Conecte-se agora

Hospital de Saúde Mental do Acre não faz agendamento de consultas há quase um mês

Publicado

em

Quem precisa fazer consultas no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac), em Rio Branco, tem ficado na mão. O serviço de agendamentos da unidade de saúde está há quase um mês sem funcionar, o que tem prejudicado o tratamento de pacientes que fazem acompanhamento psiquiátrico.

Procurada para esclarecer o problema, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) não emitiu nenhum posicionamento sobre o assunto. Enquanto isso, usuários da unidade estão sem conseguir pegar medicamentos, já que as receitas especiais somente são emitidas pelos médicos do Hosmac, o que tem fica inviável sem os agendamentos.

Esposa de um dos pacientes, Maria de Fátima Alencar, de 47 anos, diz estar cansada de ir ao hospital e não conseguir agendar a consulta do marido. Ela reclama que o problema se arrasta por quase um mês e que quando vai reclamar ainda é mal tratada por servidores. A mulher pensa em procurar o Ministério Público do Acre (MP/AC).

“Eu já estou cansada de ir lá no Hosmac e a desculpa é sempre que o sistema está fora porque a internet está ruim. É um absurdo! Se o hospital não serve para funcionar, mandem fechar ou corrijam o problema, mas deixar os pacientes nessa situação é muito grave. Quando a gente reclama, mandam procurar a imprensa”, reclama.

A advogada Rafaela Silva, de 29 anos, cujo pai faz tratamento no hospital, diz que a situação é bastante grave. Além da falta de psiquiatras, alguns medicamento receitados estão indisponíveis na farmácia do hospital e nem sempre estão à venda nas drogarias de Rio Branco. Ela alega que o Hosmac só dispõe de clinico-geral no atendimento ambulatorial.

“Não dá para entender como um hospital psiquiátrico só tem clínico-geral. De verdade, eu não sei o que está acontecendo. Será que o secretário de Atenção à Saúde não fiscaliza as unidades? Porque pelo que sei essa é a obrigação dele. Desde que comecei esse tratamento com meu pai, já fui na secretaria umas dez vezes. Já é bem o terceiro secretário lá”, diz indignada.

O secretário adjunto de Atenção à Saúde, Raicri Barros, já chegou a comentar a situação “caótica” de Hospital de Saúde Mental. Isso aconteceu após o MP/AC pedir a interdição total da unidade de saúde. Na época, pacientes estavam dormindo no chão ou em camas sem lençol. Outras diversas queixas foram feitas, mas, até agora, pouco se vê em melhorias.

A situação, segundo contou uma servidora do hospital, é bastante crítica no local. Ela diz que o hospital sofre com a falta de atenção da Sesacre e alerta que os trabalhadores do local já foram informados que em breve a unidade hospitalar será fechada em definitivo, o que, na opinião dela, vai causar ainda mais problemas no setor.

“O que a gente vê diariamente é esses pacientes dopados. Aqui na frente realmente só tem clínico-geral. Até que os médicos se esforçam, mas sem ajuda necessária é muito difícil. As autoridades precisam olhar para cá. O que nos dizem é que aqui vai fechar, só isso. Mas e se fecharem, para onde essas pessoas vão?”, questionada a funcionária do Hosmac.

Propaganda

Destaque 7

Material impresso com foto de Perpétua Almeida junto com exemplar da Constituição é distribuído em escola

Publicado

em

A ex-deputada federal Perpétua Almeida (PC do B), que tentará retornar ao parlamento federal no pleito de outubro deste ano, pode ter cometido crime eleitoral por provável campanha antecipada e com um agravante: em um estabelecimento público.

A denúncia veio à tona por meio de uma rede social. A publicação mostra um exemplar da Constituição Federal acompanhado de um material impresso contendo a foto da comunista. A distribuição teria ocorrido na Escola Estadual Armando Nogueira, em Rio Branco.

À reportagem de ac24horas, Perpétua disse que o material em que aparecem sua foto e endereços de suas contas em redes sociais não é propaganda eleitoral. Trata-se, segundo ela, de cartão de visita.

A ex-deputada informa que alguns dos materiais, exemplares da Constituição, cartilhas e estatutos são ainda resultado do mandato dela que “foram para universidades, outros para escolas, entidades, sindicatos, associações. Alguns desses materiais foram entregues nas portas de escolas, outros entregues às direções das escolas, outros entregues por mim mesma, depois de palestras que fiz em universidades e escolas.
E meu cartão de visitas (que não é material de campanha), com telefone, email e redes sociais, sempre vai junto”.

“É de praxe, quando se entrega um livro ou algo assim, se mandar junto o cartão de visitas. Não é campanha, ainda não. Quando for campanha, o material a ser distribuído terá meu número e a informação de que sou candidata a deputada federal”, completa.

Propaganda eleitoral fora de prazo; conduta da direção da escola será apurada

A promotora eleitoral Alessandra Garcia Marques, do Ministério Público Estadual, vê a prática como “abuso de poder econômico” e “propaganda eleitoral fora do prazo”.

“Isso pode ser qualificado como abuso do poder econômico e é propaganda eleitoral feita fora do prazo legal.”

Os cartões, argumenta a promotora, são usados como pretexto no lugar da propaganda.

“Ela usa um subterfúgio para não ser enquadrada como propaganda, porque não pede voto expressamente, mas a conduta pode ser qualificada como abuso do poder econômico.”

