Conecte-se agora

Rio Branco é a 3ª capital em oportunidades em educação, diz indicador de educação

Publicado

em

Importante indicador de educação, IOEB mostra a capital do Acre em 3º lugar em qualidade de educação

Criado em 2015, o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB) põe Rio Branco em 3º lugar entre as capitais brasileiras, com 4,9 pontos, empatada com Curitiba, capital do Paraná. O IOEB do Estado do Acre é de 4,5 pontos, enquanto que a média brasileira é 4,7 pontos. Ou seja: o resultado da capital acreana é melhor que o obtido, em média, por todos os estados.

“Evoluímos bem. Saímos da 7ª colocação, em 2015, para o 3º lugar entre as capitais em 2017”, avaliou Márcio Batista, secretário de Educação de Rio Branco. Na primeira avaliação, o IOEB de Rio Branco permitiu uma colocação melhor que municípios ricos, como Rio de Janeiro e Vitória, que recebem muitos recursos da extração de petróleo, por exemplo.

São muitos os fatores que proporcionaram tamanha evolução, mas alguns dados não podem passar despercebidos: “dos 1.903 professores do nosso quadro, 1.402 são efetivos. Ou seja: mais de 73% dos nossos docentes são permanentes. Apenas 501 tem contrato provisório”, explicou Márcio Batista.

“Recebemos essa nota com alegria e muita responsabilidade, a educação é para nós a mais importante das políticas públicas, atingimos a 4ª melhor nota entre as capitais no IDEB, construímos 12 novas creches, geramos quase cinco mil novas vagas para crianças de até cinco anos, investimos em qualificação profissional, são muitos os avanços na educação, resultado de muito trabalho e de investimento”, explicou o prefeito Marcus Alexandre.

Apesar de o IOEB não ser um indicador oficial como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), mas é considerado positivo por ser criado por profissionais especializados e que participaram da elaboração do IDEB, que é um indicador oficial do Ministério da Educação, onde Rio Branco permanece há cinco anos entre os cinco melhores do País. A última avaliação, em que a capital do Acre obteve nota 5,8, pôs Rio Branco como a 4ª melhor nesse indicador.

Avanços: 100% de professores com nível superior e 36% de crianças até 3 anos em creches

Há dados que o IOEB não atualizou, como o percentual de professores com ensino superior. “Hoje temos 100% dos nossos professores com diploma universitário”, garante Márcio Batista.

Sobretudo, os investimentos da gestão de Marcus Alexandre no sistema educacional da primeira infância tem proporcionado alcançar várias metas. Uma delas diz que até 2025 pelo menos 50% das crianças de 2 e 3 tem de ser atendidas por creche. “Já chegamos a 36% de cobertura e, nesse caminhar, vamos ultrapassar a meta estabelecida”, assegura o secretário de Educação de Rio Branco.

O que é o IOEB?

O IOEB é uma soma de vários indicadores de resultado e indicadores de insumos. Qualidade dos professores, tempo de jornada na escola das crianças, experiência dos diretores também contam. Para se chegar à nota final, os idealizadores observaram a nota de prova, o fluxo – se os alunos estão passando de ano, se têm possibilidade de os menores em matrícula em educação infantil – e se eles estão completando na idade correta.

O IOEB é uma inciativa do Centro de Liderança Pública com o apoio do Instituto Península, da Fundação Lehmann e da Fundação Roberto Marinho, criado pelo mesmo inventor do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), Reynaldo Fernandes, ex-presidente do INEP, e por Fabiana de Felício, que foi diretora de estudos educacionais do INEP.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Propaganda

Destaque 2

Gameleira Connection mostra o abacaxi que Gladson herdará de Sebastião Viana em 2019

Publicado

em

O Gameleira Connection desta sexta-feira, 16, traz as últimas informações sobre o caos que toma conta da saúde do Acre e também do abacaxi que o governador eleito Gladson Cameli receberá de Sebastião Viana em 2019.

Continuar lendo

Destaque 2

Quadra sintética em construção no Cidade Nova apresenta endereço de rua do Bairro Quinze

Publicado

em

Uma placa instalada na obra de construção de uma quadra de grama sintética no bairro Cidade Nova, no 2º Distrito de Rio Branco, tem em sua descrição a rua Salim Farhat no Bairro Quinze, o que acabou não só chamando a atenção de quem passa pelo local como vem desagradando moradores do Bairro Quinze.

