Conecte-se agora

EXCLUSIVO: Das 20 mil reservas, livro de Bruno Borges só teve 2 mil exemplares vendidos

Publicado

em

As alegações do advogado de Márcio Gaiote, amigo de Bruno Borges que está exigindo na Justiça o pagamento da parte dele nas vendas dos exemplares da Teoria de Absorção de Conhecimentos (TAC), cuja primeira edição já foi publicada sob a assinatura de Bruno Borges, o “Menino do Acre” estariam erradas.

Segundo a coaching literária Renata Carvalho, responsável pela publicação do livro de Bruno, a primeira edição vendeu apenas 2.228 cópias até o mês de novembro, número bem abaixo do que se esperava à época do lançamento, quando mais de 20 mil cópias foram reservadas, e o material foi à lista dos mais vendidos.

LEIA MAIS
>Bruno Borges não teria dividido dinheiro dos livros e é processado pelo melhor amigo

“Eu ainda tenho cerca de quatro mil livros aqui, parados. A venda média está de cem a cento e dez livros ao mês. Eles [Márcio e advogado] não me procuraram. Quando nós colocamos lá, mais de 20 mil pessoas se interessaram pela compra. Mas, no lançamento, a gente só vendeu 828 exemplares”, explica a coaching.

Renata deixou claro que recebeu para publicar o livro, e que não tem nenhuma responsabilidade sobre os lucros com as vendas. “Eu prestei um serviço, e recebi por isso, e nada mais. É muito simples, e tenho uma nota fiscal disso. Eu trabalho de forma transparente. Na época, o pai do Bruno nos procurou e publicamos o livro”, diz.

FIQUE POR DENTRO
>Em entrevista ao site da Globo, Denise Borges diz que Bruno não tem dinheiro

Denise Borges, mãe de Bruno, questionou as informações divulgadas pelo ac24horas, em primeira mão, nesta terça-feira, dia 09. Contudo, não quis aproveitar a oportunidade para gravar entrevista com o site mais lido do Acre. Pai de Bruno, o empresário Athos Borges, conversou com a reportagem por telefone, marcou local para entrevista, mas não apareceu para gravar.

Durante a entrevista ao G1, Denise revelou que Bruno já pensa em parar as publicações. “Por causa disso, o Bruno está até pensado em desistir do projeto dele, mas não vou permitir que isso aconteça. Meu filho já está quieto, voltou para a faculdade e não está com o bolso cheio de dinheiro, isso é tudo mentira. Meu filho não prejudicou ninguém. Estamos destruídos e nosso filho também, isso é uma falta de respeito e vamos procurar a Justiça”, afirma.

GAIOTE EXIGE PARTE DO LUCRO

Márcio Gaiote é um dos beneficiários das vendas dos livros, e havia até contrato descoberto semanas após o sumiço, pela Polícia Civil. Pelas normas do documento, Gaiote receberia 4% do lucro bruto das vendas, tudo depositado em conta bancária, após prestação de contas mensal. Mas isso nunca aconteceu, e, claro, Márcio não perdeu tempo e foi à Justiça.

Os advogados de Márcio pediram à 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, que as contas das editoras Saraiva e Arte e Vida tenham os valores devidos bloqueados pelo Banco Central, garantindo assim que o cumplice de Bruno Borges possa receber o que lhe é de direito. Apenas no primeiro mês de vendas, o “menino do Acre”, segundo os advogados de Gaiote, pode ter lucrado mais de R$ 420 mil.

Acontece que a juíza Thais Kalil, a mesma que bloqueou o dinheiro da TelexFree para evitar prejuízos aos que mantinha contrato com a empresa, simplesmente não aceitou o bloqueio solicitado por Gaiote, e mandou intimar Bruno Borges, que recebeu prazo de 15 dias para prestar contas do dinheiro que recebeu e , após isso, se manifestar sobre as acusações.

Propaganda

Destaque 2

Enfim Polícia Militar passa a ter mais receitas do que a Comunicação de Sebastião

Publicado

em

A crise da segurança pública que provoca o acirramento entre as forças policiais contra as criminosas, aliado ao debate político-eleitoral em torno da questão, fez o governo Sebastião Viana (PT), já no fim de seu mandato, destinar mais recursos para a Polícia Militar do que para a propaganda.

É o que está previsto em novo decreto que partilha as receitas estaduais do próximo trimestre entre os órgãos, publicado na edição desta quarta (18) do “Diário Oficial”. Até setembro, a PM contará com orçamento de R$ 1,9 milhão, enquanto a Comunicação terá pouco mais de R$ 1 milhão. Até mesmo a Polícia Civil terá mais verba em caixa neste próximo trimestre: R$ 1,4 milhão.

Desde os governos Jorge Viana, passando por Binho e se mantendo com Sebastião, as gestões petistas vinham destinando muito mais recursos para gastar com publicidade do que com o policiamento.

Percebendo que injetar apenas recursos na agência de publicidade Companhia de Selva não surtiu o efeito de amenizar a crise da violência, o governo se viu obrigado a reverter as prioridades, investindo onde de fato a criminalidade pode ser vencida.

Em tempos de vacas magras, o governador Sebastião Viana definiu regras bem rígidas para seus secretários e ordenadores de despesas não extrapolarem na gastança, para evitar desequilíbrio nas contas públicas. Entre elas fica vedada ao gestor “realizar despesas ou contrair novas obrigações de despesas que não estejam compatíveis com os limites disponíveis e os cronogramas estabelecidos”.

Continuar lendo

Bar do Vaz

Pré-candidata ao governo do Acre pela REDE defende a intervenção federal na segurança pública: “Toda colaboração que vier é importante”, diz Janaina

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 2

Petrobras anuncia redução de 1, 80% na gasolina, mas no Acre preço do produto deve continuar na média atual: “Depende do repasse que as distribuidoras vão fazer”

Publicado

em

A Petrobras anunciou que o preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, que entra em vigor nesta quarta-feira, 18, será de R$ 1,9611, indicando queda de 1,80% ante o atual valor de R$ 1,9970.

Apesar da redução anunciada pela estatal, tudo indica a priori que o preço da gasolina no Acre não sofrerá redução. O preço médio do combustível na capital é de R$ 4, 90. O Acre tem a gasolina mais cara do país.

O Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre informou por meio de sua assessoria na manhã desta terça-feira, 17, que ainda não é possível afirmar se haverá ou não redução no preço do produto para o consumidor final, já que esse reajuste do combustível na bomba depende do valor cobrado pelas distribuidoras.

“Os revendedores conhecem novos preços sejam majorados ou reduzidos quando renovam seus estoques. Esclarecemos que nem sempre o reajuste anunciado é acompanhado por que depende do repasse que as distribuidoras vão fazer, já que o reajuste é anunciado para refinarias. Na cadeia após a refinaria estão as distribuidoras e depois os postos.”

Ernani Domingos, empresário do setor no Acre, afirma que a concorrência local forçou a redução antecipada do produto antes mesmo do anúncio da Petrobras.

“Houve reduções pela concorrência acirrada nos ultimos dias. Ou seja, eu por exemplo nao repassei os últimos reajustes da Petrobras em torno de 3% que aumentou. Entao a redução ja foi antecipada.”

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.