Conecte-se conosco
Fechar

Toinha Vieira “cobrou primeira fatura” após declarar apoio a Sebastião; Ex-prefeita nega

Ray Melo, da editoria de política do ac24horas

Publicado

em

Uma fonte que faz parte da assessoria do governador Sebastião Viana (PT) denuncia que a ex-prefeita de Sena Madureira, Toinha Vieira (PSDB) “cobrou a primeira fatura” do chefe do executivo, após declarar seu apoio, em Sena Madureira, à Frente Popular do Acre (FPA) e à candidatura ungida pelos cardeais petista que entrará na disputa pelo governo do Acre contra a possível candidatura de Gladson Cameli, que seria desafeto da política tucana.

Toinha Vieira

De acordo com informações da fonte ligada ao chefe do executivo, Toinha Vieira exigiu atendimento especial no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB) para o filho que foi baleado com um tiro de raspão na cabeça. Tasso Vieira, filho da ex-prefeito de Sena Madureira, Toinha Vieira foi baleado na cabeça, na noite de sexta-feira (4) de agosto, durante uma tentativa de assalto, quando estava num bar e foi atraído por duas mulheres para uma emboscada.

Segundo a fonte de ac24horas, logo após Tasso Vieira ser transferido para Rio Branco, apesar de não correr risco de morte, Toinha Vieira teria exigido que seu filho fosse colocado em um quarto individual do hospital público. Procurada pela reportagem, Toinha nega com veemência que tenha recorrido a favores usando o prestígio político de sua família. “Não sei quem foi a pessoa que fez a denúncia, mas ela faltou com a verdade e não tem respeito e humanidade com o próximo”, diz Toinha.

A ex-prefeita nega que tenha pedido qualquer tipo de atendimento especial para seu filho ou tenha recorrido a favores políticos. Toinha informa que chegou a pedir para levar o filho para fazer tratamento em casa. A recomendação para tirar Tasso Vieira do setor de traumatologia teria sido feita pelos próprios médicos que o atenderam, dada a gravidade do ferimento e a ocorrência de uma possível infecção, já que, de acordo com ela, a bala está alojada na cabeça de seu filho.

“Quem faz esse tipo de denuncia não tem Deus no coração. Os médicos disseram que o caso do meu filho é grave. Que um em um milhão consegue escapar com vida quando recebe um disparo de arma de fogo na cabeça. Não pedi apartamento especial para meu filho, isso não procede. Quem recomendou a remoção dele do setor de traumatologia foi a médica que atestou a gravidade e argumentou que o setor estava ficando lotado com a cada momento chegavam mais pacientes”.

O denunciante alega que Toinha Vieira teria declarado que seu filho não poderia ficar com outros pacientes pois teria medo de Tasso Vieira pegar infecção. Apesar de o atendimento do SUS garantir, teoricamente, melhor qualidade para os pacientes não disponibiliza de apartamento individual para pacientes, mas de acordo com nossa fonte, Tasso Vieira está sozinho em quarto de isolamento no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco.

“Meu filho escapou por um milagre. Ele está no hospital fazendo uma medicação para evitar uma infecção na cabeça. A bala ficou alojada, e os médicos acreditam que ele precisa permanecer internado até que não tenha mais nenhum tipo de perigo. É triste perceber que tudo que acontece no estado é politizado. Eu sou mãe, evangélica temente a Deus, jamais faria nada para obter benefícios com expedientes escusos. Fico chocada com esse tipo de denúncia”, acrescenta.

Continuar lendo

Acre

Outdoor em homenagem ao Coronel Brilhante Ustra amanhece destruído no Acre

Publicado

em

“Lutamos contra terroristas como a Dilma para salvar o Brasil do comunismo. Apenas cumpri minha missão”. Essa era a frase do coronel Ustra, membro do Exército Brasileiro, que estava estampada em um outdoor colocado na Avenida Ceará em homenagem ao militar. Na manha desta quinta, dia 19, o painel amanheceu destruído.

Objeto de críticas tanto dos membros da sociedade civil, como de políticos e da própria Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Acre (Sejudh), o outdoor soou à um aparcela da sociedade acreana como uma “apologia à tortura”, termos bastantes utilizados quando se faz no período do governo milita, o último encerrado na década de 1980.

