Conecte-se agora

“As forças de segurança do Acre estão entre as que mais prendem e que mais elucidam homicídios no país”, diz delegado Cleylton Videira dos Santos, presidente da Adepol

Publicado

em

As declarações do promotor de Justiça Rodrigo Curti, da 10ª Promotoria de Justiça Criminal da 1ª Vara do Tribunal do Júri, sobre os 461 homicídios que foram registrados até o mês de novembro no Acre, além da taxa de 55,5 homicídios para cada 100 mil habitantes no Estado, números que ele considera pior do que os apresentados em países em guerra, repercutiram entre os delegados de polícia civil. O delegado Cleylton Videira dos Santos, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Acre (ADEPOL) procurou a reportagem de ac24horas para fazer um contraponto sobre os índices da criminalidade levantados por Curti. Videira acredita que a questão do aumento da violência não seja especificamente do Acre, mas de todos os estados brasileiros que sofrem com muitos homicídios motivados pela guerra pelo controle do tráfico de drogas

Segundo Clayelton Videira, o promotor de Justiça fez uma análise pelo próprio ponto de vista do momento de alta nos índices de violência, mas que, apesar das dificuldades, a Polícia Civil vem dando uma resposta positiva ao cidadão. “Infelizmente, o Brasil padece de inúmeros problemas sociais, dentre os quais a violência e a criminalidade são os que mais afligem o cidadão neste momento. Apesar dos esforços envidados pelos órgãos policiais ainda convivemos com índices negativos. Por outro lado, as forças de segurança do Acre estão entre as que mais prendem e que mais elucidam homicídios no país. É bem verdade que houve um aumento substantivo no índice de homicídios. No entanto, esta não é uma realidade apenas do nosso Estado”.

O presidente da Adepol destaca que atualmente acontece um fenômeno nacional, que teria como principal motivo uma luta das facções para controlar as rotas do tráfico nas fronteiras do país. O Acre, estaria entre os principais corredores disputados pelos criminosos. “Em todos os estados federados houve um aumento significativo da violência. Vivemos no centro da guerra do tráfico, pois, além de sermos consumidores de entorpecente também fazemos fronteira com países com fortes laços com o narcotráfico. Desta forma, além da briga pelo controle interno do comércio de drogas ilícitas sofremos as mazelas advindas da busca do controle da fronteira. Não por outra razão o Governo do Estado buscou trazer o debate para esse viés uma vez que o Governo Federal praticamente abandonou as fronteiras”, destaca Cleylton Videira.

Outra questão levantada pelo delegado é que os tentáculos das facções criminosas estariam espalhados pelas cidades do interior do Acre, da mesma forma que acontece nas demais cidades brasileiras. “A interiorização do crime também é uma realidade nacional. Antes restritas aos grandes centros urbanos, as organizações criminosas estão buscando novos territórios e, com isso, as sequelas da violência e da criminalidade deixam seus rastros sangrentos. Em momentos de crise muito melhor do que polemizar é, por meio do diálogo interinstitucional, buscar alternativas e encaminhar soluções. Alastrar o caos, comparar períodos que, por sua essência, são totalmente diferentes, beira à irresponsabilidade”, ressalta.

Cleylton Videira destaca que os problemas existem, mas as autoridades de segurança do Estado estariam travando uma luta incansável para combater a ação do crime organizado nos 22 municípios do Acre, estabelecendo estratégias, trabalhando com inteligência e organização, além de contar com um efetivo de agentes capacitados e esforçados que trabalham de forma incansável para garantir a segurança da população. “O problema existe e precisa ser enfrentado. Arregaçar as mangas é necessário. Talvez seja necessário sair da zona de conforto e se aliar a quem faz o bom combate diariamente. Fazemos parte de um mundo real, precisamos buscar caminhos novos e o empenho de todos será fundamental para sairmos vitoriosos”, finaliza.

Propaganda

Destaque 6

Hospital de Amor inaugura na próxima semana em Rio Branco

Publicado

em

O Acre terá, a partir do dia 20 de novembro, uma nova porta de apoio à prevenção e controle dos cânceres: o Hospital de Amor. A nova unidade de saúde deve ser inaugurada na próxima semana em meio à dificuldade que pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) estão tendo para manter os tratamentos contra a doença.

Fruto de uma negociação face uma multa trabalhista imputada ao Estado do Acre, o hospital teve as obras iniciadas em 2017, e está com o cronograma se fechando em tempo recorde para uma construção desse porte no Acre. Foram mais de R$ 100 milhões investidos na estrutura da unidade.

O que chama a atenção no novo serviço hospitalar acreano, é que além da unidade fixa na Via Verde, no 2º Distrito da Capital, o Hospital de Amor também terá veículos que vão circular pelos municípios acreanos oferecendo ações de prevenção contra os canceres do Colo do Útero e Mama.

Com o trabalho itinerante será possível, ainda, realizar os exames preventivos de mamografia e Papanicolau (PCCU) nas mulheres que possuem de 40 a 69 anos [no caso do câncer de mama] e de 25 a 64 [no caso do câncer de colo de útero]. E os veículos já estão em solo acreano.

Continuar lendo

Destaque 6

Após receber parte dos salários, médicos voltam aos trabalhos

Publicado

em

Os médicos do Hospital do Juruá, que estavam há dois meses sem salários, reiniciaram os atendimentos ambulatoriais nesta quarta-feira, dia 14, após o repasse de parte dos salários de setembro. A decisão de cruzar os braços foi tomada na terça-feira, dia 13.

Mesmo com os salários atrasados, os médicos mantiveram os atendimentos no setor de emergência da unidade de saúde. Internamente, os setores de Terapia Intensiva e clínicas também mantiveram as atividades normais.

O hospital recebe recursos via Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), para atender pacientes do Serviço Único de Saúde (SUS), contudo, os salários de setembro e outubro não foram pago. após acordo para pagar parte do mês de setembro, o Estado não cumpriu e os trabalhadores entraram em greve.

Continuar lendo

Destaque 6

Polícia prende suspeitos de roubo e associação criminosa na Capital

Publicado

em

Após uma ação deflagrada na tarde de segunda-feira (12), no Conjunto Habitacional Cidade do Povo, a Polícia Civil conseguiu recuperar uma moto oriunda de roubo e ainda prender pessoas suspeitas pela prática , todos estavam em uma residência no bairro.

A moto havia sido roubada na manhã de segunda-feira em uma rua próximo a antiga faculdade Betel, e após receberem informes, os investigadores se deslocaram até a residência dos suspeitos onde encontraram a moto, além dos pertencentes pessoais da vítima concretizando o envolvimento dos que estavam na casa no crime de roubo.

Foram flagranteados, Assis Alex Rodrigues, Edney Lucas de Souza, João Paulo de Assis, Antônio Railan Ferreira, Esmailon da Costa e Alexandre Rodrigues.

Na casa também forma encontrados uma arma de fogo, celulares, dinheiro e uma arma branca.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.