Conecte-se agora
Fechar

Durante licitação para mototaxistas, Forneck volta a dizer que Uber é ilegal

Publicado

em

Um total de 60 novas concessões de mototaxistas foram sorteadas nesta segunda-feira, dia 09, em Rio Branco. O ato ocorreu no Teatro Plácido de Castro, sob a coordenação da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Rbtrans). Os candidatos compareceram em peso para acompanhar o certame público.

Atualmente são 560 permissões de mototáxi em Rio Branco. A última licitação ocorreu em 2012, quando 52 permissões foram outorgadas para o serviço de mototáxi. O número de permissões só pode ser ampliado quando há uma defasagem entre o número de outorgados e o índice populacional, conforme censo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Gabriel Forneck, chefe da Rbtrans, mais de 290 pessoas participaram do sorteio. A expectativa é atender à demanda da cidade e melhorar o serviço. Após o sorteio, os contemplados terão 30 dias para compra do material e ajuste das motocicletas.

“Estamos finalizando a terceira e última etapa da licitação. Houve um acúmulo [da demanda] da ultima licitação para cá. Cada uma recebeu uma numeração. A gente espera assim atender essa demanda e dar essa oportunidade. A população tem crescido uma média de 4% ao ano”, explicou o gestor.

O serviço de mototáxi, denominado como Transporte Individual Remunerado de Passageiros, foi regulamentado no Município de Rio Branco em 2005, por meio da Lei nº 1.538, e é fiscalizado pela Superintendência de Transportes e Trânsito de Rio Branco – RBTRANS. A legislação garante um mototaxista a cada 600 habitantes.

Sobre o Uber, Forneck diz que a prefeitura continua fiscalizando o transporte ilegal. “Aqueles que não tem liminar, se forem pegos na cidade, eles receberão as punições que a legislação brasileira e municipal permitem, mas também estamos fazendo nossos recursos”, disse ao explicar que o Congresso Nacional e o Presidente da República precisam propor e aprovar esse tipo de serviço no País.

Acre

Jovem de 22 anos do Rio de Janeiro desaparece no Acre e família está desesperada

Publicado

em

O jovem Rodnei da Silva Junior, de 22 anos, está desaparecido desde o mês de janeiro passado. Natural do Rio de Janeiro, o jovem teria vindo ao Acre para trabalhar e após chegar em solo acreano só deu notícias à família por três dias seguidos. Desde então, desapareceu.

Adriely Silva, prima do rapaz, diz “ele saiu do Rio no dia 06 de janeiro dizendo para a família que iria ao Acre a trabalho, e depois iria para a Bolívia. Ele não usa nenhum tipo de droga, remédio, e nunca tinha desaparecido. A família toda está desesperada com o sumiço dele, e estamos pedindo ajudar para encontra-lo”, comenta.

Familiares também afirmam que o telefone de Júnior está desligado, e as redes sociais do jovem foram desativadas. Uma localização do telefone de Rodnei mostra que ele esteve com o aparelho na região da Gameleira, em Rio Branco, onde também nas proximidades estava hospedado.

Procurada, a Polícia Civil ainda não repassou informações sobre presos ou corpos que possam estra no Instituto Médico Legal (IML) com as mesmas características de Rodnei. Quem tiver informações sobre o rapaz pode fazer contato com a prima dele, Adriely, pelo efone (22) 99845-8876 (whatsapp) ou ligar para a polícia, gratuitamente, no 190.

Continuar lendo

Acre

BBB 18: Gleici Damasceno fala sobre o brother Wagner e admite: ‘Eu só queria um beijo’

Publicado

em

Durante a Festa Lollipop ocorrida na madrugada deste sábado, 17, no Big Brother Brasil, Gleici Damasceno conversa com Mahmoud e Ana Clara. “O que houve?”, pergunta a filha de Ayrton. “Nada, como sempre”, ironiza a estudante de Psicologia acreana.

Momentos depois, Gleice entrega: “Eu só queria um beijo”. Minutos antes, Gleici estava conversando com Wagner e disse para o brother: ‘Depois de algumas coisas, eu acho melhor a gente esperar’. O brother até perguntou o que ela queria almoçar no sábado

Continuar lendo

Acre

Após áudio citando Gladson, Bittar tenta garantir apoio de progressistas em 2018

Publicado

em

Depois do áudio que vazou nas redes sociais em que o pré-candidato ao Senado Federal pelo MDB, Márcio Bittar, dizia que o senador Gladson Cameli (PP) poderia levantar cerca de R$ 30 milhões para fazer campanha em 2018 e o senador Sérgio Petecão (PSD) teria recebido R$ 1 milhão do empresário Fernando Lage para compor sua suplência em 2010, o peemedebista começou a fazer visita aos partidos de oposição no Acre para debater apoio a sua pré-candidatura e resolveu reunir com a direção do Partido Progressista na manhã desta sexta-feira (16).

De acordo com o presidente do Progressistas, ex-deputado José Bestene, a visita foi articulada por um dos dirigentes da sigla e teve o objetivo de dialogar ações integradas entre os partidos de oposição. “O Márcio veio conversar, assim como todo pré-candidato majoritário deve fazer, reunir com os partidos e lideranças para fortalecer suas candidaturas. Os candidatos a deputado estadual e federal vão até o povo conversar e pedir o voto. Os majoritários também devem fazer isso”, disse Bestene.

O ex-parlamentar faz a visita de cortesia aos dirigentes do PP no objetivo de alinhar suas pretensões de contar com o apoio de todos os dirigentes do partido do senador Gladson Cameli, mesmo depois da repercussão negativa do vazamento do audio.

Segundo informações obtidas pela reportagem do ac24horas, Márcio vem encontrando muitas dificuldades para marcar agenda com os dirigentes dos partidos de oposição. Um exemplo foi à realizada nesta sexta-feira que foi articulada por um membro do PP e não pelo presidente da sigla.

A pergunta que não quer calar é se Márcio Bittar conseguirá se reunir com os dirigentes do PSD do senador Sérgio Petecão, o qual acusou de ter recebido R$ 1 milhão do empresário Fernando Lage.

A reportagem tentou fazer contato com o pré-candidato, mas ele não retornou as ligações e muito menos respondeu as mensagens encaminhadas. O espaço está aberto para o pronunciamento de Bittar.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.