Conecte-se agora

Com 105 kg, farmacêutica é eleita Miss Acre Plus Size 2018 e vai disputar titulo nacional em São Paulo

Publicado

em

Para ser uma Miss Plus Size não basta ser bonita é preciso ser uma mulher forte, decidida e ousada e essas qualidades resumem bem a Miss Acre Plus Size, Pollyana de Aguiar. Ela foi selecionada para representar o Acre na etapa nacional que irá eleger a mais bela Plus Size Brasil 2018, previsto para ocorrer dia 8 de março, em São Paulo.

Pollyana Aguiar, 28 anos, é farmacêutica e conta que recebeu com surpresa a notícia de sua escolha para representar o Acre. “Em dezembro recebi a ligação dizendo que eu havia sido selecionada para representar meu Estado na etapa nacional. Naquele momento passou um filme na minha cabeça de todo preconceito que já sofri e vivi. Foi quando percebi que sou capaz de vencer todos obstáculos”, relembra.

Dona de uma beleza inquestionável, Pollyana afirma que após sofrer muito com seu peso decidiu se libertar de qualquer estereótipo padrão imposto pela sociedade. Atualmente, ela garante: “Sou bem feliz e resolvida comigo mesma e pode ter a certeza que darei o melhor de mim e farei de tudo para trazer a coroa e a faixa para o Estado”.

Em entrevista especial a reportagem do ac24horas, Pollyana Aguiar relata como superou o preconceito e deu um basta aos padrões imposto pela sociedade, sem se descuidar do corpo, da alimentação, dos cuidados de beleza e, acima de tudo, da autoestima. “Para ser uma Plus Size de verdade é preciso se amar o suficiente, cuidar do seu corpo, sua saúde e sua estética”.

Pollyana Aguiar afirma que não é adepta de dietas, porém não abre mão de uma alimentação saudável. “Como sem neuras. Não é porque sou gordinha que tenho que me descuidar. Uma de minhas preocupações é sempre manter uma alimentação saudável e geralmente não comer coisas que contenham muito sal. Sem tempo para praticar esportes devido a intensa carga de trabalho, Pollyana diz que, nas horas vagas, não abre mão de estar com amigos e dá boas risadas. “Como tenho uma rotina bem corrida de trabalho, nos momentos vagos gosto sempre de está reunida com os amigos batendo um bom papo e se divertindo, em casa ou barzinhos”.

Em um relacionamento sério, a Miss Acre destaca que o que mais a atrai em um homem é a humildade, simplicidade, honestidade, sinceridade e caráter e tem verdadeira aversão a homens prepotentes e arrogantes. Como toda mulher, Pollyana não esconde que é vaidosa e conta alguns dos cuidados específicos com o corpo e beleza.

“Com relação ao corpo, como estou sem tempo para praticar esporte, gosto sempre de estar fazendo massagens modeladoras, faço drenagem duas vezes por semana. Com o rosto, costumo fazer limpeza de pele, utilizo protetor solar diariamente, além da limpeza diária com sabonete líquido específico, água micelar, tônico adstringente e na bolsa sempre ando com lenço de limpeza facial. Não abro mão de ter sempre produtos de beleza ao meu alcance”.

Ficha Técnica

Nome completo: Pollyana das Neves de Aguiar
Idade: 28 anos
Profissão: Farmacêutica
Estado Civil: Namorando
Peso: 105 kg
Medidas: 96 cm de cintura, 110 cm de busto e 130 cm de quadril
Altura: 1,68 mt

Confira a entrevista com Pollyana Aguiar, a Miss Acre Plus Size 2018

ac24horas – Pollyana, como surgiu a oportunidade de concorrer e representar o Acre no concurso de beleza Plus Size?

Pollyana Aguiar _ Fiquei sabendo do concurso e resolvi me inscrever, tentar a sorte. Não imaginava ser selecionada, por não ser conhecida, não ter experiência na área e nunca ter trabalhado como modelo. Quando menos espero, em dezembro, recebo a ligação dizendo que eu havia sido selecionada e eleita a Miss Acre Plus Size e que iria ser a representante estadual na etapa nacional. Naquele momento passou um filme na minha cabeça de todo preconceito que já sofri e vivi, foi onde percebi que eu sou capaz de vencer todos obstáculos.

ac24horas – O que podemos esperar da Pollyana Aguiar nesta disputa?

