Conecte-se agora

Rocha quer intervenção federal na segurança

Publicado

em

Ao exemplo do que está acontecendo no Rio de Janeiro, aonde o presidente Michel Temer decretou intervenção federal pela Forças Armadas na secretaria de Segurança, o deputado federal Major Rocha (PSDB) deverá entregar esta semana no Ministério de Justiça um pedido para que a intervenção se repita na secretaria de Segurança do Acre. O argumento é que, segundo ele, o combate à criminalidade com as forças de seguranças regionais tem se mostrado pouco eficaz, por falta das condições ideais de trabalho. O ato de entrega do pedido irá acoplado com um dossiê sobre o número de execuções, com cenas de decapitações, que aconteceram no Estado. O pedido será assinado apenas pelo deputado federal Major Rocha (PSDB). Vai argumentar que a criminalidade está completamente fora de controle. Nenhum outro integrante da bancada federal acreana subscreveu até o momento o citado documento.

EPISÓDIO ORLEIR CAMELI
Será o segundo pedido oficial de uma intervenção federal no Acre. Já aconteceu durante o governo Orleir Cameli, a diferença é que na ocasião foi pedida uma intervenção no Estado para tirar Orleir do governo. A solicitação foi feita ao então ministro da Justiça, Nelson Jobim, pelos senadores Nabor Junior (PMDB0, Marina Silva (PT) e Flaviano Melo (PMDB). Foi rejeitada.

ATO POLÍTICO
A ação do deputado federal Major Rocha (PSDB) ao pedir intervenção federal na secretaria de Segurança do Estado é mais um ato político que lhe permitirá surfar nas ondas da mídia. Como aconteceu em relação ao Orleir Cameli, o pedido do Rocha também será engavetado pelo ministro da Justiça..

AÇÃO DE BANCADA
A bancada federal acreana também vai marcar audiência com o ministro da Justiça, para que as emendas impositivas para a Segurança, que eram de 70 milhões e reduzidas para 39 milhões de reais pelo presidente Temer, dos quais não chegaram um centavo, sejam liberados.

EMENDAS LIBERADAS
Da bancada federal as únicas emendas individuais para a Segurança liberadas foram uma de 5 milhões de reais do deputado federal Alan Rick (DEM) e uma do deputado federal César Messias (PSB) de 250 mil reais. Teríamos uma situação melhor se os 70 milhões tivessem vindos para a Segurança. É, pois, positiva a pressão que a bancada federal vai fazer em Brasília.

SEM CREDIBILIDADE
Os prefeitos acreanos vão à Brasília esta semana pedir ao governo federal que as emendas destinadas à recuperação de ramais não sejam liberadas para o DERACRE, mas para as prefeituras. O argumento é que as obras pelo órgão são mais caras que as executadas pelos prefeitos.

UM ESCOMBRO FANTASMA
O DERACRE é considerado pelos prefeitos como um escombro fantasma de máquinas e com isso perdeu a sua capacidade de operação e como tal, suas ações não merecem confiança. Os prefeitos defendem que farão mais quilômetros de ramais se aplicarem eles as emendas.

PORTAS ABERTAS
Um grupo de políticos da oposição vai procurar esta semana o empresário Jarbas Soster, que fez uma série de denúncias contra o governo, para que venha se somar ao bloco de oposição. A coluna pode adiantar que Soster não aceitará, por ter boa relação com o candidato ao governo do PT, prefeito Marcus Alexandre. Sua briga é restrita, ao governador Tião Viana.

NÃO MUDA O QUADRO
A não ser que aconteça uma grande zebra, o quadro nos dois colégios eleitorais do Acre deverá ser o seguinte: o prefeito Marcus Alexandre (PT) vencerá a eleição em Rio Branco e o senador Gladson Cameli (PP) em Cruzeiro do Sul. E a disputa se decide nos demais municípios.

É FURADA
Qualquer pesquisa que não retratar este panorama será uma furada feia na realidade.

SURURU NO PDT
O presidente do PDT, Luiz Tchê, abriu processo administrativo, primeiro passo para a expulsão do deputado Heitor Junior (PDT) dos quadros do partido. “A situação dele está insustentável”, diz. Tchê alega que Heitor fere o Regimento Interno, quando se recusa a fazer os descontos salariais dos ocupantes de cargos de confiança do seu gabinete para os cofres do PDT.

PEDIR PARA SAIR
Luiz Tchê diz que preferia que o deputado Heitor Junior (PDT) tomasse a iniciativa de pedir para sair. Já falei com a direção nacional e lhe concederia a liberação do mandato, argumenta.

UMA RELAÇÃO TENSA
Embora sejam velhos conhecidos, o presidente do PDT, Luiz Tchê, e o deputado Heitor Junior (PDT) sempre tiveram posições conflitantes no partido. O fato agravou-se mais na medida em que Tchê será candidato a deputados estadual e Heitor passou a ser um concorrente.

“NÃO VOU SAIR DO PDT”
O deputado Heitor Junior (PDT) é enfático quanto á situação: “não vou sair do PDT, não há motivo para expulsão, não vou cometer uma ilegalidade (é proibido pelo TSE) de pegar dinheiro dos meus assessores para dar ao partido como quer o Tchê e vou pedir pela justiça a prestação de contas”, enfatizou à coluna. Heitor vê tudo um conluio de adversários internos Tchê.

AS RAZÕES DO HEITOR
O deputado Heitor Junior (PDT) considera como bizarras as justificativas do presidente Luiz Tchê para lhe tirar do PDT. Diz que muitos aproveitadores do PDT estão em cargos estratégicos do governo e município sem contribuírem nada com o partido. Lembra que faz um desconto normal de 5 mil reais do seu salário para o PDT, obedecendo o que estipula o Regimento.