Nesta quarta-feira, 14, o vereador Mamed Dankar (PT) disse na Câmara Municipal que recebeu algumas fotos da placa da obra. As imagens também foram divulgadas no Facebook por um internauta com questionamentos.

Dankar relatou que os moradores do Quinze reclamaram que a quadra deveria ser construída em um espaço no bairro onde atualmente há uma quadra de cimento velha ao lado do famoso Barracão do Quinze, porém a obra está em construção no Cidade Nova, onde já há um Centro da Juventude com áreas de esportes e lazer.

“Estou preocupado. Alguém da prefeitura pisou na bola ali. Me mandaram uma foto com a construção de uma quadra sintética na rua Salim Farhat, o valor, o prazo, Bairro Quinze, mas sabe onde está essa placa? Lá numa área na Cidade Nova, onde já tem o espaço da juventude, que é uma quadra grande; na rua da Conceição tem outro espaço com academia, quadra de areia. Eu quero crer que é um erro. Ou a placa está no lugar errado ou alguém está muito equivocado”, disse ele ao fazer os questionamentos.

Detalhe: a obra, que custa R$ 256 mil aos cofres públicos, teve início em junho deste ano e deveria ser inaugurada em outubro, o que não ocorreu.

Procurada, a secretária municipal de Obras, Cláudia Cunha, não atendeu os telefonemas da reportagem do ac24horas.

Já o secretário municipal e Esporte, Afrânio Moura, afirmou que a quadra não pode ser construída no Bairro Quinze porque a área ao lado do barracão não é regularizada e está sub judice.

Para não perder os recursos destinados à construção, a prefeitura resolveu instalar a quadra no Cidade Nova em um lugar devidamente documentado.

Ao vereador Mamed Dankar, a prefeitura informou que não há terreno público no Bairro Quinze para a construção da quadra.

Já a instalação da placa foi um erro da empresa contratada.

“Para aprovar o projeto e começar a obra tem que ter a regularização fundiária da área e não foi possível. Área do Quinze está sob questão judicial. Se tentou de todas formas regularizar, mas não foi possível. Para não perder o recurso foi orientado que a obra fosse colocada naquela área (Cidade Nova) pela regularização que já existe, pela documentação. A questão da placa deve ter acontecido em função da contratação na época que ainda tinha um outro interesse na tentativa de resolver”, explicou o secretário de Esporte.

Atualização: Uma nova placa com o endereço correto foi instalada na obra após a repercussão da informação na rede e entre moradores, mas com início em novembro e previsão de término para março de 2019.

Continuar lendo

Destaque 2

Equipe do governador eleito Gladson Cameli tem menos de 30 dias para debater orçamento 2019

Publicado

em

A primeira reunião da equipe de transição do governador eleito Gladson Cameli (Progressistas) para debater o orçamento 2019 com os gestores da administração Sebastião Viana, do PT, acontece na próxima semana. A informação é de Ribamar Trindade, que comanda os trabalhos à frente dos gestores escolhidos por Cameli, que executará a transição entre o atual governo e a nova gestão a ser implantada a partir do dia 1o de janeiro de 2019.

Segundo informações de bastidores da Aleac, a atual gestão encaminhou ao Poder Legislativo Estadual, o mesmo projeto que está sendo executado este ano. A medida seria para não perder o prazo para apresentação da Lei Orçamentária Anual (LOA), estima as receitas e autoriza as despesas do governo de acordo com a previsão de arrecadação e dos repasses constitucionais pela União, que ainda deverá ser aprovado pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre.

A equipe de transição terá, em tese, menos de 30 dias para debater e encaminhar o Orçamento 2019 para votação e aprovação na Aleac. O Poder Legislativo deve examinar, modificar e votar o projeto de LOA até o encerramento da sessão legislativa, que ocorre em 15 de dezembro, quando se inicia o recesso parlamentar. Caso o projeto não seja apresentado e votado em tempo hábil, a nova administração terá que trabalhar com o valor do orçamento anterior.

Apesar de a apresentação da LOA seguir todo um rito constitucional, o orçamento no Acre sempre foi considerado pela classe política, como “uma peça de ficção”, já que a lei é aprovado em dezembro, mas em janeiro já fazem os remanejamentos e publicam no Diário Oficial, fator que poderá minimizar os problemas para a nova administração que inicia no dia 1o de janeiro de 2019 terá à frente um novo governador e uma nova equipe de gestores.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.