Conecte-se agora

Inflação baixa contribui para aumento do rendimento da poupança

Publicado

em

A inflação oficial de 2017, divulgada hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que ficou em 2,95%, menor taxa desde 1998, contribuiu para o ganho da caderneta de poupança. De acordo com o Banco Central, o rendimento nominal da poupança acumulado no ano passado atingiu 6,8%.

O ganho real da poupança, descontada a inflação, ficou em 3,9%, o maior desde 2006, segundo o economista Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). “Isso ajudou bastante o consumidor de modo geral, especialmente o de baixa renda. E para aquele que aplica seus poucos recursos na poupança, o ano de 2017 foi favorável. Gerou um ganho real de 3,9%”.

Segundo Bentes, é improvável que o resultado dos rendimentos da poupança se repita este ano e a aplicação deve fechar 2018 com ganho real entre 2% e 2,5%.

Diferença de rendimentos

A professora dos MBAs da Fundação Getúlio Vargas Myrian Lund destacou que há dois tipos de rendimentos de poupança: um para depósitos feitos até 3 de maio de 2012 e outro para aplicações a partir de 4 de maio do mesmo ano. No caso dos primeiros investimentos, que rendem 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial, é vantajoso manter o dinheiro aplicado, segundo a planejadora financeira.

Os depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 são calculados com base na taxa básica de juros, a Selic, sempre que esta for igual ou menor que 8,5%. Em dezembro, e taxa foi definida em 7% ao ano, o menor nível da história.

Segundo Myrian, em 2018, as aplicações mais antigas na poupança deverão render 6,17%. Já os investimentos mais novos (após 4 de maio de 2012) devem ter rendimento entre 4,55% e 4,9%. Nos dois casos, o ganho será maior que a inflação, projetada em 4% para este ano.

“Se você quiser ganhar mais, vai ter que procurar um fundo multimercado ou fundo renda fixa. Mas isso só para quem é mais investidor porque, normalmente, exige um valor maior”, destacou a planejadora financeira da FGV.

Propaganda

Destaque 3

Passagem de ônibus passa a valer R$ 4 a partir deste sábado na capital

Publicado

em

Os usuários do sistema de transporte coletivo de Rio Branco passam a pagar por uma passagem mais cara a partir deste sábado (14). De R$ 3,80, a nova tarifa agora custa R$ 4.

O reajuste ocorre após idas e vindas e uma queda de braço entre a prefeita Socorro Neri (PSB) e as empresas do setor. O aumento ocorre mesmo com a redução do preço do diesel decretada pelo governo federal após a greve dos caminhoneiros.

Por conta disso, a prefeita ficou contra o reajuste e determinou a revisão do cálculo dos custos, já que o diesel representa mais de 60% das despesas operacionais das empresas.

Neste cabo-de-guerra, Neri saiu derrotada e as empresas, por meio de suas pressões políticas, conseguiram o aumento de R$ 0,20. O setor reivindicava uma tarifa de R$ 4,55.

Continuar lendo

Cidades

Prorrogado prazo para pagar IPTU com desconto de até 20% na cidade de Brasileia

Publicado

em

Os contribuintes brasileenses terão um prazo maior para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), 2018 em cota única e também do primeiro boleto para quem optou pelo parcelamento. A primeira data de vencimento que seria no dia 30 de junho foi prorrogada para 30 de setembro.

“A prorrogação foi uma decisão tomada juntamente com a Prefeita Fernanda Hassem, que devido à crise financeira que se encontra o país, para que as pessoas consiga se adequar e planejar o orçamento e consiga pagar o IPTU. Então, a Prefeitura decidiu pela prorrogação, a fim de não prejudicar os contribuintes”, informou Silvio Cardoso, gerente do Setor de Cadastro Arrecadação e Tributos.

O pagamento em cota única até o dia 30 de setembro garante ao contribuinte um desconto de 20% no valor do imposto devido. Quem optar pelo parcelamento, terá direito a 4 parcelas, em função da prorrogação do prazo do primeiro vencimento.

O gerente do Setor de Cadastro ressaltou que estará com as equipes nas ruas entregando os carnes nas residências, caso os moradores não recebam em suas casas durante o prazo prorrogado devem se dirigir ao prédio do Setor de Cadastro localizado na rua Odilon Pratagí, nº 1001 ao lado da Câmara Municipal.

Para que serve o IPTU

O Imposto Predial e Territorial Urbano é uma taxa que é paga sobre um imóvel ou terreno. A cobrança do imposto é determinada pelo Artigo 156 da Constituição Federal. Todo o dinheiro que é arrecadado com a cobrança vai para os cofres da Prefeitura, que o usa para custear despesas municipais que retornam para a população da cidade.

A exemplo dos benefícios que a Prefeitura de Brasileia conquistou com arrecadação do IPTU, é a adesão da Van para o transporte dos pacientes que realizam hemodiálise em Rio Branco, reforma do Mercado Municipal de Brasileia, camionetes e motos para as secretarias municipais.