Pollyana Aguiar _ Pode ter a certeza que darei o melhor de mim e farei de tudo para trazer a coroa e a faixa para estado.

ac24horas – Além de um manequim a partir do tamanho 44, o que é preciso para ser uma Plus Size?

Pollyana Aguiar _ Tecnicamente o Plus Size começaria no tamanho 46, porém, na prática, a mulher que usa 44 já é considerada Plus Size, até pela dificuldade de encontrar roupas bacanas de grifes tradicionais. Não temos um padrão, mas o corpo tem que ser proporcional, tronco grande, pernas grossas. O meio termo não é uma ‘falsa magra’, mas também não se trata de uma gordinha muito grande, que suscite a apologia à obesidade.

A Plus Size é harmônica, é grande inteira, é apenas fora dos padrões. Para ser uma Plus Size de verdade, precisa se amar o suficiente para cuidar do seu corpo, sua saúde e sua estética. Ser muito bem resolvida consigo mesma e principalmente ser liberta de qualquer estereótipo padrão imposto pela sociedade.

ac24horas – Os padrões estabelecidos pelo mundo da moda e da aparência foram um problema para você?

Pollyana Aguiar _ Sim, constantemente! Geralmente as grifes de roupas costumam produzir somente até o 42, onde deixa a mulher a partir de 44 numa espécie de ‘‘Limbo Fashion”, principalmente pela falta de padronização de tamanho das fábricas. A indústria da moda despreza as mulheres com curvas e volumes.

Eu acredito que essa seja a grande dificuldade da indústria da moda, atender a muitos perfis diferentes de mulheres que usam a partir do tamanho “G”. Há quem tenha mais busto, mais ombros, mais culote. Cada Plus Size tem suas próprias características

ac24horas – Ser magra, em algum momento de sua vida, foi prioridade?

Pollyana Aguiar _ Já sim, eu não me conhecia, sempre que me olhava no espelho me sentia mal, apagava aquela imagem e sobrepunha uma imagem de corpo “perfeito” e ficava muito triste por não ser a minha realidade. Não conseguia ver a beleza das minhas curvas, das minhas coxas grossas, dos meus quadris largos e nem da minha pele. Até que decidi: ‘isso vai parar aqui!’ Não quero passar isso pra frente e esse é meu maior objetivo.

ac24horas – Pollyana, você sofreu preconceito por não estar dentro dos padrões de magreza estabelecido pela sociedade?

Pollyana Aguiar _ Com certeza, quem é “GG” mesmo se amando sempre se depara com comentários maldosos, mas hoje sou bem resolvida, me sinto feliz e isso é o que importa. Quanto ao preconceito das pessoas, isso é problema delas e não meu.

ac24horas – Ser uma Miss Plus Size é assumir uma missão de mudar concepções e opiniões sobre “padrões” de beleza e peso?

Pollyana Aguiar _ Com o título de Miss, me sinto muito mais responsável pelo movimento Plus Size e reconheço que tenho a missão de esclarecer que estar acima do peso não significa não ser saudável, mas sim, que você se aceita e se sente bem, mesmo não fazendo parte de um padrão imposto pela sociedade.

Eu acredito que se for comparar aos tempos passados, houve uma evolução, pois muitas pessoas começaram a aderir ao movimento. O próprio concurso de Miss Plus Size é um dos motivos para isso ter acontecido. Ainda assim acho que precisa haver uma evolução maior. Afinal, o preconceito permanece.

ac24horas – Qual conselho você daria para mulheres que sofrem com esses tais “padrões”?

Pollyana Aguiar _ Eu vou estar sempre tentando empoderar as pessoas acima do peso, tentar ajudar na autoestima e no aumento do amor próprio, eu não sou de ferro e também convivo com preconceitos, de pessoas que no fundo só querem ser cruéis a qualquer custo. Eu escuto piadas aqui ou acolá e muitas vezes elas vêm de pessoas que amamos que nos magoam, é triste perceber que todo mundo tem preconceito.

