Conecte-se conosco
Fechar

Juruá sofre dois apagões na telefonia e internet em menos de uma semana, confirma Oi

Publicado

em

Apesar dos investimentos feitos no Acre alegados pela empresa Oi, os serviços de internet e telefonia móvel continuam precários, principalmente na região do Vale do Juruá. Em menos de uma semana, Cruzeiro do Sul e os municípios vizinhos sofreram dois blecautes no sistema. Sempre que contatada, a assessoria da operadora alega que em geral as interrupções são causadas por atos vandalismo.

No começo da tarde desta segunda-feira, 19, os cruzeirenses ficaram mais uma vez sem acesso à rede mundial de computadores e à telefonia móvel. Como as demais empresas do segmento se utilizam do cabo de fibra ótica da Oi para atender os clientes da região, os apagões afetam o sinal de todas as operadoras.

Ao contrário de episódios anteriores, quando o blecaute chegou a perdurar por mais de cinco horas, a interrupção dos serviços nesta segunda durou pouco mais de 60 minutos.

Em contato feito anteriormente com o ac24horas, a assessoria da Oi assegurou que a operadora estuda uma maneira de evitar o problema.

Continuar lendo

Destaque 3

Prorrogado prazo para apresentação de projetos do Edital de Pequenos Apoios

Publicado

em

Foi prorrogado para o dia 10 de novembro o prazo para apresentação de projetos das cinco últimas etapas do Edital de Pequenos Apoios do Fundo Municipal de Cultura. Lançado em julho pela Prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação de Cultura Garibaldi Brasil (FGB), o edital garante a artistas, produtores culturais e grupos artísticos apoio financeiro de até R$ 5 mil para a execução de atividades. O prazo inicial se encerraria nesta segunda-feira, 23.

O edital prevê sete fases, com aprovação de seis projetos de arte e seis de patrimônio cultural a cada etapa. As duas primeiras já foram concluídas, com resultados divulgados no site da Prefeitura (www.riobranco.ac.gov.br). O investimento total é de R$ 430 mil – cerca de R$ 60 mil por fase. O montante serve tanto para a execução de pequenos projetos quanto para a complementação de ações que já estejam em andamento na capital.

Os interessados deverão reunir a documentação exigida no edital e entregar ao Departamento de Fomento e Incentivo à Cultura da FGB. O documento também pode ser conferido no site da Prefeitura de Rio Branco. O edital é destinado a ações de formação, produção, circulação, intercâmbio e eventos. Podem participar propostas de natureza diversa, como encontros, workshops, seminários, ciclos de oficinas e debates, apresentações artísticas, compra de passagens, publicações e outras atividades.

Os proponentes inscrevem seus projetos de acordo com o mês em que desejam realizar as ações. A etapa 03 é para atividades que acontecerão em dezembro de 2017 e janeiro de 2018. A fase 04 serve para os meses de janeiro e fevereiro, seguida da 05 para fevereiro e março. As etapas 06 e 07 são, respectivamente, para março e abril e para abril e maio.

Atividades flexíveis quanto às datas poderão ter seus projetos inscritos em mais de uma etapa. Assim, em caso de desaprovação, o documento será reavaliado nas fases seguintes. Mas, se aprovado, o projeto é automaticamente excluído das próximas fases.

O ranking provisório da etapa 03 será divulgado no dia 24 de novembro e das demais etapas, no dia 8 de dezembro. O resultado da terceira fase será publicado no site da Prefeitura entre os dias 1 e 4 de dezembro e das demais fases, no dia 15 do mesmo mês.

Continuar lendo

Destaque 3

Votação da denúncia contra Temer deve dominar debates desta semana na Câmara

Publicado

em

A discussão e votação do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que é contra a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco, vão dominar os debates desta semana na Câmara dos Deputados. A votação do parecer, que foi aprovado na Comissão de Constituição e de Justiça (CCJ) por 39 votos a 26, com uma abstenção, está prevista para quarta-feira (25), e a sessão começa às 9h.

Na denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, em setembro, o presidente da República é acusado de ser um dos líderes de uma organização criminosa que atuava na Câmara. Os dois ministros são apontados como integrantes do grupo.

Embora o governo precise de 172 votos, ou seja, o voto de um terço mais um dos 513 deputados, para impedir que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente da República e os ministros, líderes aliados do governo intensificam os trabalhos em busca de um número expressivo de apoios ao parecer de Bonifácio de Andrada, que é contra a autorização de abertura de investigação. Os governistas também trabalham para que compareça à votação um grande número de deputados.

De acordo com as normas divulgadas pela Câmara, iniciada a ordem do dia, o relator Bonifácio de Andrada terá 25 minutos para falar. Em seguida, os três advogados de defesa terão também 25 minutos para apresentar suas justificativas. Os deputados que se inscreverem para discutir a denúncia terão 5 minutos, cada um, com alternância entre parlamentares contra e a favor do parecer. Depois que quatro deputados falarem é permitida a apresentação de requerimento de encerramento das discussões, o qual será votado, desde que haja pelo menos 257 parlamentares no plenário. A aprovação se dará por maioria dos presentes.

Concluída a discussão, será iniciada a fase de votação, desde que no mínimo 342 deputados tenham registrados presença no painel eletrônico. A partir daí, será concedida a palavra por 5 minutos a dois oradores contrários ao parecer e dois favoráveis, alternadamente, para o encaminhamento da votação. Em seguida, inicia-se a orientação de votação das bancadas, na qual cada líder tem direito a 1 minuto de fala.

A votação será por chamada nominal, por ordem alfabética, por estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa. Concluída a votação e tendo votado ao menos 342 deputados, será proclamado o resultado. Para que a Câmara autorize o STF a iniciar as investigações contra o presidente e os ministros são necessários, no mínimo, 342 votos contrários ao parecer de Andrada.

Outras votações

Além da análise da denúncia, está na pauta da Câmara a votação na terça-feira (24) do projeto de lei complementar que inclui municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo na área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) em função das condições climáticas semelhantes às do Semiárido. De acordo com o projeto, serão acrescentados na área da Sudene 81 municípios de Minas e dois do Espírito Santo, que passarão a contar com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE).

Vetos

Também na terça-feira está prevista realização de sessão do Congresso Nacional para a votação de seis vetos presidenciais feitos a projetos de lei aprovados pelo Parlamento e também a votação de 13 projetos para a abertura de créditos adicionais orçamentários para atendimento a diversos setores públicos.

Continuar lendo

Destaque 3

Mercado financeiro prevê inflação de 3,06% e nova queda da Selic esta semana

Publicado

em

O mercado financeiro aumentou a projeção de inflação pela terceira vez seguida. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desta vez, passou de 3% para 3,06%, este ano. A estimativa é do Boletim Focus, uma publicação divulgada toda segunda-feira no site do Banco Central (BC), com projeções para os principais indicadores econômicos.

Para 2018, a estimativa para o IPCA permanece em 4,02%. As estimativas para os dois anos permanecem abaixo do centro da meta de 4,5%, que deve ser perseguida pelo BC. Essa meta tem ainda um intervalo de tolerância entre 3% e 6%.

Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 8,25% ao ano.

Nesta terça e quarta-feira (25), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reúne-se para definir a Selic. A expectativa do mercado é de ue a taxa caia para 7,5% ao ano nessa reunião. Para o fim de 2017, a expectativa permanece em 7% ao ano. Essa também é a projeção para o fim de 2018.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi levemente ajustada de 0,72% para 0,73%, este ano. Para 2018, a estimativa de expansão segue em 2,50%.

Continuar lendo
Publicidade

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.