Conecte-se agora

Jornal diz que homem que desviou R$ 300 milhões da saúde no RJ foi indicado para cargo por Sebastião e Jorge Viana

Publicado

em

O governador do Acre, Sebastião Viana e o senador Jorge Viana, ambos do PT, foram citados em reportagem do Jornal O Globo sobre o suposto esquema de corrupção que desviou R$ 300 milhões da saúde na administração do ex-governador Sérgio Cabral, no Rio de Janeiro. Leia a reportagem de O Globo na integra, cujo conteúdo já foi modificado com as devidas correções.

Os políticos acreanos não aparecem como envolvidos no escândalo investigado pela operação Fatura Exposta, versão da Lava-Jato no Rio, chegou à área da saúde pública e prendeu na manhã desta terça-feira (11), o ex-secretário Sérgio Côrtes

Segundo reportagem de O Globo, o cargo que deu notoriedade a Sérgio Côrtes, teria sido através de lobby dos irmãos Sebastião e Jorge Viana, que seriam tios de Verônica Viana, esposa do ex-secretário acusado de corrupção.

A equipe do jornal O Globo citou indevidamente o nome dos irmãos  Viana. Ambos foram apontados como parentes de um dos principais envolvidos por fraudes e desvios de recursos da secretaria de saúde do estado do Rio. Alertados, os repórteres reconheceram o erro e pediram desculpas pelo equívoco, tendo já corrigido a citação feita ao governador do Acre e ao senador petista, no site do jornal. Os repórteres explicaram à assessoria de Jorge Viana, que foram induzidos a erro por um discurso proferido pelo deputado José Nader, na Assembleia Legislativa do Rio, em 2006. E mandaram o link onde aparece o suposto parentesco de Sebastião Viana com o delator Cesar Romero Vianna:

A reportagem de ac24horas entrou em contato com o senador Jorge Viana. Ele nega que a esposa de Côrtes seja sua sobrinha. “Não temos nem um grau de parentesco com essas pessoas. O jornal e os jornalistas estão fazendo as correções, absurdo!”.

Jorge Viana atribui a citação na reportagem divulgada pelo jornal de circulação nacional, ao clima de denuncismo sem provas contra políticos que se instalou no país nos últimos meses. “Os absurdos dos tempos loucos que vivemos”, diz JV.

O senador acreano também negou que ele e o irmão tenham feito lobby ou indicação de Sérgio Côrtes para se tornar o interventor federal em hospitais municipais do Rio de Janeiro: “Nem parentes, nem indicação. Estamos esperando a imediata correção”.

A reportagem de O Globo destaca que a fraude comandada por Côrtes “aplicada nas regras de importação, permitiu que uma máfia formada por empresários e gestores públicos desviasse, por pelo menos 12 anos (2003-2014), de 40% a 60% de um total de R$ 500 milhões”.

O porta-voz do governador Sebastião Viana, o jornalista Leonildo Rosas, usou sua página no facebook para falar da denúncia. Rosas destaca apenas o erro cometido pelo jornal O Globo, ao colocar Cesar Romero Vianna, delator do esquema de corrupção no Into do Rio de Janeiro, como sobrinho dos irmãos Viana.

A reportagem do ac24horas entrou em contato com o assessor principal do governador e perguntou sobre a suposta sobrinha citada pelo jornal O Globo em outra reportagem, Verônica Viana. “É tudo mentira. Os caras não sabem nem os parentes, como vão inventar lobby?”, disse Rosas.

Anúncios

Cotidiano

Fábrica de Preservativos de Xapuri recebe certificação do Inmetro e retoma produção em 2020

Publicado

em

Empreendimento mantém viva a expectativa de geração permanente de emprego e renda no município

A Indústria de Produtos de Látex da Amazônia, que gerencia a fábrica de preservativos masculinos de Xapuri, agora conhecida como Iplasa, anunciou nesta semana a retomada da produção no ano de 2020 após uma parada de oito meses em razão da falta da certificação do Inmetro, concedida no último dia 7 de julho pelo Instituto Nacional de Tecnologia – INT.

