Conecte-se agora
Fechar

Sicoob Credisul movimenta R$ 300 milhões no Acre e mostra o poder do cooperativismo de crédito

Publicado

em

A Sicoob Credisul fez um balanço das atividades desenvolvidas pela cooperativa de crédito no Acre, Rondônia e Mato Grosso, estados onde está presente fortalecendo a importância do cooperativismo de crédito na região. Apenas em solo acreano, a Sicoob Credisul movimentou pouco mais de R$ 300 milhões.

O evento de prestação de contas ocorreu no Hotel Terra Verde, em Rio Branco, com a presença maciça dos cooperados, entre empresários autônomos e pessoas que tiveram a oportunidade de conseguir crédito sem burocracia e conseguem honrar seu compromisso junto à instituição financeira.

Na Sicoob Credisul, diferente de outras instituições financeiras, os cooperados são conhecidos “não pelo CPF, mas pelo nome”. A relação diferenciada entre colaboradores e cooperados é uma das armas para, a cada dia mais, crescer em bom atendimento e oferecimentos de serviços. Não por acaso o resultado tão expressivo no mercado.

“As cooperativas mais antigas do nosso sistema nasceram aqui no Acre. Aqui estamos com duas agências, e cada uma tem o seu foco: uma com foco no crédito mútuo, e a outra mais focada no empresariado: produtor rural, empresário da cidade. Mas no geral, o foco é por todas as economias, para todos”, explica o presidente da Sicoob Credisul, Ivan Capra.

O presidente, que também dirige a Central Norte, coletivo que reúne 11 cooperativas nos três estados, conta que no vizinho estado de Rondônia, por exemplo, a empresa já participa de 10% da economia local. Demonstração da boa gestão e de ofertas dos melhores serviços sempre atualizados à necessidade dos cooperados.

“Sicoob Norte está muito bem. Somos compostos por onze cooperativas singulares. Fomos a primeira central a conseguir, no Brasil, participação de ‘dois dígitos’ na economia. Ou seja, estamos com mais de 10% dentro da economia do estado de Rondônia. Só no Acre são três opções de cooperativa de crédito: a Sicoob Credisul, o Sicoob Acre, e a Sicoob Uni RBO”, completa.

O Sicoob: cliente é dono

O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) é o maior sistema cooperativista do país, com mais de 3 milhões de associados. Para alcançar a excelência no atendimento, conta com mais de 2 mil pontos de atendimento em 25 estados do território nacional e Distrito Federal. É a sexta maior instituição financeira do país e oferece aos associados um amplo portfólio de produtos e serviços para pessoa física e jurídica.

O Sicoob é composto por cooperativas financeiras singulares, cooperativas centrais, pela Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação), pelo Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob) e empresas especializadas. O Sicoob oferece aos associados vários serviços como conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária e pagamento eletrônico. Tudo isso com uma diferença: na cooperativa, os clientes são os donos e, por isso, participam dos resultados da sua instituição.

As vantagens de ser cooperado
Além de o associado ser um dos donos e poder participar das assembleias com voz ativa, há ainda outras vantagens financeiras e pessoais:

Taxas de juros reduzidas: essas cooperativas oferecem linhas de crédito com taxas de juros mais baixas e, muitas delas, não cobram tarifas por seus serviços (fornecimento de talões, transferências, cadastros); quando cobram, são sempre inferiores às praticadas pelos bancos comerciais.

Rendimentos normalmente superiores aos de mercado: caso o associado tenha uma reserva financeira disponível, poderá aplicá-la na cooperativa sob a forma de depósito a prazo, com rendimentos geralmente superiores aos oferecidos pelo mercado financeiro. Deve ter em vista que a cooperativa goza de isenção tributária, não sendo obrigada ao recolhimento de depósitos compulsórios como os bancos, o que permite uma maior taxa de retorno aos cooperados.

Atendimento diferenciado: o associado é atendido na cooperativa não como um simples cliente, mas como um dos seus donos. E, o mais importante, estará fazendo negócios em uma instituição que lhe devolverá, via rateio das sobras, juros e tarifas pagas a mais do que o devido. Sua parte nas sobras pode ser em dinheiro ou em aquisição de mais cotas-partes, dependendo de decisão da Assembleia. Em caso de perdas, elas podem ser compensadas com resultados futuros. Ainda, se o cooperado quiser se retirar da sociedade, poderá receber o valor de suas cotas-partes.

