Conecte-se agora

Sebastião: Expoacre mostra base diversificada da produção e não perdeu a essência

Publicado

em

Há algum tempo a Expoacre parece perder a essência de feira agropecuária e abre espaço para uma exposição diversificada que tem empreendedorismo diverso, artesanato e produção extrativista. Pelo menos é o que se ouve de vários críticos do evento. Mas afinal de contas, a Expoacre deixou mesmo de ser uma feira da pecuária? Para o governador Sebastião Viana, não. O chefe do Palácio Rio Branco, responsável por executar programas de incentivo à piscicultura e suinocultura, por exemplo, acredita que a abertura para a exposição de novos meios de produção não tira o caráter tradicional da maior feira de negócios do Acre. Ao contrário. Apenas evidencia que nos últimos anos, o estado passou a apresentar uma diversificação em sua cadeia de produção que precisa ser mostrada.

“Nós temos que valorizar a vida rural tradicional, mas valorizar muito a inovação rural e industrial do Estado. Hoje a pecuária é uma parte da atividade. O Acre tá numa base diversificada. Já é o terceiro maior produtor de açaí, tá plantando frutíferas, tá colhendo muito, tem produtos extrativistas, tem produtos indígenas.”

O governador comemora fato de a feira dividir espaço com o empreendedorismo e a indústria local, que são visualizados a partir de espaços coordenados pelo Sebrae e as secretarias de Indústria, Tecnologia e Produção.

“A vida rural tá viva, mas ganhou um caráter empreendedor. Ela ganhou um caráter de economia de escala. Isso nos deu uma expectativa de força na atividade rural do Acre e melhoria no desenvolvimento do Acre. Uma coisa não exclui a outra.”

Propaganda

Acre

Bolsonaro e Haddad assinam termo de compromisso à Constituição

Publicado

em

Os candidatos à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), assinaram ontem (17), um Termo de Compromisso de Respeito à Constituição da República Federativa do Brasil proposta pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI). O presidente da entidade, Domingos Meirelles, disse que a intenção é restabelecer “o fulcro natural” da campanha, para que os dois voltem a discutir propostas de governo e questões pragmáticas no lugar de trocarem insultos.

“Diante desse caos, um dos motivos que nos levou a pedir que eles assinassem [o Termo de Compromisso] era baixar a temperatura e que voltassem a discutir programa de governo e não ficar um acusando o outro. Isso foi uma conversa preliminar e eles concordaram. É uma intenção de baixar a poeira e decantar um pouco o tom de intolerância da campanha”, disse Meirelles, em entrevista à Agência Brasil.

No texto do documento, que tem a concordância dos dois candidatos, a ABI cita o fato da Carta Magna ter 30 anos e que notícias veiculadas pela imprensa indicavam uma eventual vontade dos candidatos em promover uma Constituinte para modificar os principais postulados da Constituição. A ABI destacou que é importante que a sociedade brasileira tenha tranquilidade e confiança de que o Texto Constitucional em vigor não sofrerá deformações que comprometam sua verdadeira natureza.

A entidade destacou também “a enxurrada de notícias que circulam pelas mais diversas redes sociais, na maioria das vezes de conteúdo fraudulento, enfatizando o desejo dos candidatos em transfigurar nossa Lei Maior”.

Candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), assina Termo de Compromisso elaborado pela ABI no qual garante que não vai modificar a Constituição.

Diálogo
De acordo com o presidente da entidade, o compromisso assinado com Bolsonaro e com Haddad foi resultado de um processo que começou em um primeiro contato para saber se ambos concordavam em assinar o documento, que em seguida foi encaminhado para análise de cada um. Bolsonaro assinou no Rio e Haddad em São Paulo.

“A ABI é talvez a mais longeva entidade da sociedade civil, está completando 110 anos em 2018. Nós, diante do peso da instituição e da idade que ela tem, nos achamos no dever de fazer uma carta compromisso para os candidatos [questionando] se eles concordavam em não mexer na Constituição”.

Segundo Meirelles, pairava sobre as duas candidaturas suspeitas de modificação na Carta Magna e como a ABI defende direitos humanos, as liberdades e garantias individuais, houve a avaliação de que os dois precisavam mostrar este compromisso. O presidente da ABI disse que ficou surpreso com a concordância imediata dos candidatos em assinar o documento.

“Eles não pediram para mexer em nada. Isso é que realmente surpreendente. Senti que eles estavam assinando com um certo alívio. É como se eles estivessem se livrando de um peso que carregassem nas costas. É essa a minha leitura”, disse.