PRESTAÇÃO DECONTAS
Heitor Junior (PDT) diz que além da prestação de contas de fevereiro de 2015 a fevereiro de 2018, que pedirá à justiça, quer que: Luiz Tchê detalhe, também, como foram gastos os 100 mil reais que vieram da direção nacional para a eleição municipal. Garante que a vereadora que apoiou não recebeu um centavo. Vai pedir que explique também o pagamento a título de honorários pago a uma advogada.

BRIGA ESTÁ FEITA
Heitor Junior diz que se tiver que um dia sair do PDT será pela porta da frente por decisão pessoal e não empurrado. Se pretender sair do PDT poderá fazê-lo sem problemas quando em março for aberta a janela para a mudança partidária. “O Tchê na verdade quer me tirar da chapa do PDT para o caminho ficar livre para ele se eleger deputado, pois, ele sabe que tenho mais votos que ele”, assegurou Heitor.

ANALISANDO A BRIGA
É verdade que o TSE proíbe o desconto salarial de assessores dos deputados. Infidelidade partidária por ter participado de uma reunião com o pré-candidato a Federal, Marivaldo Melo, não se configura, por Melo não ser ainda candidato. Não vejo motivo jurídico para expulsão.

FICA SEM CLIMA
Mas a briga declarada deixa um clima pesado para ambos, dentro do PDT, isso fica sim.

COM A BOLA TODA?
Estaria sendo montada uma estrutura gigante na prefeitura de Rio Branco para a secretária da Juventude, Temilys Silva, que disputará uma vaga de deputada estadual pelo PT? A pergunta é para conferir a informação que me chegou ontem por uma fonte política bem informada.

OU VIRA UM FANTOCHE
O candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), pode começar bem ou mal a sua campanha. Só não pode mais ficar a mercê do bom ou mau humor do MDB, quanto à indicação do nome do vice da sua chapa. Aliás, de nenhum partido! Ou o Gladson define já o nome que quer como vice e seja ele qual for; que lhe for simpático, da confiança, limpo judicialmente, que possa acrescentar algo eleitoral à sua chapa, ou vai virar um fantoche de interesses partidários pessoais. Se virar um fantoche e ganhar a eleição, ele será um alvo fácil para as velhas raposas políticas. A imagem que tem passado é a de que lhe falta pulso. Determinação. E isso não lhe é positivo. Ou dá um grito de liberdade e independência ou vai amargar problemas futuros se vencer. Um candidato ao governo que não tem o direito, força de apontar quem quer como o seu vice? Aonde é que se viu isso? Só na oposição acreana. Quando o Flaviano Melo foi candidato a prefeito não ouviu ninguém, reuniu os partidos e anunciou que só seria candidato à PMRB se indicasse o Isnard Leite para o seu vice. Indicou e ganhou a eleição. Debater é democrático, baixar a cabeça é humilhação política. Não tem meio termo.

Anúncios

Blog do Crica

Será a hora de saber quem vai beber café do mesmo bule

Publicado

em

O governador Gladson Cameli, na conversa que tivemos esta semana deixou claro que, não deve mexer nas indicações dos partidos que estão em cargos de confiança no governo este ano, mas promete para o início do próximo ano uma reforma administrativa e política na sua gestão. “A última”, disse ele. Será a hora de saber quem é que vai beber café no mesmo bule na eleição para senador e governador, em 2022. Traduzindo para o popular, o Gladson vai querer saber com que dirigentes partidários, ele poderá contar no seu palanque, se vier a disputar a reeleição em 2022. Mas está é uma engenharia complicada. Dependerá muito do resultado da eleição para a prefeitura da capital, qual será o humor dos partidos caso consiga eleger a sua candidata para a prefeitura, o que significaria a derrota dos aliados da última campanha. Alguém vai ficar magoado, isso é inevitável. E não dá nem para se prever o que irá acontecer. E se o presidente Jair Bolsonaro chamar o Márcio Bittar (MDB), um dos políticos mais prestigiados por ele, e pedir que dispute o governo? O Bittar recusará? Todos os movimentos são no sentido de que o senador Sérgio Petecão (PSD) caminha para ser candidato a governador, por estar no auge da sua popularidade, e o seu mandato irá além de 2022. Tudo isso tem que ser colocado na mesa. Agora, o Gladson querer saber com qual grupo político poderá contar nos dois últimos anos da sua gestão e para embates futuros políticos, não está errado. Muita água vai passar por baixo da ponte antes de 2022. Como dizia o senador Jorge Kalume: “No Acre, não se pode fazer previsão com mais de 24 horas”.

FATO NATURAL
O projeto político do Gladson Cameli é conservador e ele é declarado bolsonarista. O do PCdoB é a antítese. Com a experiência que tem o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), não é para estar se admirando pelo Gladson não o querer no mesmo palanque. Você escolhe os aliados.

AS AGRURAS DA DERROTA
EM DERROTADO, nem vento bate nas costas, diz o ditado. Ao olhar a chapa incompleta do PT, com apenas onze candidatos a vereadores na capital, aflora a máxima que: na política, não há lealdade, há interesses. Tivesse o PT no poder, teria briga para ser candidato a vereador.

SALVA O RODRIGO
E QUANDO você analisa pelo lado da densidade eleitoral na chapa petista para vereador, só se vislumbra o vereador Rodrigo Forneck (PT), por sinal, um dos melhores vereadores desta safra.

NUNCA CULTIVE O RANCOR
O PODER não é eterno, embora alguns imaginem. Você costuma dormir nele, e ao se levantar da cama, está fora dele. Os bajuladores se afastam; e os “amigos” (sic), dobram a esquina para evitar o cumprimento. Resta a solidão. Por isso, nunca culltive o rancor durante o mandato.

EVANGÉLICO DE RAIZ
O EX-DEPUTADO Jamil Asfury (PSC) é entre os candidatos a prefeito da capital, um dos que melhor tem trânsito no meio evangélico, pelo fato de professar de fato a fé. Não é daqueles que, aparecem nas igrejas evangélicas somente na época eleitoral para pirangar os votos.

