Conecte-se agora
Fechar

Só uma região do Acre é apontada como de alta capacidade de adaptação às mudanças climáticas, diz Mapa de Capacidade

Publicado

em

Apenas uma região do Acre, onde se localiza o município de Rio Branco, é vista como de alta capacidade de adaptação às mudanças climáticas relacionadas às secas, segundo um estudo patrocinado pelo Ministério do Meio Ambiente. As demais regiões estão incluídas como baixa, muito baixa e extremamente baixa quando o assunto é adaptar-se às ocorrências de estiagens diferenciadas.

O mapa de Capacidade Adaptativa relacionada aos impactos potenciais das Secas no contexto de mudanças do clima foi elaborado a partir das médias das seguintes variáveis: Índice de GINI, Taxa de Analfabetismo e o Índice de Desenvolvimento Humano para escala municipal (IDHm). Essas três variáveis, quando cruzadas, são representativas da Capacidade Adaptativa, a qual está especializada no mapa. O índice de Gini torna-se relevante para os desastres de Seca por demonstrar o nível de desigualdade social. Em geral, uma maior desigualdade social representa uma menor acessibilidade a recursos disponíveis entre as partes da população. Logo, uma maior concentração de renda em uma pequena parcela da população representa uma menor acessibilidade aos recursos pela maioria.

No contexto das secas, a concentração de terras ou de recursos que tenham acessibilidade a água, representam uma maior desigualdade e, portanto, uma menor Capacidade Adaptativa para essas populações. Em contrapartida, uma melhor distribuição de renda permite a aquisição de infraestrutura e acessibilidade aos recursos e demais facilidades de acesso aos serviços públicos (quando equilibrada entre as partes), representa uma maior Capacidade Adaptativa frente aos desastres de secas.

Mas o problema não é só no Acre. Toda a região Norte e também a Nordeste do Brasil têm sua Capacidade Adaptativa extremamente baixa em função dos baixos índices de desenvolvimento humano e socioeconômico.

Mais Informações

Destaque 7

MPAC abre investigação sobre contratações de empresas sem licitação por ex-prefeito do Bujari

Publicado

em

A rejeição das contas de 2012 do município de Bujari por parte do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE) e o consequente envio do processo ao Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), resultou na abertura de um procedimento preparatório para investigar a contratação de empresas sem a devida licitação. O prefeito à época era João Edvaldo “Padeiro” Teles de Lima.

Conforme consta na Portaria n.° 0012/2017/PJC/BUJ (nº MPAC 06.2017.00000582-8) o TCE considerou irregular a prestação de contas da Prefeitura Municipal de Bujari, exercício de 2012, e sob a responsabilidade do prefeito Padeiro. Os autos foram então encaminhados ao MPAC para as providências cabíveis.

Consta na publicação “que os autos foram encaminhados para Ministério Público do Estado do Acre, com os fins de apuração da realização de despesas sem comprovação de licitação prévia”.

Por conta disso, o MPAC decidiu abrir um Procedimento Preparatório para buscar maiores informações e tomar as providências cabíveis. A prefeitura vai ter o prazo de 20 dias após notificada para prestar as informações sobre “as Empresas Contratadas sem Processo Licitatório constante no Relatório do TCE”.

Continuar lendo

Destaque 7

Secretário de Ilderlei viaja para o outro lado do mundo para comprar incinerador de lixo e lâmpadas de LED

Ray Melo, da editoria de política do ac24horas

Publicado

em

Se depender do prefeito Ilderlei Cordeiro (PMDB) Cruzeiro do Sul não ficará conhecida apenas pela boa farinha que produz. Seguindo a mesma linha de preocupação do governo do Acre com as questões ambientais, o gestor acaba de enviar Tárcito de Oliveira Batista, Controlador Interno do Município, para prospectar negócios na China. Ele quer investir na geração de energia renovável e realiza vistas a fábricas chinesas para possível compra de lâmpadas de LED, placas de energia solar e uma usina de plasma que gera energia a partir do lixo.

A decisão para investir em um incinerador de lixo teria acontecido após uma reunião entre os secretários de Ildelei Cordeiro e a Promotoria do Meio Ambiente para acabar com o lixão de Cruzeiro do Sul. Tárcito de Oliveira usou uma reportagem da Rede Globo sobre o incinerador de lixo para justificar a viajem à China, destacando a possibilidade de o município passar de consumidor a fornecedor da Eletrobras Distribuição Acre. A queima do lixo geraria energia que num futuro próximo poderia ser vendida para a concessionária estatal.

O secretário de Ilderlei Cordeiro vem documentando, detalhadamente, toda sua viagem em fotos e vídeos que estão sendo postados em sua página no facebook. O périplo de Tárcito de Oliveira começou no dia oito de novembro, com uma escala em Toronto, no Canadá, “só eu e Deus, rumo a Pequim – China, com escala em Toronto, buscar investimentos e oportunidades para Cruzeiro do Sul”. O gestor voltou a fazer comentários que ficaria com saudade do gelado Canadá, informando a chegada ao aeroporto de Pequim: “Cansado, mas chegando bem”.

A reportagem de ac24horas entrou em contato com o presidente da Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul, Romário Tavares (PMDB) para verificar se a prefeitura teria apresentado projetos aos vereadores que justificassem a viagem de um de seus secretários para prospectar negócios entre o município e fábricas chinesas. Tavares foi enfático: “Até o momento nada chegou na Câmara de Vereadores. Sobre essa viagem, quem autoriza é o próprio executivo, nós só autorizamos as viagens internacionais do prefeito”, informa o vereador.

Numa rápida pesquisa na internet, a reportagem constatou que o município de Boa Esperança, em Minas Gerais, não precisou recorrer aos chineses para a primeira usina do país que gera energia elétrica a partir do lixo. Detalhe, segundo reportagem do portal da Globo, a energia será gerada por meio de um processo que vai utilizar a gaseificação a leito fluidizado, uma tecnologia 100% nacional, que emite menos poluentes que outros processos já existentes, como é o caso das usinas instaladas na China, que serviram de inspiração para Ilderlei Cordeiro.

No Brasil também há vários de lâmpadas de LED e placas de energia solar, o que pode gerar um questionamento sobre os gastos da prefeitura com uma viagem internacional para verificar preços de produtos do outro lado do mundo. Segundo informações obtidas pela reportagem, Tárcito de Oliveira recebeu mais de R$ 11,3 mil referente a 18 diárias. Sem incluir os valores de passagens, hospedagem, deslocamento e alimentação do secretário que foi incumbido da missão de “buscar investimentos e oportunidades para Cruzeiro do Sul”, visitando várias cidades chinesas.

Procurado pela reportagem, o prefeito Ilderlei Cordeiro não atendeu nem retornou as varias ligações que foram realizadas para seu celular de número (68) 99953-57**. Por telefone, a assessoria de comunicação da prefeitura não soube informar detalhes da viagem de um dos assessores próximos ao gestor municipal para o outro lado do mundo. O espaço está garantido para o prefeito peemedebista, caso ele queira apresentar sua versão e os valores que a prefeitura de Cruzeiro do Sul está desembolsando com a viagem à China.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo

Bar do Vaz

Padre Massimo defende um dia de jejum, sem missa, para protestar contra a violência no Acre

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.