Na internet, a colocação do painel também gerou uma repercussão negativa. “Exaltar frase burra de um torturador, de um criminoso cruel, em outdoors pela cidade. Essa é a #direitaacre! Vamos celebrar a estupidez humana, como já diria o poeta!”, postou o cantor Diogo Soares, do Los Porongas.

Em nota, o secretário de Direitos Humanos do Acre, Nilson Mourão, afirmou: “Num Estado Democrático de Direito, é plenamente compreensível o direito à livre expressão e opinião, mas isso não significa agir com irresponsabilidade em incitar a violência de alguma forma, mas, principalmente, a violência de Estado contra o cidadão”.

QUEM FOI O CORONEL

Carlos Alberto Ustra morreu em outubro de 2015. Ele foi coronel do Exército Brasileiro, ex-chefe do DOI-CODI do II Exército, um dos órgãos atuantes na repressão política, durante o período do ditadura militar no Brasil.

Ustra foi considerando o primeiro militar reconhecido pela Justiça como torturador e comandante de uma delegacia de polícia acusada de ser palco de mais de 40 assassinatos e de, pelo menos, 500 casos de torturas.

O coronel Ustra é tido como uma das referências do presidenciável Jair Messias Bolsonaro, deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Continuar lendo

Acre

Freguesia Hamburgueria deve indenizar consumidora por servir refrigerante vencido

Publicado

em

A hamburgueria Freguesia, uma das mais conceituadas de Rio Branco, foi condenada a indenizar moralmente uma cliente Camila Costa Farias por servir bebida vencida à consumidora. A determinação foi proferida pelo 1º Juizado Especial Cível da Comarca de Rio Branco.

A juíza de Direito Lilian Deise, titular da unidade judiciária, esclareceu que a condenação tem caráter punitivo e pedagógico, para isso foram utilizados os critérios de razoabilidade e proporcionalidade em concordância com os fatos descritos nos autos.

A decisão foi publicada na edição n° 5.985 do Diário da Justiça Eletrônico (fl. 133 e 134), desta terça-feira (17), e estabelece R$ 500 de danos morais e restituição dos R$ 5 pagos em refrigerante.

Entenda o caso

Na reclamação registrada pela cliente consta fotografia que comprova o vencimento do refrigerante. Ao constatar que o refrigerante adquirido era impróprio para o consumo, teve o produto substituído no local por outro produto também vencido.

A falha na prestação de serviço ocorreu em fevereiro deste ano. Ainda segundo a petição inicial, a funcionária da ré se negou a restituir o valor pago pela bebida. Por isso, a reclamante registrou que não houve um tratamento satisfatório no empreendimento alimentício.

Decisão

A juíza de Direito ressaltou que não pode ser admitida a entrega de produtos inapropriados para o consumo. “Observo que a ré agiu sem os devidos cuidados necessários, expondo, assim, a saúde de seus consumidores, disponibilizando produtos para venda fora do período de validade”.

A magistrada enfatizou, por fim, que o estabelecimento comercial, como prestador de serviço no ramo da alimentação, tem o dever de zelar pelos produtos fornecidos aos consumidores, colocando à disposição dos mesmos itens que estejam em perfeitas condições de consumo. Da decisão cabe recurso.

Continuar lendo

Acre

Ao lado do deputado Alan Rick em Brasília, Bolsonaro diz em video: “O Acre é nosso!”

Publicado

em

“O Acre é nosso!”, diz o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), pré-candidato à Presidência da República, em um vídeo no plenário da Câmara dos Deputados ao lado do colega, o também deputado Alan Rick (DEM), que o chama de “mito”.

Bolsonaro também cita o coronel Ulysses no vídeo. Alan menciona o empresário Rodrigo Pires e defensor Valdir Perazzo.

“O Acre é nosso! Valeu pessoal, um grande abraço. Parabéns pela manifestação explicita de apoio e consideração. Tamo junto (sic)”, diz Jair Bolsonaro.

Continuar lendo
Publicidade

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.