A promotora informou ainda que a conduta da direção da escola será apurada de forma minuciosa.

“A pessoa que autoriza isso na escola pode responder até por improbidade”, encerra.

Denúncias devem ser encaminhadas ao MP Eleitoral

Procurado, o Tribunal Regional Eleitoral informou por meio de sua assessoria de imprensa que qualquer denúncia deve ser feita ao MP Eleitoral.

A assessoria lembrou ainda que o TRE, ao contrário do que muita gente pensa, não é órgão fiscalizador, mas julgador, por ser um Tribunal. “O TRE julga as ações propostas pelo MP a partir das denúncias feitas ao MP”, informou a assessoria.

Continuar lendo

Destaque 7

“Abri mão do meu sonho pelo sonho dele”, diz empresário ao doar trailer para jovem que perdeu lanchonete em incêndio

Publicado

em

O jovem Felipe Reis, que perdeu metade da lanchonete por conta de um incêndio, ocorrido na segunda-feira (13), na Praça do Juventus, foi surpreendido com a doação de um trailer para reiniciar as atividades e poder arcar com os prejuízos causados pela tragédia.

O trailer foi doado pelo empresário Fernando Lima, do Nando’s Burguer, que adquiriu o veículo recentemente e disse não ter pensado muito para fazer a boa ação em prol do amigo e cunhado.

“Abri mão do meu sonho pelo sonho dele. Meu sonho era ter um trailer. Trabalhei bastante para poder comprar. Mas quando vi o negócio dele acabado pelo fogo, não pensei duas vezes. Ele não queria aceitar de primeira, mas ele será pai daqui uns dias e precisará de trabalho. A família dele me ajudou bastante quando abri um lanche e não deu certo. É um modo de gratidão”, disse o empresário que foi o primeiro a chegar ao local quando foi informado do incêndio.

A decisão de Fernando ganhou grande repercussão nas redes sociais. Na página da sua empresa, no Facebook, o anúncio teve quase duas mil curtidas, mais de trezentos comentários parabenizando pelo ato e os compartilhamentos chegam próximos a duzentos, em menos de doze horas de publicado.

“Tenho outro lanche e posso tirar a minha renda por lá. O que me importa agora é ajudá-los, pois tudo o que tenho hoje, devo muito a família dele”, comentou.

A ajuda destinada a Felipe Reis não se resume, porém, na doação do trailer que funcionará também na Avenida Getúlio Vargas, nas proximidades do espaço de dança Saudosa Maloca. Segundo ele, outros empresários têm oferecido ajuda.

“Muitas pessoas têm ligado se colocando a disposição para ajudar. Pessoas que não são do meu círculo de amizade, mas que souberam do acidente e se sensibilizaram. Eu agradeço muito a todos pelas palavras de forças e ajuda. Isso dá força para recomeçar”, ressaltou.

Sobre o trailer, Felipe disse ser sentir agradecido e será a forma de ele poder recuperar o que perdeu. Ele estima, caso a clientela continue a mesma, recuperar o prejuízo dentro de um ano.

 

Entenda
A lanchonete pegou fogo na tarde de segunda-feira (13), em Rio Branco. O espaço, um quiosque com cerca de 12 metros quadrados, ficava situado na Praça do Juventus, na Avenida Getúlio Vargas. Os bombeiros informaram que houve perda de 50% do empreendimento.

Continuar lendo

Destaque 7

Vestido com roupa de boi, chifre, carroça e sal na mão, homem lança candidatura a deputado estadual para representar os cornos do Acre

Publicado

em

Uzir Santos de Lima, servidor público do Estado do Acre há 10 anos, passou os últimos seis meses planejando sua campanha de deputado estadual pelo PSB fundamentado na já cansada estratégia política atual de apresentar ao eleitor um discurso cheio de novidades e chegou à conclusão de que não há nada mais novo do que se apresentar como o representante legítimo da comunidade dos cornos do Acre na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Zé do Boi será o nome político de Uzir. O personagem, que aparecerá vestido de boi com um chifre e carregando uma carroça, é resultado da vida real. Uzir não tem cerimônia alguma de dizer que foi traído por sua ex-mulher. Reclama apenas que se envergonha de ser vítima de uma traição que envolveu um japonês. “Peguei chifre de um cara japonês. Ele ia buscar a mulher em casa. No dia que eu não saí, eu descobri que era corno. O pior é que todo japonês tem p… bem pequeno. Perder para um japonês é que foi vergonhoso”, conta.

O conjunto do marketing que envolve Zé do Boi já foi montado. Sujeito de fala simples, ele vai caminhar pelas ruas do Acre e em lugares de grande fluxo de pessoas com roupa de boi e servindo sal.

Apoiadores não faltam. Parte da Associação dos Cornos do Acre já adotou Zé do Boi não só como símbolo da entidade, mas como candidato a deputado. Fazendeiros também estão dispostos a ajudá-lo, afirma.

Apesar de um personagem cômico ser um meio para chegar ao parlamento, ele leva a sério a candidatura e acredita que pode ser eleito. “Só no Acre daria para eleger um governador com os votos dos cornos. Na verdade, eu queria uma ideia para lançar uma coisa nova. Eu não ia sair sem ter ideia. E essa foi a ideia”, diz.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.