Conecte-se conosco
Fechar

Flaviano Melo: “A oposição precisa ter juízo e parar de trocar farpas”

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Às véspera de passar uma semana visitando vários municípios no interior, entre Manoel Urbano, Santa Rosa, Jordão, Tarauacá, Feijó e o Vale do Juruá, o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) fez uma leitura do momento da oposição. Ressaltou mais uma vez a necessidade do diálogo e da negociação entre os partidos. Ele também comentou as denúncias contra gestores em cargos federais indicados pelo PMDB no Acre e falou da situação do presidente Michel Temer (PMDB) que passará por um “teste de fogo” no Plenário da Câmara Federal no começo de agosto.

ac24horas – Deputado Flaviano qual o risco dessas várias candidaturas ao Senado da oposição? E também a possibilidade do grupo PSDB-DEM lançar um candidato ao Governo? O senhor acredita ser ainda possível a união da oposição para disputar o Governo em 2018?

Flaviano Melo – Nós temos que ver que existe uma diferença muito grande entre quem está no poder e quem está na oposição. Quem está no Governo Estadual resolve tudo facilmente porque tem como acomodar as pessoas nos cargos. Do outro lado, nós temos vários partidos e lideranças e todos se acham no direito de ter candidaturas. Então é preciso ter juízo, sentar e conversar muito e evitar trocar farpas para deixar a coisa se acomodar e chegar a uma candidatura única ao Governo e duas ao Senado. É difícil, mas isso é natural na política. Eu acredito ainda na união entre todos e vou trabalhar para que isso aconteça.

ac24horas – A chave do diálogo é o abrir mão de projetos pessoais. Como conseguir isso dentro da oposição?

FM – Se sair mais de dois candidatos ao Senado vamos perder tudo. Se tiver quatro fica claro o que vai acontecer. A gente tem que conversar até a exaustão e ter juízo.

ac24horas – Recentemente algumas pessoas indicadas pelo PMDB a cargos federais na saúde indígena foram denunciadas e estão sob investigação da Polícia Federal. Como o senhor vê essa situação?

FM – Se estão denunciadas então que respondam pelos mal feitos que fizeram. Nós não temos nada com isso. Pelo contrário, queremos que tudo seja bem apurado e que cada um pague pelos seus erros.

ac24horas – O senhor considera que esse seu mandato está mais ativo que os outros?

FM – Quando o tempo passa a gente vai esquecendo o que ficou lá pra trás. Estou procurando trabalhar e ajudar os prefeitos aproveitando que temos o presidente da República do nosso partido. Assim a gente tenta viabilizar mais alguns recursos, tanto pras prefeituras quanto outras instituições. Isso transparece que está se trabalhando mais. Mas estamos aproveitando a oportunidade que temos tido porque o Michel Temer (PMDB) é um grande amigo e um bom político.

ac24horas – Como o senhor avalia as prefeituras em que o PMDB está na gestão no Acre?

FM – Está tudo muito no começo ainda. Mas a gente pode ver que o prefeito de Porto Walter, Zezinho Barbary (PMDB) foi o mais bem avaliado do partido e continua bem na sua gestão. Os outros são novos prefeitos. Mas o trabalho do Mazinho Serafim (PMDB) de Sena, já está aparecendo. Como ainda não fui ao Juruá não posso ter uma visão. Vou está semana para lá para observar melhor o trabalho que os prefeitos de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Marechal Thaumaturgo estão fazendo.

ac24horas – O Temer consegue barrar a denúncia contra ele no plenário da Câmara? E o senhor acredita que ele vai sobreviver até o final de 2018?

FM – Sem nenhum problema. Só nós conseguimos no impeachment da Dilma (PT) colocar 342 votos. A oposição não tem isso e não vai conseguir dar prosseguimento ao processo do Temer. Não tenho nenhuma dúvida que o Temer irá terminar o seu mandato com tranquilidade.

ac24horas – Como o senhor está vendo uma possível candidatura à presidência da República do PMDB com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles?

FM – Eu vejo isso muito distante. Isso é a imprensa que está falando. Na bancada a gente não ouve nada sobre isso. Não despertou ainda. Vamos esperar pra ver o que vai acontecer.

ac24horas – Mas existe outro nome dentro do PMDB para disputar a presidência em 2018?

FM – Não tem. Nós temos o presidente da República e o normal seria ser candidato à reeleição. Acontece que com as medidas que ele está tendo que implantar no país a popularidade dele não é boa, mas vai ficar pra história lá na frente porque está arrumando o país que voltará a crescer. Aliás, já está voltando a crescer.

ac24horas – Qual a meta do PMDB no Acre de candidaturas majoritárias em 2018?

FM – O PMDB quer estar na chapa majoritária. Seria uma das vagas ao Senado ou o Governo. No Governo já tem um candidato de oposição que não é do PMDB se colocando e bem avaliado. Então temos que batalhar pela vaga do Senado.

ac24horas – Nesse sentido como estão as negociações com o ex-deputado Márcio Bittar?

FM – O Bittar já foi do PMDB e saiu, mas querendo voltar não tem problema. Só não vamos aceitar ninguém que venha pra cá com a prioridade de ser candidato ao Senado. O nome que lançamos foi o do ex-prefeito Vagner Sales (PMDB).

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Facções criminosas estão mais fortes do que muitos partidos políticos

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Locutor do Formigão e Coronel Ulysses as novidades à disputa ao Governo

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Até quando os acreanos continuarão isolados do resto do Brasil?

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo
Publicidade

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.