HORA DA VERDADE
O AC24HORAS deve fazer após o registro das candidaturas duas rodadas de sabatinas com cada um dos que disputarão a PMRB. Será o momento da verdade para os eleitores. Esta é a contribuição que o diretor Roberto Vaz e a equipe do Ac24horas darão á democracia.

FALTAM PEDRAS NO CESTO
NESTA ELEIÇÃO não cabe o dedo acusatório pela falta de coerência ideológica na montagem das chapas majoritárias. De Assis Brasil à Tamauturgo é uma salada ideológica só. Nenhum partido pode atirar a primeira pedra no outro, por falta de pedras no cesto. Silenciar é melhor.

VIROU UMA DISCUSSÃO BÔBA
POR ISSO virou uma discussão tola, inócua ficar acusando alguém de ter tido ligação com o PT ou com outro partido de esqueda, uma acusação que se usa sempre contra o candidato a prefeito da capital pelo PSDB, Minoru Kinpara, que chegou a ser presidente do PT.

A IDEOLOGIA FOI PARA SATURNO
O MDB foi buscar no PT para candidatos a prefeito o Zé Maria, em Porto Acre; a Leila Galvão, em Brasiléia; o Francimar Fernandes, em Feijó, e indicou o vice do candidato a prefeito de Marechal Taumaturgo, Itamar de Sá (PT), e o vice do Burica (PT), em Rodrigues Alves. O PROGRESSISTAS está agarrado em Brasiléia com a prefeita Fernanda Hassem (PT), e em Cruzeiro do Sul tem como aliados do candidato a prefeito, Zequinha (PROGRESSISTAS), o PT e o PCdoB, no palanque. O PSD está encangado com o PT em vários municípios. E o PSDB tem o ex-petista Minoru Kinpara, na capital. Guardem as pedras. A ideologia foi para Saturno.

SERVIDORES ENVELHECERAM
O GOVERNADOR Gladson Cameli já joga com a possibilidade de realizar no próximo ano concursos públicos para várias secretarias, porque tem sido grande o número de servidores que estão se aposentando. Boa parte das secretarias está com servidores no limite de idade.

SAIU GANHANDO
QUEM SAIU GANHANDO com a volta do PCdoB para a coligação com o PT foi a candidatura do deputado Daniel Zen (PT) á PMRB. Mas não chega ser novidade, porque viveram em simbiose política nas últimas décadas. O PCdoB sempre foi um puxadinho nos governos do PT.

DIFICULDADE COM A MODERNIDADE
A EQUIPE de marketing do candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalon (PROGRESSISTAS), tenta lhe convencer a mudar o seu discurso de campanha, que não pode mais ficar só na sua gestão em Acrelândia. Os marqueteiros querem lhe mostrar como alguém capaz de mudanças.

APOSTANDO NA CAMPANHA
O MDB APOSTA que durante a campanha o candidato a prefeito de Rio Branco, deputado Roberto Duarte (MDB) poderá decolar a sua candidatura. Cita que isso foi o seu forte na eleição para a ALEAC. Estão esquecendo que a campanha é só de 45 dias e é majoritária.

COMPONENTES DIFERENTES
A ELEIÇÃO para uma prefeitura da capital é uma eleição proporcional e tem componente diferente. Para deputado estadual o candidato trabalha para um público setorizado, para prefeito o público é mais amplo. O candidato tem de ter empatia com o eleitorado.

NÃO PODE SER TIRADO
MAS A CANDIDATURA do deputado Roberto Duarte (MDB) não pode ser tirada do jogo, fatos costumam acontecer durante a campanha que podem inverter a pirâmide do favoritismo.

PUXADORA DE VOTOS
A DEPUTADA FEDERAL Mara Rocha (PSDB) deverá ser a grande puxadora de votos para a candidatura a prefeito da capital do professor Minoru Kinpara (PSDB). Mara foi a mais votada na última eleição para a Câmara Federal, em Rio Branco. O PSDB briga pela ponta na eleição.

GRANDE DIFERENCIAL
O GRANDE DIFERENCIAL a favor da candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul do Fagner Sales (MDB), é a força eleitoral da família Sales em comunidades da região riberinha. Em todas as eleições os Sales sempre trazem uma diferença a favor de seu candidato acima de mil votos.

ROSANA GOMES
ATÉ ENTRE ADVERSÁRIOS há um sentimento de que a candidatura da Rosana Gomes (PROGRESSISTAS) á prefeitura de Senador Guiomard pode crescer, pela forte estrutura de apoio que terá durante a campanha. As eleições em municípios pequenos se ganham nos detalhes. Por isso é recomendável, não apontar um favorito disparado em SG.

IMPORTA A QUALIDADE
NÃO MEÇO uma candidatura majoritária pelo seu viés ideológico, se é de direita ou de esquerda, o que importa é a capacidade do candidato de promover transformações. Conheço canalhas tanto na direita como na esquerda, portanto, ideológia não é a minha fita métrica.

COMENTÁRIOS POSITIVOS
UM AMIGO que mexe muito com as redes sociais comentava ontem comigo que. é impressionante o número de opiniões positivas, quando por qualquer motivo o nome do ex-prefeito Marcus Alexandre (PT) entra no debate. Liderança se mede fora do poder.

IMPORTANTE APOIO
O candidato Tião Bocalon recebeu importante apoio: o da sindicalista Rosana Nascimento.

NO PIOR MOMENTO
O MARCUS ALEXANDRE foi candidato ao governo no pior momento do PT, e foi bem votado.

PESO IMPORTANTE
O SENADOR SÉRGIO PETECÃO (PSD) é daqueles políticos que não apenas conhece os bairros de Rio Branco pelo nome, mas dos que conhece os bairros por dentro e as suas principais lideranças pelo nome. O Tião Bocalon terá por isso, um apoio privilegiado na campanha.

