Conecte-se agora
Fechar

Geddel alega risco de ‘estupro’ e pede para voltar ao lar

Publicado

em

A defesa de Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) alegou risco de “estupro” na Penitenciária da Papuda, local em que o ex-ministro está recolhido desde a semana passada, em Brasília, e pediu que ele volte para o regime de prisão domiciliar em seu apartamento em Salvador. O requerimento foi negado pela juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que ressaltou o fato de os advogados do peemedebista terem supostamente se baseado em informações “inverídicas” e “especulativas” na petição.

A defesa se baseou em matéria publicada no portal “A Folha Brasil”, no dia da prisão do ex-ministro, noticiando que mensagens vazadas por familiares de detentos do Complexo Penitenciário da Papuda dariam conta de “ameaças de estupro” que teriam sido “enviadas aos políticos que estão cumprindo pena ou prisão preventiva”.

Conforme a “reportagem” citada pelos advogados de Geddel, facções criminosas da unidade prisional teriam avisado aos acusados de corrupção que teriam de prestar serviços sexuais e domésticos aos demais internos. “Um famoso ex-deputado já está ‘casado’ com um traficante. Seus familiares estão pedindo intervenção da Justiça para que a violência e humilhação cessem o mais breve possível”, diz trecho do texto publicado no site.

A defesa também alegou que a família do peemedebista teria recebido mensagem ameaçadora por rede social e que peças do procedimento criminal, além de imagens da audiência de custódia, teriam sido publicadas pela imprensa, o que seria um fator de exposição e risco. A petição alega que “qualquer lesão que aconteça a Geddel será de responsabilidade direta de todos os garantidores que se omitiram”.

“Por fim, a defesa requer a imediata colocação do custodiado em prisão domiciliar, alegando ser esta a única forma de garantir a sua integridade física ou, em caso de entendimento diverso, pede sua alocação em batalhão de guarda da Polícia Militar”, narra o despacho da magistrada.

Em resposta ao pedido, a juíza afirmou não ter competência para decidir sobre o pedido, uma vez que se trata de assunto da alçada da Justiça Federal. Ela argumentou que, a despeito disso, o pedido é baseado em notícia de caráter especulativo, pois, após a prisão de Geddel, os familiares dos presos de seu bloco nem os haviam visitado, ou seja, não poderiam ter tido contato com eles para saber de eventuais ameaças.

“Soa um tanto estranho que essas mensagens tenham sido dirigidas ao ora custodiado, quando sequer havia divulgação relativa à unidade prisional em que seria alocado, em especial porque a matéria jornalística traz alguma informações inverídicas sobre a realidade das unidades prisionais do DF, inclusive quanto ao número de refeições disponibilizadas aos custodiados”, escreveu.

A juíza acrescentou que Geddel não tem nenhuma prerrogativa ou garantia que lhe assegure custódia em sala de Estado Maior, na Polícia Militar.

O ex-ministro foi preso na última sexta-feira, 8, após a Polícia Federal descobrir que escondia R$ 51 milhões em dinheiro vivo num apartamento em Salvador bem próximo ao local em que já cumpria prisão domiciliar.

COM A PALAVRA, GEDDEL VIEIRA LIMA

A defesa técnica de Geddel Vieira Lima vem esclarecer:
1. Foi formulado requerimento de prisão domiciliar em favor de Geddel Vieira Lima, em razão da notícia de sérios riscos à sua integridade física, conforme veiculado em determinados portais eletrônicos, bem como diante do recebimento, por seus familiares, de expressas ameaças, até mesmo através das redes sociais.

Com efeito, qualquer pessoa preveria que a divulgação dos fatos – ainda não sujeitos ao contraditório e, portanto, precária e parcialmente narrados –, notadamente com utilização de expressões que inevitavelmente incitam ao ódio e à ira, pode trazer sérios problemas de segurança para a vida e integridade física do investigado, bem como da sua família.

2. Assim, todas as autoridades que cuidam do procedimento assumem, doravante, a posição de garantidores – nos termos da legislação de regência – e, assim sendo, toda e qualquer lesão que aconteça a Geddel Vieira Lima, assim como à sua família, será de responsabilidade direta de todos os garantidores que se omitirem, inclusive por terem sido expressamente informados dos riscos decorrentes.
Salvador/BA, 14 de setembro de 2017.
Gamil Föppel
OAB-Ba 17.828

Mais Informações

Extra Total

Advogado do Acre diz em novo vídeo que pertence ao Comando Vermelho: “Eu sou bandido mesmo”

Publicado

em

Logo após a repercussão do vídeo em que o advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior aparece portando uma arma parecida com uma submetralhadora, foi enviado a redação do ac24horas mais um vídeo em que ele se diz pertencer ao Comando Vermelho, facção criminosa que trava uma guerra pelo comando de tráfico de drogas, roubos e assaltos no Acre contra o Bonde dos 13 e o Primeiro Comando da Capital (PCC).