O INT é o primeiro órgão público federal acreditado pela Cgcre – Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro – como organismo de certificação de produtos. A auditoria realizada para a certificação inicial do preservativo produzido pela indústria acreana aconteceu no período de 18 a 21 de maio deste ano, tendo todo o processo sido feito de maneira remota, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Os produtos certificados pelo INT ostentam no Selo de Identificação da Conformidade a marca do Inmetro ao lado da marca do órgão certificador. A certificação representa mais uma conquista para o empreendimento público-privado que mesmo com a crise causada pela covid-19 mantém os seus cerca de 100 colaboradores registrados e aptos a retornarem ao trabalho.

De acordo com o presidente da empresa, Emerson Feitoza, por falta da certificação as atividades desenvolvidas pela fábrica nos últimos oito meses ficaram restritas a processos relacionados à produção anterior e a fabricação de um lote piloto para a avaliação da certificadora. Segundo ele, não houve paralisação em razão da pandemia, mas unicamente pela ausência do certificado.

“A paralisação da produção se deu apenas pela falta da certificação. Com a chegada da pandemia, amparada pelos decretos estadual e municipal, a fábrica seguiu em funcionamento nas atividades de seus diversos setores, com exceção da parte fabril, que foi reativada na última quinta-feira. Esse ano não produzimos nada, não faturamos nada, mas mantivemos os emprego de todos”, afirmou.

Segundo o empresário, para este ano a Iplasa ainda tem um montante de 24 milhões de camisinhas para serem despachados ao Ministério da Saúde (MS). Para a continuidade da missão de manter a produção e os empregos, a indústria acaba de receber um incentivo considerável do município de Xapuri por meio da redução de 50% do valor do ISS – Imposto sobre Serviços – por um prazo de 12 meses.

“Foi muito bem-vinda a medida do município, pois com isso a indústria pode se capitalizar, com base no incentivo que reduz de 5% para 2,5% a alíquota do ISS, e honrar com mais tranquilidade os seus compromissos, no que diz respeito à folha de pagamento e aquisição de insumos, enquanto durar o período complicado que estamos enfrentando”, explicou o administrador.

Emerson Feitoza esclareceu também que o retorno dos funcionários ao trabalho vai ocorrer gradativamente, na medida em que os setores que foram paralisados forem retomando as atividades, como os responsáveis pelos processos de teste, embalagem e expedição. Inicialmente, retornarão aos seus postos cerca de 45 colaboradores.

As primeiras remessas de preservativos referentes ao reinício da produção – cerca de 4,7 milhões de unidades – terão como destino os estados da Bahia, Rio de Janeiro e Mato Grosso, além do Acre. O prazo previsto para essa expedição é de 45 dias. A certificação do Inmetro tem a validade inicial de três anos para a fabricação de preservativos masculinos de látex de borracha natural.

Da falência a uma esperança de futuro

Inaugurada em 2008 pelo governo do estado em parceria com o governo federal, a fábrica de preservativos masculinos de Xapuri foi anunciada como redenção do extrativismo e saída sustentável para a combalida economia do município, que viveu um momento de sonho quando aportou na cidade o empreendimento de US$ 10,6 milhões, financiado pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Durante 10 anos sob gestões estaduais passadas, a fábrica chegou a gerar cerca de 170 empregos diretos no município, absorvendo látex nativo de 200 seringueiros, em média, apesar de o número de famílias extrativistas cadastradas chegar a 700. Foi um período de euforia em que as boas notícias que ganhavam o mundo pelas páginas dos jornais escondiam o fato de que o empreendimento possuía um futuro incerto.

Em 2018, a fábrica foi à falência em razão do alto custo do preservativo produzido em Xapuri. O valor de R$ 0,14 pela unidade da camisinha acreana pago pelo Ministério da Saúde inviabilizou a produção depois que o governo do estado não conseguiu mais arcar com o custo excedente.

A saída encontrada pelo governo para não ver o projeto morrer, foi repassar o empreendimento à iniciativa particular, em 2018, por meio de uma parceria público-privada (PPP). Com isso, a nova gestora da fábrica passou a ser a empresa CLPO, ligada ao grupo Lima Pontes S/A, que para administrar o negócio criou a firma chamada Indústria de Produtos de Látex da Amazônia S/A.

Nos últimos dois anos, a nova gestão fez pesados investimentos na recuperação dos maquinários e no reposicionamento da indústria para um sistema voltado à obtenção do lucro financeiro. Assim, o empreendimento passou por uma verdadeira reforma nos seus processos de gerenciamento, tendo como resultado uma impressionante redução nos custos operacionais com relação ao que era praticado na gestão estatal.