GESTÃO SEDIMENTADA
O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO, Mauro Sérgio, começou com desconfiança, chegou a ser muito criticado em certo momento da sua administração, mas se sedimentou e é hoje um dos melhores secretários do Gladson. Não é fácil comandar uma pasta complexa como a Educação.

FRASE MARCANTE
“Quando um dedo aponta para a lua, os tolos olham para o dedo.” Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

Uma conversa aberta e sem arrodeios 

Publicado

em

Não tinha tido uma conversa jornalística com o governador Gladson Cameli há um bom tempo. Atendendo a um convite fui tomar café da manhã ontem com ele.  Está bem mais sereno, escutando mais do que falando. Conversamos sem pauta definida, foi mais um papo descontraído do que propriamente uma entrevista. Foi uma troca de idéias. Falou sobre da eleição municipal, discorreu sobre a disputa para o Governo e Senado em 2022, sobre seus projetos, a possibilidade de um rompimento da base que lhe deu apoio na campanha do governo e acerca da polêmica formada com a sua decisão de apoiar a candidatura da prefeita Socorro Neri. Foi uma troca de opiniões políticas sem arrodeios. Disse o que queria dizer e eu, também, fiz o mesmo, sem procurar ser agradável. Pinçamos alguns pontos do bate-papo e publicamos.

ELEIÇÃO NA CAPITAL

DEU ENTENDER claramente que a sua meta inicial era ter um candidato a prefeito de Rio Branco pelo seu partido, o PROGRESSISTAS, delegou poderes ao senador Sérgio Petecão (PSD) e ao final veio o “prato feito” da candidatura do Tião Bocalom, que não aceitou, por isso seu apoio à prefeita Socorro Neri. Mas ressaltou que, quem vai entrar na sua campanha é o Gladson, e não o governador, o que significa que não usará a estrutura de nenhuma secretária na campanha.

BEM MAIS SERENO

TROQUEI UMA IDÉIA após a conversa com o Gladson, com o colega Astério Moreira, que estava presente ao papo. E as opiniões sobre o governador bateram. Está bem mais sereno do que estava antes da pandemia. Mais solto, com humor alto e sem mostrar nenhum rancor.

PERGUNTA E RESPOSTA

PERGUNTEI ao Gladson se era verdade que a prefeita Socorro Neri o acompanhará no partido em que for se filiar, caso deixe o PROGRESSISTAS. Confirmou o entendimento. E indagado se acreditava que ela lhe seguiria mesmo, ficou na defensiva: -“Vamos esperar que sim.”

TENTATIVA DE GOLPE

QUANDO SE FALA de aliados da última campanha demonstra certa mágoa. Revelou que se esboçou uma tentativa de golpe para lhe tirar do mandato, no período em que seu pai estava doente, chegando a ser espalhado o boato que estava doido. Tudo isso eu sei, destacou Cameli. Não quis nominar que partidos estavam por trás da “tentativa de golpe” contra ele.

SINUCA DE BICO

COLOQUEI a seguinte situação. Se ganhar com a Socorro Neri, perde de vez o apoio dos aliados tradicionais e de maior poder de estrutura e votos.  E, se perder com ela, sairá desgastado. E lhe perguntei, como sair da sinuca de bico? Lembrou que já há uma desafinação na base. Citou o senador Sérgio Petecão (PSD), que deverá ser candidato ao governo em 2022. Com o vice-governador Major Rocha não consegue se entender a contento, e reconhece que falhou com o MDB ao não ter procurado uma conversa com o deputado federal Flaviano Melo (MDB), mas está na sua agenda lhe procurar para uma afinação política. Nega que vá se juntar à esquerda.

FLAVIANO ABERTO A UMA CONVERSA

JÁ TINHA TROCADO uma idéia com deputado federal Flaviano Melo (MDB) sobre a ausência de conversa com o governador Gladson Cameli. Flaviano me disse na ocasião que, não é procurado, mas no momento que o governador o procurar estará aberto para ter um diálogo político. Se houver um entendimento via Flaviano Melo (MDB), o Gladson vai marcar um ponto.

MÁRCIO BITTAR

A NOSSA CONVERSA evoluiu para o senador Márcio Bittar (MDB), que declarou que caso o governo dê uma guinada para a esquerda com os partidos de base da prefeita Socorro Neri, Gladson não contará com ele no mesmo palanque. Cameli negou a possibilidade de formatar um novo grupo político com partidos de esquerda no seu governo. E deu uma forte razão: “sou  apoiador aberto do presidente Jair Bolsonaro, vou apoiar a sua reeleição. Quem sabe eu não possa até apoiar o Márcio Bittar (MDB) para o governo, em 2022”? Deixou a pergunta no ar.

SITUAÇÃO NO JURUÁ

SOBRE A SITUAÇÃO política no Juruá, Gladson Cameli reafirmou que vai estar no palanque do candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, professor Zequinha (PROGRESSISTAS). “Vou pedir votos para ele, este é um compromisso assumido e que irei cumprir”.

ALTO ACRE

GLADSON CAMELI negou que tenha feito qualquer acordo com o emissário do PROGRESSISTAS, Artur, vinculando o apoio à candidatura da ex-deputada Leila Galvão a uma coligação MDB-PROGRESSISTAS, em Xapuri. Reafirmou que apoiará a candidatura do MDB, em Brasiléia.

SOBRE BRASILÉIA

O BLOG foi informado ontem que o assessor político do governo, Moisés Diniz, recebeu a incumbência do governador de manter contato com o senador Márcio Bittar (MDB), para a montagem de uma ação política pública em Brasiléia, para externar o seu apoio ostensivo à candidatura da Leila Galvão (MDB) a prefeita. Quer cumprir o que foi acertado com o Bittar.

BOLA NAS COSTAS

O APOIO DO PROGRESSISTAS à candidatura da prefeita Fernanda Hassem (PT) foi vista nos meios palacianos como uma bola nas costas do governador, para lhe indispor com o MDB.

