Conecte-se agora
Fechar

Disputa por poder: o que está por trás do racha da Assembleia de Deus no Acre

Publicado

em

No mês em que completa 75 anos de fundação em Rio Branco, a Igreja Assembleia de Deus no 1º Distrito da capital, considerada a maior denominação evangélica do Acre, vive um contexto de polêmica e controvérsias por causa de sua eventual saída das convenções estadual e nacional da organização religiosa, a Ceimadac (Convenção de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Acre) e a CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil).

Comandada pelo pastor Luiz Gonzaga de Lima, a igreja em Rio Branco está prestes a migrar para a CADB – Convenção das Assembleias de Deus no Brasil –, recém-fundada pelo pastor Samuel Câmara, que também é presidente da entidade, com pelo menos 10 mil pastores, em Belém do Pará, lugar onde a denominação foi fundada em junho de 1911. A saída, que já é dada como certa, será definitivamente decidida em assembléia geral extraordinária na noite desta terça-feira, 09, no templo sede da igreja, na avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco.

Internamente, o assunto gera polêmica. Ensinados a vida inteira, de acordo com os preceitos bíblicos, a não promoverem “divisão no reino”, como pregam os próprios líderes religiosos, cristãos se depararam com um discurso controverso da liderança da AD local.

O tema é tratado como “racha” pelo presidente da Ceimadac, pastor Pedro Abreu de Lima. Em “nota de repúdio e esclarecimento”, Pedro Abreu e seus auxiliares da Convenção das Assembleias de Deus no Acre, aconselham aos “assembleianos” a votarem contra o desligamento da AD da convenção.

A priori, Luiz Gonzaga não quer dar declarações. Prefere esperar para falar após o resultado da assembléia geral desta terça. Já Pedro Abreu se antecipa e não descarta a possibilidade de entrar na Justiça para vetar a saída da igreja em Rio Branco da entidade comandada por ele. “Nosso jurídico está analisando. Sem confronto”, diz. Além da tal “unidade”, há outro prejuízo para a Ceimadac: a queda na arrecadação financeira.

Os bastidores do poder na Assembleia de Deus e as oligarquias eclesiásticas

Não é de hoje que Luiz Gonzaga e Pedro Abreu disputam poder na Assembleia de Deus do Acre. A briga entre ambos começou lá atrás, quando Luiz Gonzaga perdeu a presidência da Ceimadac para Pedro Abreu, que também preside a Assembleia de Deus em Senador Guiomard. Envolve um emaranhado de interesses que passa não só pela política eclesiástica. Vai bem além. Há disputa por status e influência, inclusive em governos.

Mas o enredo local dessa guerra é bem menor, proporcionalmente, que a disputa nacional. Samuel Câmara, depois de sucessivas derrotas na CGADB resolveu criar uma convenção, tudo sempre em nome de Deus, depois de amargar inúmeras derrotas para José Wellington Bezerra da Costa, que presidiu a convenção até 2017, e depois foi substituído pelo próprio filho, José Wellington Júnior.

Disputas judiciais e ameaças inimagináveis entre ministros religiosos, com apelo divino, culminaram no racha da entidade. José Wellington se mantém no poder através do filho. Samuel Câmara continua poderoso, mas em outra convenção.

A fundação da CADB surge no norte do Brasil, região em que a Assembleia de Deus é dominada pela família Câmara.

Samuel em Belém (PA), e agora no comando da CADB, e Jonatas, seu irmão, como presidente da Assembléia de Deus em Manaus, considerada uma influente e poderosa igreja no Amazonas, que elege deputados, entre eles o deputado federal Silas Câmara, esposo de Antônia Lúcia, ex deputada pelo Acre, e opina em decisões de governo. O império assembleiano do norte conta ainda com a rede Boas Novas de rádio e TV e uma fundação.

Destaque 2

Decisão da executiva nacional do DEM poderá implodir candidatura própria do partido no Acre

Ray Melo, da editoria de política do ac24horas

Publicado

em

A queda de braço para o lançamento de uma candidatura própria ao governo do Acre pelo Democratas pode não passar de um balão de ensaio. Em reunião da Executiva do DEM, que aconteceu em novembro de 2017, os cardeais do partido decidiram dissolver seus diretórios estaduais. A articulação seria uma estratégia para tentar desvincular a imagem da legenda do escândalo da Lava Jato.

A articulação aconteceu após o presidente nacional da sigla, o senador Agripino Maia ser denunciado por supostamente atuar para destravar um financiamento do BNDES para a obra da Arena das Dunas, em Natal, em troca de propina da construtora OAS. A intenção da cúpula do DEM é substituir o senador investigado e todos os presidentes estaduais na convenção nacional no dia (6) de fevereiro.

