Conecte-se agora

“Encaro as eleições de 2018 como a chance do Acre experimentar um novo momento com novas ideias”, diz Gladson

Publicado

em

Em entrevista exclusiva ao ac24horaso senador Gladson Cameli (Progressistas) avalia que o ano de 2017 foi positivo para o estado do Acre e grandes objetivos de seu mandato foram alcançados. Ele dá destaque especial à restauração da BR 364, bandeira que o parlamentar abraçou quando ninguém queria ser o “pai da obra” inacabada, que ameaçava isolar mais de 250 mil pessoas em três regionais do estado.

Outro indicador apontado como avanço, é o da recuperação econômica do Brasil com a diminuição do desemprego. Para o senador, estão criadas as condições para uma retomada do crescimento em 2018. Visto como liberador de emendas para todos os municípios do Acre, o engenheiro revelou o segredo para conseguir recursos em Brasília.

Inocentado na investigação do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato, pré-candidato ao governo por um conjunto de partidos de oposição, Cameli mudou o discurso com relação à postura adotada pelo Democratas de Tião Bocalom e ao pedir respeito a uma nova via política, chamou para si a responsabilidade da liderança do processo.

“Essa eleição não será pela política. Será pelas pessoas”, garante o parlamentar.

Veja na íntegra a entrevista concedida pelo senador Gladson Cameli ao site ac24horas.

Ac24horas – O senhor assumiu o desafio de restaurar a BR 364 quando ninguém queria apadrinhar a recuperação da rodovia. O senador chegou a ter medo de assumir uma bandeira tão complexa como essa?
Gladson Cameli – Eu gosto de desafios. Confesso que quando o governo federal começou a contingenciar recursos por conta da crise instalada nesse país, eu cheguei a pensar que os objetivos do DNIT não seriam alcançados. Foi preciso fincar o pé na porta do Ministério dos Transportes e graças a Deus conseguimos sensibilizar o ministro Maurício Quintela e a direção nacional do DNIT da necessidade de não cortar recursos para a obra. Deu certo, com a conquista da Superintendência no Acre eu me tranquilizei, era a certeza de que os recursos estavam em boas mãos e que seriam aplicados corretamente. O resultado do meu empenho, da união da bancada federal e da transparência na gestão do Thiago Caetano está aí, a BR aberta e com mais de 150 km restaurados.

ac24horas – Essa é a maior conquista nessa área de infraestrutura para o Acre ou existiram outros avanços?
Gladson Cameli – Nós temos um conjunto de obras importantes para o desenvolvimento do estado, a BR 364 tem uma importância muito grande para a ligação do Juruá com o restante do Brasil, o escoamento da produção, a garantia de abastecimento, mas tem um outro corredor fundamental que é a BR 317. Já tem recursos orçados em R$ 63 milhões para a recuperação total dela, desde a divisa do Amazonas até Assis Brasil. Temos o cronograma da ponte sobre o Rio Madeira, mais R$ 140 milhões de investimentos, sem atraso e a expectativa de inaugurar essa obra em 2018. Essa ponte com a conclusão do Anel Viário entre Epitaciolândia e Brasileia fecha as grandes obras necessárias para ligação com o Pacífico. O projeto de reconstrução da BR 364 garante obras para os próximos quatro anos.

ac24horas – O que representou a liberação de exportação da carne suína para a Bolívia?
Gladson Cameli – Ouvir um empresário falar em triplicar a geração de emprego e renda em um momento que o estado vive um caos na segurança pública é muito gratificante. O ministro Blairo Maggi demonstrou para o Acre que com vontade política é possível fazer. O que não resolveram durante décadas, levamos seis meses para colocar nas mãos do Paulo Santoyo, sócio proprietário da Dom Porquito. E vamos avançar rumo ao mercado andino. O Acre precisa produzir, fortalecer o agronegócio. Vejo isso como grande alternativa econômica. Como senador, estou trabalhando para melhorar a vida das pessoas do meu estado e do meu país. Foi isso que me honrou com a escolha do meu trabalho como merecedor do título de melhor senador do Acre.

