Conecte-se agora
Fechar

Cidades

Sebastião leva puxão de orelha pela crise da segurança e diz que o Estado virou refém do correio da má notícia

Publicado

em

O incêndio no prédio da Unidade Prisional – 4, conhecida como Papudinha, e o assassinato, ontem (7) de mais dois presidiários do sistema semiaberto, incomodou e muito o governador Sebastião Viana, que durante o seu discurso na solenidade de abertura do ano judiciário, no Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, citou por várias vezes o trágico acontecimento, colocando o estado como vítima do que classifica como “espetáculo da tragédia” vivido pela sociedade.

Sebastião Viana demonstrou enfado por não fazer prevalecer no último ano de sua gestão, números que ele considera como reais avanços, como o crescimento do PIB, indicadores da educação e melhorias, segundo o governador, na saúde pública.

“Hoje mesmo entregamos equipamentos para a educação, fechamos números de investimentos em milhões na climatização de salas, mas o que vai aparecer são duas salas queimadas pela facção, um morto e dois feridos. Viramos reféns das más notícias”, disse o governador.

O visível aborrecimento de Sebastião, foi por conta de posicionamentos duros feitos pelos representantes das instituições ligadas ao judiciário. O discurso forte de encontro à postura do Estado de buscar culpados pela onda de violência foi puxado pelo presidente da OAB-AC, Marcos Vinícius Rodrigues. “As instituições estão isoladas e donas de suas verdades, ninguém tem tido a humildade e as parcerias de discutir as causas sociais visando o bem comum da sociedade”, disse Vinicius.

O representante da advocacia, ao citar a ação dos donos de bocadas dentro e fora dos presídios, chamou atenção direta do chefe de estado. “Isso é uma situação, governador, que não pode ser debitada a um partido, a um grupo, é culpa de todos nós. Temos que discutir isso, o sistema carcerário brasileiro alimenta a criminalidade, quando que vamos tomar esse espaço público, que é nosso?”, questionou a OAB.

Ao citar o evento que culminou com o fechamento da Papudinha, Vinicius disse que a criminalidade perdeu o receio dos poderes constituídos, chamando para um debate fiel a sociedade brasileira. Para ele, “castigar criminoso virou mudança de endereço, onde o dono da bocada, faz dentro do presídio o que ele faz fora e com mais segurança. É o estado garantido segurança para que aquela pessoa cometa crimes”, criticou.

O discurso da OAB foi acompanhado pelo Ministério Público. De forma mais moderada, a Procuradora Geral do Estado, Kátia Rejane, convergiu no mesmo sentido, voltou a chamar atenção para a mensagem que busca apenas culpados. A procuradora lembrou do combate ao crime organizado na era Hildebrando Pascoal.

“Violência urbana não tem explicação simplória e nem soluções mágicas. O Problema é complexo assim como nossa sociedade. O momento não é de atribuir culpa ou achar culpados. Em um passado recente com união e trabalho conseguimos vencer o crime organizado”, acrescentou a procuradora.

Coube aos magistrados presentes e que fizeram uso da palavra, mediar o debate que gerava certo desconforto na solenidade. O desembargador Roberto Barros até citou a crise migratória em Roraima, por conta da fuga de Venezuelanos, lembrando que o Acre administrou situação parecida quando haitianos invadiram as fronteiras.

A desembargadora e corregedora do Tribunal de Justiça, Valdirene Cordeiro, chamou todos para união em torno da causa maior. E a decana, desembargadora Eva Evangelista, falou até da “inteligência artificial”, o risco cada vez mais alto, de que as pessoas sejam substituídas por robores.

A decana tocou no assunto violência e atualizou dados ao governador Sebastião Viana sobre a violência doméstica, que segundo ela, leva o Acre ao quarto lugar no ranking nacional, por conta da desestruturação da família. “As famílias estão sendo substituídas pelos chefes de facções”, disse a desembargadora Eva.

O governador Sebastião Viana até tentou demonstrar bom humor, alinhou seu discurso a citação de “inteligência moderna”, elogiou a parceria e independência do Judiciário, mas em seguida, caiu em contradição, depois de colocar o estado como vítima do negativo, concordou que os deságios são concretos e que ameaçam a paz familiar. “Não é uma resposta fácil, aqui no Acre estamos fazendo o impossível”, acrescentou Sebastião.

Parecendo não ter dado ouvidos para a reclamação feita pelos representantes das instituições, o governador voltou a atacar o governo federal que, segundo ele, tem sido omisso para a “tragédia do consumo de drogas”. “O Estado do Ceará em janeiro registrou 500 assassinatos. Nós registramos 45. O que é muito. Mas o culpado direto é o governo federal que não fecha a fronteira”, concluiu o governador.

Confira a solenidade na integra:

Cidades

Traficante procurado pela justiça é preso pela Polícia Civil em Mâncio Lima

Publicado

em

Com dois mandados de prisão em aberto, acusado de homicídio, tráfico de drogas e participação em organização criminosa, Diego da Silva Lima, vulgo “maradona” foi preso pela Polícia Civil em Mâncio Lima, na manhã desta terça-feira, 20.

Diego era um dos traficantes mais procurados por todas as forças policiais na região do Juruá, por ser o principal intermediário entre traficantes peruanos e brasileiros, negociando grandes quantidades de drogas.

Há mais de três anos a Polícia Civil investigava esse criminoso, que era o responsável por abastecer a maioria das bocas de fumo da região do Juruá e também tinha ramificações com traficantes das demais regiões do Acre e de outras unidades da federação.

Devido ao poderio alcançado no mundo do crime, Diego, recentemente se tornou conselheiro de uma organização criminosa, e desde então, passou a ter controle sobre outros criminosos, mandando-os cometer crimes de roubos e homicídios.

Diego é suspeito de ter participado da morte de um adolescente de 14 anos de idade. O crime ocorreu no dia 30 de dezembro do ano passado, tendo ligação com a guerra entre facções e o domínio do tráfico.

Este criminoso ainda não tinha sido preso, porque todas as vezes que a polícia tentava abordá-lo em flagrante, ele empreendia fuga pela mata, deixando para trás os veículos carregados com drogas.

O secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, se pronunciou sobre a prisão desse elemento de grande poder lesivo para a sociedade.

“Que a prisão desse criminoso sirva de exemplo para outras pessoas que queiram entrar para o crime. As forças de segurança irão continuar com o trabalho de combate a criminalidade e ao tráfico de droga. Nos últimos quinze dias, mais de 150 pessoas já foram presas, e esse número tende a aumentar com as futuras ofensivas policiais em todo o Estado do Acre. Estamos fazendo nossa parte”, disse Emylson.

Continuar lendo

Cidades

Ao manusear bomba d’água, peão morre eletrocutado à beira de açude na zona rural de Sena Madureira

Publicado

em

Foi registrado o falecimento de um peão na fazenda do Ramal Linha Nova, na BR-364, Estrada de Sena Madureira, interior do Acre. Raimundo Nonato da Silva Araújo,45 anos, morreu eletrocutado ao manusear uma bomba d’água.

Ele tentava ligar a bomba debaixo de uma forte chuva, o que culminou com sua morte. o acidente fatal foi registrado nesta segunda-feira (19).

O corpo de Araújo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para ser liberado aos familiares. A vítima foi encontrada caída ao lado do equipamento por um colega de trabalho.

Continuar lendo

Cidades

Ministro da Integração garante envio de materiais para famílias atingidas por enxurradas em Rio Branco

Publicado

em

O ministro da Integração, Helder Barbalho, garantiu em reunião com o governador Sebastião Viana, em Brasília, nesta terça-feira, 20, o envio de mil cestas básicas, mais de 700 kits de limpeza, além de kits de higiene e colchões para as famílias de Rio Branco atingidas pela cheia do rio Acre e pelas enxurradas de igarapés ocorridas durante uma forte chuva na semana passada.

“Rio Branco terá o atendimento e atenção do governo federal. Já autorizamos, e estão em fase de deslocamento, utensílios para atender as famílias atingidas. Com isto, unindo esforços com o governo do Estado e o governo municipal, vamos assegurar uma plena resposta e que essas famílias diminuam o sofrimento”, garantiu Barbalho ao governador.

A chuva que alagou ruas e casas em 20 bairros e interditou vias importantes na capital do Acre foi a maior já registrada em um mês de fevereiro: 276 milímetros em dez horas, segundo a Defesa Civil. Esse volume foi suficiente para desabrigar centenas de famílias.

“O ministro já atendeu o pedido da capital e enviou os materiais para socorro e redução dos danos das famílias que foram atingidas pela cheia intensa de 20 igarapés dentro da cidade de Rio Branco, que não tiveram capacidade de drenar as intensas chuvas em tão poucas horas”, lembrou o governador.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.