Conecte-se agora

Luzes de Natal são acesas em Rio Branco

Publicado

em

O Papai Noel chegou às 18h desta quarta-feira, 06, à Praça da Revolução para acender, ao lado do prefeito Marcus Viana, as luzes de Natal da região central de Rio Branco. A iluminação que marca a data alusiva ao nascimento do Menino Jesus foi inaugurada como parte inicial da programação de Natal da prefeitura da capital.

Por causa da dificuldade financeira nos cofres do Município, a prefeitura resolveu reaproveitar as réplicas dos anjos feitas de ferro e o presépio de anos anteriores. Já a iluminação natalina é toda nova e custou ao Município R$ 65 mil. São mais de 2.000 metros de mangueiras luminosas, refletores de LED RGB e refletores com lâmpadas verdes.

Dança, música e teatro com artistas profissionais e amadores são algumas das atrações da programação natalina, que segue até o dia 24 de dezembro.

Nesta quarta-feira, a programação foi aberta com o Maracatu Nação Pé Rachado, o Coral da Escola Jovem do Boa União, a Banda Furiosa da Polícia Militar e as Moças do Samba.

Ao lado da esposa Gicélia e dos filhos Ian, Caio e Alexandre, o prefeito participou da solenidade e e destacou que o Natal é um momento de estar mais perto da família e de valorizar os sentimentos de generosidade e relação de reciprocidade entre as pessoas.

“Esse é um mês que a gente tem que deixar aflorar os melhores sentimentos, o carinho, a solidariedade às pessoas. Esse é um ambiente singelo, mas é de todo coração, para os pais trazerem as crianças, as famílias se reunirem, fazer a foto que quiser”, disse.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Propaganda

Cotidiano

TRE-AC divulga locais de votação das Eleições Gerais de 2018; confira

Publicado

em

Por

O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) publicou no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) os endereços das mesas receptoras de voto, incluindo de voto em trânsito, e das mesas receptoras de justificativa eleitoral de todo o Estado do Acre.

Além disso, disponibilizou as relações atualizadas com os números das seções da extinta 10ª Zona e do município de Capixaba. O Tribunal alerta aos eleitores desses casos que a mudança ocorreu somente em relação aos números das zonas e das seções, mas que não houve mudança de local de votação, salvo em caso especiais relacionados à logística das zonas eleitorais.

Para consultar as relações dos locais de votação em todo o Estado, das mesas exclusivas para justificativa de voto e de voto em trânsito, bem como as relações das seções eleitorais que foram transferidas da 10ª Zona para as 1ª e 9ª Zonas, e a relação das seções eleitorais de Capixaba que foram transferidas da 8ª para a 2ª Zona, acesse: http://www.tre-ac.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/locais-de-votacao

Continuar lendo

Acre

Como todos os anos, Gladson participa do Novenário de Nossa Senhora da Glória

Publicado

em

O senador Gladson Cameli, candidato a governador do Acre pelo Progressistas está desde o último domingo, 12, cumprindo agenda em Cruzeiro do Sul, sua cidade natal.

Nesta quarta-feira, 15, Cameli participa do Novenário de Nossa Senhora da Glória, a maior festa religiosa do Acre, que em 2018 completa cem anos.

O senador costuma participar do evento católico todos os anos. É uma tradição da família Cameli. Em 2018, porém, Gladson vai ao novenário como concorrente ao cargo mais importante do Acre, o de governador.

Continuar lendo

Notícias

A criação de empregos formais em 2018 foi menor do que o esperado

Publicado

em

No início do ano, o MTE projetou a geração de 1,8 milhões de novos empregos No final do ano passado, com a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) estimado em 3%, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) projetou a geração de 1,8 milhões de novos postos de trabalho formais para 2018, ou seja, de carteira assinada. No entanto, no mesmo período, consultores e especialistas já se mostravam mais moderados na concretização desses números.

Enquanto no início do ano, o MET projetava a criação de 1,8 milhões de vagas formais; a Tendência Consultoria Integrada projetava 1 milhão; a Go Assessoria, 980 mil; o Banco Fator S.A., 930 mil e a Fundação Getulio Vargas, 767 mil. Toda essa moderação ao realizar as projeções foi por entender que para atender essas expectativas seria necessário um aumento do nível de investimento no país, além da elevação da produtividade.

Embora as projeções ainda fossem de geração de vagas, em abril, os indicadores econômicos ficaram abaixo do esperado e fizeram com que a expectativa dos especialistas sobre desses número fosse ajustada para baixo. O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), por exemplo, reduziu de 700 para 500 mil sua previsão de criação de empregos formais.

As informações referentes ao aumento da informalidade no mercado de trabalho nos dois primeiros trimestres do ano, adicionadas aos reflexos da greve dos caminhoneiros, acabaram gerando um segundo ajuste nessas projeções. A FGV reduziu novamente o número projetado de 500 mil novos postos para 460 mil. Foi uma redução de mais de 300 mil vagas do era esperado pela FGV em janeiro.

No início do ano, o mercado de trabalho realmente estava muito instável. Elaine Silva, de 36 anos, trabalhava há 12 anos como balconista de uma grande rede de farmácia e em janeiro foi demitida. Segundo ela, mesmo com tantos anos de experiência, está sendo muito difícil conseguir um novo emprego. “Eu já tenho sete meses procurando por uma nova oportunidade”, contabiliza. Elaine não tem ensino superior, apenas concluiu o ensino médio, mas acredita que essa dificuldade vai muito além da sua escolaridade. “Na minha opinião, a crise é o principal fator para essa realidade”, analisou.

A realidade de Andrey Oliveira é diferente de Elaine Silva. Ele se formou no início de 2018 e depois da sua colação de grau, demorou em média dois meses, para conseguir o seu primeiro emprego de carteira assinada. “Quando estava desempregado eu me sentia impotente e frustrado. Eu queria achar algo na minha área de formação, então, eu fui resistente em entrar em outro tipo de emprego”, contou.

Andrey é formado em Jornalismo e começou o seu processo de procura antes mesmo de estar formado. “Apesar de ter me formado no início de 2018, desde o final do ano passado eu já estava procurando vagas”. Hoje, ele já está empregado há seis meses e aconselha as pessoas que estão na mesma situação de Elaine. “Precisamos ir nos acostumando com os nãos. Uma coisa que eu sempre fazia, era ligar para as empresas depois da resposta negativa e pegar um feedback do motivo da minha não contratação, analisava a resposta, e se fosse válido, tentava melhorar para a próximas. A gente sempre pode melhorar”, aconselhou.

Apesar desse cenário, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados notificou a criação de 344.057 novos postos de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre de 2018. Vale salientar que o surgimento desses postos são condicionados a diversos fatores, como sazonalidade, cenário econômico, cenário político, entre outros.

Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.