Conecte-se agora

Caso Telexfree: Brasileiro que levou autoridades dos EUA a US$17 milhões escondidos em colchão é condenado a prisão

Publicado

em

Por Reuters

Um brasileiro cuja detenção levou autoridades dos Estados Unidos a descobrirem US$ 17 milhões escondidos em um colchão foi condenado nesta quinta-feira (8) a quase três anos de prisão por tentar lavar dinheiro ligado ao esquema de pirâmide financeira conhecido como TelexFree.

Promotores federais em Boston disseram que Cleber Rene Rizerio Rocha, 28, viajou aos Estados Unidos em várias ocasiões para ajudar a recuperar dinheiro que um co-fundador da TelexFree deixou para trás quando fugiu do país.

Raymond Sayeg, advogado que representa o brasileiro, argumentou que Rocha não deveria cumprir mais do que os 13 meses que ele já cumpriu desde sua prisão em janeiro de 2017.

Mas o promotor Andrew Lelling disse que Rocha, que se declarou culpado em outubro de conspiração e lavagem de dinheiro, desempenhou papel-chave em atividade ilícita ao atuar como mensageiro e custodiante de dinheiro de um esquema de pirâmide que o co-fundador da TelexFree Carlos Wanzeler escondeu.

“O senhor Rocha não é um cordeiro inocente”, disse Lelling.

O juiz Leo Sorokin, ao impor uma sentença de 33 meses de prisão, deu crédito a Rocha por ter colaborado com as autoridades ao menos inicialmente, ao ajudá-las a localizar o apartamento em Westborough, no Estado de Massachusetts, onde os US$ 17 milhões foram encontrados.

“É essencialmente uma cooperação imperfeita, pode-se dizer, e essa cooperação revelou um montante gigantesco de dinheiro”, disse.

Esquema de pirâmide

Promotores disseram que a TelexFree vendia um telefone via internet, mas na verdade se tratava de um esquema de pirâmide, cujo dinheiro vinha não do produto, mas de pessoas que pagavam para se inscrever para serem “promotoras” e divulgavam anúncios online para isso.

Sediada em Massachusetts, a TelexFree faliu em 2014, provocando US$ 3 bilhões em perdas para quase 1,89 milhão de pessoas em todo o mundo, disseram promotores.

James Merrill, outro co-fundador da TelexFree, foi preso em maio de 2014 e sentenciado a 6 anos de prisão em março de 2017 depois de se declarar culpado das acusações de fraude e conspiração.

Wanzeler, que é cidadão brasileiro, fugiu para o Brasil em 2014 e não pode ser extraditado. Ele deixou para trás dezenas de milhões de dólares que lavou de contas da TelexFree, disseram os promotores.

Propaganda

Destaque 5

Emerson Jarude lança candidatura à presidência da Câmara

Publicado

em

Com o final do segundo ano de mandato da Legislatura, os vereadores de Rio Branco iniciam as discussões para a eleição da próxima Mesa Diretora da Câmara. Pensando nisso, em tribuna na manhã desta terça-feira, 16, o vereador Emerson Jarude (sem partido) lançou a sua candidatura à presidência da Casa e propôs um debate entre os candidatos ao cargo.

Além da presidência, os vereadores da capital também irão escolher a vice-presidência, primeiro e segundo secretário, e suplente. A eleição ainda não foi marcada, mas ocorrerá antes do recesso parlamentar do final de ano.

As propostas de Jarude incluem licitar e iniciar as obras da sede da Câmara, diminuir os gastos de gabinete, modernização e reestruturação administrativa, atualização do inventário de bens patrimoniais, instituir programa de valorização dos servidores, implantar ouvidoria e convocar concursados.

“Coloco o meu nome à disposição para presidir os trabalhos legislativos pelos próximos dois anos para que possamos juntos fazer transformações de pequeno, médio e longo prazo. Se eleito for, vamos atuar com transparência e eficiência na gestão da Câmara, para devolver ao cidadão um serviço público de qualidade”, afirma o vereador.

Bastidores fervilham

Os bastidores da Câmara de Vereadores começaram a fervilhar em torno da eleição da Mesa Diretora que vai comandar a Casa nos próximos dois anos.

Três candidatos, a priori, se colocam à disposição: Antônio Morais (PT), Emerson Jarude (sem partido) e N. Lima (PSL). Rodrigo Forneck, também do PT, não descarta pôr seu nome na disputa.

O petista Antônio Morais começou a campanha pela presidência há mais tempo. Por isso, no momento, ele estaria em vantagem em relação aos seus adversários. Há quem diga que seria Morais o candidato da prefeita Socorro Neri.