Com isso, o ex-prefeito Tião Bocalom, que defende a candidatura própria pelo Democratas no Estado, estaria fora da presidência, juntamente com os demais dirigentes que pregam que o DEM monte chapa própria e não apoie a pré-candidatura de Gladson Cameli (PP) ao governo do Acre. A mudança cairia como um balde de água fria nas pretensões do pré-candidato Coronel Ulysses.

De olho na estrutura financeira e o tempo de TV que o partido teria a oferecer, o militar chegou a anunciar que sairia candidato pelo DEM. Nos bastidores, filiados da legenda que não apoiam a candidatura própria afirmam Bocalom saberia da dissolução do diretório no Estado, mas estaria insistindo na candidatura própria para sair do processo de mudança como vítima de uma rasteira política.

A cúpula do Democratas decidiu ainda que o comando do partido deverá ser ocupado pelos deputados federais, ou seja, no Acre o DEM passaria a ser presidido pelo deputado Alan Rick, que poderá voltar a bolsa de apostas para ser escolhido como pré-candidato a vice-governador na chapa capitaneada por Gladson Cameli (Progressistas) e o MDB do deputado federal Flaviano Melo.

Continuar lendo

Destaque 2

Jorge, Sebastião e Márcio Bittar comparecem à festa de São Sebastião em Xapuri

Publicado

em

A 116ª edição da festa em homenagem a São Sebastião em Xapuri, no interior do Acre, ontem, reuniu milhares de fieis nas ruas do município em programações diversas. A principal delas foi a procissão, momento em que os cristãos, adeptos a São Sebastião, padroeiro da cidade, saíram às ruas louvando, orando e cumprindo suas promessas ao Santo.

Do evento, como de costume, participaram alguns dos principais políticos do Acre. O governador Sebastião Viana, acompanhado da esposa Marlúcia e dos filhos Virgílio e Catarina, compareceu à festa santa como faz todos os anos.

“Procissão lotada em Xapuri. Momento de fé, renovação das forças e reafirmar o compromisso de trabalho por um Acre melhor”, disse Viana, que participa do ato religioso em seu último ano como governador do Acre.

Antes da procissão, o senador Jorge Viana (PT), que concorre à reeleição, e Márcio Bittar (PMDB), também candidato a senador, participaram de uma corrida que faz parte da programação da festa de São Sebastião.

Em  sua fanpage Jorge Viana  escreveu: “Estou passando o dia de São Sebastião em Xapuri, tradição acreana que reúne peregrinos e tem uma bonita procissão. A programação começou com uma corridinha de 9 km. Acho que fui bem, cheguei em sexto lugar. Fiz o percurso em 47 minutos. Tá bom, né? O bom mesmo é estar na terra de Chico Mendes, berço da Revolução Acreana”.

Márcio Bittar gravou um vídeo ao lado de duas pessoas que participaram da corrida com ele e destacou sua participação na programação religiosa.



Continuar lendo

Destaque 2

Prefeitura avança com manutenção viária na capital

Publicado

em

Com o objetivo de garantir a manutenção viária, a Prefeitura de Rio Branco intensificou esforços para a recuperação de ruas e avenidas da capital.  Desde o início da semana, a EMURB trabalha com reforço. Vias estruturantes e corredores de ônibus são prioridade. Neste sábado, 20, nove equipes atuaram em diversos pontos da cidade.

No segundo distrito, as frentes de trabalho se concentraram na recuperação de trechos da Rua do Passeio e Ramal Taquari/ Amapá.  Do outro lado da cidade, o foco da ação tapa-buracos foram as Avenidas Ceará, e Getúlio Vargas, Rua Fonte Nova, no Geraldo Fleming, Rua Isaura Parente, Rua 10 de Julho no bairro Placas, Travessa Cabo G. Souza, no Jardim Primavera, além da Rua Rio de Janeiro, no Centro, entorno do Parque Tucumã e Rua José Magalhães no bairro Conquista, que liga o bairro da Paz ao Conquista, passando pelo Horto Florestal.


De acordo com Presidente da Associação de Moradores do bairro Conquista, Edileuza Souza, “a ação veio em ótima hora. Estamos felizes por isso e fazemos questão de acompanhar o trabalho do pessoal da EMURB, que mesmo hoje, num dia de sábado, já estava aqui cedinho para fazer a manutenção das ruas do nosso bairro”.

Durante a execução do serviço, o trabalho foi corrigir o trecho desgastado e recompor o pavimento asfáltico. O prefeito Marcus Alexandre acompanhou o trabalho das equipes. ‘Intensificamos os serviços e vamos continuar assim, fazendo todo esforço para garantir a manutenção dos acessos, cuidando da nossa cidade.

Somente no sábado, 20, a operação tapa-buracos utilizou mais de 150 toneladas de asfalto. Nos próximos 40 dias o investimento da Prefeitura na manutenção viária será de mais de 3 mil toneladas.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.