Mas eu vou seguir na luta e aconselho a quem se sente feliz que continue também, nada como um dia após o outro, uma dose de amor, amizade, carinho e principalmente autoestima e assim vamos desconstruindo essa imagem que ser gordo é ruim, que todo gordo é preguiçoso e doente, nos livrando do peso das amizades que nos colocam pra baixo.

ac24horas – Mais que respeitar seu corpo, a mulher moderna deve … ? complete a frase e deixe sua mensagem pessoal àquelas mulheres consideradas acima do peso.

Pollyana Aguiar _ A mulher deve compreender que não somos divididas em duas partes, rosto e corpo, mas que somos belas no geral da nossa essência e independente do nosso peso. Beleza é um conjunto de coisas: maturidade, autoconhecimento, confiança, personalidade e caráter.

Como mensagem pessoal deixo a seguinte reflexão: É difícil se olhar no espelho e se achar bonita? _Não! O difícil é olhar para o espelho e reconhecer que aquilo que vemos é bonito, mesmo sendo diferente do que vemos em capas de revistas e televisão. Os padrões são feitos para formatar, nos forçar a seguir o mesmo caminho, todos juntos em direção à infelicidade.

A aceitação é o primeiro passo para a mudança, seja grande ou pequena e tem que vir de dentro, de você. Não faço apologia à obesidade, acredito que as mulheres possam querer (ou não) perder peso por infinitos motivos, mas que nesse caminho sejam felizes, independente do manequim que usem.

Propaganda

Destaque 6

MP Eleitoral investiga casos de propaganda de políticos em mandato em transportes coletivos de Rio Branco

Publicado

em

O Ministério Público Eleitoral (MPE), por intermédio da promotora eleitoral Alessandra Garcia Marques, instaurou inquérito civil a fim de investigar casos de abuso de poder com o uso da máquina pública. Os casos referem-se à circulação de ônibus de transporte coletivo urbano fazendo propaganda de políticos que se encontram no exercício de mandato eletivo.

De acordo com o MPE, as empresas que prestam serviço público de transporte coletivo urbano são concessionárias e devem respeitar os princípios que regem a administração pública.

Em Rio Branco, é a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTRANS) que tem o papel de fiscalizar a publicidade realizada nos ônibus, sob pena de todos, inclusive quem não é servidor público, serem processados, a fim de se aplicar sanções por improbidade administrativa.

“Nem antes do período de propaganda eleitoral nem durante esse período podem ser admissíveis propagandas daqueles que estão detentores de mandato eletivo em bens que se encontram a serviço do público”, diz Alessandra Marques.

O MPE expediu requisição para cada uma das empresas concessionárias do serviço de transporte coletivo, a fim de obter cópia dos contratos e comprovantes dos pagamentos das propagandas realizadas por todos os políticos no exercício do mandato eletivo nos últimos dois anos.

Também expediu notificação recomendatória eleitoral para a retirada propaganda em 48h, sob pena de caracterização de propaganda antecipada e, após o dia 16 de agosto, de propaganda irregular.

“A legitimidade do sistema depende da lisura do processo eleitoral, que somente pode ser alcançada quando o processo é isento dos vícios do abuso do poder econômico e do poder político, de qualquer tipo de fraudes e de corrupção”, destaca Alessandra Marques.

Por entender que a administração pública deve zelar, acima de tudo, pela impessoalidade, pelo interesse público e pela moralidade administrativa, os referidos casos podem ensejar, ainda, a propositura de ação de improbidade administrativa.

André Ricardo – Agência de Notícias do MPAC

Continuar lendo

Destaque 6

Procuradora-geral reúne-se com juiz e promotores eleitorais para tratar de demandas das eleições de 2018

Publicado

em

A procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, reuniu-se com o juiz eleitoral da 1ª Zona Eleitoral de Rio Branco, Anastácio Lima de Menezes Filho, para discutir demandas do período eleitoral. O encontro ocorreu na sede da Procuradoria Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

O aparelhamento do MP para fazer frente à necessidade do chamado poder de polícia, no que diz respeito à fiscalização da propaganda eleitoral irregular e atos abusivos durante o pleito foram alguns dos temas discutidos, juntamente com o coordenador do Grupo de Apoio à Atuação Eleitoral (Gaae), procurador de Justiça Carlos Maia, os promotores eleitorais Alessandra Garcia Marques e Getúlio Barbosa e o assessor especial da Procuradoria Geral, promotor Almir Branco.

“Eu fiquei surpreso porque as demandas que encaminhamos à doutora Kátia, ela já havia, junto com doutor Carlos Maia, se adiantado, e já tinha, de certa forma, atendido e muito às nossas expectativas”, disse o juiz eleitoral.

Também esteve em pauta, a necessidade de provimento de promotores eleitorais para auxiliarem na fiscalização no dia do pleito.

“Mediante o que será decidido com o doutor Fernando José Piazenski, que é o procurador regional eleitoral, essas demandas serão devidamente encaminhadas”, disse Kátia Rejane.

André Ricardo – Agência de Notícias do MPAC

Continuar lendo

Destaque 6

Audiência entre Sebastião Viana e perito da PF que chamou o governador de “babaca” termina sem acordo

Publicado

em

A audiência de conciliação entre o governador Sebastião Viana e o perito da Polícia Federal, Roberto Feres, nesta segunda-feira, 13, no Juizado de Pequenas Causas, na Cidade da Justiça em Rio Branco, terminou sem acordo. Sebastião pede R$ 20 mil de indenização por ser chamado de “babaca” no Facebook pelo agente federal em abril passado.

A audiência foi curta, durou entre 10 e 15 minutos. Acompanhado de um advogado, Viana falou pouco. Fez questão de falar, entre outras coisas, que quando deixar o cargo de chefe do Palácio vai continuar exercendo a atividade de médico nos hospitais do Acre e dar aula na universidade. A defesa do governador foi a responsável por argumentar, como fez no documento enviado ao juiz, que seu cliente considerou a ofensa relevante porque partiu de um policial federal e figura conhecida.

“Não fiz nada excepcional que tenha que me retratar”, disse Roberto Feres ao se defender.

Para Roberto, Viana é uma figura pública que se expõe publicamente, e sobre a qual ele se considera apto a manifestar sua opinião publicamente. Coube ao advogado Mauricio Hohenberger fazer a defesa do servidor federal.

A nova audiência deve ocorrer em 2019 quando Sebastião Viana não estará mais no cargo de governador do Acre.

Entenda o caso

O comentário de Roberto Feres que resultou na ação de Sebastião Viana foi feito em 19 de abril deste ano na conta do Facebook do jornalista Altino Machado, que publicara naquele dia uma foto do governador e um breve texto sobre a torcida do petista por Gleici Damasceno na final do Big Brother Brasil, o reality vencido pela acreana: “O governador Tião Viana, que em protesto não assiste nenhum programa da TV Globo há mais de três anos, já se posicionou de costas para um telão para torcer por Gleice, a acreana finalista do BBB1 8 . Está no bar Ponto Alto, em Cruzeiro do Sul, no Morro da Glória”. Abaixo do post de Altino, Roberto Feres comenta: “É um bastião babaca…”.

Em documento enviado ao Juizado Especial de Rio Branco, a defesa de Sebastião informara que o “ato delituoso provocou sentimentos de raiva, aborrecimento, indignação e repúdio no espírito do requerente, que se sentiu verdadeiramente atingido em sua honra, principalmente pela expressão utilizada pelo ofensor/ requerido e por tal ter se dado de forma imotivada e gratuita, já que o requerente nunca o ofendeu”.

O documento afirmara que o termo “babaca” “atingiu diretamente a autoestima e a dignidade” de Sebastião, “expondo-o ao ridículo também perante a toda comunidade daquela rede social”.

A defesa chegou a consultar o dicionário para mostrar no processo que a palavra babaca significa “idiota, parvo, tolo, simplório, burro, insignificante, ingênuo, trouxa”.

Viana, por meio de advogado, argumentara que Roberto Feres é “uma pessoa esclarecida, da sociedade e perito da Polícia Federal, que, em razão de dever funcional, deveria coibir a prática de crimes, e não praticá-los e incentivá-los”.

Para Roberto, Viana é uma figura pública que se expõe publicamente, e sobre a qual ele se considera apto a manifestar sua opinião publicamente. Coube ao advogado Mauricio Hohenberger fazer a defesa do servidor federal.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.