Na gravação de 40 segundos, Manoel manda um recado para alguma garota não identificada e revela: “Sou bandido mesmo, eu assumo. Eu trabalho para o CV, é nóis, Rio Branco é nossa. Eu tô aqui para ficar rico e estarei se Deus quiser, até o final do ano que vem com o meu Camaro zero bala. Nego bala estará na rua com Paulinho e Peruano, a galera do CV vai sair e nós vamos administrar a sociedade com paz e amor e muito respeito a população de Rio Branco. E eu estarei lá como o número 1, advogado. Assumo sim que sou do Comando do Vermelho para defender com unhas e dentes a população de Rio Branco”, diz o advogado.

Ao tomar conhecimento do conteúdo do vídeo, o presidente da OAB Acre, Marcos Vinicius Jardim Rodrigues, classificou as imagens como “cenas graves, constrangedoras e reprováveis que terão da OAB/AC a resposta adequada”.

“Inaceitável que um Profissional se comporte com tamanha torpeza. A Advocacia não se confunde com os fatos praticados por seus clientes. Defendemos direitos e não condutas criminosas. Quem livremente se confunde com criminosos deve arcar com os mesmos ônus dos que decidem transgredir as normas penais, jamais aqueles destinados aos que trabalham por Justiça”, diz.

O delegado Alcino Júnior informou que a Polícia Civil, após ter acesso aos vídeos do advogado, está trabalhando nas medidas cabíveis. “A Polícia Civil teve acesso a esse material e está trabalhando nas medidas cabíveis, as mais urgentes. No momento que ele se assume membro de facção criminosa, cabe a nós avaliar já o cometimento de um crime, que é de associar-se integrar uma organização criminosa. Fora o porte ilegal de arma de fogo, eventual disparo dentro de sua própria residência e outros crimes que podem ter um desdobramento.”

“Tá muito claro as intenções dele. Ele cita, inclusive, lideranças do Comando Vermelho: Nego Bala, Paulinho Calafate, e se faz ali como membro importante dentro dessa organização. Só este fato já é crime. Infelizmente é lamentável que um advogado que deveria estar defendendo o Estado Democrático de Direito, defendendo a própria justiça, esteja comentando esse tipo de crime. A própria OAB já se manifestou informando que penas do ponto de vista administrativo esse advogado pode sofrer”, encerra o delegado.

Continuar lendo

Esporte

Flamengo perde Diego Alves, mas busca virada contra o Barranquilla com golaço de Vizeu

Publicado

em

Por

O Flamengo contou com dois gols nos 15 minutos finais – o segundo, um golaço de Felipe Vizeu – para vencer o Junior Barranquilla por 2 a 1 nesta quinta-feira (23), no Maracanã, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana. O time rubro-negro saiu atrás e ainda perdeu o goleiro Diego Alves por lesão, mas conseguiu buscar a virada.

O time colombiano saiu na frente com Teo Gutiérrez poucos minutos depois de Alex Muralha entrar em campo para substituir Diego Alves, que tem suspeita de fratura na clavícula. Mas de tanto insistir na bola aérea, o Fla reverteu o resultado com dois cruzamentos.

A vaga na final será decidida na quinta da semana que vem, 30 de novembro, na Colômbia. O Flamengo joga por um empate para avançar e encarar na decisão Independiente ou Libertad – no jogo de ida, o time paraguaio venceu os argentinos por 1 a 0.

Diego Alves se machuca e sai do jogo

Aos 15 minutos do primeiro tempo, Diego Alves se machucou feio em uma dividida na área. O goleiro saiu para evitar a finalização de Yony González e salvou o Flamengo, mas acabou se lesionando no lance – a suspeita é de fratura na clavícula. Após atendimento no gramado, o titular não teve condições de seguir, deu lugar a Alex Muralha e foi para o hospital.

Muralha leva gol em 2min e torcida “murcha”

Com parte da torcida apoiando e outra reclamando, o contestado Muralha entrou em campo para substituir Diego Alves aos 19 minutos. E aos 21, o Junior abriu o placar: González escapou pela esquerda e cruzou rasteiro para Teo Gutiérrez completar para as redes na segunda trave. A torcida rubro-negra “murchou” com o gol e deixou o Maracanã silencioso por vários minutos.

