Conecte-se agora
Fechar

Acre

Abastecimento de água fica comprometido no 2º Distrito, Centro e bairro Vila Ivonete

Publicado

em

Uma falha nos equipamentos do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) deixou o abastecimento comprometido em três regiões de Rio Branco: Centro, 2º Distrito e proximidades do bairro Vila Ivonete.

Segundo nota do Depasa, foi a baixa vazão no processo de captação da Estação de Tratamento de Água (ETA 1) que provocou a redução no fluxo de abastecimento. Cerca de 10 bairros ficam prejudicados com a situação. Técnicos da instituição já trabalham para corrigir o problema até a sexta-feira, dia 16.

Os principais bairros atingidos por esta situação emergencial foram Santo Afonso, Cidade do Povo, Quinze, Cidade Nova, Taquari, Procon, Village, Sobral, Condomínio Bouganville e Avenida Antônio da Rocha Viana.

Acre

Médico Giovanni Casseb é internado na UTI do Pronto Socorro após arritmia

Publicado

em

O médico e professor Giovanni Casseb foi internado nesta segunda-feira, 19, na UTI do Pronto Socorro de Rio Branco após sofrer uma arritmia cardíaca.

Ele teria passado mal durante plantão médico no SAMU. O professor chegou à unidade consciente e foi levado à UTI por precaução. Giovanni continua internado no hospital.

Giovanni Casseb também é professor da Universidade Federal do Acre e ficou ficou bastante conhecido após se fantasiar de Negão do WhatsApp durante uma “aula da saudade” de uma das turmas do curso de Medicina da instituição em dezembro do ano passado.

O caso teve enorme repercussão nas redes sociais. Militantes das chamadas minorias protestaram contra o médico e professor, que depois se desculpou

Continuar lendo

Acre

Dois homens são assassinados à tiros no bairro Recanto dos Buritis, em Rio Branco

Publicado

em

O crime aconteceu em uma espécie de bar onde as vítimas jogavam sinuca situado na Travessa Paulista, região do bairro Recanto dos Buritis, segundo Distrito de Rio Branco.

Os criminosos chegaram em um veículo e renderam as vítimas efetuando disparos diretamente na região da cabeça e na nuca. Um dos mortos foi identificado no local como Paulo Henrique o outro ainda segue sem identificação.

O local foi isolado pela Polícia até a chegada do Instituto Médico Legal (IML) e após os procedimentos periciais os corpos foram encaminhados a base. O caso deverá ser investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Continuar lendo

Acre

Comissão pede que MPF investigue crime de injúria racial contra Gleici do BBB 18

Publicado

em

Uma comissão formada por representantes da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e da Secretaria Adjunta de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seadpir), além dos conselhos estadual e municipal de Promoção da Igualdade Racial, esteve nesta terça feira, 20, na Promotoria Regional dos Direitos do Cidadão no Ministério Público Federal (MPF) do Acre para solicitar que o MPF apure o crime de injúria racial contra uma acreana, na internet.

O crime foi cometido por meio de perfil criado em uma rede social utilizando o nome da vítima, Gleici Damasceno, com características depreciativas que configuram injúria racial, o que, segundo a comissão, ofende as demais mulheres negras do estado, uma vez que 70% da população acreana é considerada negra.

A injúria racial está prevista no artigo 140, parágrafo 3º, do Código Penal, que estabelece a pena de reclusão de um a três anos e multa, além da pena correspondente à violência, para quem cometê-la. De acordo com o dispositivo, injuriar seria ofender a dignidade ou o decoro utilizando elementos de raça, cor, etnia, religião, origem ou condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência.

Após receber a notícia crime, a promotora Luciana de Miguel Cardoso Bogo afirmou que entrará com pedido judicial de afastamento do sigilo telemático dos dados, ou seja, localizar o computador de onde saíram as ofensas. “A questão vai muito além da prática individual do crime. É a oportunidade de valorizar a diversidade e mostrar o desrespeito que vem sendo praticado em vários setores. O Ministério Público Federal está junto na promoção da igualdade racial”, pontuou.

“Todos os atos relacionados à discriminação que ferem os direitos individuais e coletivos dos cidadãos devem ser denunciados. A conduta configura crime, e não podemos aceitar a intolerância”, explica a secretária adjunta da Seadpir, Elza Lopes.

“Queremos combater essa atitude cruel, que diminui, menospreza, exclui e ofende a dignidade do ser humano”, ressalta a diretora do Departamento de Promoção de Igualdade Racial, Almerinda Cunha.

A vítima, Gleici Damasceno é estudante de psicologia, entusiasta da luta pela Defesa dos Direitos Humanos, em especial os direitos das mulheres e a igualdade racial, e ficou conhecida em todo o país após ingressar em um reality show de uma emissora nacional.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.