Mais Informações

Gente - Economia e Negócios

Anatel começa a bloquear celular pirata a partir de maio de 2018

Publicado

em

A diretoria da Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) definiu nesta quinta-feira (23) o calendário para bloqueio de celulares piratas no país. A medida começará a ser aplicada a partir de 9 de maio de 2018 e afetará, numa primeira etapa, apenas os aparelhos irregulares em operação no Distrito Federal e Goiás. Nas demais regiões do país, o bloqueio ocorrerá em duas fases, programas para 8 de dezembro de 2018 e 24 de março de 2019 (veja mais abaixo nesta reportagem).

Os celulares considerados “piratas” são aqueles não certificados pela Anatel ou então que tenham o chamado IMEI (International Mobile Equipment Indentity), que é o número de identificação do aparelho, adulterado, clonado ou que tenha passado por outras formas de fraude. Esses aparelhos não seguem normas de qualidade e segurança, explicou a Anatel.

Além de celulares, outros aparelhos, como tablets e máquinas de cartão de crédito, que também usam chip e acessam a rede de dados das operadoras e que por ventura não sejam certificados pela Anatel, também poderão ser alvo do bloqueio.

Entretanto, nem todos os equipamentos irregulares serão bloqueados pela agência. A regra prevê um período em que usuários desses aparelhos comecem a ser notificados da medida. Os que entrarem na rede das operadoras antes de começarem as notificações, não sofrerão bloqueio.

A Anatel não informou quantos aparelhos irregulares estão em operação hoje no país. Dados coletados pela agência com as operadoras dão conta que cerca de 1 milhão de novos aparelhos considerados piratas entram nas redes das prestadoras mensalmente.

Cronograma de bloqueio dos aparelhos
A medida aprovada nesta quinta pela Anatel prevê que, num primeiro momento, os donos de aparelhos piratas serão identificados e receberão mensagens de texto informando que o equipamento será bloqueado por não atender às normas da agência. Só depois dessas notificações e que os bloqueios começarão a ser feitos.

Distrito Federal e Goiás:
Início das notificações: 22 de fevereiro de 2018.

Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 9 de maio de 2018.
Acre, Rondônia, São Paulo, Tocantins, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul:

Início das notificações: 23 de setembro de 2018.

Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 8 de dezembro de 2018.

Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, estados do Nordeste e da região Norte:

Início das notificações: 7 de janeiro de 2019.

Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 24 de março de 2019.

Só serão bloqueados os aparelhos que forem registrados na rede das operadoras (começarem a funcionar com chip) após os períodos de notificação. No caso de DF e Goiás, portanto, o bloqueio só atingirá aqueles que forem registrados a partir de 22 de fevereiro. Em São Paulo, a partir de 23 de setembro. No Rio, a partir de 7 de janeiro.

Recomendações ao consumidor
A Anatel informou que o consumidor deve verificar, antes de comprar um aparelho celular, se o número que aparece na caixa, o número adesivo e o número que aparece ao discar *#06# são os mesmos.
Caso os números apresentados sejam diferentes, explicou a Agência Nacional de Telecomunicações, “há uma grande chance de o aparelho ser irregular”.

Segundo a Anatel, haverá uma interação com órgãos de defesa do consumidor e com o Ministério Público, o que acontecerá antes da fase de encaminhamento das mensagens sobre a adoção de medidas de restrição do uso de aparelhos irregulares.

A Procuradoria Federal Especializada da Anatel informou que não foram identificados impedimentos jurídicos ao bloqueio apenas de novos aparelhos irregulares.

O bloqueio não afetará os terminais exclusivos para dados (modens), pois, segundo a Anatel, não seria possível encaminhar as mensagens informativas aos aparelhos.

Continuar lendo

Cotidiano

Gasolina sofre novo reajuste e alta será de 7% e diesel tem queda de 0,3% nesta sexta-feira, informa Petrobras

Publicado

em

A Petrobras anunciou uma alta de 1,9 por cento nos preços da gasolina em suas refinarias para a partir da sexta-feira, dia 24, após alta de 5,1 por cento nas cotações autorizada na véspera que entrou em vigor nesta quinta-feira, de acordo com informações no site da companhia.

As altas, que somam cerca de 7% em dois dias, vêm em meio a uma nova política de preços da estatal que prevê mudanças até diárias das cotações, em um momento em que a companhia tem prometido praticar preços alinhados ao mercado internacional e ao mesmo tempo se esforça para evitar perda de participação no mercado doméstico de combustíveis.

Já os preços do diesel serão reduzidos em 0,3 por cento nas refinarias da Petrobras a partir da sexta-feira. Na véspera a companhia havia anunciado um aumento de 0,2 por cento do diesel válido a partir desta quinta-feira. AS informações são da Exame.

Continuar lendo

Cotidiano

Prévia da inflação oficial do país medida pelo IPCA-15, no acumulado até novembro é a menor desde 1998

Publicado

em

A prévia de novembro da inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) desacelerou ligeiramente ao fechar em 0,32%, resultado 0,02 ponto percentual inferior ao de outubro. Em novembro de 2016, o IPCA-15 havia sido de 0,26%.

Os dados relativos ao IPCA-15 foram divulgados hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,58%, inferior aos 6,38% do mesmo período de 2016 e o menor acumulado para um mês de novembro desde o índice de 1,52% registrado em 1998.

O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 2,77%, acima dos 2,71% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Apesar da ligeira desaceleração nos preços em novembro, a inflação continua sendo pressionada pela alta da tarifa de energia elétrica, que fez com que o grupo habitação, com alta de 1,33%, fosse o que exerceu o maior impacto individual no índice do mês.

Com variação de 4,42% e 0,16 ponto percentual de impacto na taxa mensal, as contas de luz responderam por metade do IPCA-15 de novembro. “O novo valor do patamar 2 da bandeira vermelha entrou em vigor no dia 1º de novembro e passou a adicionar R$ 5 para cada 100 KWh consumidos. Com isso, o item ficou entre o 1,12% registrado na região metropolitana de Fortaleza e os 21,21% de Goiânia”, constatou o IBGE.

Os números indicam que também o preço do gás de botijão, que subiu 3,3% em razão dos aumentos decorrentes da nova política de preços da Petrobras continuou a exercer pressão sobre o grupo habitação e teve impacto de 0,04 ponto percentual no IPCA-15 do penúltimo mês do ano. Em 5 de novembro, a Petrobras reajustou o preço dos botijões de 13 quilos nas refinarias em 4,5%, em média.

No grupo transportes, houve aumento de 0,27%, também influenciado pela alta autorizada pela Petrobras para a gasolina, que variou nesta prévia de novembro 1,53% e exerceu impacto de 0,06 ponto percentual no resultado final do IPCA-15. O preço do etanol também exerceu pressão sobre a prévia de novembro. Ao subir 2,78%, exerceu impacto sobre a taxa de 0,03 ponto percentual.

Nos demais grupos de produtos e serviços pesquisados, destacam-se os artigos de residência, com deflação de 0,35%, em razão da queda de 1,19% nos preços dos eletrodomésticos. O grupo alimentação e bebidas apresentou queda de 0,25%.

Regiões metropolitanas

Entre as nove regiões metropolitanas e os dois municípios abrangidos no levantamento do IPCA-15, apenas duas fecharam com resultado acima da média nacional de 0,32%: São Paulo, com alta de 0,44%; e o município de Goiânia, que ao registrar taxa de 1,62% ficou com a maior prévia da inflação de novembro.

As outras sete regiões fecharam a prévia com taxas abaixo da média nacional, com destaque para Fortaleza e Salvador, ambas com deflação: -0,05% e -0,03%, respectivamente.

Prévia da inflação oficial do país, o IPCA-15 tem a mesma metodologia do IPCA ( a taxa oficial), mas com periodicidade e abrangência regional diferentes. Vai da primeira metade do mês anterior ao da divulgação da taxa aos primeiros 15 dias do mês de referência e abrange nove regiões metropolitanas e dois municípios, enquanto o IPCA envolve um total de 13 regiões.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas