Conecte-se agora

Após processo de amigo, Bruno Borges vai vender novas edições a preço de custo

Publicado

em

Bruno Borges, também conhecido como “Menino do Acre”, vai vender as edições 2 e 3 da série literária criada por ele a preço de custo. A primeira edição, lançada no ano passado, não vingou. Bruno, agora, é processado por um amigo porque não dividiu o dinheiro ganho com as vendas.

A informação foi publicada nesta sexta-feira, dia 12, pelo site G1, da Rede Globo, veículo ao qual a família de Bruno Borges, e o próprio estudante, dão preferencia na hora de conceder entrevistas que citam o rapaz. Um print foi publicado pelo site, passado pelo pai de Bruno, Athos Borges.

“Você vai dizer que vai publicar todas as minhas obras gratuitas, e que tudo o que eu escrever irá ser gratuito pelo resto da minha vida (…) Minha vontade é que seja tudo de graça. Eu sempre quis isso, eu falava isso pro Marcelo antes de me isolar. Eu acho que errei e quero consertar esse erro. Dinheiro nenhum vale a pena assim. Não tenho nem coragem de dizer para as pessoas que essa era minha missão. Nem eu acredito mais tanto nisso”, disse Bruno.

PROCESSO NA JUSTIÇA

Márcio Gaiote, amigo de Bruno, é um dos beneficiários das vendas dos livros, e havia até contrato descoberto semanas após o sumiço, pela Polícia Civil. Pelas normas do documento, Gaiote receberia 4% do lucro bruto das vendas, tudo depositado em conta bancária, após prestação de contas mensal. Mas isso nunca aconteceu, e, claro, Márcio não perdeu tempo e foi à Justiça.

Os advogados de Márcio pediram à 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, que as contas das editoras Saraiva e Arte e Vida tenham os valores devidos bloqueados pelo Banco Central, garantindo assim que o cúmplice de Bruno Borges possa receber o que lhe é de direito. Apenas no primeiro mês de vendas, o “menino do Acre” pode ter lucrado mais de R$ 420 mil.

Acontece que a juíza Thais Kalil, a mesma que bloqueou o dinheiro da TelexFree para evitar prejuízos aos que mantinha contrato com a empresa, simplesmente não aceitou o bloqueio solicitado por Gaiote, e mandou intimar Bruno Borges, que recebeu prazo de 15 dias para prestar contas do dinheiro que recebeu e , após isso, se manifestar sobre as acusações.

Propaganda

Destaque 2

Moradores do Quixadá bloqueiam entrada do terminal pedindo melhorias

Publicado

em

Por quase uma hora o terminal central de Rio Branco ficou bloqueado na entrada e saída por moradores do Quixadá na manhã desta terça-feira (25).

O bloqueio causou tumulto de veículos no centro, além dos ônibus parados devido a quantidade de moradores que aderiram ao movimento. Um vídeo feito por um usuário do transporte público mostra a multidão que tomou conta da frente do terminal impedindo a entrada dos coletivos.

Eles exigiam melhorias na estrada, mais transporte público e ainda melhorias na ponte da região que está em péssimas condições. A movimentação acabou por volta das 07h15. Representantes dos moradores foram ouvidos por representantes da prefeitura.

Continuar lendo

Destaque 2

Bombeiros suspendem buscas por homem visto se afogando nas águas do Rio Acre

Publicado

em

Após 72h, o Corpo de Bombeiros decidiu suspender as buscas pelo corpo do homem visto se afogando nas águas do Rio Acre na tarde da última quinta-feira (20). O acidente teria acontecido na região do Porto da Catraia, localizado nas dependências do bairro Seis de Agosto.

A vítima foi identificada pelos documentos que deixou a beira do Rio. Tratasse de Eucimar Silva Jacinto, de 30 anos. Ele era dependente químico e entre os documentos havia até uma carta de encaminhamento para um centro de recuperação. Além dos documentos também foi encontrado uma sandália havaiana de cor azul na beira do Rio.

De acordo com o Major Falcão do corpo de Bombeiros, o prazo para a suspensão das buscas é de 72h, após isso, os Bombeiros precisam ser novamente acionados pelos familiares para dar continuidade nas buscas porém, nenhum familiar da vítima apareceu para dar falta do corpo nem aos Bombeiros nem à Polícia.

Continuar lendo

Destaque 2

MP Eleitoral constata indícios de crime no uso de servidores do Depasa na campanha de Edvaldo Magalhães

Publicado

em

O Ministério Público Eleitoral (MPE) encaminhou na manhã desta segunda-feira (24) um pedido de apuração de abuso de poder econômico para Procuradoria Regional Eleitoral investigar possível crime eleitoral no uso de servidores do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) na campanha eleitoral de Edvaldo Magalhães, ex-diretor-presidente da instituição que cuida dos projetos de saneamento e pavimentação de ruas no interior do Estado.

As fotografias de dois servidores vestidos com fardas do Depasa, foram encaminhadas à reportagem de ac24horas. Segundo a denúncia, os servidores estariam fazendo campanha política com adesivos do candidato Edvaldo Magalhães, nas margens do rio Gregório, em Tarauacá, no local em que há um pequeno vilarejo. O material foi analisado pela procuradoria eleitoral do MP Acre que constatou indícios de crime no uso da máquina em favor de candidatura.

A promotora eleitoral Alessandra Marques encaminhou o material do suposto crime de abuso de poder econômico e uso da máquina pública para fins eleitorais, para a Procuradoria Regional Eleitoral. A promotora requisitou ainda a instauração de inquérito para apurar o uso de servidores pagos pelo Estado, que estariam prestando serviços como cabos eleitorais na campanha do ex-diretor-presidente do Depasa, órgão que é comandado por políticos do PCdoB.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.