ac24horas – O senhor é pré-candidato ao governo. Como vai conciliar a atividade parlamentar com as eleições em 2018, caso o seu nome seja referendado pelos partidos de oposição? Já lhe criticaram até pelo o senhor cumprir mais agenda no Acre do que no Senado Federal.
Gladson Cameli – Na semana que me criticaram eu voltava de Brasília com a garantia de 25 ambulâncias, uma para cada município do meu estado. O cidadão hoje está mais preocupado em manter ou conseguir seu emprego do que com política. Está mais amedrontado com essa crise de segurança do que preocupado com campanha. Então, nossa obrigação, como senador é agora buscar soluções e investimentos que ajudem ao Acre suportar essa terrível crise.

ac24horas – Mas as eleições foram antecipadas, o senhor acredita que tem como fugir desse debate?
Gladson Cameli – Eu estou encarando esse momento como uma chance do Acre experimentar um novo momento, com novas ideias para a saúde, para a educação, para discutirmos como o cidadão vai poder sair e chegar em casa com segurança, poder voltar a pensar num futuro melhor. Sou um senador que anda, que conversa com todos os prefeitos independente de cores partidárias, desde Marechal Thaumaturgo até Assis Brasil. Esse debate eu venho tendo diariamente com a população.

ac24horas – O senhor pediu respeito à decisão do Tião Bocalom de marchar com o Democratas com a pré-candidatura do Cel. Ulisses, isso significa o fim das tratativas com o Democratas?
Gladson Cameli – Representa um ponto final nas picuinhas, nos debates pequenos. O Acre é muito maior do que os ataques criados a partir das decisões de grupos políticos. O adversário do Bocalom é o mesmo meu, ou seja, o PT. Nosso objetivo também é comum, de tirar esse grupo que endividou o estado, que persegue o produtor rural, desde o grande até o pequeno, impedido o progresso com um discurso vazio de florestania. Mas voltando à sua pergunta, não é o fim do diálogo, creio que vamos continuar fazendo uma conversa ampla, mas pensando no Acre e nas pessoas.

ac24horas – Com a decisão do DEM, o PSDB é o partido credenciado para indicar a vaga de vice na sua chapa?
Gladson Cameli – Eu tenho dito que o PSDB tem dado gestos positivos. Essa questão é como um casamento, precisa de confiabilidade e fidelidade. Eles apresentaram o nome do médico Eduardo Veloso, estão tratando isso com muita responsabilidade com os demais partidos. A busca não é apenas de um nome para ser vice, mas um perfil que possa confirmar a união das nossas ideias, trazer novas visões e somar ainda mais competência ao nosso grupo.

ac24horas – Como o senhor avalia as últimas denúncias com relação ao seu mais forte adversário político, o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre?
Gladson Cameli – Acho que cabe a ele responder melhor essa pergunta. Fui eleito o senador com o melhor trabalho em prol do meu estado e sou ficha limpa. Isso é o que realmente importa.

Ac24horas – Qual suas considerações finais e a expectativa para 2018?
Gladson Cameli – O país caminha com expectativas de crescimento. Participei de um encontro mundial onde um estudo aponta a projeção maior do PIB brasileiro para 2018. Estou com muita esperança e vontade de continuar trabalhando. Quero agradecer a toda população do meu estado pelo forte sentimento que a gente recebe nas ruas. Agradecer minha esposa, Ana Paula, meu filho Guilherme por tudo de bom que Deus tem proporcionado em nossas vidas e desejar um feliz natal e um próspero ano novo para todas as famílias do meu estado.

Propaganda

Blog do Crica

Até tu, Flaviano Melo!

Publicado

em

Eu esperava ver qualquer político acreano na famigerada lista que pede a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a Lava Jato, menos o nome do deputado federal Flaviano Melo (foto), cuja carreira política foi moldada em uma casa onde sua família sempre era vista como baluarte pela democracia. Sua casa era o quartel general do MDB contra a ARENA, que representava a ditadura militar. Gostaria de ver o Flaviano assinando uma CPI ou qualquer movimento para fortalecer as ações da Lava Jato e não criar mecanismos para o seu fim. Com que moral vai chegar na campanha, no Acre, criticando o governo do PT, o partido, justamente os organizadores desta CPI? Com moral zero. A sua biografia não merecia isso, Flaviano Melo (MDB)! Depois ficam arrotando “nos somos os puros” e “o PT os podres”. O Flaviano seria a última pessoa a encorpar um movimento do PT, porque durante a sua vida política foi alvo principal dos petistas de achincalhamento. Mas tudo bem, gosto não se discute.

ILAÇÕES, BRAVATAS E NADA CIENTÍFICO
Todas as pesquisas realizadas até hoje mostram um quadro de equilíbrio entre os candidatos melhor posicionados, Gladson Cameli (PP) e o petista Marcus Alexandre. A experiência de mais de três décadas fazendo jornalismo político me dão a cautela necessária para não embarcar em blefes e ilações de torcedores e cabos-eleitorais de que Cameli já ganhou a eleição no primeiro turno. Isso dito com a campanha nem tendo começado, sem nenhum embasamento científico, na base da ilação, soa no mínimo como uma grande bravata. Não discuto o senador Gladson Cameli (PP) ser uma candidatura forte num contexto de alto desgaste do petismo e do governo. Entre isso e arrotar estar a eleição decidida ao seu favor é outra conversa. Falta ao candidato oposicionista, por exemplo, se mostrar um líder dentro da oposição como era o inconteste Nabor Junior (MDB). Promete muito, cumpre pouco ou não cumpre. Este me parece seu adversário mais perigoso na campanha. Estamos longe de termos um quadro definitivo desta eleição. É a mais pura bobagem se fazer uma projeção sem a campanha ter começado para valer. Esta tende a ser uma eleição dura e decidida no detalhe. É cedo para se nominar um favorito. A eleição no Acre está cheia de exemplos de quem dormiu eleito e acordou derrotado. A nenhum dos candidatos é, pois, recomendável pôr a cerveja para gelar.

CAMPANHA PROFISSIONAL
Quem vem fazendo uma campanha profissional é o ex-deputado José Bestene (PP). Tenho encontrado lideranças políticas importantes prometendo lhe apoiar para uma vaga na ALEAC.

SONHO FICA LONGE
O mais irritado com o PP não aceitar uma coligação com o MDB é o ex-prefeito Vagner Sales, que fazia uma projeção de que, com a aliança o MDB elegeria quatro deputados, e lhe daria cacife de votos para numa vitória de Gladson Cameli (PP) o pressionar pela presidência da ALEAC.

PERGUNTA TRANSFERIDA
Uma pergunta que muita gente me faz e até os seus próprios companheiros do MDB tem dúvida, é se o ex-prefeito Vagner Sales, que responde várias ações poderá ser candidato a deputado estadual. A informação jurídica que tenho é que hoje poderia, não sei amanhã.

DISPUTA DE FOGO AMIGOS
Uma disputa de fogo amigo com labaredas altas durante a campanha para deputado estadual será a da deputada Eliane Sinhasique (MDB) e o vereador Roberto Duarte (MDB). Duarte não terá mais todo o MDB na sua candidatura, como teve para vereador de Rio Branco.

AMBOS BEM AVALIADOS
A deputada Eliane Sinhasique (MDB) é um dos destaques da oposição na ALEAC. E Roberto Duarte (MDB) é um dos destaques da Câmara Municipal de Rio Branco. Será uma briga de bem avaliados em seus mandatos. Só que disputam espaço numa chapa de cinco fortes nomes.

NÃO PODE ESQUECER
A chapa do MDB é formada por Vagner Sales, Eliane Sinhasique, Meiri Serafim, Roberto Duarte e Jairo Carvalho (PSD). Há um detalhe ainda a ser avaliado: não será fácil derrotarem o deputado Jairo, que tem todo o PSD na sua candidatura, junto com influente grupo evangélico.

GRANDE PUXADOR
Na chapa do PTB, o Dr. Jeferson – o Pururuca – deverá ser o grande puxador de votos do partido. Uma matemática correta é que o PTB pode eleger um e brigar na sobra pelo segundo. É bom os seus candidatos saírem do conto de fadas de que o PTB pode eleger três deputados.

FICAR AFASTADO
É uma tese que tomou corpo dentro da FPA, a de que o governador não deve colar a sua imagem no candidato ao governo do PT, Marcus Alexandre (PT), por causa do desgaste deste final de gestão. Ouço isso todo o dia de deputados na ALEC. Resta saber se aceita o sacrifício.

POLÍTICA É MOMENTO
O então prefeito Mauri Sérgio colocou toda a máquina da prefeitura de Rio Branco na campanha do Márcio Bittar (MDB). Este se elegeu deputado e nem deu ao menos satisfação ao Mauri ao deixar o PMDB. Nem um obrigado. Hoje Mauri Sérgio é um dos seus cabos-eleitorais.

FIGURA GENEROSA
O ex-prefeito Mauri Sérgio é uma das figuras políticas mais generosas que eu conheço.

FALTA DE PLANEJAMENTO
Campanha é planejamento. O grupo que cerca o candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), faz papel de amador, fizeram planejamento de campanha, esqueceram a pré-campanha e estão na base da cota entre parlamentares para o deslocamento da equipe.

NÃO TINHA DE ESCONDER
A cúpula da Segurança foi ágil na captura dos bandidos que assaltaram a Delegacia de Brasiléia e roubaram armamentos. Um ponto positivo. O ponto negativo foi querer esconder o óbvio para a imprensa, como se o fato não tivesse acontecido. Com as prisões tudo foi escancarado.

NESTA NÃO TEM CULPA
Centenas de postagem nas redes sociais acusam o governador de ser leniente com bandidos, ao reincorporar na função um policial condenado, acusado agora de ser o mentor do roubo na Delegacia de Brasiléia. A decisão foi ordem judicial ou reintegrava ou se complicava.

PAUTA POSITIVA
O convênio assinado entre o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, e o INCRA, de parceria na recuperação de ramais é uma pauta positiva para a sua administração. Se acompanhar de perto a aplicação de recursos, fiscalizar as obras, ele ficará bem na área rural.

COMEÇOU TRABALHAR
Quem visitou Cruzeiro do Sul diz que dá para ser notado o trabalho de tapa-buracos que o prefeito Ilderlei Cordeiro vem realizando na cidade e pode chegar ao fim do verão com boa parte das ruas recuperadas e melhorar a sua aceitação popular. Pode bem virar o jogo ao seu favor na opinião pública.

MULHER NÃO VOTA EM MULHER
A candidata á governadora, Janaína Furtado (REDE) não aposte no voto feminino para alavancar a sua campanha. Mulher não vota em mulher. Dos vinte e quatro deputados estaduais, apenas quatro são mulheres. E da bancada federal, mulher só a Jéssica Sales (MDB).

ASA CURTA
O ex-prefeito de Feijó, Merla Albulquerque, se de fato tinha aspiração a um mandato deveria ter sido candidato a deputado estadual. Vai disputar uma vaga na Câmara Federal pelo PSOL. E numa chapa em que as suas asas são curtas perto dos demais integrantes.

SEM RECLAMAÇÃO
O Brasil não tem de ficar choramingando pela não marcação de uma falta no gol da Suíça. O empate foi de bom tamanho para quem ficou o jogo todo com firula e sem objetividade.

NÃO FOI CULPADO TEMER
E desta vez não dá nem para dizer que o Brasil jogou mal e a culpa é do Temer.

UMA OBSERVAÇÃO
A observação é de um dos mais respeitados jornalistas esportivos, o radialista Raimundo Fernandes: “Depois que o Rio Branco entrou com aquela faixa a favor da Dilma, o time desabou nas competições nacionais”. Coincidência ou não, bate com a realidade dos fatos.

FICÇÃO MAIS DISPARATADA!
Chega a ser cômico estes constantes protestos da cúpula petista regional contra a Rede GLOBO, como se tivessem alguma influência na emissora. A GLOBO vai bem fechar por causa da choradeira. Quanta infantilidade! Tanta coisa para se preocupar, vão se preocupar com a GLOBO?

SIMBIOSE CLARA
Impressionante o grupo de lideranças políticas que vejo declarar que estão apoiando a dobradinha Sérgio Petecão (PSD) e Ney Amorim (PT) para o Senado. Coisas da política.

NÃO HÁ COMO SEGURAR
Nesta eleição para o Senado fica difícil para as coligações exigir a fidelidade do voto cerrado nas duas candidaturas a senador. O que vai ter de voto coligado de candidatos da oposição com candidatos do PT não está escrito. Nada é mais infiel do que o segundo voto do Senado.

RECLAMAÇÃO DE PETISTA
Petistas estão reclamando muito pelo fato de Mâncio Lima ter um prefeito do PT e o município é justamente onde o candidato ao governo, Gladson Cameli (PP), está melhor avaliado nas pesquisas. O prefeito Isaac Lima vem a ser o irmão do deputado Jonas Lima (PT).