Meirelles disse que a história da ABI pode ter levado à concordância imediata dos candidatos em assinar o documento. “Talvez pelo fato de ser uma entidade como a ABI, ela tem 110 anos, a própria história em defesa da liberdade, da democracia, que teve um papel importante na luta pelo restabelecimento do estado de direito. Talvez a soma de todos esses aspectos, eles não criaram nenhum tipo de objeção”, disse.

Cláusulas
O Termo de Compromisso tem três cláusulas. A primeira destaca o Título II da Constituição e os preceitos do Caput do Artigo 5º que trata da “inviolabilidade do direito à vida, à igualdade, à segurança e à propriedade”. Na segunda, o compromisso é de respeitar as cláusulas pétreas da Carta Magna, afastando por completo qualquer tipo de manobra ou artifício que viole ou produza preceitos contrários ao atual texto Constitucional. Na última, os candidatos ratificam e enfatizam seu pacto de assegurar os direitos à informação, à liberdade de expressão e, por conseguinte, à liberdade de imprensa.

O presidente da ABI acrescentou que o compromisso está firmado, mas não pode garantir que o eleito vá respeitar o documento. “É um compromisso moral e ético”, disse.

Continuar lendo

Acre

No MEC Alan Rick garante reforma de escola do Polo Benfica

Publicado

em

Obra está orçada em um milhão de reais e vai beneficiar alunos de uma das áreas mais produtivas da Capital

O Deputado Federal reeleito Alan Rick (DEM), esteve reunido nesta quarta-feira, 16, com o Ministro da Educação, Rossieli Soares, para tratar da liberação de recursos para os municípios acreanos e as obras da escola municipal do Polo Benfica em Rio Branco. Alan foi recebido pelo Ministro e por Júlio Cezar Viana, Coordenador Geral de Programas Especiais do FNDE.

“Conseguimos aprovar o termo de autorização da reforma da Escola Benfica, de Rio Branco, que tem uma emenda de minha autoria no valor de R$ 1 milhão. Agora, para que a obra comece só é necessário que a prefeitura de Rio Branco solucione três pendências de prestação de contas de obras anteriores”, destaca o parlamentar que, com essa ação junto ao Ministro, garante a realização da obra, vital para o fortalecimento da educação em uma das regiões mais produtivas do entorno da capital.

Alan Rick conseguiu, ainda, atender demandas para o prosseguimento da construção da cobertura da quadra da Escola José Plácido de Castro, em Porto Acre, e da reforma da Escola Rita Bocalom, em Acrelândia. “Nosso trabalho em prol da educação é permanente. E neste momento, a prioridade tem sido garantir recursos para investimentos em escolas nos 22 municípios acreanos”, disse.

Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias

Já na tarde desta quarta-feira, 17, Alan Rick participou da votação no Congresso Nacional que derrubou parcialmente o Veto nº 32/2018 e, com isso, aprovou o novo piso salarial dos agentes de saúde.

Com a mudança, a partir de 2019, cerca de 400 mil Agentes em todo o Brasil terão suas carreiras valorizadas, com o aumento de 52% do seu piso salarial. O repasse é de responsabilidade da União e os encargos ficam por conta dos municípios.

De acordo com o texto aprovado, o piso salarial nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias será R$ 1.250,00 já em 2019, e passará por aumentos anuais até ser fixado em R$ 1.550,00, em 1º de janeiro 2021. A partir daí, será reajustado anualmente, sempre no mês de janeiro.

Continuar lendo

Acre

Sesacre desmente boatos sobre demissões de médicos provisórios

Publicado

em

O secretário de Saúde do Estado Acre, Rui Arruda, classificou como irresponsáveis e mentirosas as notícias sobre demissões de médicos provisórios, conforme repercute na internet.

A notícia começou a se espalhar a partir de um áudio compartilhado em um aplicativo. Após a repercussão negativa, o secretário resolveu, por meio da Agência de Notícias do Acre, refutar o boato.

“Essas são informações completamente irresponsáveis. Não há nenhum indicativo de demissão de profissionais. Muito pelo contrário, estamos em uma reta final de muitos investimentos na área de saúde”, desta Arruda.

O gestor da saúde estadual destacou ainda que no lugar de demissões, o governo ainda tem importantes investimentos em saúde para entregar a população até o fim do ano.

“Prova de que não há fundo de verdade algum é que até o final do ano entregaremos importantes obras à nossa população. Vamos inaugurar a segunda etapa das obras do Into e a terceira e quartas etapas do Hospital Regional do Alto Acre em Brasileia. Ainda temos a entrega da UPA de Cruzeiro do Sul e mais uma etapa do Into. Até dezembro fechamos nosso governo com a entrega da reforma e ampliação do Hospital do Câncer e o término da verticalização do Huerb.”

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.