Conecte-se agora

Rio Acre apresenta sinais de vazantes na capital

Publicado

em

Rio Acre apresentou baixa no volume de suas águas, a medição realizada às 12h deste sábado apontou o nível de 13,52 metros.

O manacial apresentou baixa em Assis Brasil e Brasiléia. Se não houver fortes chuvas esses dias, a tendência é que o nível das águas continue baixando.

O monitorando segue sendo realizado a cada três horas pela Defesa Civil de Rio Branco.
A Prefeitura de Rio Branco está finalizando a construção dos 100 primeiros boxes, no Parque de Exposições Wildy Viana e as equipes mobilizadas para caso o nível do Rio Acre suba e passe a desabrigar famílias.

Confira a variação do Rio Acre ao longo de sua bacia neste sábado, 13 de janeiro de 2018: https://goo.gl/E5WJKE

Nível Rio Acre e Principais Afluentes em metros:

13 JAN – medição das 12h

Assis Brasil – 3,92
Brasiléia – 5,44
Xapuri – 10,49
Capixaba – 11,06
Rio Branco – 13,52
Riozinho do Rola – 10,93

Propaganda

Blog do Ray

Jorge Viana não quer entregar o gabinete que herdou de Nabor para seu sucessor

Publicado

em

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

O senador Jorge Viana (PT) ainda não digeriu a derrota em sua empreitada à reeleição. Pelo menos é o que informa o correspondente do blog, em Brasília. O petista não estaria querendo repassar para o seu sucessor o confortável gabinete localizado no Anexo 1, Ala Rui Carneiro, gabinete 1. Para matar a curiosidade dos meus três leitores, este blogueiro vai contar a história dos gabinetes do bem localizado anexo. Quando o ex-senador Nabor Júnior, no então PMDB, ocupou o cargo de primeiro secretário do Senado, ele foi responsável pela construção de uma ala de gabinetes que são considerados os melhores. À época, Nabor pegou um desses gabinetes estratégicos porque estão bem próximos ao plenário.

Os gabinetes da Ala Rui Carneiro, só perdem em conforto e luxo para o gabinete do presidente. Quando Nabor Júnior perdeu para a disputa pela reeleição, logo repassou o gabinete para Sebastião Viana, do PT. Apesar dos pesares, Nabor tentou manter o gabinete com um parlamentar do Acre, porque quando o parlamentar não consegue se reeleger, ele pode indicar quem vai ficar com seu gabinete. Sebastião ficou no local por 12 anos, deixando o espaço apenas quando ganhou para governador, repassando para seu suplente Aníbal Diniz, que perdeu o direito quando Jorge Viana chegou ao Senado e reivindicou o melhor e mais bem localizado gabinete que estava com seu ex-secretário de comunicação.

Hoje, segundo nosso correspondente, Jorge Viana não quer passar para ninguém do Acre o espaço que herdou de Nabor Júnior. Assim, o gabinete 1, da Ala Rui Carneiro, deixa de ser mantido tradicionalmente com um senador acreano e vai passar para um petista de outro estado, que será escolhido pelo acreano derrotado nas urnas por Marcio Bittar (MDB). Uma escolha lógica seria repassar para Sérgio Petecão (PSD) que tem mais tempo no Senado. Desta forma não quebraria a tradição de 16 anos com Nabor Júnior, 12 anos com Sebastião Viana, 2 anos com Aníbal Diniz e 8 anos com o próprio Jorge Viana, que quebrará a continuidade por capricho e para não ver Bittar sentar na cadeira que foi sua.

Continuar lendo

Extra Total

Associações dos militares e bombeiros do Acre denunciam cortes em banco de horas e redução de viaturas; comandos respondem

Publicado

em

A pouco menos de três meses do fim do atual do governo, o que estava ruim pode ficar pior. Em plena crise na segurança pública e coincidentemente logo após uma disputa eleitoral, o comando da Polícia Militar do Acre resolveu reduzir a frota de veículos  e o chamado banco horas em 50% e ainda diminuir o abastecimento das viaturas. Já no Corpo de Bombeiros houve o corte integral do banco de horas. Nesta segunda-feira, 15, o presidente da Associação dos Militares do Acre, Joelson Dias, e o presidente da Associação dos Praças do Corpo de Bombeiros, Abrahão Carlos Púpio, se manifestaram contra a medida governo.

“O que nos preocupa é que essa medida do comando ela afete a prestação de serviço para a sociedade. A partir do momento que ele diminui a cota do combustível e os BH’s, são menos policiais militares que estarão prestando serviços para a sociedade. O que a gente espera é que além de ele poder fazer uma escala humanizada, ele não deixe a sociedade desguarnecida. É um processo delicado porque nós estamos com um processo muito defasado, como nós vínhamos falando há muito tempo”, disse o presidente da Associação dos Militares.

Abrahão Púpio, do Corpo de Bombeiros, afirmou em ofício ao comando da corporação que considera “tal interrupção, desplanejada, desrespeitosa com o profissional bombeiro militar, com as famílias, mas também com a sociedade usuária de nossos serviços. Em vista do baixo efetivo que possuímos, pouco mais de 500 (quinhentos) homens e mulheres para todo o Estado do Acre, a maior parte das nossas escalas de serviço são preenchidas com serviço no sistema de banco de horas”.

No mesmo ofício, ele compara os cortes ao trabalho escravo. “Inexistem razões para o Estado do Acre não pagar as horas trabalhadas. Não há trabalho escravo no Brasil. Seria afronta ao princípio da legalidade e da dignidade da pessoa humana. Trabalho escravo contemporâneo é o trabalho forçado que envolve restrições à liberdade do trabalhador, onde ele é obrigado a prestar um serviço, sem receber um pagamento ou receber um valor insuficiente para suas necessidades e em relação ao previamente pactuado (quebra do princípio da legalidade)”, diz.

O outro lado: o que dizem os comandos da PM e do Corpo de Bombeiros

O comandante da PM, coronel Marcos Kinpara, disse que ainda não há nada definido sobre os corte e reduções e acrescentou que “há muitos rumores sem veracidade”.

“Não foi nada definido ainda. Estamos verificando as contas, pois não podemos passar nossas pastas com débito, então temos ter responsabilidade.”

Por meio de sua assessoria de imprensa, o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Batista, argumentou que a suspensão ocorreu, como prevê a legislação, porque o limite com despesas do banco de horas alcançou neste mês de outubro o mesmo teto do ano passado. O benefício volta a partir de janeiro, segundo a assessoria.

“O banco de horas ele foi alterado pra quando o trabalho realizado é no final de semana e à noite. Isso aumentou de R$ 18 pra R$ 25 a hora. Com tudo isso, chegou nessa data do mês de outubro e foi gasto igual ao ano passado. E conforme a legislação, quando alcançar o mesmo valor do ano anterior não pode mais haver gastos com esse tipo de despesa. Isso foi o que gerou a suspensão. Nós já alcançamos agora em outubro o mesmo teto alcançado ano passado. Em relação às pessoas que já fizeram banco de horas antes dessa data, o comando está tratando com o governo pra que seja pago.”

Continuar lendo

Notícias

No #SemRegras tem carne assada, mulher nua e barraco nas redes sociais

Publicado

em

O Programa #SemRegras do ac24horas foi ao ar nesta segunda-feira, 15, ao vivo e retratou sobre os acontecimentos que marcaram as redes sociais nas últimas semanas. Pablo Charife, Charlene Carvalho e Juliana Vellegas destacaram o Festival Assadores da Amazônia, que ocorreu no último final de semana, o barraco envolvendo influenciadores no Instagram Sobre o #EleSim #EleNão no campo da política e também as fotos da acreana Raissa Barbosa, que foi a capa da Revista Sexy em 2018.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.