MUDANÇAS NA GESTÃO

O BLOG também tem informação de que cabeças em cargos de confiança vão rolar, em Brasiléia. Segundo fonte, o governador quer ajustar nos cargos pessoas que lhes sejam leais.

BRIGA DE LAVADEIRA

ESTE APOIO da ex-deputada Eliane Sinhasique (MDB) declarado ontem à candidatura da prefeita Socorro Neri não é, porque lhe acha uma boa gestora e que será melhor para Rio Branco. O apoio embute uma briga de lavadeira antiga com o deputado Roberto Duarte (MDB), a quem acha que não apoiou a sua candidatura quando disputou a PMRB, e o segundo ponto é ser agradável ao governador Gladson. Eliane, inclusive, encontra-se afastada do MDB.

NÃO PERDE O QUE NÃO TEM

NESTE CONTEXTO, o deputado Roberto Duarte (MDB) não está perdendo nada, porque não se perde o que não se tem. Até a Maria Doida da Sobral sabia que a Eliana não apoiaria o Duarte.

NAS MÃOS DO ROCHA

O IMAC aplicou multas que vão a 10 milhões de reais a pequenos produtores, indo de encontro com a política de campanha do governo para a área ambiental. A fonte da informação é o vice-governador Major Rocha. Na conversa recente com o Gladson, este incumbiu o Rocha de ficar à frente deste problema. “Estou chamando hoje o secretário do Meio Ambiente, Israel Milani, e o presidente do IMAC, André Hassem, para um enquadramento no que foi prometido pelo governo, de não perseguir os produtores rurais”, afirmou ontem Rocha. “Ou se enquadram, ou quando o governador viajar os demito,” avisou.

NÃO SÃO BOAS

INDEPENDENTE deste episódio das multas do IMAC na área rural, o vice-governador Major Rocha já não vem se entendendo a um bom tempo com o secretário Israel Milani.

CONTINUA ENTALADO

ATÉ O FECHAMENTO da coluna o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) continuava entalado, ainda não reagiu ao bicudo que o PCdoB levou de sapato bico fino da prefeita Socorro Neri.

QUESTÃO DO PERDE E GANHA

EMBORA a prefeita Socorro Neri esticasse a corda pela permanência do PCdoB na sua coligação, teve que fazer a opção entre os comunistas no palanque ou o governador fora dele. Optou para o que mais somava à sua candidatura. O BLOG tem informação que nenhum secretário compareceria à convenção, caso o PCdoB não fosse sacado da aliança com o PSB.

MESMO MARQUETEIRO

O ACERTO já foi feito. O marqueteiro que fará a campanha da prefeita Socorro Neri para mais um mandato na PMRB será a mesma equipe de marketing que trabalhou a imagem do governador na última eleição.

PESQUISA NO FORNO

JÁ ESTÁ EM CAMPO a pesquisa da BIG DATA da RECORD, sobre a eleição para a prefeitura de Rio Branco. O resultado deverá ser divulgado na próxima semana. Ainda não trará um quadro de campanha, mas servirá para nortear comentários, pelo fato de que será registrada no TRE-AC.

COMO COMPARAÇÃO

SERÁ A OPORTUNIDADE de comparar os números da BIG DATA, com os dos institutos de pesquisa do estado.

COMETEU UMA GAFE

A deputada federal Jéssica Sales (MDB) cometeu uma gafe ao atacar o candidato a prefeito Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), na convenção do MDB, em Sena Madureira, ao lhe denominar de “forasteiro”. Gerlen é filho de uma tradicional família do município. 

DISCUSSÃO IDIOTA

DISCUTIR NUMA ELEIÇÃO para prefeito de onde os candidatos são naturais, é de uma bobagem sem tamanho. O prefeito Mazinho (MDB) não é de Sena Madureira, mas já fez mais pelo município que muitos prefeitos nascidos em Sena, e como empresário gera emprego e renda.

ESCÂNDALO DOS TÁXIS

PODE EXPLODIR em dois municípios um escândalo envolvendo a área da Saúde, com contratos de táxis para trazer pacientes para a capital fazer hemodiálise. A PF já estaria em campo.

TELHADO DE VIDRO

CHEGA UMA FOTO do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) e a deputada federal Jéssica Sales (MDB) abraçados ao petista Itamar de Sá, candidato a prefeito de Marechal Thaumaturgo pelo PT. A lembrar que Vagner e Itamar trocavam adjetivações pesadas nas últimas campanhas. Não podem criticar o Gladson Cameli por apoiar a Socorro Neri. O telhado do MDB é de vidro.

CONTINUA A DISPUTA POLARIZADA

ANOTEM: a disputa pela prefeitura de Epitaciolândia continua polarizada entre Everton Soares (PSL) e Delegado Sérgio Lopes (PSDB). Fica difícil se apontar hoje um favorito entre ambos.

NA MIRA DO TIRO

ONGs que trabalham contra a ligação do Acre com o Peru, via Pucallpa, estão na mira de políticos do Juruá, que vão querer o veto a qualquer contrato com essas entidades.

FRASE MARCANTE

“NÃO ABRAS uma porta que não sejas capaz de tornar a fechar; nem feches uma porta que não seja capaz de abrir”. Ditado persa.

Continuar lendo

Blog do Crica

Cenas que não podem se repetir 

Publicado

em

Funcionalismo sendo obrigado a ir para a rua balançar bandeiras, fazer campanha no horário de trabalho, pressionar ocupantes de cargos de confiança e demais servidores a votar no candidato do poder; com ameaças de retaliações, o uso de maquinário público para beneficiar comunidades rurais em troca de votos, são cenas políticas de um passado recente, que decidiram eleições e que não podem mais se repetir. No atual cenário, agir ao arrepio da lei será mais contido, porque em cada secretaria municipal ou estadual pode haver um olheiro de outro candidato e denunciar. O combate às Fake News tem deve ser intenso, a justiça eleitoral tem que punir rápido para dar exemplo. Não pode se demorar, porque neste caso passa para a opinião pública o sentimento de impunidade, quando a justiça tarda a agir. Veja a imoralidade do caso de Cruzeiro do Sul, onde o prefeito cometeu um crime no início do mandato e só no seu último ano é que veio perder o cargo. O estado e o município não podem ser mais usados como curral eleitoral para eleger afilhados políticas. É hora de ser fazer uma cruzada contra.

