Conecte-se agora
Fechar

Sebastião Viana lamenta morte do jornalista Ilson Nascimento: “Ícone do bom jornalismo”

Publicado

em

O governador Sebastião Viana lamentou por meio de sua página no Facebook a morte do jornalista Ilson Nascimento (67), um dos profissionais mais respeitados do rádio acreano, ocorrida no final da tarde desta quarta-feira, 06, na UTI do Hospital das Clínicas em Rio Branco.

“Partiu o querido Ilson Nascimento, ícone do bom jornalismo comunitário, âncora da nossa Difusora Acreana”, disse Viana, que também emitiu nota lamentando o falecimento do jornalista.

Há meses, Ilson fazia tratamento de hemodiálise no HC. Durante o período do tratamento ele teve uma parada cardiorrespiratória e ultimamente vinha sendo alimentado através de sonda.

Ilson Nascimento começou sua vida no jornalismo em 1972, dos quais 28 anos dedicados à Rádio Difusora Acreana. Sempre foi considerado um servidor público exemplar de extrema entrega ao jornalismo da RDA. Não à toa foi premiado em 2004 com uma medalha pelos serviços prestados ao Estado do Acre.

O corpo de Ilson Nascimento é velado em sua residência no bairro Nova Esperança em Rio Branco.

Notícias

Presidente do Peru anuncia que receberá CPI que investiga a Lava Jato no país

Publicado

em

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, anunciou nessa quarta-feira (13) que decidiu receber os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o escândalo de corrupção envolvendo a Odebrecht em seu país.

“Tomei nota do sentimento popular majoritário, que considera conveniente que eu me reúna com os integrantes de tal comissão”, afirmou Kuczynski à emissora RPP Notícias, horas depois de a CPI informar que a construtora brasileira pagou mais de US$ 782 mil à sua empresa de consultoria.

Kuczynski ressaltou que voltou atrás na decisão de não receber a comissão, uma prerrogativa do cargo, para responder a essas acusações e “em respeito à honra” que lhe foi concedida pelos peruanos quando o elegeram presidente.

A congressista fujimorista Rosa Bartra, presidente da CPI que investiga a propina paga pela empresa brasileira a funcionários peruanos, apresentou a relação dos serviços de consultoria enviada pela Odebrecht a seu grupo de trabalho.

De acordo com um documento da companhia remetido à CPI, a Odebrecht pagou mais de US$ 782 mil à empresa de consultoria Westfield Capital, que pertence ao atual presidente, por serviços realizados entre 2004 e 2007.

Supostamente, os pagamentos ocorreram entre novembro de 2004 e dezembro de 2007 e coincidem com o período em que Kuczynski ocupou os cargos de ministro da Economia e, posteriormente,, de primeiro-ministro, durante o governo do ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006).

Os serviços de consultoria foram feitos para a transposição transandina de Olmos, que consiste em um duto de 19 quilômetros sob os Andes, que leva água para a irrigação de cerca de 40 mil hectares de plantações no deserto e para a estrada interoceânica do Norte. Essa estrada atravessa o território peruano desde o Oceano Pacífico até a Amazônia.

Kuczynski negou que sua empresa tivesse feito qualquer tipo de consultoria para a Odebrecht até que, no último sábado (9), reconheceu ter prestado serviço, por meio da First Capital, para a empresa do grupo Odebrecht H2Olmos, concessionária do projeto de transposição de Olmos.

A First Capital, constituída pelo empresário chileno Gerardo Sepúlveda, fez consultorias para a Odebrecht entre 2005 e 2013, que foram estimadas em mais de US$ 4 milhões.

O presidente peruano ressaltou que a última informação divulgada pela CPI que investiga a Lava Jato no país o levou a repensar a decisão de não receber seus integrantes. Segundo Kuczynski, as informações levam a crer “que os montantes mostrados foram pagamentos de honorários” a ele.

“Diante disso, e em respeito à honra que os peruanos me concederam de poder representá-los como presidente, acredito que é necessário informar ao povo peruano que decidi me reunir com os integrantes de tal comissão”, reiterou Kuczynski.

Ele lembrou que trabalhou durante 57 anos e que seus ganhos econômicos “como profissional estão devidamente registrados e tributados”.

O caso Odebrecht no Peru se concentra em seguir o rastro das propinas pagas entre 2005 e 2014 a funcionários, em troca de favorecimento na concessão de contratos de obras públicas e também nas doações feitas a candidatos para financiar suas campanhas eleitorais.

Continuar lendo

Cidades

Aleac aprova Projeto de Lei de Jenilson Leite que presta homenagem póstuma a professora Rita Batista

Publicado

em

Foi aprovado na sessão ordinária de terça-feira (12) o PL nº 140/2017,de autoria do deputado Jenilson Leite do (PCdoB), que modificar o nome do educandário Santa Margarida, passando a chamar-se Educandário Santa Margarida professora Rita Batista, local onde a mesma trabalhava e dirigia como se fosse seu lar, por isso é uma homenagem póstuma a umas das pessoas que mais se dedicaram as causas sociais no Estado como justificou o parlamentar .

Rita Batista morreu em novembro de 2017, deixando quatro filhos e seis netos. Foi fundadora do PCdoB no Acre, no ano de 1978. Alem disso, enfrentou a ditadura militar em defasa das mulheres e das causas sociais.

Ela foi a primeira mulher a apresentar um programa na rádio Difusora Acreana “A voz das selvas”. Na qualidade de militante política, ela disputou o senado em 1985, e 1988 concorreu ao cargo de vice- prefeita da capital acreana pela FPA.

Nos últimos três anos, Rita Batista foi dirigente do educandário Santa Margarida, cargo que exerceu com brilho e altivez.

Para o autor do PL, Deputado Jenilson Leite, Rita Batista merece ser homenageada por sempre ter defendido as causas mais nobres, na qual se destaca a defesa dos mais pobres. “Ela sempre lutou com honra, dignidade e altivez, possuindo a firmeza do ferro fundido e a leveza dos anjos. Uma pessoa que decidiu sua vida aos mais pobres”, ponderou.

Continuar lendo

Acre

Invasores do Loteamento Andirá caminham por ruas em protesto em direção à Aleac

Publicado

em

Famílias que ocupam o Loteamento Andirá, na região do Apolônio Sales, em Rio Branco, interditaram várias ruas da capital durante caminhada até o prédio da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira, 14.

Eles querem ter direito à moradia no local em que já estão residindo. Atualmente, as 67 famílias moram no loteamento, mas de forma irregular.

Semana passada eles interditaram a Estrada de Porto Acre também em manifestação. A caminhada dos manifestantes pela avenida Antônio da Rocha Viana gerou lentidão no trânsito.

Os manifestantes caminham neste momento pela avenida Ceará. O protesto se encerra na Assembleia Legislativa.

“Já houve muitas promessas do governador e do prefeito de que a gente ia ser regularizado. A gente tá cansado só de promessa”, protesta o líder do movimento, o pastor João Nascimento.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.