Já N. Lima é o nome até aqui da oposição. Tanto o militar da reserva como Jarude tem apoio dos vereadores oposicionistas da Casa, que são seis dos 17.

Continuar lendo

Destaque 5

Jéssica Sales anuncia empenho de  R$ 1.5 milhão para reforma do estádio Naborzão em Tarauacá

Publicado

em

Ao seu melhor modo de atuar como parlamentar, a deputada Jéssica Sales segue em Brasília destinando mais recursos para as prefeituras acreanas. O anúncio do empenho na ordem de R$ 1.5 milhão para Tarauacá, reforça o propósito da emedebista de dar continuidade aos trabalhos, focada no fortalecimento dos municípios. Sem medir esforços, Jéssica Sales se qualificou e se consolidou em seu primeiro mandato, como a parlamentar que mais levou recursos para os municípios do Estado do Acre.

O recurso garantido agora para Tarauacá é proveniente de indicação extra ao orçamento 2018 através do Ministério do Esporte e será aplicado na revitalização do Estádio Naborzão, um investimento relevante para tornar as instalações do espaço, modernas e confortáveis para o esporte.

O projeto da obra já está sendo elaborado pela Prefeitura de Tarauacá e contempla a construção de arquibancada coberta, vestiários e sala de árbitros, bem como, instalação de novas luminárias e implantação do sistema de irrigação do gramado.

O Estádio Municipal esteve um longo período fechado ao público desportista devido as condições precárias da estrutura física.

O apelo pela adesão à mobilização do Naborzão chegou à deputada Jéssica Sales através do empresário Neto Pro- LinK  que  sensibilizado com a situação de abandono do local,  decidiu promover “ SOS Naborzão”. Formou-se no município, um grupo de apaixonados pelo  esporte e lançaram o movimento para revitalizar o estádio conclamando a população, comerciantes, empresários para adquirir os recursos necessários para o resgate do espaço.

Para Jéssica Sales, a prática de esporte é salutar e fundamental na promoção social e no lazer  das crianças, jovens e adultos. O  movimento iniciado pelo Neto Pro-Link tomou grande proporção  e já apresenta um resultado positivo de parcerias.   “Uma iniciativa louvável  e que demonstra que é possível realizar  benfeitorias quando há a união de forças, seriedade, envolvimento da população e o comprometimento do poder público.” – afirmou a parlamentar.

Continuar lendo

Destaque 5

Governo do Acre vai encerrar parcerias com o Instituto São José e Colégio João Calvino; entenda

Publicado

em

Estudantes, professores, e pais de alunos do Instituto São José e do Colégio João Calvino, em Rio Branco, estão aflitos com a informação de que a Secretaria de Educação e Esporte do Acre (SEE/AC) encerrará os convênios com as instituições de ensino. A informação caiu como uma “bomba” nas salas de aula.

Preocupados com o futuro dos alunos, que estão há pelo menos oito anos no Instituto São José, que pertence à Diocese de Rio Branco, pais procuraram o ac24horas na semana passada para denunciar que está sendo feito “terrorismo” junto a professore se alunos, dando conta que as escolas vão fechar as portas antes do término do ano letivo.

“O que estão fazendo é dizendo que a escola vai fechar porque o governo vai encerrar o contrato e as escolas não tem como funcionar. A estrutura é ruim aqui no São José, mas como é que esses meninos vão ficar. Eles estavam sendo preparados aqui. Minha filha está aqui há três anos, e não sei onde vou colocá-la”, reclama Mariana Rufino, uma das mães.

A Secretaria de Educação, na contramão, garante que o ano letivo será cumprido integralmente, mas confirma que o convênio entre o poder público e as duas escolas vão ser encerrados em dezembro, e que não há garantias de que os serviços possam voltar em 2019. A secretaria também informou que a decisão de continuar a parceria deverá ser tomada pela próxima gestão da pasta.

“Eu tenho medo que meu filho não consiga mais acompanhar o ensino, porque ele acostumou ao sistema do João Calvino. Para estar lá, a gente pegou fila, era melhor ter deixado ele em outra escola, porque toda vez que precisa mudar, é muito difícil para achar vaga perto de casa. Dessa vez a gente mora bem próximo. Cadê o Ministério Público? Ninguém vai fazer nada?”, questiona Ana Lourdes da Silva.

A SEE/AC deixou claro que os pais podem ficar tranquilos quando ao ano letivo em curso. A decisão de cancelar os convênios é porque a legislação não permite “restos a pagar” de um governo para o outro, ou seja, Sebastião Viana não pode deixar esse tipo de custo para Gladson Cameli, o próximo governador do estado. Cameli, contudo, pode atuar para refazer os convênios.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.