Conecte-se conosco
Fechar

Jéssica votará contra Reforma da Previdência e Vagner Sales ameaça debandada geral no PMDB/AC

Ray Melo, da editoria de política do ac24horas

Publicado

em

Após as declarações do vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, Darcisio Parondi, que afirmou que os parlamentares do PMDB que votarem contra a Reforma da Previdência serão expulsos do partido, a deputada federal Jéssica Sales confirmou que votará contra o polêmico projeto que presidente da República Michel Temer espera aprovar com apoio de sua base de sustentação.

Caso Jéssica Sales seja expulsa da legenda, pelos posicionamentos anteriores e prestígio que seu pai, o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, tem junto a classe trabalhadora, é provável que a parlamentar não saia sozinha do PMDB, mas provoque uma verdadeira revoada de peemedebistas que acompanharão a família Sales, causando a maior baixar que um partido terá no Acre.

“Fiz uma análise aprofundada do projeto de Reforma da Presidência e decidi que não posso votar contra o trabalhador. Fiquei surpresa com o posicionamento de pessoas que dizem representar o PMDB, um partido que prega a democracia, mas está tolhendo o livre direito de voto de seus deputados que não representam apenas um sigla, mas o povo brasileiro”, diz Jéssica Sales.

Para ela, o que estaria prejudicando a Previdência não são as aposentadorias dos trabalhadores, a sangria seriam as grandes aposentadorias que são pagas a uma parte privilegiada da sociedade. “Se querem consertar o sistema previdenciário vamos cortar dos grandes, rever as grandes aposentadorias. Verificar os benefícios que são pagos de forma irregular como a pensão de ex-governadores”.


Ela afirma que 70% dos aposentados no Acre se aposentam baixos salários. “Não é justo com quem realmente trabalha que para se aposentarem além de acrescer a idade ainda terão que contribuir 25 anos. Quando é que um agricultor vai sair do Restauração, no Tejo, para pagar um boleto na cidade? Cortem o benefício de quem passou quatro anos no poder, não contribuiu e se aposentou”.

Segundo Jéssica Sales, caso seja aprovada a proposta que estabelece uma idade mínima para aposentadoria e amplia o número mínimo de anos para a concessão do benefício, torna seletiva a possibilidade de aposentadoria aos trabalhadores, levando em conta a estimativa de vida da população em algumas regiões. “Muitos trabalhadores não conseguirão entrar no regime de aposentadoria”, destaca.

Ela destaca que a aposentadoria integral vai ficar mais difícil. “O fim do Fator Previdenciário e a criação de cotas para o pagamento de aposentadorias integrais é um retrocesso. Isso significa que, mesmo contribuindo por 25 anos, o trabalhador não terá direito à aposentadoria integral. Eu não posso concordar com alguns absurdos que foram colocados no projeto”, diz Jéssica Sales.

A peemedebista destaca que estes são apenas dois de vários pontos que ela diverge no projeto de Reforma da Previdência. “Vou votar contra porque acredito que está é a vontade das pessoas que me confiaram sua representação no Congresso Nacional. Sou deputada para defender os direitos de quem trabalha, não os tornar inatingíveis para a grande maioria do povo brasileiro e do meu querido Acre”, ressalta.

Questionada pela possível expulsão do PMDB, a parlamentar disse que sairá com a consciência tranquila que fez aquilo que considerava importante para quem trabalha. “Gosto do partido que escolhi juntamente com meus pais para trabalhar pela população de nosso estado, mas se este for o preço que tenho que pagar por ficar ao lado do trabalhador, pode ter certeza que o pagarei”, destaca.

Procurado pela reportagem, Vagner Sales, militantes histórico do PMDB, não descarta abandonar o PMDB, caso Jéssica Sales seja expulsa. “Sempre acreditei no espírito democrático dentro do PMDB, este foi meu único partido, mas neste caso que seus dirigentes resolveram punir quem exerça seu direito de expressar posicionamentos, eu e meu grupo sairemos dos quadros da sigla”, finaliza.

Salvar

Continuar lendo

Cotidiano

Quatro pessoas ficaram feridas após tiroteio na tarde desta terça-feira, no bairro 6 de Agosto, na capital

Publicado

em

Na tarde desta terça-feira (17), quatro pessoas ficaram feridas, entre elas uma mulher e uma criança de 2 anos, após tiros no bairro Seis de Agosto, no Segundo Distrito de Rio Branco.

De acordo com informações coletadas pela equipe policial, um veículo preto se aproximou do grupo e armados os ocupantes efetuaram pelo menos 10 disparos.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foi acionado e três viaturas prestaram apoio a ocorrência. A mulher, a criança e dois homens foram encaminhados ao Pronto Socorro. A menor levou um tiro de raspão e não corre riscos de morte

A Polícia Militar, após a coleta de informações, saiu a procura dos suspeitos que se evadiram tomando rumo ignorado após o crime de tentativa de homicídio.

Continuar lendo

Cotidiano

Após denúncia, BOPE prende homem de 37 anos com fuzil e outras armas no bairro Calafate, em Rio Branco

Publicado

em

Um homem de 37 anos foi preso na tarde desta terça-feira (17), em flagrante com um fuzil em uma residência localizada na Rua Madureira, bairro Novo Calafate, em Rio Branco.

De acordo com informações da polícia, a prisão só foi possível após uma denúncia anônima que dava conta de que na residência havia homens armados. Ao chegarem ao local, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), encontraram a arma de fogo de grosso calibre, uma AR-15, com 21 munições, de uma pistola 9 milímetros, 14 munições de 556, usadas em outro tipo de fuzil, droga, celulares, dinheiro e material para embalagem do entorpecente.

Na casa no momento do flagrante só havia Cleber José da Silva Bezerra, que alegou ter comprado a arma pelo valor de R$ 28 mil no pais vizinho, a Bolívia. O homem foi levado a Delegacia de Flagrantes (Defla), e deverá retornar ao regime fechado já que estava sendo monitorado em regime semi aberto. Desta vez, deverá responder pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas.

Continuar lendo

Cotidiano

Universidades britânicas oferecem bolsa de estudo para estudantes do Estado do Acre; saiba mais

Publicado

em

A Universidade Federal do Acre (Ufac) realizou nessa segunda-feira, 16, palestra sobre o programa Chevening, que ofecere bolsas de mestrado a estudantes brasileiros, financiadas pelo Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido e organizações parceiras.

O programa é uma iniciativa do governo britânico, que oferece bolsas de mestrado para qualquer área do conhecimento em qualquer universidade britânica, estimulando pessoas com potencial de liderança.

A bolsa cobre todos os principais custos para realização de mestrado, possui duração de um ano e, após esse período, o estudante precisa voltar ao Brasil para aplicar os conhecimentos adquiridos. “Um dos objetivos do Reino Unido com o programa é montar uma rede de pessoas influentes, que mantenham relacionamento com o país no futuro”, disse o representante da Embaixada do Reino Unido, Carlos Eduardo Mesquita.

Para a vice-reitora e assessora interinstitucional da Ufac, Guida Aquino, a universidade vem seguindo os caminhos da internacionalização. “Sem essa interculturalidade, a ciência se torna mais pobre.”

Para se inscrever no programa, acesse o link www.chevening.org/eligibility.

(Ascom/Ufac)

Aleta Dreves
Assessora de Comunicação
Portaria n. 535/2016
68.8111.4288

Assessoria de Comunicação Social – ASCOM
Universidade Federal do Acre – UFAC
68.3229.1799
68.3901.2554

Continuar lendo
Publicidade

Leia também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.