Conecte-se agora
Fechar

Gedeon tira Plácido de Castro do Cadastro de Inadimplentes do Tesouro Nacional

Publicado

em

O prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Barros, celebrou na tarde desta segunda-feira, 13, ao receber do Chefe do Centro do Contribuinte da Receita Federal, Francisco Cruz, a regularização fiscal do município, tornando assim a prefeitura adimplente e apta para celebrar convênios e contratos em todos os ministérios federais.

Ao assumir, a nova gestão encontrou o município sofrendo retenção direta na conta de repasse do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. Como essa retenção era feita em virtude dos atrasos do pagamento dos encargos, o município pagava mensalmente valores exorbitantes em multas e juros.

Foram meses de negociação e levantamento de débitos previdenciários e fazendários, que vinham de algumas décadas, o que exigiu o desembolso de vultosos recursos para poder satisfazer as condições exigidas para adesão ao programa de parcelamento do Ministério da Fazenda.

Gedeon Barros afirmou que sua gestão tem compromisso com o recurso público e por isso deu prioridade à regularização fiscal do município. Além do parcelamento de débitos que cobrem mais de duas décadas, os encargos correntes estão sendo pagos integralmente, sem falhas e sem atraso.

“Não podemos prejudicar os servidores, quando estes forem buscar suas aposentadorias. Mensalmente, estamos recolhendo o INSS, FGTS, PASEP e demais encargos. Também não podemos prejudicar a sociedade, pois o município que não cumpre suas obrigações fiscais fica prejudicado na repartição dos recursos federais. Daqui para frente, graças a Deus, nossa relação com o governo federal através dos ministérios, não terá mais esses entraves e com os recursos que virão para investimentos, certamente a qualidade de vida em Plácido de Castro irá melhorar”, disse o prefeito.

Mais Informações

Acre

Integrante do Comando Vermelho é preso com fuzil no bairro Santa Maria, na capital

Publicado

em

Homens do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) prenderam, após denúncia anônima, no começo da tarde desta quinta-feira, 16, José Rostenio Correia de Sales, de 26 anos, com um fuzil calibre 762, em uma residência localizada na Travessa Canoa, no bairro Santa Maria.

José seria integrante da facção Comando Vermelho. A priori, a denúncia anônima informava que integrantes do CV estariam em uma espécie de reunião em posse de armas de fogo no endereço citado. Quando chegaram ao local, porém, policiais do BOPE encontraram apenas José, e na casa em que ele estava um fuzil pendurado na parede, com um cartucho deflagrado.

Diante do flagrante de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, agora considerado crime hediondo, o homem recebeu voz de prisão e foi encaminhado à Delegacia de Flagrantes  (DEFLA), para a continuidade dos procedimentos de prisão.

Continuar lendo

Acre

Carro de policial é incendiado no Novo Calafate em Rio Branco durante a madrugada

Publicado

em

Um policial militar teve seu veículo parcialmente incendiado na garagem de sua residência, no bairro Novo Calafate, em Rio Branco, na madrugada desta sexta-feira, 17.

O atentado teria ocorrido por volta das 3h da manhã.  Vizinhos informaram que ouviram barulho de um vidro quebrando e o barulho do carro saindo do local, a garagem. O alarme do veículo disparou e logo todos ajudaram a conter as chamas com baldes de água.

O policial militar é plantonista no presídio Francisco de Oliveira Conde e estava dormindo quando percebeu o fogo incendiando o veículo na garagem.

Peritos que estiveram no local suspeitam que o incêndio tenha iniciado através de um coquetel molotov jogado na parte de trás do veículo.

Continuar lendo

Acre

Terceirizados da Secretaria de Saúde do Acre estão sem salários desde outubro

Publicado

em

Dezenas de funcionários terceirizados da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) estão com os salários atrasados desde outubro. Os funcionários entraram novembro com o drama de não ter dinheiro nem para colocar comida na mesa. O medo é que chegue dezembro e o ano feche sem os pagamentos.

Os trabalhadores são ligados à empresa Red Pontes que, para se defender, alega não ter recebido nenhum centavo da Sesacre desde o mês de setembro. Essa não é a primeira vez que a empresa atrasa salários. Em novembro e dezembro do ano passado, por exemplo, a situação foi a mesma.

Uma funcionária foi informada que os pagamentos dela e dos colegas só serão feitos quando o poder público pagar o que deve à empresa. Enquanto isso, a sensação já margeia o desespero de quem tem filhos para alimentar e contas vencendo para pagar.

“A gente trabalha o mês todo, então o que esperamos é que a empresa nos pague. Mesmo que a empresa não receba, eles tem que nos pagar. Se não tem dinheiro, por que nos contrata? Eles ficam esperando sempre pelo governo, mas a empresa tem que ter dinheiro também. Estou cansada disso”, reclama.

Procurada, a Sesacre negou que haja qualquer débito atrasado com a empresa. Muito pelo contrário, a secretaria diz que todos os pagamentos foram feitos e que apenas o mês de outubro, a ser pago em novembro, é que está pendente. O pagamento deve ser feito até a próxima semana.

“A gente tem que chamar a atenção do Ministério Público, porque quando a gente recebe, eles mandam assinar com a data que tem que ser, tipo o dia três ou quatro do mês. Eles fazem isso para depois a gente não ter como processar a empresa, ou denunciar eles pro Ministério do Trabalho (sic)”, denuncia um dos funcionários.

O gerente da empresa, Emerson Feitosa, esclareceu que já conversou com os funcionários. Ele destaca que o atraso só ocorreu agora porque não há mais recursos para manter a folha em dias. Mesmo com atrasos, a Red Pontes estava mantendo os pagamentos.

“Essa galera é complicada. Foi feita uma reunião com cada funcionário explicando que o pagamento de outubro ainda não tinha sido pago porque os empenhos da Sesacre atrasaram por falta de orçamento. Foi explicado um a um, e ficou certo que até o dia 23 estaria tudo sanado”, destaca.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.