Continuar lendo

Acre

Há um ano no Acre, Sicredi tem 1,2 mil associados e libera R$ 18 milhões em crédito

Publicado

em

A cooperativa Sicredi Noroeste MT e Acre comemora os resultados alcançados no primeiro ano de atuação em solo acreano. O ano de 2017 foi marcado pela expansão da cooperativa para o Estado do Acre, com o desafio de levar o cooperativismo de crédito a um número maior de pessoas, agregar renda e melhorar a qualidade de vida dos novos associados, o que consequentemente movimenta a economia e promove o desenvolvimento local. Em maio fez um ano da inauguração da agência de Acrelândia e este mês completa um ano da abertura da agência de Rio Branco.

De acordo com o presidente da Cooperativa, Eduardo Ferreira, a boa recepção no Acre facilitou para o progresso das atividades. “Quando fizemos nossa primeira visita ao Estado do Acre pudemos ver a grande oportunidade que tínhamos conquistado, mas o que nos surpreendeu foi a maneira como o povo acreano nos recebeu em todas as cidades que visitamos.”

Os números alcançados surpreendem. O diretor-executivo da cooperativa, Ediano José Neves, comenta que as metas traçadas para o primeiro ano de atuação foram alcançadas antes do previsto. Já são 1,2 mil associados no Estado, com uma movimentação de R$ 18 milhões em crédito para o fomento de negócios que geram desenvolvimento, emprego e renda.

“É mais dinheiro em circulação na economia dessas cidades. Estamos contribuindo tanto do ponto de vista econômico quanto social, e nosso desafio é reforçar, com o passar do tempo, o nosso compromisso de fomentar o desenvolvimento local”, afirma ele.

O público atendido pelo Sicredi no Acre não diferencia tanto em relação aos associados que a cooperativa possui em Mato Grosso. Segundo Neves são pessoas físicas urbanas, servidores públicos, pequenos, médios e grandes produtores rurais e empresas de diferentes portes.

O interessante, destaca ele, é que as pessoas que se associam à cooperativa trazem outras para participar, o que gera boas expectativas quanto ao crescimento na base de associados e nas movimentações financeiras realizadas pela cooperativa, o que reflete diretamente na captação e na oferta de crédito aos associados, ou seja, nos ativos administrados por ela.

Os bons resultados registrados até agora sustentam os planos de expansão traçados pela cooperativa em território acreano. No próximo ano está programada a inauguração da segunda agência em Rio Branco, e nos próximos cinco anos quatro novas agências serão abertas no Estado, em quatro municípios diferentes.

“Estamos monitorando 10 municípios e já temos demanda de três deles. Vale lembrar que o Sicredi vai para os municípios que desejam a presença da instituição financeira cooperativa. A vontade da comunidade é primordial na decisão de abrirmos uma agência”, comenta Uelligton Júlio da Silva, gerente regional de Desenvolvimento da Cooperativa Sicredi Noroeste MT e Acre.

Ele ressalta que, além do portfólio de produtos e serviços financeiros oferecidos pelo Sicredi, que compete em igualdade com os bancos tradicionais, a instituição financeira cooperativa oferece diferenciais como o relacionamento simples, próximo e ativo junto aos seus associados.

Outra vantagem é a distribuição das sobras, ou seja, receber de volta parte do lucro obtido pela cooperativa ao fim do exercício, cujo valor é proporcional às movimentações financeiras feitas na cooperativa.

“Além de oferecer produtos e serviços, orientamos nossos associados a tomar a melhor decisão na hora de contratar um crédito ou investir. Primamos pela educação financeira e consumo consciente, em uma estratégia em que todos ganham. Porque se nosso associado ganha, nossa cooperativa se fortalece”.

Uma das pessoas que acredita no propósito do Sicredi é o empresário Antônio Anastácio de Jesus, que tem um escritório de consultoria rural. Ele foi um dos primeiros associados da cooperativa em Acrelândia e seu empenho foi fundamental na prospecção de novos associados.

Seu envolvimento com a cooperativa e a demonstração de que acredita nos ideais do cooperativismo de crédito o levaram a ser eleito coordenador de núcleo da cooperativa no Acre.

“A cooperativa Sicredi veio para o Acre, em Acrelândia e Rio Branco, para trazer o progresso, para melhorar nossas cidades. Ela abriu as portas para o pequeno e grande agricultor e para o pequeno e grande comerciante, além do servidor público, que agora tem a opção de fazer suas movimentações financeiras em uma cooperativa de crédito”, pontua, ao complementar que tem orgulho de participar do trabalho que o Sicredi faz no Estado.

“Agora, completando um ano da implantação do Sicredi no Acre, temos que parabenizar e agradecer a todos os que acreditaram e se envolveram no desenvolvimento deste projeto de expansão da nossa cooperativa para este rico Estado, tanto aos associados quanto aos colaboradores”, ressalta o presidente da cooperativa, Eduardo Ferreira.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.