FUI BUSCAR REAGAN

DEPOIS DE TUDO o que aconteceu nas convenções municipais, fui buscar para a reflexão uma frase do ex-presidente dos EUA, Ronald Reagan: “Eu achava que a política era a segunda profissão mais antiga. Hoje vejo que ela se parece muito com a primeira (prostituição sic)”.

COMBATE Á BAIXARIA

AS PUNIÇÕES aos candidatos que usarem da estratégia da baixaria para atingir o adversário devem ser as mais rígidas possíveis. Lembro de uma campanha do Marcus Alexandre (PT) à PMRB, que levaram um senhor sequelado ao vídeo, acusando o Tião Bocalom de ter lhe dado uma surra. A justiça só veio reconhecer a farsa após a eleição, e aí o Marcus tinha ganhado.

 QUE NÃO FIQUE NA PROMESSA

O que todos esperam é que as promessas de punições ao crime eleitoral sejam cumpridas.

SAPATO BICO FINO

A PREFEITA Socorro Neri se tornou perita no uso de sapato bico fino para abrir caminho político. Deu um bicudo na bunda do PSDB, outro bicudo nas nádegas do PT, e agora foi a vez do PCdoB, sentir o poder do temido bicudo da prefeita, ao ser sacado da coligação com o PSB.

RODA DE APOSTAS

O BLOG tem informação de fonte palaciana de que a prefeita Socorro Neri se comprometeu a acompanhar o Gladson no partido que escolher, após a eleição. Numa roda de apostas ontem entre cinco seguidores do governador, apenas um deles acreditaram que ela o seguirá.

ALTAMENTE PRESTIGIADO

O SENADOR Márcio Bittar (PSDB) continua altamente prestigiado pelo presidente Bolsonaro. Ontem, num café da manhã com o presidente recebeu a incumbência de elaborar um projeto para substituir o programa que vem dando 600 reais às famílias carentes, a viger já em janeiro.

PODE ANOTAR

A MÁRCIA BITTAR (MDB), com o apoio do presidente Jair Bolsonaro, será candidata em 2022 ao Senado, pelo partido em que ele estiver filiado. E como o marido Márcio Bittar (MDB) será o coordenador da campanha bolsonarista no Acre, favorecerá a campanha da Márcia. Anotem!

NÃO HÁ LUGAR

O SENADOR Márcio Bittar (MDB) só faz uma restrição às alianças: não ser partido de esquerda.

O FANTASMA DAS SOBRAS

OS PARTIDOS GRANDES, mesmo com boas chapas, temem o fantasma da sobra eleitoral, na contabilidade para definir as vagas de vereadores na capital. Pelas novas regras, um partido pode não atingir o quociente e eleger um vereador com menos votos de que um mais votado.

NÃO É PARA FIGURAR

O CANDIDATO a prefeito da capital, empresário Jarbas Soster (AVANTE), não está na campanha apenas para fazer figuração. Terá 91 candidatos a vereadores pedindo votos para ele na cidade. E na parte da mídia prepara para colocar em prática uma campanha profissional.

DESTAQUE NA PANDEMIA

O PROCON saiu do zero para ser um órgão atuante depois que o Diego Rodrigues assumiu o comando da entidade. Não deixa de checar as denúncias que recebe, mas tem poder limitado.

SEM FAVORITO

NÃO TEM FAVORITO na eleição de Tarauacá. Disputam a prefeitura em igualdade de condições a Néia (PDT), Abdias da Farmácia (DEM), Junior Feitoza (MDB) e Chagas Batista (PCdoB).

FICOU MAIS ENCORPADA

A oposição em Feijó ficou mais encorpada , com o Pelé Campos (PSDB) desistindo de ser candidato a prefeito, para ser o vice do velho cacique, Francimar Fernandes (MDB).

AO ESTILO DO PAI

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB) tem a mesma pegada oratória dura e sem papas na língua do pai, o ex-deputado Vagner Sales. Jéssica detonou a imagem do candidato a prefeito de Sena Madureira, Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), na convenção do prefeito Mazinho (MDB).

PRINCIPAL PROBLEMA

Não SEI se o senador Petecão (PSD) e o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) vão conseguir dar um formato mais moderno na campanha do Tião Bocalom (PROGRESSISTAS). O Bocalom é uma cabeça dura, só que a campanha evoluiu, tem que ser profissional e com rumo.

NOME NA DISPUTA 

PODEM ESQUECER as pesquisas, o Tião Bocalom (PROGRESSISTAS) não está fora da disputa da prefeitura da capital, notadamente com sete candidatos. Bocalom tem um nicho pessoal.

ABRAÇO DOS AFOGADOS

O MDB manteve o espaço do vice na chapa do prefeito Tião Flores (PROGRESSISTAS), que disputa a reeleição. Se a campanha não mostrar breve evolução, será o abraço dos afogados.

LIVRE, LEVE E SOLTO

PELO QUE TENHO ouvido de importantes figuras do MDB, o partido deixou de ter qualquer compromisso com o governador Gladson Cameli para a eleição de 2022. Os episódios das coligações em Cruzeiro do Sul e Brasiléia foram fatais, para deixar o MDB livre, leve e solto.

TENDE SE AGRAVAR

AS RELAÇÕES entre MDB-PSD-PSDB-PSL e o governador Gladson Cameli tendem a se agravar durante a campanha pela prefeitura de Rio Branco. Não há acordo que segure esta briga.

