Conecte-se agora

Condel aprova Plano de Aplicação do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte para o exercício de 2018

Publicado

em

Na última sexta-feira (1º) ocorreu a 17ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da Sudam, responsável por estabelecer as diretrizes para aplicação dos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte, o
FNO. Realizada no auditório da superintendência, a reunião contou com a participação do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, do superintendente da Sudam, Paulo Correa, do presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, governadores de Estados amazônicos e outras autoridades que compõem o Condel.

Na ocasião foram apreciadas onze proposições, com destaque para as de números 96 e 102, aprovadas sem ressalvas, que tratam da Proposta de Aplicação de Recursos Financeiros do FNO para o exercício de 2018 e o Relatório das Atividades Realizadas e dos Resultados Obtidos do FNO – 1º Semestre/2017. Em 2018, o Banco da Amazônia aportará no desenvolvimento regional R$ 5,1 bilhões por meio do FNO.

Entre as matérias do Plano de Aplicação 2018 que mereceu ampla discussão está o financiamento a estudantes por meio dos recursos do FNO, com base no novo Programa de Financiamento, o FNO-FIES. O presidente do Banco da
Amazônia chamou atenção aos representantes dos Estados sobre a retroalimentação dos recursos do FNO, em virtude do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) apresentar um índice de inadimplência girando em torno de 48%.

“A iniciativa do FNO-FIES é boa, mas ressaltamos o risco que o agente operador corre caso não haja o retorno dos recursos para o FNO. O Banco da Amazônia responde pelos riscos operacionais igual a um banco privado,
mesmo sendo uma instituição financeira pública”, salientou Marivaldo Melo, que destacou, ainda, que o orçamento de R$ 234 milhões dotado para o financiamento do FNO-FIES equivale a 4,5% do total de recursos do FNO previstos para 2018, orçado em R$ 5,1 bilhões. Para executar o Programa FNO-FIES, o Banco da Amazônia deve, inicialmente, realizar contratos com outras instituições financeiras.

Para o governador de Rondônia, Confúcio Moura, os recursos do FNO devem permanecer somente com os Estados da Região Norte. Ele elogiou, ainda, a Proposição de Nº 100, feita pela SUDAM, ainda no âmbito do FIES, que trata
de um Estudo Técnico Regional que aponta as áreas prioritárias para a eleição de cursos que devem ser priorizados na Região Amazônica nos financiamentos a estudantes regularmente matriculados em instituições de ensino superior,
não gratuitas, tanto com recursos do FNO como do FDA. O tema também mereceu destaque da vice-governadora do Tocantins, Claudia Lelis, que defendeu a ideia de que “os recursos devem servir apenas às vocações regionais”.

Energia Fotovoltaica
Outro ponto discutido na reunião do Condel foi o financiamento ao setor de Energia Fotovoltaica. O presidente do Banco da Amazônia foi muito aplaudido quando defendeu a importância de se ampliar a energia fotovoltaica a todo
cidadão que queira fazer uso, por meio do FNO, desse tipo de energia. “A medida será importante tanto para o Banco, enquanto financiador de energia limpa, quanto para a população que queira instalar em sua residência placas solares para uso desse tipo de energia. Ambos contribuindo, assim, para uma Amazônia sustentável”, afirmou Marivaldo Melo.

Propaganda

Cidades

Sem acordo: greve de fome continua em seis presídios do Acre

Publicado

em

A greve de fome continua nesta quarta-feira, dia 15, em seis unidades prisionais do Acre. Até o momento, os presos, que exigem sexo a cada 15 dias e outros desejos. O Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) não quer ceder à vontade dos presos.

A greve de fome começou na última segunda-feira, dia 13, e ganhou força após detentos saberem que os líderes de facções, presos no RDD, estavam exigindo mudanças nas atitudes da administração dos presídios. Rapidamente, quase todos os presídios aderiram ao movimento.

Os detentos acreditam que com o movimento dos demais apenados, eles conseguiram a colocação de televisores, rádios e ventiladores nas celas do RDD. O órgão não disse, ainda, se vai ceder às exigências. Outra reclamação é a transferências dos chefes dos grupos criminosos, que eles pedem a suspensão imediata.

Continuar lendo

Cidades

Restante do país ainda terá que aguardar fechamento das urnas no Acre para conhecer novo presidente

Publicado

em

Por 6 a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu manter os horários de votação na próxima eleição considerando o fuso-horário de cada região. Dessa forma, está mantida a previsão do calendário eleitoral de iniciar a votação às 8h e encerrá-la às 17h, de acordo com o horário local.

O primeiro turno das eleições será dia 7 de outubro e o segundo turno está marcado para o dia 28 de outubro.

Dessa forma, pesquisas de intenção de voto para o cargo de presidente da República realizadas no dia da eleição só deverão ser divulgadas depois do encerramento do pleito em todo o território nacional, ou seja, com o fechamento das urnas no Acre, previsto para ocorrer duas horas depois do encerramento da votação em Brasília.

“A manutenção das normas anteriores se revela mais adequada, ou com menos dificuldades, menos eventuais prejuízos”, disse a ministra Rosa Weber, que assume a presidência do TSE no dia 14 de agosto.

Uma das preocupações de integrantes do tribunal era com a possibilidade de a votação no Acre começar às 6h da manhã, caso o horário de Brasília tivesse de ser cumprido nacionalmente.

“É um problema seriíssimo devido ao fato de o Brasil ser um país continental. Evidentemente não podemos alterar o problema do fuso-horário”, concordou o ministro Marco Aurélio Mello.

DECRETO

O único voto vencido foi o do ex-ministro Gilmar Mendes, que antes de deixar a Corte Eleitoral em fevereiro deste ano havia defendido uma resolução para que os resultados das urnas chegassem no mesmo momento, no horário de Brasília.

No ano passado, a pedido de Gilmar, o presidente Michel Temer editou um decreto reduzindo a duração do horário de verão, que se iniciará neste ano em 4 de novembro, uma semana depois da realização do segundo turno das eleições.

Continuar lendo

Cidades

Mais de 60 imóveis com preços abaixo do mercado são ofertados no Acre

Publicado

em

Até o próximo sábado, dia 18, os acreanos que tiverem interesse em adquirir 64 imóveis com preços abaixo do valor de mercado podem participar da 2ª Semana de Imóveis Caixa, na qual estão sendo ofertados mais de 18 mil imóveis usados em condições especiais por meio das modalidades: leilão, licitação aberta, venda direta ou venda online.

Durante a semana, as casas, apartamentos, salas comerciais e terrenos de propriedade da Caixa estarão disponíveis em todos os Estados brasileiros com preços abaixo do valor de mercado. Em São Paulo, são 2.877 unidades.

No Acre, 64 unidades teoricamente baratas estão espalhadas pelos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Capixaba, Senador Guiomard, Tarauacá, Feijó, Epitaciolândia, Brasiléia, Plácido de Castro e Sena Madureira

Por meio do site da 2ª Semana de Imóveis Caixa, os visitantes podem contar com apoio de empregados do banco para auxiliar em consultas e fornecer informações, inclusive fotos e peculiaridades dos imóveis. O cliente também poderá ter apoio dos corretores credenciados, que prestarão auxílio especializado para compra dos imóveis.

Qualquer pessoa física ou jurídica pode comprar imóveis da Caixa, com exceção dos empregados vinculados às áreas de alienação e avaliação dos imóveis e dirigentes da instituição, bem como seus parentes diretos.

Adquirindo um imóvel Caixa, o comprador tem como vantagens a possibilidade de financiamento em todas as modalidades de compra, garantia de um imóvel com documentação regular e o saldo de FGTS pode ser usado na compra, desde que obedecidas as regras do fundo.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.