Conecte-se agora

Rio Acre se aproxima da cota de alerta e pode transbordar até a próxima segunda-feira

Publicado

em

A enxurrada registrada na madrugada deste sábado, dia 17, em Brasiléia e Epitaciolândia pode representar o prenúncio dos próximos dias em Rio Branco. Na região do Alto Acre choveu quase 100 milímetros pela noite, e, a exemplo da Capital, imóveis e ruas foram tomadas pelas águas.

Não por acaso, e já preocupados com o nível do rio e com os próximos capítulos do inverno acreano, autoridades se reuniram para delimitar os próximos passos, sendo, o primeiro deles, a manutenção do Parque de Exposições Wildy Viana para receber, de pronto 108 famílias, caso o rio transborde em Rio Branco.

“Foi uma reunião de alinhamento. Rio Branco passou uma situação atípica. Choveu em 10 horas o previsto para todo o mês. Estamos na expectativa de que haja um transbordamento nos próximos dias. O rio pode ultrapassar os 14 metros, mas a gente não tem uma ideia de em quando o nível pode chegar”, explica o chefe da Defesa Civil Municipal, George Santos.

A situação é tão preocupante, que em poucas horas o nível do rio Acre já estava se elevando na cidade de Xapuri, também no Alto Acre. Na Capital, segundo a medição das 18 horas deste sábado, o manancial estava marcado 12,86 metros, já se aproximando da cota de alerta, que é de 13,50 metros.

Com o quadro de instabilidade no rio Acre, a previsão é que haja mesmo um transbordamento até a próxima terça-feira, com a elevação de nível ganhando força na segunda, dia 19, quando as águas que descem das cabeceiras começam a chegar em Rio Branco.

Na Capital, quando o nível chega a 13,50 metros, ascende-se o Alerta, e com 14 metros, exatamente, a Defesa Civil declara o transbordamento do manancial. Logo que for atingida a Cota de Alerta, contudo, o poder público vai colocar em prática do Plano de Contingência, já preparado com antecedência pela prefeitura.

Anúncios

Acre

Mais duas mortes e 149 casos de Covid-19 são registrados no Acre

Publicado

em

Foto: Júnior Aguiar - Secom

O Acre registrou neste sábado, 26, 149 novos casos de contaminação pelo novo coronavírus. Assim, o número de infectados subiu de 27.710 para 27.859, nas últimas 24 horas.

Segundo o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), mais 2 óbitos foram registrados, 1 do sexo masculino e 1 do sexo feminino, ambos moradores de Rio Branco, fazendo com que o número oficial de mortos pela doença suba para 656 em todo o estado.

O Acre, até o momento, registra 71.451 notificações de contaminação pela doença, sendo que 43.587 casos foram descartados. Cinco testes de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 24.885 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 80 seguem hospitalizadas.

Óbito masculino:

R. C. C. B., de 88 anos. Morador de Rio Branco, deu entrada no dia 11 de setembro no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), e faleceu nesta sexta-feira, 25.

Óbito feminino:

S. M. S., de 59 anos. Moradora de Rio Branco, deu entrada no dia 4 de setembro no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), vindo a falecer nesta sexta-feira, 25.

Continuar lendo

Acre

Acusados de abuso sexual são alvos da Operação Criança Livre

Publicado

em

A ‘Operação Policial Criança Livre’, desencadeada na manhã deste sábado, 26, na cidade de Xapuri, prendeu dois homens acusados de cometer abuso sexual a crianças.

De acordo com o coordenador da operação, delegado Bruno Coelho, os mandados de prisão cumpridos foram contra suspeitos do próprio núcleo familiar das vítimas.

A ação também contou com apoio do investigador Eurico Feitosa. “Uma das vítimas tinha apenas quatro anos de idade”, informou o delegado.

Outros casos ainda estão em investigação na cidade de Xapuri. “Por fim, deixo claro que a operação está apenas começando e o combate contra esse tipo de crime é uma de suas prioridades aqui no Município”, destacou Coelho.

Com informações do Alto Acre

Continuar lendo

Destaque 3

Brasil atinge neste sábado menor número médio de mortes em 17 dias, apontam dados da Fio Cruz

Publicado

em

A média diária de mortes por covid-19, de acordo com a média móvel de sete dias, no Brasil chegou a 687,86 casos ontem (25), segundo dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Houve queda de 10,35%, ou 79,23 registros a menos, em relação à sexta-feira anterior (18), quando haviam sido registradas 767,29 mortes.

Esse é o menor número médio de mortes desde o dia 9 de setembro (682,86). O pico de mortes (1.095,14) foi atingido em 25 de julho. Desde então, apresentou tendência de queda (com oscilações e leves altas) até o dia 9 de setembro. Depois disso, as mortes voltaram a aumentar até chegarem a 814,57 no último dia 15 e depois caíram novamente.

A média diária, de acordo com a média móvel de sete dias, de novos casos é de 27.587,86. Também aqui há uma tendência de queda, mas desde o dia 16 de setembro, quando foram registrados 31.374,86 novos casos.

A média móvel de sete dias é calculada somando-se o número de mortes nesse intervalo de tempo (o dia de referência mais os seis dias anteriores) e dividindo-se o total por sete. Com isso, é possível reduzir o impacto de oscilações diárias.

Entre os estados, há aqueles que apresentaram na última semana altas e aqueles que apresentaram queda. Entre as quedas, destacam-se Rondônia (-46%), Pará (-43,34%), Santa Catarina (-26,17%) e Rio Grande do Sul (-20,26%). Entre as altas ocorridas do dia 18 de setembro até ontem aparecem Paraíba (17,5%), Sergipe (15,29%), Espírito Santo (12,44%).

Agência Brasil

Continuar lendo

Acre

Sapolândia, a invasão que abriga o sonho de mais de 700 pessoas

Publicado

em

Sapolândia, a comunidade que surgiu em 2009 fruto de uma invasão nas proximidades do bairro Distrito Industrial, se desenvolve em passos lentos pela falta de estrutura e investimento público.

Por lá, a estrutura de saneamento básico é péssima, as ruas são cheias de buracos, não existem praças ou parques para as crianças, a iluminação pública é preocupante e o posto de saúde mais próximo gera descontentamento geral pela distância.

A comunidade espera ansiosa pela chegada dos candidatos ao bairro para dar o troco. São quase 700 pessoas que sofrem com a ausência de investimento e o excesso de promessas. A desesperança toma conta das famílias e faz parte do cotidiano de todas elas.

O videomaker do ac24horas, Kennedy Santos, traz em seu costumeiro repertório de comunidade um raio-x repleto de detalhes que a comunidade fez questão de lhe mostrar.

O vídeo mostra também a situação preocupante dos dois igarapés que passam por lá, o Dias Martins e o São Francisco.

Assista o vídeo:

video

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas