Conecte-se agora

“Foi uma descortesia muito grande do Gladson vazar uma tratativa com o presidente do DEM”, diz Bocalom

Publicado

em

O presidente regional do DEM, Tião Bocalom confirmou no início da noite desta quarta-feira (31), que o áudio que vazou com o presidente nacional do Democratas, o senador Agripino Maia, afirmando que o partido não tem interesse em uma candidatura própria ao governo do Acre é autentico. Bocalom afirma que o senador Gladson Cameli (Progressistas) é o responsável pelo vazamento numa tentativa de prejudicar a pré-candidatura de Coronel Ulysses, mas que ele não abre mão porque acredita que o projeto é viável.

“O áudio é autentico sim. Eu digo isso porque saiu do telefone do Gladson. Foi uma descortesia muito grande do Gladson vazar uma tratativa dele com o presidente de nacional de um partido. Isso é ruim para democracia e ruim para confiança, ruim para a relação, ruim para mim. Enfim, ruim para todos nós. Acho que ele não deveria jamais ter feito isso. Inclusive, eu passei para o presidente Agripino o áudio e escrevi o que eu entendo disso aí para ele. Passei uma mensagem dizendo que eu não concordo com esse tipo de coisa”, diz Bocalom.

O dirigente do DEM nega que a reunião com a executiva nacional do DEM esteja agendada para o dia 1o de fevereiro. “No dia que eu falei com o Agripino, ele disse que queria falar comigo no início de fevereiro. Eu acredito que é lá pelo dia 10 ou 12 quando ele vai estar em Brasília de volta. Eu vou mostrar o projeto e mostrar que do jeito que a gente está tocando essA candidatura majoritária, a minha eleição de deputado federal a gente consegue com toda certeza. Até porque o que mais a nacional quer é um deputado federal”, ressalta Tião Bocalom.

Ele destaca que vai viajar para Brasília acompanhado do Coronel Ulysses, para as devidas apresentações a José Agripino Maia. “Eu vou o Ulysses comigo para a gente ter uma conversa e apresenta-lo na executiva nacional. Da minha parte, eu não abro mão da candidatura, porque eu acho que o homem tem que ter palavra. Quando fizemos o lançamento do Ulysses foi com a anuência do Alan. Foi feita uma reunião com 28 pessoas e apenas uma foi contra, o restante todo mundo foi a favor. Inclusive, Alan propôs que poderíamos rodas o Estado”, enfatiza.

Para Bocalom, Gladson Cameli faltou com a palavra quando prometeu apresentar Alan como seu vice na vinda de Agripino ao Acre, mas agora estaria querendo levar o DEM pelo beiço porque viu o crescimento da candidatura própria. A candidatura do Coronel Ulysses está mantida. Agora que a candidatura do Ulysses andou, cresceu e mostrou que é competitiva eles querem intervir, ou seja, em momento nenhum a gente lançou candidatura para barganhar ou como forma de pressionar o Gladson para fechar aliança, em absoluto. Nos lançamos uma candidatura para ser vencedora”, destaca.

Sobre a possível falta de recursos da executiva nacional para a campanha majoritária, Bocalom afirma que está acostumado a trabalhar com pouco dinheiro. “Vou mostrar como vai ser o projeto aqui no Acre. O presidente alega que tem prioridades para campanha majoritárias em outros estados, mas eu tenho certeza absoluta no momento que ele ver que a candidatura é possível, eu duvido que o pessoal de Brasília não vá ajudar com alguma coisa. Eu sempre trabalhei campanha sem dinheiro. O Ulysses não tem tanta condição, mas tem mais do que eu, ele tem, viu. Eu consegui tocar uma campanha, como professor. Claro que não posso reclamar que dentro do PSDB a nacional sempre deu uma mãozinha e não posso reclamar do Democratas em 2014, que o pouquinho que puderam, eles ajudaram”, finaliza.

Propaganda

Destaque 2

Dupla em motocicleta age novamente e atira em pessoas na baixada da Sobral

Publicado

em

Uma dupla tentativa de homicídio foi registrada na noite desta sexta-feira (18). David Kevin Nunes do Nascimento, de 18 anos, e o Caminhoneiro Egildo Ferreira Prudente, de 32 anos, foram feridos a tiros, na Rua da Sanacre, no bairro Ayrton Sena, em Rio Branco.

De acordo com informações da Polícia, David estava a mudança de sua casa, quando dois homens numa motocicleta se aproximaram e o garupa de posse de arma de jogo efetuou vários tiros. Kevin foi ferido com um tiro no braço e outro nas costas e mesmo assim ainda conseguiu correr e fugir dos criminosos. Durante a fuga, a dupla na moto avistou na mesma rua o caminhoneiro Egildo e efetuou um tiro que o atingiu no abdômen.

Uma ambulância do Samu foi acionada e conduziu David ao pronto socorro de Rio Branco em estado de saúde estável. Egildo foi conduzido por terceiros a UPA Franco Silva e em seguida encaminhado por uma viatura do Samu ao Pronto Socorro. O Caminhoneiro foi levado com urgência ao centro cirúrgico.

A Polícia Militar esteve no bairro e após fizeram rondas na região em busca de prender os criminosos, mas ninguém foi encontrado. O caso segue sob investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Continuar lendo

Destaque 2

Presidente e vice do CV são presos e advogados eram “garotos de recado” do crime, diz PF

Publicado

em

Durante entrevista coletiva realizada na manhã desta quarta-feira, 17, na Superintendência da Polícia Federal, em Rio Branco, a cúpula formada por delegados da PF e membros do Gaeco do Ministério Público do Acre revelaram que o presidente e o vice-presidente que articulavam o Comando Vermelho no Acre foram presos nos desdobramentos da Operação Tróia, desencadeada nas primeiras horas de hoje.

Ainda segundo as autoridades, 10 conselheiros da facção também foram presos. Devido o processo ainda está em segredo de justiça, os delegados não informaram os nomes dos alvos, mas destacaram que dois advogados foram indiciados e conduzidos a Sede da PF para prestar esclarecimentos. Buscas e apreensões também foram realizadas nos escritórios destes profissionais que também não tiveram seus nomes revelados.

Segundo o delegado Fares Fegali, responsável pela investigação, a operação visa desarticular os trabalhos do Comando Vermelho no Estado que variava entre extermínios, roubos, tráfico de drogas e armas promoção de organização criminosa. “Acredito que após essa operação Rio Branco estará mais segura. Destaco o trabalho de mais de 150 homens, sendo 30 do tático vindos de vários Estados dada a periculosidade dos envolvidos”, disse.

Sobre os advogados, Fegali destacou que os profissionais da advocacia agiam como “garotos de recados” da facção. “Como somente eles tinham acesso aos presidiários que estavam no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), eles levavam informações tanto para dentro quanto para fora do presídio. Nós o classificamos como criminosos e eles responderão a isso”, pontuou o investigador ressaltando que eles responderão por Promoção de Organização Criminosa.

Além de Rio Branco, a operação ocorreu também na cidade de Ji-Paraná, localizada no interior do Estado de Rondônia, onde pessoas foram presas. A ação policial se estendeu também aos presídios onde três pessoas ligadas ao CV também foram identificadas e autuadas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.