Conecte-se agora
Fechar

Operação Impactus cumpre 22 mandados de busca, apreensão e de prisão em Rio Branco

Publicado

em

A “Operação Impactus”, deflagrada nesta terça-feira, dia 06, pela Polícia Civil, cumpriu 22 mandados de prisão, busca e apreensão. Na maioria das prisões, os crimes praticados estão ligados ao tráfico de drogas.

Os trabalho iniciaram nas primeiras horas do dia e as ordens judiciais foram cumpridas em vários bairros da cidade: Aroeira, Portal da Amazônia, Novo Calafate e parte do Tancredo Neves, este último na parte alta da cidade.

Além de droga, a polícia apreendeu celulares, munições, material para embalagem de droga, e uma arma supostamente de pressão, mas que foi alterada e passará por perícia. A polícia divulgou os nomes dos presos: Wisley Felipe Andrade de Souza, Alisson Conceição da Costa, Neiva Augusta Rufino de Souza, Elias Gonçalves de Paula.

Acre

Polícia desmonta duas bocas de fumo e prende homicida no Conjunto Universitário

Publicado

em

O delegado da Homicídios, Cristiano Bastos, apresentou na tarde desta quarta-feira (13), a prisão de Antônio Muniz da Silva, de 28 anos, responsável pelo crime de homicídio ocorrido em 27 de novembro na Estrada da Penal. A vítima, Diogo Oliveira foi assassinado a tiros logo após sair de um show que acontecia no estacionamento da Uninorte.

De acordo com o delegado, Antônio foi preso durante uma ação no Beco Sabiá onde duas bocas de fumo foram desativadas e mais três pessoas foram presas, sendo eles, José Roberto Alencar do Nascimento (29) João Lucas Dantas Nunes (18), Bruno Saldanha Braz (21). Nas bocas, foram aprendidos maconha, cocaína, pasta a base de cocaína, munições, uma escopetas calibre 28 e a arma de fogo que foi usada no crime de homicídio, calibre 380.

A motivação para o crime, no caso do homicídio, a polícia investiga duas hipóteses, uma seria que a vítima estava devendo a boca, e a outra de que a vítima seria de uma facção criminosa rival.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo

Acre

Foragidos da Justiça acusados de tráfico e roubo são reconduzidos ao presídio

Publicado

em

Na manhã desta quarta-feira (13), agentes do Núcleo de Capturas da Polícia Civil anunciaram a prisão de dois foragidos da justiça condenados pelo crime de tráfico e o outro pelo crime de roubo.

Gleyson Batista Rufino, 32 anos, foi preso no bairro Eldorado na terça-feira (11). Este estava foragido da justiça a mais de um ano e meio pelo crime de tráfico de drogas.

Outro que foi preso no bairro Bahia Velha foi Agostinho Sales, de 50 anos, apontado como participante do assalto à agência do Bando do Brasil, no município de Feijó, em 29 de outubro de 2009.

Continuar lendo

Acre

Ocupação de casas populares pode estar sendo orientada, diz secretária de Habitação

Publicado

em

A ocupação das casas populares no Conjunto Habitacional Andirá pode ser uma ação coordenada. É o que acredita a secretária de Habitação e Interesse Social (Sehab), Janaína Guedes, ao revelar que em 24 horas o número de famílias invasoras saltou de 40 para mais de 300. O grupo bloqueou a rodovia AC-10 na segunda e terça, e promete radicalizar.

Desde o primeiro protesto, a secretária conta que tentou conversar com os manifestantes, mas a equipe da Sehab foi recebida de forma áspera, inclusive agredindo verbalmente e desrespeitando os servidores da secretaria. A Procuradoria-Geral do Estado já foi acionada para garantir no Judiciário um mandado de reintegração de posse das casas.

“Nós iniciamos uma tratativa com eles, e foi marcada uma conversa lá na Secretaria de Articulação. O loteamento não está abandonado como eles alegam. Uma parte do loteamento está em reforma, porque ali são três etapas. A gente vai precisar de um mandado de reintegração de posse, mas as demais o BOPE retirou de forma tranquila, e eles entenderam que não podiam ficar lá”, comenta.

Segundo Janaína, já nos próximos meses as primeiras 40 casas populares do conjunto habitacional devem ser entregues às famílias que já foram sorteadas pela Sehab. Mesmo com a reforma de casas em curso, e licitação prontas para os serviços começarem, a secretária não tem data para entregar todo o complexo habitacional.

“Nós não temos data ainda porque estamos falando se três fases diferentes. É um argumento que não dá para a gente levar em consideração. Eles não podem permanecer nas casas. O fato de eles não terem casa não dá o direito de eles invadirem aquelas casas. Mas é como eu te disse: a gente vai estar retomando”, completa Janaína Guedes.

A secretária diz que já começou a procurar quem são os responsáveis pelo movimento de ocupação das residências populares. “Todas as casas hoje estavam invadidas. Tem uma pessoa que está coordenando e infelizmente está acontecendo isso. A gente até tem indicativo, mas eu não posso falar ainda porque eu estaria sendo leviana”, finaliza.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.