NADA Á REVELIA
Nenhum secretário toma uma decisão, até para abastecimento de veículos, sem não falar com o prefeito de Porto Walter, Zezinho Barbary. Não tem farra com gastos. Por isso tem uma das prefeituras mais enxutas do Acre e sempre aparece nas pesquisas como o melhor avaliado.

MUITA SERENIDADE
Nestes primeiros meses da prefeita Socorro Nery como titular do cargo dá para se notar um comportamento que é positivo em um gestor: serenidade. Não toma decisões atabalhoadas, se cerca primeiro das garantias legais. Nestes tempos bicudos de Lava jato a prefeita Socorro está mais do que certa ao adotar precauções. Sobre as suas ações na cidade é cedo para avaliar. Terá todo um verão para dar novos ares à Capital, que continua com muitos buracos.

Continuar lendo

Cotidiano

Empate com o Remo mantem Atlético na liderança da serie C do Brasileirão

Publicado

em

O empate em 2 x 2 com o Remo, em Belém (PA), na noite desta segunda feira (18), em nada mudou a posição das equipes.na tabela de classificação. O Galo se manteve na liderança com 20 pontos. Já os paraenses permaneceram na lanterna, agora com 8.

Rafael e Neto marcaram para o Atlético. Rodriguinho e Nininho anotaram os gols do Leão.

Com o resultado, o time do Acre chega ao quarto jogo sem saber o que é perder. O Remo havia quatro partidas que não vencia e conseguiu o primeiro ponto sob o comando do técnico Artur Oliveira.

O Atlético volta a campo no próximo domingo (24), quando recebe o Santa Cruz, em Rio Branco.

Continuar lendo

Cotidiano

Eletrobrás deve indenizar idoso por incêndio em propriedade rural

Publicado

em

O Juízo da 5ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco condenou a Eletrobrás Acre ao pagamento de R$ 15 mil em indenização por danos morais a um idoso que teve sua casa incendiada. A decisão foi publicada na edição n° 6.137 do Diário da Justiça Eletrônico (pág. 23)

A juíza de Direito Olívia Ribeiro, titular da unidade judiciária, ao ponderar sobre o Processo n° 0712075-04.2015.8.01.0001 assinalou o descaso da ré com a rede de energia, “pois se tivessem sido adotadas as precauções adequadas, certamente, o acidente não teria ocorrido”.

Entenda o caso

A casa de F.F.S. era de madeira, localizada no ramal Edval, em Porto Acre. Segundo os autos, no dia do evento danoso, ocorreram simultâneas quedas de energia e a propriedade rural foi completamente incendiada.

O autor do processo tinha visitas em casa. Essas pessoas foram testemunhas do processo, uma delas narrou que seu filho de cinco anos de idade estava em meio ao fogo e sobreviveu por ter pulado dentro da caixa d’água. Chegou a ficar internado e passar por procedimentos cirúrgicos. A sogra do demandante sofreu queimaduras e foi hospitalizada.

Na petição inicial, o idoso narrou as dificuldades que passou por ter perdido seu lar. Segundo ele, chegou a viver da ajuda dos vizinhos e passou meses dormindo dentro do forno de farinha.

Em contestação, a concessionária esclareceu que sua responsabilidade se restringe ao ponto de entrega, a partir desse ponto a responsabilidade é integralmente do consumidor. Por isso, alegou ser incabível a indenização pleiteada pela ausência de ato ilícito.

Decisão

No entendimento da juíza de Direito houve conduta negligente da ré, ao deixar de prestar a devida manutenção na rede de energia elétrica. “O descumprimento do dever de fornecer o serviço de energia elétrica com segurança, resultou no sinistro que vitimou o autor, deste modo, exsurge a necessidade de reparar os danos decorrentes da prestação defeituosa do serviço”.

A magistrada ressaltou ainda que o próprio preposto da empresa, ao ser indagado como era realizado o atendimento naquela localidade, disse que acontecia de demorar um pouco, pois eram muitas ocorrências e não conseguiam atender a todos de uma vez, que às vezes montavam uma força tarefa para atender a todas as ocorrências da localidade.

“É inquestionável que o dano causou efetivos sofrimentos e transtornos ao autor”, concluiu Ribeiro.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.