OBSERVAÇÃO DO ZEN 

 “PELO VISTO, as únicas convenções em que não houve barraco foram a minha e a do Duarte (MDB). Nas demais, só confusão, rasteira e traíragem.” A observação foi feita ao BLOG pelo candidato a prefeito de Rio Branco, deputado Daniel Zen (PT).

TERRA DE MURO BAIXO

A BANDEIRA azul para o PROGRESSISTAS de Brasiléia aportar na coligação da prefeita Fernanda Hassem (PT) veio via palaciana. A capital é terra de muro baixo, onde nenhum segredo escapa.

GRANDE EXPECTATIVA

A EXPECTATIVA é sobre como virá a Nota do PCdoB, após ser vetado na coligação com o PSB. Depois do vexame político a que foi submetido a Nota ou coletiva, tendem ser quentes.

PROMESSAS VAZIAS

ESTOU VENDO muitas promessas vazias de candidatos a vereadores. Alguém precisa contar para esta turma que, o vereador não pode apresentar projeto que gere despesa ao executivo.

ELEIÇÃO VIGIADA

NÃO TENHO mais nenhuma dúvida de que esta eleição municipal será uma das mais vigiadas dos últimos tempos, com um celular na mão qualquer um pode fazer um estrago eleitoral. Por isso, os que sonham com uso das máquinas estadual e municipal, esqueçam,  pois, será perigoso.

GANHOU O PT

QUEM ACABOU ganhando com a sapatada que o PCdoB levou da prefeita Socorro Neri, foi o PT, que se recompôs politicamente com os comunistas, seus aliados dos últimos vinte anos, o que dará mais corpo à candidatura do deputado Daniel Zen (PT) à PMRB.

FICOU COM O BOCA

O DR. JEFFERSON, O “PURURUCA,” não embarcou com seu partido, o PTB, na canoa que abriga os aliados da candidatura à PMRB do deputado Roberto Duarte (MDB). Vai apoiar o Tião Bocalom.

LUZ NO FIM DO TÚNEL

OS ESPAÇOS políticos devem ser ocupados por candidatos com qualificação. Ou os desqualificados ocupam. Não abro mão deste princípio. Registro aqui, a candidatura vereador pelo CIDADANIA, do professor Sérgio Torres, um nome com capacidade para ter mandato.

FRASE MARCANTE

“Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.” Eça de Queiróz.

 

Continuar lendo

Blog do Crica

A eleição na capital  pode mudar configuração de aliança para 2022

Publicado

em

O SENADOR MÁRCIO BITTAR (MDB), disse ontem ao BLOG DO CRICA que em hipótese alguma será candidato ao governo em 2022. E que o seu candidato será o governador Gladson Cameli. Mas revela que, depois que viu a prefeita Socorro Neri esticar a corda com o Gladson até minutos antes da convenção a favor da entrada do PCdoB na sua coligação, contra a vontade do seu maior apoiador, ficou temeroso que o Gladson dê uma guinada para esquerda na formação de um novo bloco com a prefeita. Bittar diz não acreditar que a Socorro vai se filiar ao partido que o governador escolher depois da eleição, como espera o Gladson. “A única maneira do Gladson não me ver ao seu lado em 2022, é ter no seu palanque políticos que são contra o Bolsonaro”, avisou. O meu palanque – falou ao BLOG – será o do Bolsonaro, de cuja candidatura serei o coordenador no Acre. E neste palanque não há lugar para partidos de esquerda como PDT-PV-PSB, PT, PCdoB, aduziu. Márcio diz que pensando na hipótese de um novo quadro político do governo com a esquerda começa a trabalhar na montagem de um “Plano B”, como precaução, buscando um nome novo para disputar o governo pelo partido do presidente Jair Bolsonaro, em 2022. “Tenho que estar preparado para o fato do governador Gladson Cameli continuar neste grupo de esquerda que integra a coligação da prefeita”. Márcio destacou ver com preocupação o futuro político do governador: se ganhar a eleição com a prefeita, terá os partidos mais fortes que o apoiaram na última campanha contra ele. E se perder, sairá do processo desgastado. Bittar promete ter  em Brasília está semana , uma conversa franca com o Gladson. Na política temos que ser sincero. E serei, diz Bittar.

CHAPA BISADA

A prefeita Fernanda Hassem (PT) teve sua chapa homologada na convenção, com o vice Carlinho do Pelado (PSB) sendo bisado. A Fernanda vai para a disputa bem avaliada.

HISTÓRIA QUE A VOVÓ NÃO CONTOU

 ACONTECEU ONTEM um caso em Brasiléia que é de gargalhar. O Gladson Cameli declarou em vídeo apoio à candidata do MDB a prefeita. E os seus cargos de confiança, que dominam o PROGRESSISTAS, no município, naquela do aqui quem manda sou, decidiram apoiar o PT.

NENHUMA VEZ

FALAM MUITO do PT. Mas sabem quantas vezes aconteceria num governo do PT um ocupante de cargo de confiança ser contra uma decisão do governador e apoiar o MDB? Nenhuma!

NOTA DE 300 REAIS 

É TÃO VERDADEIRA como uma nota de 300 reais, a história de que a coligação do MDB com o PROGRESSISTAS, em Brasiléia, incluia no pacote a retirada da candidatura do MDB a prefeito de Xapuri. Venderam alho por bugalho para a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS).

O PATRÃO E O MORDOMO

APENAS RELATO como jornalista fatos, pouco me importa se é a Maria ou a Maroca que vai ganhar em Brasiléia. Nem voto e nem tenho interesses no município. Mas o fato acontecido ontem foi tão cômico que não poderia registrar. Foi ver mordomo mandando no patrão.

DUAS LAPADAS

O PROGRESSISTAS deu duas lapadas no Gladson Cameli: em Rio Branco e Brasiléia

FICOU MAL NA FITA

O senador Márcio Bittar (MDB) ficou mal na fita, porque tinha a promessa do governador Gladson de que estaria com o MDB em Cruzeiro do Sul e Brasiléia. Ficou chupando dedos.