Flamengo insiste de cabeça e marca

Sem conseguir criar muitas chances com a bola no chão, o Flamengo levou perigo pelo alto. No primeiro tempo, foi Felipe Vizeu quem acertou uma cabeçada no contrapé do goleiro, mas a bola passou raspando a trave, para fora. Já na segunda etapa, Diego errou a mira e Réver parou em grande defesa de Viera. Até que, enfim, Juan conseguiu fazer o gol de empate após levantamento na área na bola parada.

Vizeu garante a virada com golaço

Pouco depois do gol de Juan, o Fla se animou e, empurrado pela torcida, chegou à virada. Após mais um levantamento longo para a área, Willian Arão ajeitou de cabeça e Vizeu acertou um lindo chute de perna direita, de primeira e sem deixar a bola cair, mandando no ângulo de Viera. Uma finalização indefensável que garantiu o bom resultado para o time brasileiro no Maracanã. Na comemoração, ele foi até o banco de reservas e abraçou Rhodolfo, com quem brigou dentro de campo no último domingo (19) em jogo contra o Corinthians.

Muralha dá susto no fim

Um chute de longa distância de Yimmi Chará quase complicou Muralha nos minutos finais. A bola veio no meio do gol e o goleiro do Flamengo espalmou esquisito para o meio da área, mas a zaga rubro-negra conseguiu afastar o perigo.

FICHA TÉCNICA
Flamengo 2 x 1 Junior Barranquilla

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 23/11/2017
Horário: 21h45 (de Brasília)
Público: 41.804 (33.854 pagantes)
Renda: R$ 2.049.552,50
Árbitro: José Argote (Venezuela)

Gols: Teo Gutiérrez, aos 21 minutos do 1º tempo; Juan, aos 31, e Felipe Vizeu, aos 37 minutos do 2º tempo

Cartões amarelos: Éverton Ribeiro (Flamengo) e Murillo (Junior)

Flamengo: Diego Alves (Alex Muralha); Pará, Réver, Juan e Trauco; Cuéllar e Willian Arão; Mancuello (Vinícius Júnior), Diego e Éverton Ribeiro (Lucas Paquetá); Felipe Vizeu. Técnico: Reinaldo Rueda

Junior: Viera; Murillo, Pérez, Arias e Gutiérrez; Pico e Cantillo; Chará, Mier (Díaz) e González; Teo Gutiérrez (Sánchez). Técnico: Julio Comesaña

 

Continuar lendo

Acre

Empresário Luiz Morais morre aos 75 anos por insuficiência respiratória em Rio Branco

Publicado

em

Faleceu no final da tarde desta quinta-feira (23) em Rio Branco, aos 75 anos, o empresário Luiz do Nascimento Morais. Pioneiro na área de construção civil do Acre, proprietário da L. Morais, Consbrás e Costrubrás, Morais era natural do município de Sena Madureira, onde trabalhou como seringueiro.

No início da década de 70, Morais veio para Rio Branco e iniciou sua vida empreendedora, organizando sua empresa no ramo de Construção Civil. Uma das primeiras obras que ele participou foi na construção da Ponte Coronel. Wanderlei Dantas.

Depois, Morais construiu prédios como o Shopp Center Daniele, no centro da capital e trabalhou em obras públicas na construção dos Centros de Juventude dos bairros Rui Lino, Esperança e Estação Experimental.

O empresário deu entrada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, no início da semana. Diagnosticado com pneumonia, ele foi liberado pela equipe médica do HUERB.

Com menos de 24 horas que teve alta, a quadro clínico do empresário se agravou e ele foi atendido pelo Serviço Móvel de Urgência, e em seguida, internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral.

“Foi quando iniciamos várias tentativas de transferência do pai para o Huerb, onde ele precisava fazer drenagem nos pulmões. Esbarramos na tal regulação, apelamos para todas as autoridades da saúde e meu pai não foi transferido, vindo à óbito por volta das cinco horas por insuficiência respiratória. Ele foi levado para a emergência da UPA já morto”, relatou Elizângela Morais, filha que acompanhou os últimos instantes de vida do pai na UPA.

A família reúne documentos e vai entrar com processo contra o Estado, acusando negligência médica desde a entrada no HUERB.

O Corpo do empresário está sendo velado na Capela Morada da Paz, no Calafate, onde ocorrerá o sepultamento às 14h30 de sexta-feira, 24.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas