e como empresário gera emprego e renda.

ESCÂNDALO DOS TÁXIS

PODE EXPLODIR em dois municípios um escândalo envolvendo a área da Saúde, com contratos de táxis para trazer pacientes para a capital fazer hemodiálise. A PF já estaria em campo.

TELHADO DE VIDRO

CHEGA UMA FOTO do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) e a deputada federal Jéssica Sales (MDB) abraçados ao petista Itamar de Sá, candidato a prefeito de Marechal Thaumaturgo pelo PT. A lembrar que Vagner e Itamar trocavam adjetivações pesadas nas últimas campanhas. Não podem criticar o Gladson Cameli por apoiar a Socorro Neri. O telhado do MDB é de vidro.

CONTINUA A DISPUTA POLARIZADA

ANOTEM: a disputa pela prefeitura de Epitaciolândia continua polarizada entre Everton Soares (PSL) e Delegado Sérgio Lopes (PSDB). Fica difícil se apontar hoje um favorito entre ambos.

NA MIRA DO TIRO

ONGs que trabalham contra a ligação do Acre com o Peru, via Pucallpa, estão na mira de políticos do Juruá, que vão querer o veto a qualquer contrato com essas entidades.

FRASE MARCANTE

“NÃO ABRAS uma porta que não sejas capaz de tornar a fechar; nem feches uma porta que não seja capaz de abrir”. Ditado persa.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.