Conecte-se conosco
Fechar

Venda de prédio da Biblioteca mostra bem o estilo da gestão de Ilderlei

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Leio estarrecido que o prefeito de Ilderlei Cordeiro (PMDB) vai vender o prédio da ex-Biblioteca Municipal de Cruzeiro do Sul. Mais chocante ainda é a postura subserviente da Câmara Municipal que autorizou tal crime contra a memória cultural do município. Sinceramente eu preferia ter lido que o Ilderlei apresentou um projeto para a recuperação de um dos espaços mais nobres de Cruzeiro do Sul. Só que não, ele quer vender um patrimônio municipal para pagar dívidas do INSS ou comprar um terreno para construir uma nova rodoviária. Pela notícia dá para perceber que nem sabe exatamente o que pretende fazer com dinheiro. O prefeito quer vender um prédio que fica numa localização privilegiada e nem protestos nas redes sociais. Está tudo certo. Deram a chave da cidade para o rapaz fazer o que bem entende. Ele é o dono da cidade? Isso é um dos maiores absurdos que já vi cometerem contra a querida Cruzeiro do Sul e mostra como serão os próximos anos de gestão de Ilderlei Cordeiro a frente da prefeitura. Se preparem…

Prefeitura não é imobiliária
Esse tipo de transação da venda de bens públicos não é aconselhável. Afinal de contas uma prefeitura não é uma imobiliária para a venda e compra de imóveis. Espero sinceramente que o prefeito Ilderlei Cordeiro tenha bom senso e pare esse processo de venda do prédio da Biblioteca Municipal.

Dinheiro voa
A notícia diz que a prefeitura paga um parcelamento ao INSS de R$ 750 mil por mês. O prédio da Biblioteca foi avaliado em R$ 1,5 milhão. Ou seja, não vai resolver a dívida e desaparecerá um bem público em dois meses como passe de mágica.

Mais louco ainda
Nos tempos da sua gestão Vagner Sales (PMDB) conseguiu de volta na Justiça vários terrenos da prefeitura que haviam sido vendidos pela antecessora Zila Bezerra(PTB). Então quer dizer que não faltam terrenos se querem construir uma nova rodoviária. Enquanto um recupera patrimônio o outro quer vender.

Outras opções
Para comprar um terreno pode-se pedir emendas parlamentares, conseguir empréstimos em bancos oficiais, desapropriar imóveis. São tantas as opções. Mas o prefeito Ilderlei escolheu o caminho mais fácil. Vender um bem público.

Por quê não aproveitar?
Outra coisa, a atual rodoviária fica num lugar privilegiado no centro da cidade. Por quê não conseguir emendas parlamentares para melhorar as suas instalações? Usar a criatividade e tornar o local mais agradável e funcional?

Cadê o Ministério Público?
O Ministério Público (MPE) deveria investigar essa transação. Verificar os detalhes. Quer dizer que um prefeito pode vender um imóvel público com uma simples autorização de uma Câmara que tem uma notável bancada partidária que lhe é favorável? É de arrepiar…

Gato por lebre
Os empresários que compraram os terrenos nos tempos da Zila depois tiveram que devolver os imóveis. Quem for o “sortudo” que irá arrematar o prédio da Biblioteca Municipal deve ficar atento. Será que esse não é um negócio que poderá dar problema no futuro?

Quem avaliou?
É óbvio que o prédio da Biblioteca Municipal está no ponto mais nobre do centro da cidade. Essa avaliação de R$ 1,5 milhão é justa? Só vale isso o imóvel? Acredito que não faltarão empresários interessados nesse negócio da China.

Chororô de sempre
Ilderlei Cordeiro quando se candidatou a prefeito sabia que o momento no país não era de vacas gordas. A crise política e econômica é uma realidade. Se propôs a fazer a gestão do município sabendo das dificuldades. Agora, vai querer vender bens públicos para resolver o problema? Não é esse o caminho senhor prefeito.

Livros queimados na praça
Esse estilo de gestão que Ilderlei pretende fazer parecer ser de desvalorização da cultura e do saber. Se nota isso, pela tentativa de venda da ex Biblioteca Municipal. Afinal, livros para quê? O local poderia ser revitalizado, se tornar um centro de mídias, uma escola para a juventude. Tantas opções…

Até tu Brutus?
Me choca mais ainda o silêncio do vice-prefeito Zequinha Lima (PP). Um homem dedicado à educação e à cultura. Será que o Zequinha concorda com esse absurdo? Por conveniência política não vai se manifestar sobre o assunto?

E os outros?
Os apoiadores de Ilderlei também deveriam se manifestar. O ex-prefeito Vagner Sales, o senador Gladson Cameli (PP) e a deputada federal Jéssica Sales (PMDB) estão de acordo com essa iniciativa de venda da Biblioteca Pública? Se não estiverem se manifestem, por favor!

O povo precisa saber
Nas próximas colunas vou dar destaque aos vereadores cruzeirenses que votaram a favor da venda do prédio. O presidente da Câmara, Romário Tavares (PMDB) e o Elenildo da Pesca (PP) parecem ter sido os articuladores ao lado do prefeito.

Contra o absurdo
Pelo que li os vereadores Ronaldo da Farmácia (PDT) e Leandro Cândido (PSL) votaram contra a venda do prédio da ex-Biblioteca Municipal. Não se convenceram da necessidade de tal transação para “salvar” a economia do município.

Não faça isso
Para finalizar fica uma mensagem ao prefeito Ilderlei Cordeiro. Procure outras alternativas para resolver os problemas financeiros da prefeitura. Esse imóvel pode ser um centro cultural importante para marcar a sua gestão. Reavalie a sua decisão. Tenho certeza que a história não fará um registro positivo dessa inciativa de vender um prédio público. Existem outros caminhos que poderão trazer muito mais benefícios à população de Cruzeiro do Sul. Converse com as pessoas, ouça mais opiniões. Na minha avaliação, esse pode ser um erro que ainda trará muitas dores de cabeça no futuro ao prefeito Ilderlei Cordeiro.

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Major Rocha e Minoru também deveriam ser candidatos ao Governo

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Coronel Ulysses é a surpresa nas pesquisas para o Governo do Acre

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Facções criminosas estão mais fortes do que muitos partidos políticos

Nelson Liano Jr.

Publicado

em

Continuar lendo
Publicidade

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.