Conecte-se agora

Preço absurdo das passagens aéreas atrapalha a economia do Acre

Publicado

em

Uma das atividades econômicas mais rentáveis do mundo é o turismo. E o Acre tem atrativos inestimáveis para desenvolver esse potencial. Muitas etnias indígenas com as suas culturas exóticas, lugares de beleza radiante como a Serra do Divisor, os rios amazônicos, o artesanato e o próprio fato de ser o Estado mais Ocidental do Brasil. Turismo significa crescimento da economia e a consequente geração de empregos e oportunidades. É uma atividade que envolve muita gente e beneficia diversos setores da sociedade. Mas a exploração de toda essa beleza e potencial esbarra no fato das passagens aéreas para o Acre serem as mais caras do mundo. Afirmo isso sem medo de errar e com a experiência de quem viaja para várias partes do Planeta. Por exemplo, dependendo do dia uma ida e volta para qualquer cidade do Centro-Sul brasileiro de Rio Branco custa mais caro do que uma viagem para a Índia ou o Japão. Qual é a lógica disso? O problema se arrasta por muitos anos e afeta não só os turistas que querem conhecer o Estado, mas também os acreanos que precisam viajar para o resto do país. O pior é que não há nem mesmo tarifas acessíveis que poderiam promover a integração regional. Uma viagem para Manaus ou Porto Velho custa uma fortuna. Mesmo uma ida a Cruzeiro do Sul, dependendo do dia, é equivalente a uma passagem para Miami saindo de qualquer outra cidade do país. A situação se agrava mais ainda nos meses de férias. Comprar uma passagem para o Acre em dezembro, janeiro, fevereiro e julho é um absurdo, isso quando tem vagas nas aeronaves.

Portas fechadas
Analisem a situação de um hipotético empresário que queira investir no Estado. Para viabilizar o seu negócio terá que viajar muitas vezes ao Acre e, consequentemente, desembolsar uma quantia enorme de recursos para viabilizar o seu empreendimento. Obviamente que irá desistir e procurar outros lugares que tenham melhor infraestrutura e sejam mais acessíveis.

Proibitivo
Nas viagens que faço pelo mundo encontro sempre muita gente interessada em conhecer o Acre. Mas quando falo sobre os preços das passagens imediatamente essas pessoas desistem da viagem. Acabam optando por um giro na Europa ou nos Estados Unidos que custa muito menos. Assim milhares de turistas deixam de vir ao Acre e injetar dinheiro na sua economia todos os anos.

Problemas domésticos
Não canso e escrever que viagem aérea para os acreanos não é luxo, mas uma necessidade. A grande distância dos principais centros econômicos e sociais do país obriga as pessoas optarem pelo avião. Por exemplo, alguém que precise de um tratamento de saúde fora do Estado se for de ônibus para Goiânia provavelmente chegará morto ao seu destino. E dependendo do caso terá que vender a sua casa para pagar as passagens aéreas e a hospedagem para se tratar. Uma tragédia inominável.

Soluções lentas
Vejo alguns políticos acreanos empenhados em resolver esse problema. O senador Jorge Viana (PT) juntamente com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) criaram um projeto para aumentar o número de voos para a Amazônia e outras parte do país. Mas ainda não foi aprovado. Claro que os parlamentares de outros estados não estão preocupados com esse problema porque não sentem na pele. Então a tramitação desse projeto será lenta e não há certeza de ser aprovado.

Fechando as torneiras
Se os órgãos públicos como a ALEAC, o Congresso Nacional, as câmaras de vereadores, prefeituras, Ministério Público e o Governo do Estado parassem de pagar as passagens dos seus funcionários acho que a gritaria seria geral e apareceria uma solução. Porque quem pode fazer alguma coisa para resolver esse problema justamente não tem esse problema porque não paga do próprio bolso as suas passagens.

Isolamento social
Essa sensação de isolamento de quem mora no Acre é constante. Se não for um político que tem as suas passagens pagas pelo poder público não há como resolver do dia pra noite fazer uma viagem para fora do Estado. Se surgir uma emergência para um simples mortal acreano ter que viajar para outro lugar pode se preparar para o endividamento no cartão de crédito.

Em tempos eleitorais
É preciso que aqueles que irão concorrer nas próximas eleições acreanas levem em consideração esse relevante tema. Esse isolamento social e econômico do Estado agravado com os altos preços das passagens aéreas prejudica a todos. Num mundo cada vez mais globalizado o direito de ir e vir é essencial.

Fica a dica
Para usar um paliativo acho que a bancada de senadores e deputados federais ligados ao presidente Temer (PMDB) deveria pedir o subsídio das passagens aéreas para os acreanos por um tempo. Isso enquanto se viabiliza outras maneiras de minimizar a situação com a oferta de mais voos para o Estado.

É muito imposto
Não sei exatamente qual é o problema principal desses preços absurdos das passagens aéreas para o Acre. Mas imagino que seja pelo parco número de voos e a carga excessiva de impostos que as companhias pagam para operar no trecho. Porque o fluxo de passageiros é grande e as linhas são lucrativas, A bancada federal acreana precisa agir com rapidez e eficiência para solucionar esse problema com urgência. Essa é uma chave fundamental para colocar o Estado em condições de competitividade econômica, social e cultural com os outros.

Anúncios

Coluna do Nelson

MDB e PDSB devem travar uma “briga” intensa por secretário da ALEAC

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Depois de 20 anos, prefeitura de Cruzeiro terá a parceria do Governo

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Gladson Cameli realizou o sonho de infância de ser governador do Acre

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

O que esperar dos governos de Gladson e Bolsonaro a partir de 2019

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas