Conecte-se agora

Grupo político do MT impede início de obra do linhão de energia para o Juruá

Publicado

em

Um grupo político do Estado do Mato Grosso, que representam a Mavi Engenharia e Construções Ltda, empresa que venceu a licitação para construção de uma linha de transmissão de energia para o Juruá, recebeu dinheiro antecipado, não esticou um palmo de cabo e teve o contrato rescindido pela Eletronorte, vem impedindo com ações judiciais a realização de uma nova licitação para realização da obra que resolveria a falta de abastecimento de no interior do Acre. A denúncia é do deputado Luiz Gonzaga (PSDB).

Segundo Gonzaga, a obra era para ser concluído em 24 de janeiro de 2017. “A empresa fez um canteiro de obras e não pagou ninguém. Após várias reclamações e denúncias, a Eletronorte rescindiu unilateralmente o contrato. A Eletronorte tenta lançar edital para contratar nossa construtora, mas a MAVI entra na Justiça e bloqueia. São 1.200 torres – 400 já estão armazenadas em Rio Branco, transformadores e reatores foram fabricados, mas todo esse material está parado por puro capricho dessa empresa de outro estado”, destaca.

O parlamentar informa que estaria pronto para ser lançado, mas se não houver interesse político da bancada federal do Acre para intermediar o litígio judicial, o início das obras poderá mais uma ser adiado e a população do interior do Estado continuará enfrentando o problema de racionamento de energia. “É necessária a união dos políticos do Acre. Não podemos deixar que políticos do Mato Grosso mandem aqui. Quem está sendo prejudicado é nosso povo. Se tivesse o linhão, não estava passando pelo problema de racionamento”, acrescenta Luiz Gonzaga.

Ele destaca que o licenciamento ambiental até o município de Feijó já está concluído e de Feijó a Cruzeiro do Sul o licenciamento está sendo trabalhado com os povos indígenas da região. “Tenho informações que os equipamentos fabricados estão armazenados na fábrica para não perderem a garantia. O linhão garante a interligação dos municípios do interior direto ao sistema nacional. Contaremos com uma subestação em Feijó e outra em Cruzeiro do Sul. A mobilização política é necessária para evitar maiores prejuízos”, diz Gonzaga.

A Mavi Engenharia e Construções Ltda estaria contando com o lobby de políticos influentes do Estado do Mato Grosso para tentar impedir a nova licitação. “Essa firma tem políticos poderosos que estão impedindo a nova licitação. Estou tornando essa questão pública para que nossa bancada federal entre em ação para impedir que os interesses do povoa acreano sejam decididos por grupos financeiros de outros estados. O prejuízo com o atraso da obra é grande, um exemplo recente é esse incêndio na termelétrica que deixou o interior no escuro”, finaliza Luiz Gonzaga.

Propaganda

Bar do Vaz

Pré-candidata ao governo do Acre pela REDE defende a intervenção federal na segurança pública: “Toda colaboração que vier é importante”, diz Janaina

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 2

Petrobras anuncia redução de 1, 80% na gasolina, mas no Acre preço do produto deve continuar na média atual: “Depende do repasse que as distribuidoras vão fazer”

Publicado

em

A Petrobras anunciou que o preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, que entra em vigor nesta quarta-feira, 18, será de R$ 1,9611, indicando queda de 1,80% ante o atual valor de R$ 1,9970.

Apesar da redução anunciada pela estatal, tudo indica a priori que o preço da gasolina no Acre não sofrerá redução. O preço médio do combustível na capital é de R$ 4, 90. O Acre tem a gasolina mais cara do país.

O Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre informou por meio de sua assessoria na manhã desta terça-feira, 17, que ainda não é possível afirmar se haverá ou não redução no preço do produto para o consumidor final, já que esse reajuste do combustível na bomba depende do valor cobrado pelas distribuidoras.

“Os revendedores conhecem novos preços sejam majorados ou reduzidos quando renovam seus estoques. Esclarecemos que nem sempre o reajuste anunciado é acompanhado por que depende do repasse que as distribuidoras vão fazer, já que o reajuste é anunciado para refinarias. Na cadeia após a refinaria estão as distribuidoras e depois os postos.”

Ernani Domingos, empresário do setor no Acre, afirma que a concorrência local forçou a redução antecipada do produto antes mesmo do anúncio da Petrobras.

“Houve reduções pela concorrência acirrada nos ultimos dias. Ou seja, eu por exemplo nao repassei os últimos reajustes da Petrobras em torno de 3% que aumentou. Entao a redução ja foi antecipada.”

Continuar lendo

Destaque 2

Lyra Xapuri desiste de candidatura a governador e anuncia apoio a Marcus: “Fui tratado como príncipe”

Publicado

em

Lyra Xapuri, do PRTB, fez o maior auê quando a imprensa local informou, dias atrás, que ele desistiria de sua pré-candidatura a governador para se candidatar a deputado federal em uma aliança da FPA e estaria disposto a balançar bandeira para Marcus Viana, do PT. Chegou a chamar jornalistas de tendenciosos, porém agora o Locutor do Formigão anuncia em alto e bom som que desistiu de ser candidato ao Palácio para se aliar e pedir votos para o pré-candidato de Sebastião Viana.

A confirmação veio na semana passada depois que Lyra Xapuri esteve em São Paulo com o presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix.

O Locutor do Formigão deve pôr seu partido na chapinha governista anti-PT, PCdoB e PSB.

“Muita gente está dizendo que a gente fez uma grande escolha. Pra governador nós não íamos ganhar, inclusive a última pesquisa mostra isso. Mas pra federal têm reais chances”, acredita o Locutor do Formigão.

Lyra reclama da oposição e diz que foi tratado como príncipe por Marcus e Sebastião

Lyra afirma que a oposição não lhe deu o devido valor e que jamais chegou a um consenso com Gladson Cameli, o pré-candidato do Progressistas ao governo do Acre.

O Locutor acabou sendo convencido pessoalmente pelo governador Sebastião Viana e por Marcus. Ele diz que foi tratado como príncipe na FPA.

“A oposição sempre me diminuía. Diziam que eu não tinha condições para bancar uma campanha, que eu ia apenas tirar uns votos. Várias vezes eu sentei com o Gladson e em nenhum momento a gente pôde chegar a uma união. Já na Frente (Popular) foi diferente. Quando eu sentei com o Tião, quando eu sentei com o Marcus, todos eles me parabenizaram. E o tratamento foi completamente diferente. Foi um tratamento de príncipe. Me respeitaram, me parabenizaram. Realmente um tratamento que todo grande líder merece”, se gaba Xapuri.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.