A mudança de controle da fábrica também enfrentou sérios problemas de ordem burocrática, principalmente no que se refere ao contrato de fornecimento de preservativos com o Ministério da Saúde, cujo gestor é o governo do estado por meio da Funtac. A grande dificuldade consistia em um entrave jurídico que restou do processo de privatização da antiga Natex que impedia que a nova gestão recebesse os pagamentos efetuados pelo MS.

A questão foi resolvida por meio de um novo contrato firmado entre a fundação estatal e a Iplasa para a fabricação das camisinhas. Dessa maneira, a falência da Natex se converteu em esperança da manutenção dos empregos e do sonho de muita gente para que o empreendimento se mantenha de pé. Com os duros efeitos da pandemia de covid-19 que o mundo e o Brasil enfrentam, mais do que nunca Xapuri e o Acre vão precisar.

Continuar lendo

Acre

Tombo no setor de serviços do Acre é o 8º maior do país

Publicado

em

Em maio de 2020, o setor de serviços caiu 1,5% na comparação a abril no Estado do Acre. Quando se compara o resultado de maio/2020 com maio/2019 o tombo é de 25,1%, o 8º maior do país no período.

A Pesquisa Mensal de Serviços divulgada nesta sexta-feira (10) pelo IBGE observa que os resultados negativos decorrem da pandemia do novo coronavírus, que afetou setores de peso na economia.

A Associação Comercial do Acre já disse que segmentos como academias praticamente zeraram suas atividades desde que se agravou a crise da Covid-19 –apenas para ficar em um exemplo dos setores drasticamente prejudicados em 2020.

No país, a queda foi 0,9% frente a abril, na série com ajuste sazonal, ainda sob efeito da pandemia de Covid-19. É a quarta taxa negativa seguida, período em que acumulou perdas de 19,7%.

Na série sem ajuste, em relação a maio de 2019, o volume de serviços recuou 19,5%, a terceira taxa negativa consecutiva e a queda mais intensa desde o início da série histórica, em janeiro de 2012. No acumulado no ano, o setor ficou em -7,6% e, nos últimos 12 meses, recuou 2,7%.

Estão afetados os serviços prestados às famílias, serviços de informação e comunicação e transportes –este último perdeu muito no Acre, com ênfase no município de Rio Branco.

Continuar lendo

Acre

Pedidos de seguro-desemprego crescem 11,9% no Acre, em junho

Publicado

em

No Acre, os pedidos de seguro-desemprego, na modalidade trabalhador formal, aumentaram 11,9% na primeira quinzena de junho de 2020 em comparação a igual período do ano passado.

No entanto, houve queda se comparado o resultado da segunda quinzena de maio de 2020: -26,1% nos pedidos. Esse recuo pode indicar que há menos pedidos em função do Auxílio Emergencial do governo aos trabalhadores autônomos.

No País, os pedidos somaram 351.315 na primeira quinzena de junho deste ano. Esse número representa uma queda de 22,9% na comparação com o registrado na segunda quinzena de maio (455.911) e um aumento de 35% em relação ao mesmo período do ano passado (260.228).

No período analisado de 2019 apenas 0,2% dos pedidos de seguro-desemprego foram feitos via web. Em 2020, os pedidos pela internet somaram 98,1% de todos os requerimentos.

Somado aos beneficiários do Bolsa Família, o Auxílio Emergencial injeto mais de R$ 400 milhões no Acre até agora.

 

Continuar lendo

Destaque 7

Custo do transporte caiu 4,28% em maio na capital do Acre

Publicado

em

Os preços do grupo transporte aliviaram no bolso dos rio-branquenses em maio. A queda de -4,28% foi devido, sobretudo, pelo item óleo diesel (-15,4%), cujos preços despencaram no mercado nacional devido à queda dos preços dos barris de petróleo à nível mundial.

Dos nove grupos de despesa pesquisados, alimentação e bebidas apresentou a maior inflação (3,19%) em maio de 2020.

Os detalhes e informações sobre a inflação estão nos boletins de Preços ao Consumidor produzidos mensalmente pelo Observatório do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas