Conecte-se agora
Fechar

Endividamento:45% da população rio-branquense afirma estar endividada

Publicado

em

Aproximadamente 45% da população rio-branquense encontra-se indi vidada, segundo pesquisa realizada com 353 consumidores. A pesquisa evidenciou ainda que 14% dos consumidores da capital acreana demonstram não saber o porquê do endividamento mensal, enquanto 65% afirmam estar conseguindo pagar as dívidas conforme a data de vencimento, outros 22% nem sempre conseguem quitá-las totalmente e, 10%, não pagam e admitiram não pagar as dívidas no vencimento.

Além disso, 62% dos entrevistados disseram que as datas comemorativas não seriam motivos isolados para aumento de gastos, mas 25% admitiram certa influência. Outros 11% não souberam dar opiniões acerca do assunto.

A pesquisa observou ainda que, para 48% da população local, os níveis de gastos não comprometeriam a respectiva capacidade de pagamento. Essa condição, no entanto, seria diferente para 42%, que opinaram de forma contrária. O atraso médio, ainda segundo o estudo, teria crescido 29,8% entre os meses de agosto e março, chegando a 74%. Em contrapartida, a parcela da população com dívidas pendentes com 31 a 45 dias de atrasos, teve redução de 130%, passando de 23% para 10%.

Dentre as providências adotadas pela população rio-branquense quando o ganho não cobre o total das contas do mês, observou-se que aproximadamente 25% dos consumidores passaram a realizar serviços extras entre março e agosto para ajudar no pagamento das contas. A pesquisa foi realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC), por meio do Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac).

Mais Informações

Destaque 5

Atrasos nos pagamentos da Saúde do Acre podem deixar serviços paralisados

Publicado

em

Empresários que prestam serviços à Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) se uniram para desmentir a informação de que os pagamentos realizados pela instituição estão sendo feitos corretamente. O “calote” às empresas chega a durar quatro meses e, com isso, serviços podem parar.

Em nota assinada pelo Sindicato das Empresas Prestadoras de Serviços Terceirizáveis do Estado do Acre (SEAC/AC), os empresários repudiam as informações inverídicas repassadas pela pasta à imprensa. Além disso, afirmam que os atrasos estão prejudicando as empresas.

“Convidamos os gestores da Secretaria de Saúde do Estado do Acre a apresentarem os comprovantes de pagamentos relativos a serviços terceirizados prestados nos meses que antecedem o mês em curso, não apenas da empresa Red Pontes, assim como, da empresa Limpacre que os meses de agosto e setembro na mesma situação”, diz a nota.

Com os atrasos, que se aproximam em alguns contratos à casa dos R$ 2 milhões, serviços administrativos e de limpeza podem ser suspensos. A informação foi repassada por um dos empresários, que pediu para não ter o nome divulgado. Ele alega que já há, nos bastidores, conversas a respeito disso.

“O governo aumenta impostos naquilo que ele sabe que as pessoas vão ter que consumir, como a gasolina. Você já imaginou um hospital sujo? Já pensou em chegar na secretaria e não ter ninguém lá para atender ou para resolver uma demanda? Se a gente não receber, é isso que vai acontecer: vamos parar tudo”, ameaça.

O empresário vai além e destaca que a imagem do Governo do Acre entre empresários de fora do estado está bastante maculada. Com isso, “não há empresa que queira vender ou trabalhar aqui no estado. Tem uma aí, que o cara era dono de outra empresa, faliu, criou outra e agora segue trabalhando. Mas e quem trabalha sério?”, questiona.

Procurada, a Secretaria de Saúde do Acre manteve o posicionamento de que não há débitos junto às empresas terceirizadas. Muito pelo contrário, todos os empenhos devidos foram feitos e pagos pela secretaria, restando apenas o mês de outubro em aberto, o que será pago normalmente em novembro.

Continuar lendo

Destaque 5

Criança cai do sofá, bate com a cabeça e morre no Quinari; polícia civil abre investigação

Publicado

em

Com apenas um ano de idade, Isake Rodrigues Cavalcante, que vivia com os pais em Senador Guiomard, deu entrada no setor de emergência do Hospital Ary Rodrigues, e chamou a atenção dos funcionários e usuários que estavam no local.

Segundo a família, a criança teria caído do sofá e batido com a cabeça no chão, ficando ferida. Após a queda, o bebê ficou de desacordado, e os pais resolveram levá-lo ao hospital onde, minutos depois, restou aos médicos de plantão atestar a morte.

No prontuário médico a que teve acesso o ac24horas, o médico que atendeu Isake diz que ele já chegou à unidade sem sinais vitais, ou seja, sem o coração estar funcionando. Apesar da tentativa, não se conseguiu reanimar o bebê.

Diante do caso, a Polícia Civil foi acionada e abriu inquérito para apurar como de fato ocorreu a morte da criança e se a queda foi ou não acidental. O caso será investigado e o bebê foi trazido para o Instituto Médico Legal, em Rio Branco, onde será entregue à família.

Continuar lendo

Destaque 5

Em debate na Câmara, vereador sugere que Gladson “saia da rota de conforto de Las Vegas”

Publicado

em

O pré-candidato ao governo do Acre, prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre Viana (PT), deixou a capital durante o extenso feriado da semana passada para fazer campanha pelo interior do Estado e isso incomodou demais a oposição. Esse foi o tema que direcionou o debate na Câmara de Vereadores na sessão desta terça-feira, 21. Os oposicionistas Roberto Duarte (PMDB) e N. Lima (sem partido) disseram que o prefeito “abandonou a cidade cheia de buracos para fazer campanha”.

N. Lima recordou que o prefeito assinou um decálogo de compromissos com a OAB confirmando que “não sairia do mandato pra ser candidato, mas hoje é candidato. Assinou documento na OAB e hoje faz campanha aberta e abandonou na cidade. As pessoas estão colocando placas porque nós estamos sem prefeito. Faça sua campanha, agora deixe a nossa cidade trafegável pelo menos”, disse.

A base de Viana respondeu os oposicionistas de forma irônica. Escalado para falar em nome dos governistas, Railson Correia (PODEMOS), disse que o prefeito de Rio Branco não faz campanha em horário de expediente e que o petista tem todo direito de cumprir suas agendas políticas durante os finais de semana e feriados.

“Todo mundo tem direito de ser candidato. Tenho certeza que o prefeito não tá fazendo política no horário de expediente dele na capital. Os finais de semana é dele, é da família dele, ele toma café onde quiser, anda onde quiser. O prefeito Marcus Alexandre está no seu papel de como líder e prefeito de Rio Branco ser pré-candidato a governador”. No final de seu discurso, Railson alfinetou o pré-candidato da oposição ao governo, senador Gladson Cameli (PP): “Cabe ao candidato da oposição fazer o mesmo e sair dos Estados Unidos, da sua rota de conforto de Las Vegas pra conhecer nossos ramais, conhecer nossos bairros pra que num debate não passe vergonha. Quer ser candidato vá conhecer o Acre, debater com os segmentos”, ironizou.

O vereador fez referência as viagens que o senador do PP faz em missão representando o Senado. Gladson Cameli esteve nos dias 17 e 18 deste mês em missão pelo Senado da República participando da 4ª Conferência Mundial da União Interparlamentar de Jovens Parlamentares, em Ottawa, Canadá.

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas