Conecte-se conosco
Fechar

Pesquisa da boca do forno

Luis Carlos Moreira Jorge

Publicado

em

Esta pesquisa foi feita pelo DEM para controle interno, mas vazou para a coluna. Tanto para o Senado como para o Governo deixamos de lado os nomes citados que não serão candidatos, e publicamos os números dos que estão com candidaturas definidas. O universo pesquisado é Rio Branco. Vamos aos números: 

 PESQUISA ESPONTÂNEA PARA GOVERNADOR 

Marcus Alexandre (PT) –  24% 

Gladson Cameli  (PP)     –  16% 

PESQUISA PARA GOVERNADOR SEGUNDO TURNO 

Marcus Alexandre (PT)- 52% 

Gladson Cameli (PP)- 46% 

 PESQUISA PARA SENADOR NO PRIMEIRO VOTO 

Jorge Viana (PT)- 20% 

Márcio Bittar (PMDB)- 19% 

Sérgio Petecão (PSD) – 16%    

Ney Amorim (PT) – 13% 

PESQUISA PARA SENADOR NO SEGUNDO VOTO 

Jorge Viana- 22% 

Sérgio Petecão (PSD)- 16% 

Márcio Bittar (PMDB)- 14% 

Ney Amorim (PT) 12% 

ACREDITA QUEM QUISER 

Pesquisa não elege ninguém. É um referencial de momento. E crê quem quiser. 

A OPOSIÇÃO AGRADECE E PEDE BIS 
O presidente do PDT, Luiz Tchê, promete ter uma conversa franca com o governador Tião Viana, nesta segunda-feira, para que peça aos secretários que tenham mais respeito com os deputados da base. Citou o caso do deputado Jesus Sérgio (PDT), que foi esnobado pelo secretário de Educação, Marco Brandão, que por duas vezes seguidas não o recebeu. E o Jesus pediu a audiência por uma causa justa: solicitar providências sobre uma escola da zona rural de Tarauacá caindo aos pedaços, que funciona ao lado de um curral de boi. É bom lembrar ao secretário, que não pode posar como dono do cargo com os deputados da FPA, pois, se não fossem os seus votos não existiria o governo do PT. Os votos do PT não garantiriam a reeleição do governador. Lembrar também ao Marcos que, o que decidiu a eleição a favor da FPA; foram os votos de Feijó e Tarauacá, onde o deputado Jesus tem sua base eleitoral. Numa eleição que não será fácil, com a oposição tendo um candidato ao governo muito forte, o secretário ainda colabora para colocar para fora um parlamentar aliado, o jogando nos braços do adversário.  O Jesus não saiu do PDT, como foi noticiado, mas está de mala pronta para debandar. E ninguém poderá lhe acusar de nada. E nem o PDT terá com lhe segurar, porque foi um desprestígio também para o partido, aliado do governo. Não esperem uma eleição fácil como a da PMRB. 

NA PRENSA DA ENGENHOCA 
A coluna tem a informação precisa que está em articulação uma reunião com os prefeitos do PMDB, para chamar o candidato ao Senado, Márcio Bittar (PMDB), a uma conversa séria. A pauta será exigir que, ele traga os partidos sobre sua influência, como o SOLIDARIEDADE e PPS, para a coligação do PMDB a deputado estadual. O PMDB só tem quatro candidatos à ALEAC. 

IMPLODE A CHAPA 
Será um tiro sem pólvora. Qual o candidato de partidos pequenos como SOLIDARIEDADE e PPS que vai querer ser bucha de canhão para o PMDB, com uma chapa a deputada que tem Antonia Sales, Eliane Sinhasique, Roberto Duarte e Meiri Serafim? Só um jumento político. 

PARA SE TER UMA IDÉIA 
A chapa é tão forte que até o deputado Chagas Romão (PMDB), que tem base eleitoral e um eleitorado fiel, pulou fora. A chapa é forte, mas precisa de aliados, ou acabará num abraço dos afogados. Este é o grande dilema sobre o qual estão debruçados os peemedebistas. Lembrar o caso do PEN. 

MARIA ANTONIA NO PDT? 
O convite já foi feito anteriormente pela direção do PDT e será reiterado à deputada Maria Antonia (PROS), para que dispute a reeleição pelo partido. Será recebida com honras, promete o presidente Tchê. E assegurou que o partido não vetará a entrada de nenhum parlamentar. 

BRIGA DE EGOS
Foi uma briga de egos, sexta-feira última, entre oposição e governo, para saber quem foi o pai da criança das obras do DNIT, a serem executadas no anel viário de Brasiléia. Vou aclarar: a indicação foi do senador Gladson Cameli (PP), mas é fruto de uma emenda coletiva de bancada, o que coloca todos os parlamentares federais do Acre como parceiros. É a verdade.  

FICA NO PDT 
O presidente do PDT, Luiz Tchê, me garantiu que o deputado Jesus Sérgio (PDT) não sairá do partido.

OLHO NA BRANCA 
A ex-vice-prefeita Branca Menezes (PSDB) foi transferida para o programa do governo “Quero Ler”. Uma fonte da FPA contou que é o primeiro passo para ser convidada a sair da oposição. Que será convidada sei que será, mas a resposta somente ela é quem poderá dar ao PT. 

FALTA HABILIDADE 
Um político de Senador Guiomard pintou ontem com a sua experiência a briga que é travada pelo prefeito André Maia (PSD) com os vereadores da base do governo. “A questão é que o André acha que por ele ser prefeito, os vereadores devem bater continência”, explicou. 

PRESSÃO NÃO ADIANTA 
E foi mais além ao comentar não adiantar o prefeito André Maia pressionar o PP para acabar a oposição à sua administração, porque essa é uma situação que não se resolverá pela imposição. Quando o povo elege um vereador não é para bater palmas e não apontar os erros.  

NUNCA FOI REFERÊNCIA 
Sena Madureira, onde o PT e aliados fazem hoje a última plenária antes da escolha do candidato a governador, virou um reduto da oposição. A FPA levou três surras seguidas nas últimas eleições. No primeiro e segundo turno da disputa do governo e para a prefeitura. 

PARA COLOCAR A PEDRA NO LUGAR CERTO 
Ao bem da verdade Sena Madureira só foi um nicho de vitórias esmagadoras dos candidatos majoritários do PT, quando o prefeito era o Nilson Areal. Não discuto seus métodos, mas era um craque em vencer eleição. Até porque, o PT de Sena sempre foi fraquinho e nunca conseguiu ser decisivo. 

CONTA A DO PAPAGAIO
O ex-deputado Gilberto Diniz contou ontem que teve uma conversa com dirigentes da FPA e colocou a realidade política do município: “enquanto não houver uma renovação das caras que estão há vinte anos no mesmo cargo de confiança do governo no município e se acomodaram, a oposição vai ganha”. É uma realidade, mas é uma piada de papagaio crer em mudanças. 

UMA OBSERVAÇÃO DE UM ALIADO 
A observação foi feita ontem por um aliado incondicional do prefeito Marcus Alexandre: “tem gente colocando na sua cabeça (deve estar crendo) que já ganhou a eleição e é governador”. Um comentário pertinente: já vi muito político “favorito” embarcando para Manacapuru.

TAMANHO REAL 
O tamanho real do vereador Roberto Duarte (PMDB) será conhecido na disputa de deputado estadual, quando estará correndo com as próprias forças. Sem tirar o mérito da estupenda votação para a Câmara Municipal de Rio Branco, na ocasião o grupo dominante do PMDB jogou tudo na sua eleição, em detrimento das outras candidaturas. Agora é a Lei de Muricy. 

COLIGAÇÃO QUASE CERTA 
O deputado federal Major Rocha (PSDB) trabalha fechar uma coligação para a disputa de vagas na Câmara Federal, com o PSD e o PR. Acha que dá para formar uma chapa competitiva sem ter que ficar na dependência de outros partidos para formar um chapão. 

PODEM ESPERAR 
O PMDB em toda eleição de deputado federal lança dois ou no máximo três candidatos. Está com dois nomes e esperando que os demais partidos da oposição se juntem em 2018 para garantir legenda para a reeleição do Flaviano Melo e da Jéssica Sales. A tática pode falhar. 

TAMBÉM EM CARREIRA SOLO
O DEM também se encontra empenhado em ter uma chapa própria para a Câmara Federal. E o PP está anunciando que seus candidatos a Federal buscam carreira solo e não querem chapão. 

PERGUNTA QUE FICA 
Como é que o PMDB argumenta ser a maior força política da oposição e não consegue disputar a eleição para a Câmara Federal com as suas próprias forças? É a chamada acomodação. 

BOA RENOVAÇÃO 
A Assembléia Legislativa terá uma boa renovação. Três vagas já estão em aberto, a do deputado Ney Amorim (PT), que é candidato ao Senado; do deputado Chagas Romão (PMDB), que não sairá à reeleição e a do deputado Jesus Sérgio (PDT), candidato a deputado federal. 

PREPARE A MALA PRETA 
O candidato a deputado, Pedro Longo (PV), aposta em dois pontos para ter o apoio do ex-prefeito de Sena Madureira, Nilson Areal: ser irmão de Maçonaria e terem uma boa amizade. Sem entrar em discussão mais aprofundada: pode até acontecer, mas prepare a mala preta. 

MUITO A APRENDER 
O diretor do DERACRE, Cristovão Pontes, terá muito a aprender na campanha de deputado federal. Joga com as fichas que será o candidato prioritário do governo. E onde ficarão os petistas Sibá Machado, Léo de Brito, Raimundo Angelim? O PT trabalha para eleger os seus. Acorda, para não cair da cama! 

MAIS COMPETITIVA 
A deputada Juliana Rodrigues (PRB) disputará uma reeleição mais encorpada. Terá uma campanha organizada, com estrutura, e apoio prioritário da cúpula da Igreja Universal.

MOEDA MAIS FORTE 
A moeda mais valorizada da próxima eleição é a de deputado federal. Os presidentes de partidos nanicos ou elegem alguém para a Câmara Federal ou perderão as presidências. É que pela cláusula de barreira o partido que não tiver 1,5% dos votos para Federal em nove Estados, vira fantasma: não terá tempo de televisão e nem acesso ao Fundo Partidário.

UM PESO RELATIVO
Nada mais relativo do que ter o apoio de um prefeito na eleição para deputado estadual e deputado federal, na eleição do próximo ano. A transferência de votos é a arte mais difícil da política. Se um prefeito estiver bem avaliado pode até ajudar quem apoiar, mas se não estiver bem popularmente, puxará quem apoiar para baixo. Mas mesmo estando bem terá que investir, porque acostumaram a maioria do eleitorado só votar em troca de uma vantagem. É a chamada política de São Francisco: é dando que se recebe. E prefeito nenhum é dono de votos. 

Continuar lendo

Blog do Crica

Diálogo de surdos

Luis Carlos Moreira Jorge

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

Fora do debate do Pró-Saúde

Luis Carlos Moreira Jorge

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

Jackson Ramos: “Raimundinho da Saúde é o responsável pelo fim do Pró-Saúde”.

Publicado

em

Continuar lendo
Publicidade

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.