 BARCO PERDIDO…

COMO DIZ O DITADO: barco perdido, bem carregado. O MDB vai cancelar a coligação com o prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores (PROGRESSISTAS), de indicar o seu vice. O fato acontecido em Brasiléia não pode deixar de ter troco, disse ontem dirigente do MDB ao BLOG.

SEGURO NO PINCEL

Quem também ficou seguro no pincel em Brasiléia foi o assessor político do governo, Moisés Diniz, que fez sua parte, conversou, e deixou tudo certo que o PP não cairia no colo do PT. 

FICAR PREPARADA EMOCIONALMENTE

Quando a prefeita Socorro Neri foi vice na chapa do candidato a prefeito Marcus Alexandre (PT), não foi questionada na campanha, não foi criticada, não teve o seu nome exposto, porque o debate passa ao largo do vice. Como candidata a prefeita se prepare para as pancadas que vai receber dos adversários. Ninguém passa imune numa eleição a prefeita.

NADA DE ZEQUINHA

UM ALIADO do ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, revelou ontem que o seu grupo não apoiará a candidatura do professor Zequinha (PROGRESSISTAS), mas sim o militar Adonis, candidato a prefeito do PSL. Teria, inclusive, intermediado com o DEM indicar o vice.

DAMA DE FERRO

O FATO DA ELEIÇÃO na capital vir ser comandada pela Desembargadora Denise Bonfim já deixa todo mundo com uma maior tranquilidade de que se vai pensar cem vezes antes de usarem a máquina pública na campanha. E tem que ser assim, a eleição tem que ser limpa em tudo.

MDB AVISADO

O SENADOR MÁRCIO BITTAR (MDB) falou que avisou aos dirigentes do MDB que, no município em que estiver o PCdoB ou o PT no palanque, não chegará nem perto. Ninguém é mais Bolsonaro no Acre que o Bittar que, inclusive, toma café hoje no Alvorada com o presidente.

UMA BOA FATIA

COM A EX DEPUTADA FEDERAL ANTÔNIA LÚCIA (PL) como vice na chapa do deputado Roberto Duarte (MDB), este terá a sua candidatura encorpada no meio evangélico. Várias denominações evangélicas deverão embarcar no apoio à candidatura do MDB á PMRB.

FESTA DO ARROMBA

O PREFEITO de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), deu ontem na sua convenção uma mostra do que será a sua candidatura: com o povão. Será uma barra para oposição derrotá-lo.

NÃO SE DISPUTA O MOSTEIRO

É mais do que natural de que os adversários centrem suas cobranças e críticas na gestão da prefeita Socorro Neri, afinal, o que estará está em discussão e disputa não é o posto de coroinha do Padre Mássimo, mas quem será o próximo prefeito de Rio Branco. Ponto final.

NÃO DESCEU DAS COLINAS

Até o fechamento da coluna o PCdoB não tinha descido das colinas depois de levar uma sapatada da prefeita Socorro Neri, sendo vetado na sua coligação. O boato que corria é de que a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) disputaria a PMRB, só barulho por enquanto.

ESTAVA EM TARAUACÁ

MAS TÃO DECEPCIONADO com o desfecho não está só o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), que ainda não saiu do mutismo, mas também o deputado Jenilson Lopes (PSB), o maior defensor da aliança. A última notícia do Jenilson é que estava pelas bandas de Tarauacá.

PANCADA FORTE

O PCdoB é para estar tonto mesmo depois da pancada na cabeça com o veto à sua entrada na coligação da prefeita Socorro, até horas do anúncio fatídico estava tudo certo dos comunistas posarem para as fotos da aliança com a prefeita. Ser vetado estava fora dos planos do PCdoB.

O MAIS COMPLICADO

A SITUAÇÃO ficou mais complicada para os comunistas pelo fato de nenhum dos sete candidatos a prefeito de Rio Branco abrir espaço para uma coligação. O que é a política, quem é que imaginaria que os comunistas, que sempre tiveram boa votação na capital, sendo rejeitados.

ATÉ OS ADVERSÁRIOS

Até os adversários dão como difícil derrotar a prefeito Bira Vasconcelos (PT), em Xapuri. 

VICE DO PSL

A NOTÍCIA que corria ontem era que o vereador Charbel Reis (PSL) poderia ser o vice na chapa da candidata a prefeita de Brasiléia, Leila Galvão (MDB). O PSL tem um bom tempo de rádio.

MUITA MANIFESTAÇÃO

Tenho ouvido muita manifestação de votos de figuras importantes da sociedade, e que não participam diretamente da política, se manifestando a favor da candidatura do Minoru.

FIQUE EM CASA

O candidato a prefeito que ficar melindrado com críticas; fique em casa, porque quando você é candidato a um cargo público está sujeito a ter todos os seus atos revirados na campanha.

MULHERES CANDIDATAS

ROSE (PSDB), Cleiça França (PSD), professora Gervania (PROGRESSISTAS), Daniela Paiva (MDB), são mulheres que também estão disputando mandatos de vereadora de Rio Branco.

PAU PARA COMER SABÃO…

Na reunião com os agropecuaristas e pequenos produtores rurais foi pau para lamber sabão, e pau para saber que sabão não se come, contra dirigentes dos órgãos ambientais do estado. O vice-governador Major Rocha, que comandou a reunião, transmitiu a pauleira ao vivo.

PDT COM CIRO

O PDT do deputado Luiz Tchê deverá estar no palanque do Ciro Gomes, no confronto contra o Jair Bolsonaro, em 2022. Tchê não esconde a sua simpatia pela candidatura do cearense.

 FRASE MARCANTE

“A consciência é o melhor livro de moral que possuímos, é aquele que devemos consultar mais seguidamente”. Pascal.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.