Conecte-se agora
Fechar

MPF será acionado para investigar possível desvio de finalidade em construção de museu na capital

Publicado

em

A construção do Museu dos Povos Acreanos, obra estimada em R$ 26 milhões, que acabou virando polêmica no meio político e nas redes sociais, foi o principal tema de debate nesta quarta-feira, 17, na Câmara de Rio Branco.
O líder da oposição na Casa, vereador Roberto Duarte, do PMDB, informou que vai pedir ao Ministério Público Federal a abertura de inquérito para apurar possível desvio de finalidade do governo do Acre, executor do museu, já que os recursos são oriundos do Proser (Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre).

A suspeição do parlamentar ocorre porque o governo do Estado chegou a realizar, em 2013, audiências públicas em Santa Rosa, Jordão, Marechal Taumaturgo e Cruzeiro do Sul apresentando as políticas de saneamento e prometendo implanta-las nesses municípios por meio do programa que hoje financia a construção do museu. “Se fazem uma audiência pública pra promover um programa nos municípios isolados, agora vão investir um dinheiro em um museu?”, questiona.

O peemedebista questiona ainda o pagamento de R$ 600 mil feito de forma adianta pelo governo do Estado, entre abril de 2014 e abril de 2015, em período eleitoral, à Ordem dos Servos Província do Brasil enquanto o prédio, onde já funcionou o Colégio Meta, no Centro de Rio Branco, estava fechado e abandonado.

“Antes da desapropriação, a Fundação Elias Mansour pagou R$ 600 mil adiantado por um período de um ano. E o que mais me chamou a atenção foi que isso foi pago entre abril e maio de 2014, muito próximo do período eleitoral. E esse imóvel passou um ano fechado. Por que o Estado pagou R$ 600 mil em um imóvel pra ficar fechado e ainda pra ficar fechado? Existe um parecer no Ministério Público de Contas do TCE mostrando a irregularidade e pedindo a devolução desse dinheiro. Só que me parece também que já foi julgado no Tribunal de Contas e julgaram regular, mas agora vamos pedir uma investigação”, completa.

Já o líder do PT na Câmara saiu em defesa do governo. Disse que confia no governador Sebastião Viana e acrescentou que a Ordem dos Servos Província do Brasil não pode ser colocada sob suspeita por causa de sua história de dignidade. “Questionar que esse pagamento foi feito em véspera de eleição e isso é suspeito, eu não sei vocês, mas eu duvido muito que a Ordem dos Servos teria qualquer tipo de contato com qualquer partido político do país. Eu confio muito não só na Ordem dos Servos de Maria, mas confio muito no meu governador. E é uma Ordem que tem uma história de dignidade na sociedade e duvido muito que se envolveria em qualquer tipo de armação.”
O petista, que tem ligação com o segmento cultural, lembrou que há na lista de investimentos do Estado para revitalização outros 22 espaços, como o Museu da Borracha, o Memorial dos Autonomistas e o Palácio Rio Branco. “Serão serviços paralelos”, completou.

Mais Informações

Acre

Sobre advogado que aparece com arma, Abracrim diz que chamará a responsabilidade

Publicado

em

A Associação dos Advogados Criminalistas do Acre (ABRACRIM/AC) repudiou o ato do advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, que aparece em um vídeo no WhatsApp com uma submetralhadora.

“Advogado que se presta à fanfarronice, bravatas, incontinências públicas e até a prática de ilícitos é um não advogado e assim será considerado pela OAB/AC”, diz a entidade em nota.

A associação informa que “o profissional que de forma incauta publiciza comportamento temerário, evidenciando conduta criminosa será chamado à responsabilidade de acordo com as normas da Instituição, sem prejuízo de chamamento próprio na seara do Poder Judiciário”.

À reportagem de ac24horas, o advogado afirmou que arma é de brinquedo e pertence a um amigo dele. “Essa arma é de um amigo, custou cerca de R$ 900, foi comprada em uma loja de Rio Branco. Ela é de pressão”, disse.

Continuar lendo

Acre

Incêndio em galpão de fábrica teria sido criminoso, aponta Corpo de Bombeiros

Publicado

em

Um incêndio de grandes proporções consumiu parte do maquinário de uma fábrica de calçados no Parque Industrial de Rio Branco. O empreendimento fica às margens da BR-364. O caso ocorreu na manhã desta quinta-feira, dia 23.

As chamas e a fumaça puderam ser vistas de longe, e foram registradas por internautas do ac24horas que passavam nas proximidades do local. Viaturas do Corpo de Bombeiros foram até o local para controlar as chamas que não destruíram o galpão.

Segundo o major Cláudio Falcão, porta-voz dos Bombeiros, “a guarnição de incêndio do 2º Batalhão foi para o local, e o fogo estava concentrado no maquinário, na parte de esteiras, e foi necessário mais ou menos 40 minutos para controlar o fogo”, explica.

Os empresários da fábrica não foram localizados para comentar sobre o prejuízo causado pelas chamas. Aparentemente, o incêndio foi criminoso. “Essa fábrica de sandálias está desativada, e depois do nosso serviço, o local foi deixado sob a responsabilidade da Polícia Militar. A aparentemente um incêndio criminoso”, completa.

Continuar lendo

Acre

Transexual é impedida por segurança de entrar na Assembleia para assistir sessão

Publicado

em

A transexual Bia Berkman foi impedida de acessar o 2° andar da Assembleia Legislativa do Acre para assistir a sessão na terça-feira, 22, por um segurança da Casa sob alegação de que Bia “seria um homem com roupas de mulher”. A denúncia foi feita pelo ativista gay Germano Marino via Facebook.

“Ao pará-la e dizer isso a ela e a impedir de pegar o elevador, a proibiu de subir. No mesmo instante, já que estava de short feminino, tirou uma calça da mochila e vestiu. Mesmo assim o segurança disse: ‘você agora não pode subir porque é uma calça de mulher, e você é homem e não pode usar roupa de mulher’. Foi uma situação de muito constrangimento e de muito preconceito”, informou Germano Marino.

O presidente da Assembléia Legislativa, Ney Amorim (PT), repudiou o ato do segurança da Casa. “Foi uma atitude, na minha opinião, lamentável de um servidor. Uma atitude isolada, onde ele confundiu e não teve sabedoria suficiente pra entender que a pessoa que estava adentrando ao prédio do Poder Legislativo era trans e aí ele usou uma regra. Qual era essa regra? Não entra de bermuda na Casa. Mas aí essa regra muda quando se trata de uma pessoa trans”, disse o deputado.

Assim que soube do que estava acontecendo, Ney Amorim disse que chamou Bia para se assentar na galeria da Casa para assistir a sessão.

“A trans pode vir de bermuda, de saia, da maneira que ela se vestir, que ela se achar melhor. Eu tomei providências. Chamei o chefe desse segurança e a trans para se assentar e se acomodar na Assembleia Legislativa e dei as boas vindas a ela, inclusive lamentando o que havia ocorrido na portaria da Assembléia Legislativa.”

Continuar lendo
Propaganda

Leia também

Mais lidas